História The Exchange (Larry) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Abo, H!bottom, Larry, Larry Stylinson, Ltops, Ziam
Visualizações 75
Palavras 3.476
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey babes :))
Aqui está mais uma fanfic Larry para vocês, é a minha primeira fanfic ABO {Alfas, Betas e Ômegas}, se vocês não conhece, recomendo que pesquisem, é bem interessante.
Boa leitura :3

Capítulo 1 - Nunca diga nunca, Harry


Harry suspirava enquanto entrelaçava seus dedos nervoso.

E não era para menos o seu nervosismo.

Quando se é um Alfa que tem um Ômega prestes a chegar, com objetivos impuros e bizarros, dificilmente ficaria tranquilo.

"Um Alfa, lindo, másculo e maravilhoso como eu está fugindo de um Ômega...agora todo mundo parece estar contra mim, o que eu fiz de errado?" 

Harry e Louis ficaram noivos para que os Tomlinson's e os Styles unissem suas grandes empresas, o que daria em um dos maiores negócios de Los Angeles, derrubariam todos os concorrentes que tinham e com certeza dariam uma ótima fortuna para as duas famílias, além de que, Robin e Mark eram grandes amigos, poderiam se tornar uma família só com o casamento de seus filhos.

Louis Tomlinson era um Ômega tímido, doce e podemos dizer que era perfeito na visão de todos em sua volta.

Menos para Harry.

Aquele Ômega era o ser mais safado, ousado e hipócrita que se poderia imaginar, não era nenhum pouco inocente e muito menos doce, agia como um Ômega na frente de todos, mas com Harry era completamente diferente.

O maldito havia colocado na cabeça de que faria a todo custo com que Harry ficasse por baixo, de que na verdade ele seria um dominador que teria o cacheado implorando para ser fodido.

Só de imaginar, o garoto de olhos verdes se treme por inteiro, o quanto seu orgulho e sua posição de Alfa ficariam machucados? O quão complicado seria tirar aquilo da cabeça de Louis?

Da primeira vez que se viram, Louis lhe disse que o teria somente para ele, o brinde foi um sorriso malicioso e um aperto forte na bunda.

Naquele mesmo dia, Harry jurou que o copo de água que bebia estava prestes a aprender voar, pois o mesmo estava tremendo de ódio por ter suas bochechas ridiculamente vermelhas.

Anne e Robin estavam muito bem vestidos, assim como Harry e Gemma, a espera dos Tomlinson's, que não demorariam muito, pois o relógio mostrava que era 13:57 e em menos de cinco minutos todos estariam reunidos, pela infelicidade de Harry.

A única pessoa que Harry gostava naquela família, era Lottie, pois percebia que a mesma não acreditava nas atuações que o irmão fazia, apenas bufava ou revirava os olhos entediada quando ele FINGIA ser adorável.

Mark e Robin eram muito exigentes quando o assunto envolvia Ômega e Alfa, sempre queriam ter o mesmo estilo de vida, como bons amigos, queriam que seus filhos se dessem bem para ter um casamento e se juntarem de vez.

Louis e Harry nasceram no mesmo dia, mas como o de olhos verdes ao nascer teve risco de vida e só se recuperou no dia 1º de Fevereiro, decidiram que aquele seria realmente o dia em que ele nasceu.

Quando a campainha tocou, Harry entrou em desespero, sabendo que sua mãe pediria para que ele levasse Louis para seu quarto e tivessem um tempinho a sós enquanto o almoço não estivesse totalmente pronto e o garoto de olhos azuis iria lhe provocar- ou castigar- como sempre fazia.

-Jay e Mark! Entrem! Está frio ai fora- O cacheado revirou os olhos para o mesmo dialogo de sempre.

Mesmo vendo isso sempre, Harry nunca se acostumaria com um exercito entrando em sua casa e tentava a todo custo não olhar para ele que lhe encarava atentamente.

-É hoje que rola suruba né, Harry?- Diz Gemma maliciosa.

-Mas que porra! Cale a boca Gemma!

-Olhe a boca Harry Edward Styles!- Anne o repreendeu com um olhar matador- Comprimente seus sogros e suas cunhadas! E você também Gemma.

-Ta bom, ta bom- A Alfa bufou, entrelaçando o braço no do irmão e andando em direção aos Tomlinson's.

Gemma e Harry eram bem apegados, mesmo tendo essas discussõezinhas bobas de vez em quando.

O Alfa cumprimentou seus "sogros" e "cunhadas", quando chegou a vez de Louis, apenas o ignorou e passou direto por ele, sem olha-lo.

