1. Spirit Fanfics >
  2. The First Love (Jikook) >
  3. Cap. 25: Plano em ação. Part 3.

História The First Love (Jikook) - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Tá bom, fiquem com a foto da amada Rosé pq novamente eu não sei q capa colocar no capítulo. Eu sou uma inútil mesmo ai ai...

Quero agradecer, muito mesmo a todos os favoritos e aos comentários de vcs amo muito ♥♥



Enfim, Boa leitura ♥

Capítulo 28 - Cap. 25: Plano em ação. Part 3.


Fanfic / Fanfiction The First Love (Jikook) - Capítulo 28 - Cap. 25: Plano em ação. Part 3.

Depois do delegado nos fazer aquela pergunta, ficamos em extremo silêncio. Uns esperando a morte, outros não sabiam o que falar, outros apenas não tinham coragem pra isso e eu... bom eu, acho que vou pra Miami vender a minha arte na praia depois dessa, vou ter uma nova identidade e tudo novo tbm. Não que eu esteja com medo da minha mãe, quer dizer um pouco sim mas, o meu maior medo é desapontar ela sabe... 

Procurando refúgio, olhei para Jimin. O mesmo estava com um olhar diferente, não de assustado como o da maioria mas sim de decepção. Decepção consigo mesmo. Tento fazer o meu olhar ficar o mais terno possível pra ver se o acalmo de alguma forma, logo, o seu olhar mudou para melhor. Esse é o meu Chim!

- E então meus adolescentes, qual o foi o motivo de vcs terem invadido a empresa dos Min's? - o delegado pergunta outra vez e juro que ele parecia muito, mas muito impaciente. - Respondam! - dessa vez ele deu um grito que acabou assustando todos nós, é sério, eu até dei um pulinho do banco onde eu estava sentado. 

- Eu começo... - Yoongi diz e seu tom de voz era firme, mas tbm meio inseguro. - Bom a verdade é que...

- A verdade é que a gente queria um lugar pra jogar um jogo que a gente aprendeu e, Yoongi achou uma boa idéia ser na impressa do pai dele. - disse Nanda mais rápido que um papaleguas fugindo de um coiote. -  Sabe, mais espaço e tals... 

- Me expliquem que jogo é esse então. - O delegado Kim disse se aproximando mais de nós.

- Bom o jogo é -

- Não, vc já contou uma parte, quero que... - Kim, começou a passar o olhar por nós e parou em Hoseok. Droga, ele é péssimo em mentir! - Você, o de cabelos cor de rosa mesclado.

- Não não deixa que eu falo com o é! -  Briana disse afoita, sem dúvida ela conhece Hoseok mais que todos nós aqui. 

- Não. Eu quero ele... - O delegado parece já saber que é mentira... Droga! Eu preciso fazer alguma coisa, mentir só vai piorar essa situação. 

- Bom o jogo é... O jogo é... - Hoseok dizia pausadamente, parecia lógico, procurar alguma "luz" em sua mente para tirar todos dali. 

- Para Hope, eu conto a verdade. - Digo tentando fazer tido ficar pior do que já está. - Seu delegado... É que... - Suspiro forte. A bomba que eu vou revelar agora é fatal. - A gente invadiu a empresa dos Min's pra poder pegar umas provas aí. - Cocei a cabeça com a idéia de organizar os meus pensamentos e contar de um jeito mais leve. 

- Provas de quê Jeon? - ia a responder o delegado quando sinto Yoongi tocar o meu antebraço, o olhei e entendi.

- O meu pai não subiu na empresa como diz que subiu Sr. Kim, os pais do Jungkook sofreram um duro golpe de finanças, tudo causado pelo meu pai. - o delegado prestava atenção em cada detalhe ao ouvir Yoongi falar enquanto um cara lá escrevia tudo. - Os Min's e os Jeon's tem uma richa muito antiga, mas no começo o meu pai não ligava muito pra isso tanto que, se tornou o melhor amigo do pai de Jungkook por um bom tempo. Na fase adulta, os Jeon's continuavam subindo de nível cada vez mais e os Min's apenas tentavam mas nunca conseguiam, o Sr. Jeon Jiyong se casou a Sra. Jeon Lalisa... - OK,  eu estou surpreso pelo fato do Yoongi saber os nomes completos dos meus pais. - logo após saírem da faculdade, mas existe um fato importante que é: o meu era apaixonado pela Lalisa. Por causa dessa "paixão" o meu pai começou a se aproximar mais do Sr. Jeon com o intuito de saber tudo sobre a empresa e aplicar o golpe que ele estava planejando. Meu pai tentou seduzir Lalisa a trair o marido mas logicamente Lalisa recusou, ela amava muito o Sr. Jeon. Sem querer um não como resposta o meu pai violentou ela e saiu de lá como se nada tivesse acontecido,  a Lalisa não denunciou o meu pai por estrupo porque o mesmo a ameaçou. Prometeu matar o Jiyong, ela e tbm a sua família, o que dez Lalisa ficar em silêncio e só desabafar isso com uma pessoa... - Yoongi abaixa a cabeça ao falar a última frase, ele põe a mão nos olhos. Parecia que ia chorar, mas não o fez, levantou a cabeça recolocando as idéias pra funcionar outra vez. - Foi pra minha avó... - Sem esforço algum, o que é percebível pois, Nunca que eu imagina que ia ver Yoongi deixando mostrar uma lágrima se quer. Acho que ninguém né. - A mãe do meu pai, elas eram muito próximas sabe... - Yoongi seca as poucas lágrimas que o mesmo permitiu que caísse. - A minha avó bateu de frente com o meu pai dando nele uma lição de moral, mas meu pai a ignorou completamente seguindo o seu plano e aplicou o golpe nos Jeon's sem dó alguma. A minha vó sempre disse que nasceu na época errada pra ela, ela era diferente... Ela,  lutava por aquilo que acreditava c unhas e dentes e ai de quem se intrometesse no seu caminho. Ela disse que ia denunciar o meu pai, mas ele a colocou num lar de idosos e o seu "diagnóstico"  foi extrema loucura, com certeza o meu pai pagou médicos pra fazer aquilo. Quando eu tinha 15 anos, fui visitar ela no asilo, foi ela quem me contou toda essa história. Por sorte, um das enfermeiras que trabalhava lá acreditava na minha vó e ia tirar ela de lá. Mas sabendo disso, o meu pai matou a enfermeira e... a minha avó... - OK,  eu julguei Yoongi muito mal. Não penso duas vezes e Abraço ele forte, o mesmo não segura as lágrimas e chora feito criança. Esta bem, essa não é a forma certa de se comportar em uma delegacia mas eu não ligo.

