História The Fallen Angel - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Tags Jungkook Anjo Amor Sexo
Visualizações 70
Palavras 751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Drogas, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Cap II


Fanfic / Fanfiction The Fallen Angel - Capítulo 2 - Cap II

•____ pov•
             {22:10pm}

  Ao analisar a lembrança que aquela nuvem trouxe, pude observar uma moça com os cabelos parecidos com os meus, a altura parecidissima com a minha; aliás a moça se parecia muito comigo. Ela estava em pé frente a uma casa levemente esverdeada, espremi meus olhos para ver melhor. Um cheiro forte adentrou em meus pulmões fazendo-me tossir,   vejo uma labarenta de fogo e logo atrás outra, e outra e outra, a casa pegava fogo.
O fogo se espalhou rapidamente, era possível ouvir gritos assustados de mulheres e homens, a moça que estava na frente da casa também estava em chamas.
  De repente a nuvem começa a se desfazer aos poucos, indo em direção a janela fechada batendo na mesma e se quebrando por fim.
   Deito na cama com a mão na cabeça pensando na cena que tinha se passado perante meus olhos, perguntas sem respostas voltam a perturbar meu consciente, viro a cabeça e olho para o remédio que o Dr°Lee passou para mim quando eu tinha 12 anos, porém me nego a voltar a tomar essa droga.  Agora com a maior idade preciso entender o porquê isso acontecer comigo.
  Com mil pensamentos ativo, vou fechando os olhos devagar e acabo pegando no sono. Um lago? Vejo um lago em meus sonhos, um lago com a água verde de lodo, havia um menino no lago, ele estava a nadar vindo em minha direção, meu coração começa a acelerar cada vez mais, faltava menos de 3 metros de distância entre ele e eu, entretanto eu não consiga ver seu rosto. Meu coração ainda estava acelerado... Espera ai, que cheiro é esse?
Acordo do meu sonho, desço as escadas da casa correndo, quando tropeço um dos saltos de minha mãe e consigo ver que está saindo fumaça da cozinha. Levanto do chão e corro para a cozinha para apagar a boca do fogo que provavelmente minha mãe tenha deixado ligada. Mas não, a cozinha estava completamente em chamas, assim como na lembrança que eu presenciei pela nuvem.
Procurei desesperada por meus pais e não os encontrei, tentei apagar o fogo mas foi em vão. Sinto algo em minhas costas me puxando para fora da casa, bato com a cabeça no paralelepípedo, consigo ver a casa ser devorada pelas chamas e .... desmaio.

  • uma semana depois •
     {Hospício Central De Daegu. 9:00am}

  Uma luz forte me fez abrir o olho com dificuldade, na mim frente havia uma pessoa que eu não consegui distinguir o sexo com uma lanterna.

- Hein, dar para apagar essa lanterna? Aliás, onde eu estou?
  Disse olhando em volta, era um quarto todo em branco, sem janela e com apenas um criado-mudo ao lado da cama de solteiro.

- Está em um hospício esperando o juiz para que possamos te levar ao tribunal.
Respondeu a pessoa que tinha voz de mulher, julguei assim sendo mulher, me deu um sorriso quadrado jogando uma blusa na cor branca.

- Hospicio? Tribunal? O que aconteceu? Cadê meus pais?
  Perguntei vestindo a blusa, me levantando da cama e indo em direção a porta onde ela me esperava.

- Sim, sua casa pegou fogo e seus pais morreram. Você está sendo julgada como culpada pelo incêndio.
Caminhávamos por um corredor largo com portas nos dois lados, pessoas gritavam ou choravam.

- Mas porque eu sou considerada culpada? Aliás você ainda não me disse porquê estamos em um hospício.
  Perguntei ao chegar ao tribunal que era no mesmo prédio do hospício.

- Você vai saber.
  A moça respondeu piscando com o olho esquerdo com um sorriso cínico no rosto, ela saio e o julgamento começou.

  {•Final de Julgamento}
         {16:30pm}

  Fiquei horas sentadas em uma cadeira de madeira ouvindo ladainhas de pessoas que não conheço. Vi meu destino ser traçados por elas, que diziam que eu era culpada por ter filmagem e testemunhas que afirmam terem me visto acendendo a boca do fogo e deixando-o assim, causado o incêndio... matando meus pais que dormiam na hora.
   O juiz decretou que eu deveria ser transferida para um reformatório em Seoul, que eu era perigosa demais para está livre na sociedade. E assim foi feito, a moça de mais cedo me guiou até um carro e pegamos a estrada a caminho de Seoul. Em momento algum houve conversa, com a cabeça encostada no vidro olhava a paisagem e ao longe em torno de uma árvore pude ver outra daquelas nuvens.
     Porque vocês não me deixam em paz? Já tiraram meus pais, minha liberdade... minha vida. 


Notas Finais


juro juradinho que no próximo cap o personagem principal entra e que será beeeem maior. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...