"Esse idiota vai aprender muitas posições diferentes até ter que costurar essa bunda gorda e ai vamos ver quem fica por baixo"

Sim, Harry ainda estava com raiva do que o Ômega pensava em fazer.

Já Louis se segurava ao máximo para não agarrar o Alfa ali e castiga-lo sem dó.

-Não irá cumprimentar seu noivo Harry? Como um bom futuro marido, você deveria ser um cavalheiro como eu e seu pai lhe ensinamos.

O Ômega de olhos azuis segurou o riso enquanto o Alfa rangiu os dentes com raiva.

-Olá idiota, como vai? Espero que mal! Foi um desprazer em te ver hoje, tenha um péssimo dia, juro que por mim você aprenderia o caminho para Marte, mas como eu não tem NENHUM direito nessa merda, tenho que te aturar, sabia?- Harry deu um sorriso irônico enquanto seus pais o olhavam como se fosse mata-lo.

-E-Eu...- Louis se encolheu e lágrimas começaram a cair por seu rosto- Por que você é assim Hazz? Eu sempre tento te agradar e você sempre me trata mal ou me magoa...mesmo assim eu não consigo deixar de te amar...- Harry quase revirou os olhos.

"E não é que esse desgraçado é um bom ator? Mas é sempre eu que o vejo passar colírio nos olhos e fazer toda essa cena de drama como sempre"

Lottie o olhava com o cenho franzido, mas sem nenhuma pena.

"Por isso que eu te amo Lottie, você é a única que ainda acredita em mim"

-Com você pode trata-lo assim Harry? Ele sempre tenta te agradar e é assim que retribui?- Anne passa por Harry e abraça Louis que fingia soluçar.

O Alfa bufou sem paciência e correu as escadas em direção ao seu quarto.

Harry odiava ver que só ele via o verdadeiro lado do Ômega, ninguém tentava pelo menos acreditar nele, para todos, Louis era como se fosse um garoto perfeito, um noivo perfeito, um filho perfeito, sensível, carinhoso, doce, adorável, mas para o Alfa, ele era totalmente o oposto.

O cacheado olhava entediado para o teto, mas para ele, isso era bem melhor do que ter que ver Louis fingir chorar para prejudicar sua imagem diante de seus pais.

Com os olhos fechados, escutou a porta sendo aberta e logo fechando-se.

-Se for para encher o saco, vai para a puta que o pari-- Harry ao abrir os olhos e se deparar com o Ômega de olhos azuis, sentiu seu rosto esquentar de raiva e uma veia pulsar de seu pescoço- O que faz aqui? Sai do meu quarto agora, idiota!- O Alfa saltou da cama indo até o azulado, empurrando-o, mas seus pulsos foram rodeados pelas mãos pequenas e fortes de Louis, parando seus movimentos instantaneamente.

-Não sou do tipo que obedece- Lhe lançou um sorriso irônico- Muito menos do que é dominado por alguém- Os olhos sérios de Louis, faz Harry engolir seco.

"Mas que diabos esse Ômega pensa que é?"

-Escuta aqui!- O aperto firme do Ômega em seus pulsos estavam começando a machucar- Você não tem o direito de entrar no meu quarto, é minha propriedade, se quiser dominar alguém, domine umas quengas qualquer, não é como se eu ligasse, além disso, eu NUNCA irei ficar por baixo, seu jeitinho de intimidador não me assusta- Por mais que o cacheado puxasse seus pulsos com força, Louis era estranhamente forte, diria até mais forte que si.

Claro que ele nunca admitiria isso.

-Nunca diga nunca, Harry- O Alfa rugiu  debatendo-se para se livrar do Ômega- Faço o que bem entender e...Ah, sua mãe disse que seu quarto também pode ser o meu até quando EU quiser- O garoto de olhos verdes parou de se movimentar, com os olhos arregalado e boca entreaberta.

Virou o rosto encontrando os olhos azuis, lhe encarando com intensidade, mas vez questão de fechar os olhos e virar o rosto na direção oposta.

-Me solte Louis!- O Alfa conseguiu se soltar e se afastou de Louis quase que instantaneamente- Alfas não são fodidos, ainda mais por Ômegas, você deveria ser colocar em seu lugar, não vamos transar, mesmo estando casados, podemos ter outros relacionamentos sem que ninguém saiba, entenda que não quero ter que ser obrigado a te dar uma marca e ficar grudado para sempre com você- Harry cruzou os braços virando de costas para Louis que estava estático.