Sinto os outros se aproximarem e abraçam Yoongi tbm, ouço o choro de mais alguns, mas continuo ali a abraçar Yoongi. Agora, agora mesmo, nesse momento,  posso entrar um vínculo grande de amizade se formando entre nós.  É a vibe, a sintonia, o entender de cada um e principalmente a empatia... Muitos aqui já perderam a mãe, o pai, os os avós e outros familiares.

- Ok... - Ouço a voz firme do delegado dizer, logo,  nós separamos o abraço. Olho pra todos e vejo quem estava chorando junto, Rosé, Jimin,  Taeh, Corey, Briana e é claro, Yoongi. - Meus pêsames pela sua avó Yoongi. - o delegado diz e realmente parecia verdadeiro. - Agora, os Jeon's de quem vc fala. São os Jeon's de Seul/Coréia do Sul?

- Sim senhor. - Yoongi responde, sua voz ainda era firme por mais que tenha chorado agora a pouco. O Namjoon se levanta indo até a sua mesa e abre uma das gavetas da mesma.

- Bom garotos... - O Kim diz se virando e olhando para nós, as meninas claro, reviraram os olhos ao ouvir só "garotos". O Kim percebe e sorri fraco ao ver o seu grande erro. - E garotas. - as meninas sorriem. - Como eu não moro mais em Seul, eu era delegado de lá pra falar a verdade. Mas vim pra cá por causa de uma proposta de emprego do meu esposo e porque tbm recebi uma proposta pra vir pra cá e ser o novo delegado da cidade. Mas, voltando ao assunto eu conheço o caso do golpe dos Jeon's. Eu estaca investigando esses casos quando...

Batidas na porta


De repente entra um homem alto, bonito e... É o médico que fez a cirurgia da minha mãe? 

- Querido, eu não queria atrapalhar mas é que o seu horário já deu e precisamos ir pra casa. - o doutor diz entrando na sala.

- Oh, eu nem percebi! - o Kim disse olhando o relógio em seu pulso. - Mas eu estou resolvendo um caso importante agora... - o doutor Seokjin faz uma cara de: "Vamos embora logo". O Namjoon anda até ele, pega em sua o trazendo pro centro da sala. - Garotos e garotas, esse é o meu esposo Seokjin, ele tbm sabe sobre o caso Jeon's. E muito viu. - Seokjin olha para o delegado de forma assustada, eles parecem se comunicar no olhar como eu e Jimin. Merda, achei q éramos os únicos! - Mas bom Jin, eu converso em casa c vc sobre isso ok? Mas não posso ir pra casa agora...

- Tudo bem, até mais crianças. - Seokjin diz acenando pra nós, como ninguém gostou de ser chamado de criança, fizemos uma expressão de "oii, não sou mais criança!". - Opa, até mais adolescentes rebeldes! - o doutor saiu da sala nos deixando encabulados, era melhor ter aceitado o "crianças" do que o "Adolescentes rebeldes" mas é melhor relevar...

.

.

.

O delegado Kim conversou mais um pouco com a gente e disse q ia ver oq podia fazer a respeito do caso Jeon's. Mas mesmo assim ele teve que ligar para os nossos pais, é todo mundo se ferrou...

Levanto a cabeça ao perceber que havia alguém parado na minha frente, olho e, é a minha mãe. Adeus mundo, foi um prazer viu? Olhei-a triste e e ela me olhou mais triste ainda, minha mãe se aproximou e de mim e eu não esperava por isso. ELE ME DEU UM TAPA NA CARA! Ouvi risadinhas vindas de Hoseok e o olhei feio, o mais velho entendeu o recado e ficou quieto.

- O que pensava que estava fazendo Jeon Jungkook? - minha mãe pergunta em alta voz fazendo boa parte das pessoas nos olharem. Senti minha orelha ser puxada, me levanto sendo arrastado pela orelha c a minha mãe no comando. 

- Senhora, não é bom fazer isso em público. Pode afetar o cérebro do rapaz. - um policial alertou a minha mãe. 

-  Olha, eu agradeço pela sua preocupação com o meu filho mas, ELE JÁ TEM PRO BOE MAS NO CÉREBRO POR TER FEITO O QUE FEZ OK? Só me deixa cuidar do meu filho, educar o meu filho, do meu jeito. - minha mãe continuou a me puxar pela orelha até a parte de fora da delegacia sem dó. É, acho que eu já morri pessoal, tchau! 

.

.

.

O caminho pra casa foi silencioso, nenhuma palavra se quer vinda de nenhum dos dois. Ela até soltou a minha orelha mas, estava muito desapontada comigo. 

Chegamos em casa e ela disse:


- Vc pisou ceio na bola dessa vez Jungkook...


.

.

.

Continua...




Notas Finais


Oiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
Sorry, não consegui postar antes...
BEIJOS DO JIN! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...