História The Family Business - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel
Tags Angst
Visualizações 29
Palavras 804
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Sobrenatural

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sim, eu sei que tô atrasada horrores pra atualizar a outra fic, mas uma certa pessoa simplesmente não me deixaria em paz enquanto eu não postasse essa. Desculpem os atrasos, a demora e todo o resto, mas a coisa aqui é curtinha; na hora que nem caldo de cana.

Sugiro que leiam ouvindo Wait, M83. Foi a música que ouvi enquanto escrevia e acho que ajuda bastante a entrar no clima deprê. O link tá nas notas finais, vejo vcs lá.
Boa leitura!

Capítulo 1 - Único


The Family Business 

 

Eu sabia que era inevitável.  

Sendo um ser eterno eu já estava acostumado a ter que me despedir do mundo, a ver a beleza da Criação ceder à Morte, ou ao tempo. Saber, contudo, não me fez mais preparado. Nada faria. Nem os milênios de vida ou a recente consciência de que emoções podem ser medidas em graus quase físicos de humanidade — até aquele momento eu nunca havia chegado tão perto delas. Eu nunca tinha sido tão humano, nem tão... triste. 

 
In my hands, I hold the ashes 
In my veins, black pitch runs 

Em minhas mãos, eu seguro as cinzas 
Nas minhas veias, corre piche preto 

 

Está chovendo em Lawrence. Há terra molhada na ponta dos meus dedos, mas abaixo dela e da lápide a minha frente não há corpos. Eu quis que tivesse, mas fiz as coisas do jeito deles. E do jeito deles não há volta. 

Aquele era o adeus definitivo, e ninguém estava do outro lado para ouvi-lo. 

 
In my chest, a fire catches 
In my way, the setting sun 

Em meu peito, um fogo queima 
No meu caminho, o sol poente 

 

Pus o cantil de Bobby em cima de uma lápide e o diário de John em outra; uma foto de Mary estava entre as duas. Esses três humanos provaram a céu e inferno que o fogo é mesmo o lugar onde se forja o caráter, mas nenhum deles viveu o bastante para ver a chama que criaram alcançar o mundo; ela não alcançou, afinal, mas se extinguiu tentando. Morreu forte. Ainda que não tivesse sobrado ninguém para assoprar as brasas. 

Eu não era o bastante. Nunca seria, porque não queria ser. Não sozinho. 

 
Dark clouds gather 'round me 
To the west, my soul is bound 
And I will go on ahead, free 
There's a light yet to be found 

Nuvens escuras se reúnem em volta de mim 
Para o oeste, minha alma é atraída 
E eu irei em frente, livre 
Ainda há uma luz para ser encontrada 

 

Eu os vi. Acompanhei a humanidade do amanhecer ao crepúsculo, em seus pontos altos e baixos. Encarei o egoísmo dos homens e sua abnegação, em silêncio. Eu era um soldado, na época. E não lutava causas perdidas. 


No time 
No time 

Sem tempo 
Sem tempo 

 

Dizer que tive todo o tempo do mundo era no mínimo um eufemismo, e mesmo assim não fiz o bastante. Não quis fazer. Quando fui chamado a ação tudo já estava à beira de um colapso, eu inclusive, mas aprendi a lutar por causas perdidas e enxergar beleza nelas. Nadei contra a corrente. Abandonei meu lugar no céu e não me encaixei na Terra, mas não me perdi. Encontrei-me. 

Tenho o tamanho aproximado do antigo Edifício Chrysler, mas enquanto eu coube no banco traseiro de um Impala 67 tudo esteve bem. Por poucos anos eu esqueci o que era ser eterno. 


And I ask for no redemption 
In this cold and barren place 
Still I see the faint reflection 
And so by it, I got my way 

E eu não peço por redenção 
Neste lugar frio e estéril 
Ainda vejo a fraca reflexão 
E assim, por isso, eu tenho o meu caminho 

 

Minha natureza é a constância, mas eu mudei. Minha vida é a guerra, mas eu quis paz. Fui paz. Fiz paz. Estive em paz e lutei contra ela no caos do mundo. 

Permaneci. 

De algum jeito, eu permaneci. 

Mas esse tempo passou, assim como todas as coisas a que me agarrei. A vida deles escorreu pelos meus dedos e eu não fui capaz de segura-la, ainda que a tivesse nas mãos. O tempo correu, lembrando-me que contra alguns inimigos nem mesmo anjos podem de lutar. A inevitabilidade das coisas não se dobraria a minha vontade, nem ao meu desespero. 

Tudo estava afundado. E eu era o pedaço mal-acabado do negócio da família. 


No time 
No time 

Sem tempo 
Sem tempo 

 

Lutei um bom combate, terminei a corrida. Preservei a fé. Levantei da forma que pude e bati a poeira da roupa. Segui. Não sei para onde. Não havia lugares para ir, pessoas para salvar, coisas a fazer. Eu estava em silêncio, assim como o mundo. Pedaços quietos sem objetivo, sem irmãos, sem família. Uma molécula de nada errando enquanto o silêncio durasse, pois compartilhávamos a mesma natureza. 

Constância. 

Tudo estava afundado, mas eu permaneci. 


Send your dreams
Where nobody hides 
Give your tears 
To the tide 

Envie seus sonhos 
Para onde ninguém se esconde 
Dê suas lágrimas 
Para a maré 

 

No princípio criou Deus o céu e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sob a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sob as águas. 
E disse Deus: haja luz; e houve luz. 

 

Constância. 

Tudo esteve afundado, mas eu permaneci. 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


* Wait, M83 - https://www.youtube.com/watch?v=lAwYodrBr2Q

Essa fanfic contem trechos totalmente aleatórios de duas músicas, Wait e The Last Pale Light In The West, de Ben Nichols. Não me julguem, ok? Mas espero que gostem
E Bro, considere essa postagem meu muito obrigada pelo presente de aniversário de mais de 9000 palavras <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...