"Ah meu amor,  não sou de desistir fácil, irei fazer você se engasgar com essas palavras, ou não me chamo Tommo"

Tommo era nada mais, nada menos que o lobo interior de Louis e ele tinha a mesma personalidade que seu humano, mas o dobro de tudo.

Por exemplo: Ele era mais amável, mais carinhoso, mais dominador e quando sua raiva o dominava, era capaz de fazer coisas impensáveis, não conseguindo controlar seu humano e alerta-lo de que poderia machucar ou ferir alguém.

Em menos de cinco segundos, Louis avançou sobre Harry, o derrubando na cama, ficando por cima de seu corpo e o impedindo de sair.

O cacheado estava desorientado, como uma Ômega podia agir assim com ele? Como poderia faze-lo se sentir tão mais fraco? Essa postura de Louis o irritava profundamente, odiava tanto aquele garoto...

-Mas o que-Você está louco garoto? Sai de cima de mim! Não esto com paciência para suas idiotices, aghh eu te odeio!- Harry ficou ainda mais irritado quando o azulado começou a rir, fazendo com que suas ruguinhas aparecesse.

"Esse Ômega maldito vai se arrepender tanto de ter nascido que vai querer voltar rapidinho para o útero da Jay" O Alfa concordava com Hazza, seu lobo.

Hazza era arrogante e mal humorado, não sabia expressar seus sentimentos em palavras ou gestos, até porquê nunca recebeu tanto afeto para isso, assim como Harry, infelizmente era bem sensível, fazendo com que Harry também fosse sensível ao extremo, mas óbvio que ninguém sabia, somente ele e Hazza.

-Também te amo Mon Amour- Harry urrou e bufou irritado, mas isso somente aumentava a diversão de Louis- Você fica adorável irritado, baby.

-Não me chame de baby! Sai logo idiota! E também não me chame de adorável, não sou adorável! Sou másculo e machão, meus músculos não são tão visíveis, mas posso quebrar a sua cara de imbecil! Porque é isso que você é! Um Ômega imbecil!- Suspirou, lembrando que não possuía TANTO músculos como os de sua especies, ficou mais nervoso por ter um Ômega em cima de si, se mostrando mais forte e o fazendo se sentir fraco.

-Você é adoravelmente adorável- O Ômega amava provocar Harry, pois suas bochechas ficavam vermelhas, ou de vergonha, ou de raiva, isso o deixava com uma aparência mais infantil e inocente, do jeitinho que adorava ver.

Com toda a força que tinha, Harry empurrou Louis para longe e se levantou.

-Pois fique sabendo que eu nunca serei fodido por você! Vai arranjar outro Alfa que seja louco, porque eu realmente não quero ser um deles.

Assim que o cacheado saiu do quarto, o Ômega rugiu alto e socou um dos travesseiros da cama.

Harry sempre o atraíra muito, seus olhos, sua boca e seu corpo com cintura fina o deixava intrigado, sabia que o Alfa sentia as mesmas sensações que ele, senti-o se arrepiar toda vez que o tocava ou o olhava, seu corpo parecia dizer sim, mas ainda competia com o não de sua consciência, podia ver algo em seus olhos que não conseguia descifrar, mesmo tentando muito, precisaria lutar para desvendar essas esmeraldas.

 

 

Todos os sábados, era normal se reunirem para almoçarem juntos, era como uma tradição, Harry odiava esse almoços, sempre acabava sendo provocado por Louis.

-E então Louis? como anda o curso de culinária?- Perguntou o senhor Styles com curiosidade, enquanto dava a ultima garfada em sua comida.

Louis foi meio que "obrigado" por seus pais a entrar num curso de culinária, pois para eles, um Ômega deveria ser por no seu lugar e cuidar da casa, dos filhos, do marido, assim como uma mulher, não podia trabalhar ou ter direito de exigir alguma coisa e isso o irritava profundamente.

Ele não quer ter o mesmo destino comum dos casais que conhece, ele quer trabalhar, não cozinhar, quer ter seus próprios direitos e foda-se e merda de obrigação, odiava muito o fato de só porque é um Ômega, teria que agir como um infalível, sem ter o direito de escolher nada que quer fazer ou não.

Mas ele nunca soube o porquê dele sentir um desejo absurdo de foder e dominar alguém, sua adolescência foi complicada, seus pais sismam que ele só poderia transar depois de casar, mas Louis nunca demonstrou sua desobediência, então apenas fodeu alguns Ômegas e não era novidade para ninguém que era gay, todos sabiam pelo "jeito" que o entregava.

