1. Spirit Fanfics >
  2. The Forbidden Love - Taekook ABO >
  3. O começo

História The Forbidden Love - Taekook ABO - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Essa é a minha primeira fanfic, não pretendo continuar a história por muitos capítulos mas mesmo assim, espero que gostem :)
Talvez eu poste mais algumas fanfics durante o tempo

Capítulo 1 - O começo


Fanfic / Fanfiction The Forbidden Love - Taekook ABO - Capítulo 1 - O começo

Tudo começou a um bom tempo atrás, quando Ha-eun, uma ômega lúpus, e Jong-su, um alfa também lúpus, se envolveram em algo proibido, já que ambos pertenciam a alcateias rivais e era proibido se ter qualquer tipo de relacionamento, desde amizade até namoro ou algo assim. Ha-eun estava noiva de Dae-ho, um alfa na qual não amava, seus pais haviam arranjado seu casamento com o tal alfa por ser um dos mais belos e fortes de sua alcateia

Ambos dariam um belo casal, não só aos olhos de seus pais, mas sim de toda a alcateia, o que não era mentira, a ômega mais bela com o alfa mais forte, porém a ômega não sentia nada pelo moreno. Duas semanas antes de seu casamento, a acinzentada tinha saído de sua casa e ido em direção a um bosque um pouco longe, mas perto da fronteira entre as alcateias. A ômega lá ficou, enquanto analisava cada canto daquele belíssimo lugar, observando as flores e plantas, algumas abelhas e uma pequena trilha lá

– é perigoso ficar por aqui, outros lobos podem te ver

A voz recebeu um 'hm?' como resposta, a acinzentada olha para os lados a procura da voz que havia a assustado, até o encontrar do outro lado da fronteira, a alcateia de Áster

– se é perigoso ficar, por que está aqui também? – ela o olha durante um tempo, tentando lembrar se o reconhecia ou não

– digamos que estou fugindo de algo...e você? – o alfa sorriu

– quase isso.. – disse rindo

– não nos conhecemos ainda, não é?

– acredito que não – ele sorri – me chamo Jong-su...Choi Jong-su

– meu nome é Kim Ha-eun – sorriu gentilmente para o ruivo

E assim foi durante os dias, ambos sempre iam se encontrar no mesmo local de sempre, era o único jeito de se verem sem nenhum dos dois atravessarem a fronteira e ficar em maus lençóis, e com o tempo viraram grandes amigos...até mais que isso. Jong-su sentia algo a mais pela ômega, e não era como Ha-eun não sentisse o mesmo, até que isso se resultou em um pequeno fruto de ambos, a ômega estava grávida e não era de seu marido

9 meses depois

O bebê já havia nascido, era um belíssimo menino de cabelos cinza e olhos escuros, como de Jong-su, sua família e seu marido descobriram depois de um tempo que o filho não era de Dae-ho, mas o alfa a prometeu que cuidaria dele como se fosse, afinal ele não era tão ruim assim. A ômega tinha sido proibida de reencontrar seu amado, ela se sentia mal de Jong-su não poder ver seu filho, mas com o tempo ela foi "esquecendo"

Em um belo dia, a acinzentada estava passeando com seu filho nos braços, o menor sorria enquanto a ômega observava cada traço perfeito do pequeno

– meu pequeno Dong-sun.. – disse sorrindo como boba

Estava tudo tranquilo, até que houve um enorme estrondo e em seguida gritos, a ômega assustada correu em direção ao bosque, a procura do seu amado, entrou na floresta sem medo das consequências até o encontrar, assim que fez, a ômega lhe entregou seu filho em seus braços, o menor chorava horrores

– estamos sendo atacados, o leve para longe e o proteja!

– mas...e você?

– preciso cuidar para Silene, vá e cuide dele – disse a ômega que olhava para seu filho – adeus meu pequeno.. – deu um beijinho na testa no menor, fazendo o mesmo com o mais velho

A ômega se virou e voltou correndo para Áster, deixando o alfa e seu bebê para trás. Assim que a acinzentada sumiu de sua visão, o ruivo correu para o lado contrário, tentando achar algum lugar para se esconder e os proteger. Colocou o filho enrolado em mantas em uma espécie de "casinha", o alfa se certificou que não o encontrariam tão fácil, não até ele voltar

– eu sinto muito...eu já volto pequeno.. – beijou a bochecha do menor e voltou para onde sua ômega estava, sumindo da vista do menor

Dias atuais

Taehyung andava tranquilamente por Áster, a alcateia em que vivia. Todos lá conheciam uns aos outros, não era uma alcateia pequena, mas todos eram amigáveis e carinhosos

– Taehy!!

Ouviu uma voz distante, mas familiar, o chamando, o ômega olhou para trás vendo ambos correndo em sua direção, sorriu

– onde estavam? Fiquei sozinho o dia todo – fez um biquinho, fazendo manha

– deixa disso – o alfa riu

– estávamos na biblioteca procurando algo interessante – o ômega sorri

– de novo? Há muitos livros lá, o que procura afinal?

– lendas e mitos – o alfa disse – sabe como Jiminie gosta de saber mais sobre

– vocês falam como se fosse errado querer saber mais sobre as lendas daqui – ele faz bico – eu só tenho curiosidade, vai dizer que nunca se perguntaram de onde saíram essas histórias? Algo pode realmente ter acontecido

– talvez sim, talvez não – Taehyung riu – são apenas lendas, não sabe se realmente aconteceu Jiminie

– vai mudar de ideia quando ler alguma dessas histórias – disse radiante

– o que quer dizer com isso?

– vem com a gente, vai gostar

– por que eu iria?

– podemos encontrar algo relacionado aos seus pais

– isso é tentador, eu to dentro – disse o alfa

– viu? Baek concordou, falta você – ele sorri, esperando uma resposta do mais novo

– se eu aceitar...por que acha que teria algo dos meus pais? Eles não são de uma linhagem rica ou algo assim, não é como se fossem os líderes de uma alcateia

– você não sabe sobre isso, vamos Tae, vai ser legal

– ta bem ta bem, só para parar de me encher – riu

O trio andou em direção a grande biblioteca que havia em Áster, e lá passaram o resto do dia vendo livros antigos e lendas, a procura de algo que não tenham escutado ou que interessasse todos os três presentes


Notas Finais


Sei que esse capítulo é curto, mas foi só para esclarecer um pouco sobre essa lenda envolvendo as alcateias de Áster e Silene

Espero que gostem de ler ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...