-Ah...err...legal! Estou amando tio Robin!- O desgraçado era um ótimo na questão de atuação, mas não enganava Harry, nunca enganou.

-Que bom meu filho, tenho certeza que Harry vai adorar ser recebido com um jantar tão delicioso feito por mãos de anjo- Robin lhe lançou um sorriso orgulhoso, fazendo o Alfa de olhos verdes cuspir a água de seu copo e começar a rir descontrolavelmente.

Gemma precisou lhe dar alguns tapas (mais forte do que o esperado) para acalma-lo, só depois de uns dois minutos, sua risada cessou, seu rosto estava completamente vermelho e algumas lágrimas caiam pelo mesmo.

Aquilo definitivamente estaria longe de acontecer.

Louis era péssimo na cozinha.

Uma vez, Harry experimentou um biscoito que o Ômega havia feito, mas acabou tento que ir ao dentista para arrancar um de seus dentes.

Mesmo assim, seus pais acharam que ele mesmo tinha feito os biscoitos queimados, não importasse o quanto ele negava, Louis era sempre a princesa para Harry sempre ser um vilão.

Seus pais não o amava, eles apenas quiseram que a empresa tivesse um pretendente, mas Gemma nasceu primeiro e pelo fato de ser uma mulher, não poderia em nenhuma ocasião assumir os negócios da família, mesmo sendo uma Alfa.

Esses pensamentos o deixava triste, seus olhos não possuíam brilho, ele não era feliz, não era tão livre, podia ser rico, podia comprar tudo o que quiser, mas tudo aquilo era para faze-lo se sentir mais confortável, aquilo não o daria carinho, ele nunca soube o que é carinho e sempre invejava todos os Alfas que tinham pais que os amavam tanto, apenas observava as famílias se afastarem para o deixa-lo sozinho, sempre sozinho...

"Eu estou com você Harry, nós sempre teremos um ao outro, não se preocupe!"

Hazza sempre o acalmava nessas situações, ele e Gemma eram os únicos que amava verdadeiramente.

-Você poderia dormir aqui hoje, não é Louis? Passar um tempo com Harry é bom para se acostumarem mais com a presença um do outro- Anne perguntou, tentando mudar de assunto, o Alfa sabia bem qual eram as intenções de sua mãe.

Anne tenta a todo custo fazer Harry se "apaixonar" por Louis, mas o Alfa odeia ser forçado a algo, não obedeceria sua mãe, já era um homem e tinha o direito de fazer o que quiser.

-Seria ótimo senhora Anne- Louis sorriu docemente para a mulher que retribuiu.

-Já falei para me chamar somente de Anne ou sogra, se quiser- Harry murmurou um "mãe" repreendendo-a, mas logo se calando ao receber um olhar mortal da mesma- Algumas de suas roupas estão guardadas e passadas, combinei com a sua mãe que você dois poderiam passar um tempo juntos enquanto viajamos para a Austrália, resolver algumas coisas, assinar contratos e encontrar alguns sócios, voltaremos daqui a cinco meses...esse tempo será bom para vocês- O Ômega tinha um sorriso enorme que poderia rasgar o rosto, enquanto Harry balançava a cabeça negativamente não querendo acreditar, se segurando para não entrar em pânico.

-Essa é uma ideia maravilhosa, tenho certeza que quando vocês voltarem, seremos como um casal apaixonado- O Alfa de olhos verdes fez uma careta de nojo.

-Vocês estão brincando? Eu não quero dividir a casa com esse anão idiota!- Louis se controlou para não mandar o dedo do meio- Nunca seremos um casal! Mesmo você me forçando a casar com ele, alias, você sempre me força a tudo né? Mas fique sabendo que não irei te obedecer por tanto tempo, só aguarde- Harry se levantou bruscamente, correndo e subindo as escadas, passando pelos corredores até chegar em seus quarto.

Assim que fechou a porta, se jogou na cama, odiava sentir lágrimas passarem por sua pele clara, odiava chorar, se sentia tão fraco, mas era cansativo ser forte o tempo todo.

O quarto antes silencioso, agora era preenchido por seus soluços altos e dolorosos.

Seu coração emburacado doía, sua família não se importava com o seu bem estar, não se preocupavam em lhe avisar nada antes, nunca se preocuparam em conhece-lo direito e nem saber como ele se sentia com tudo isso.

Com o rosto entre os travesseiros, tentava parar e cessar o seu choro, mas nada adiantava, ele precisava chorar, precisava tirar todo aquele peso de si, precisava fazer o que se sentia bem e não se forçado a nada.

A porta foi aberta devagar, fazendo o mesmo prender o choro e as lágrimas.

-Harreh?- O alfa não respondeu o azulado, tudo o que menos precisava era de sua presença.

Louis se aproximou da cama, se deitando ao lado de Harry, como se fosse natural, o Alfa se virou para o lado oposto, evitando ver o Ômega.

-Vá embora, não quero te ver- Sua voz saiu rouca e cansada, seu nariz ardia como seus olhos, precisava dormir, talvez o dia seguinte fosse bom, só talvez.

-Você fala como se eu fosse te obedecer- Respondeu debochado, se arrastando para cima de Harry, que foi rápido o suficiente para tampar seu rosto com o travesseiro fofo.

-Caralho! Será que pode me deixar em paz!- O Alfa estava nervoso, queria o Ômega longe de si, não poderia mostrar o seu lado fraco para ninguém, muito menos para Louis.

Mas foi pego de surpresa quando o travesseiro foi arrancado de seu rosto, sua primeira reação foi se virar de bruços.

-O que foi Harry? Você não é assim...- O Ômega estava preocupado, mesmo com todo o seu desejo sexual, nutriu um certo carinho por Harry, mesmo não mostrando isso ou afirmando com todas as palavras.

-Eu não tenho a obrigação de te responder- Suspirou com a voz abafada pelo colchão- Vai embora...- Harry já havia perdido as esperanças de fazer o Ômega ir embora, sabia que o mesmo era teimoso demais e nunca o obedecia. 

E então, num movimento rápido, Louis virou Harry para que pudesse ver seu rosto.

Ao olhar cada pedacinho de seu rosto com traços tão delicados, seu coração se apertou ao ver seus olhos e nariz completamente vermelhos, com lágrimas caindo por sua bochecha.

Ele não gostava nenhum pouco de ver o seu Alfa assim.

-S-Sai...- Harry cobriu seu rosto com as mãos, os soluços voltaram quase que automaticamente, o Ômega descobriu o seu lado que mais odeia ter, não poderia voltar mais atrás.

Se sentia vazio, se sentia frio, se sentia sensível e carente, como assim carente? Ele nunca precisou de carinho, então por que se sentia tão carente? As perguntas vinham e iam embora sem uma resposta certa.

Suas mãos foram tiradas do rosto, lhe permitindo ver iris azuis brilhantes, lhe encarado nos olhos, seu corpo pareceu se acalmar, mas ao mesmo tempo, parecia que passava uma eletricidade por ele.

Seus pelos se arrepiaram com o toque em suas mãos, não poderia evitar, por mais que negasse, seu corpo sempre disseram sim para Louis, mas na sua consciência, aquilo tudo estava errado e realmente estava.

-Não chore, baby, eu odeio te ver assim- Harry quase surtou com essa mudança toda repentina.

"Será que a sucuri vai dar o bote?" Hazza perguntou mal humorado, mas gostando de toda aquela situação.

O Alfa fungou desviando o olhar das iris hipnotizantes, mas a mão de Louis virou seu rosto delicadamente.

-Eu sei que está cansado de sua mãe sempre tentar nos juntar, mas não sou tão ruim assim, não faria algum mal a você, isso seria meio que um pecado- A risada de Louis ecoou seus ouvidos, lhe deixado mais hipnotizado.

 Os dedos de Louis passou por seu rosto, limpando as lágrimas com calma e com delicadeza, acariciando-o enquanto sorria doce, admirando seu rosto delicado.

Espera ai!

Harry estava recebendo carinho?

Franziu o cenho confuso quando o Ômega se separou, jogando-se no outro lado da cama e logo puxando Harry para que se deitasse em seu peito.

Okay, isso era bem estranho.Na verdade era Harry que deveria fazer isso né?

Mas odiava tanto Louis, o odiava por fazer querer ficar assim, querer receber mais desses carinhos e afetos.

Estava distraído com o carinho em seus cabelos, não sabe quando fechou os olhos e tudo se escureceu, apenas se sentia aquecido e preenchido com isso.

Não que ele estivesse gostando...

Talvez sim...

Mas é claro que só foi um deslize...isso nunca iria acontecer novamente.


Notas Finais


E então? Vocês gostaram?
Desculpa se a narração não estiver boa, essa é a primeira fanfic em que EU mesma narro, não os personagens :(
MUUITOO OBRIGADO POR LER!!
Beijinhos!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...