1. Spirit Fanfics >
  2. The Forest Hope - Jikook >
  3. Capítulo Onze

História The Forest Hope - Jikook - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpe os erros de digitação. Muito obrigada pelos comentários, isso me anima demais mesmo❤

Capítulo 11 - Capítulo Onze


"Eu estava na floresta; eu conhecia o lugar que eu estava, era próximo do penhasco que Jungkook me mostrou. Caminhei até o lugar bonito que eu tinha visto com a presença do Jeon, e quando cheguei lá vi que tinha um rapaz na beira daquele penhasco. Ele iria pular? Mas aquilo poderia o matar! Espera... Jungkook me falou que eu pulei desse mesmo lugar... não pode ser. Fui a passos rápidos até o garoto e olhei em seu rosto, que na verdade era o meu do passado. Ele olhava para baixo, talvez com medo de pular naquelas águas furiosas que tinham lá. Se aquele era eu, o Jeon devia estar por aqui.

Caminhei até as árvores e olhei ao redor, mas nada de Jungkook. Aonde ele estava? Então eu ouvi um barulho que galho quebrando e olhei na direção do som; e lá estava o Jeon. Ele não tinha o olhar caloroso que ele tem nos dias de hoje, seu olhar era frio e chegava a ser até maldoso. Ele olhava na direção do Jimin que iria pular, então me aproximei de si, já que com certeza ele não estava me vendo. No seu rosto tinha curiosidade e até diversão.

- Ele vai mesmo pular? - Falou baixo para si mesmo. Ele estava atrás de uma árvore observando atentamente o meu outro eu. - Que garoto burro. - Soltou uma risada divertida, me fazendo o olhar com uma carranca.

O Jimin suspirou fundo e se preparou para pular, não acredito que eu fui tão imprudente assim no passado; para uma pessoa que tinha só uma vida, eu realmente era meio burro.

- Vai, pula logo. - Jungkook disse baixinho. Mas que caramba, esse infeliz ainda me incentiva.

E como se o Jimin tivesse ouvido, ele pulou. Minha boca se abriu em um perfeito 'O', chocado com a minha coragem de realmente pular. Me aproximei da borda do penhasco e olhei para baixo, vendo eu me debater na água. Olhei para Jungkook e ele estava rindo feito um condenado, como se aquilo fosse a coisa mais divertida do mundo. E depois que a sua crise de riso passou ele virou de costas para ir embora; espera, ele não ia me salvar?

Ele deu dois passos e logo parou, passando a mão em seu rosto e suspirando impaciente.

- O que eu tô pensando? Eu não vou salvar ele, quem manda ele ser burro. - Falou Irritado e andou mais um passo e parou. - Ahhh mas que merdaa!! - Disse exaltado e virou para o penhasco de novo, correndo em direção a ponta e finalmente pulando. Eu olhava para aquilo com um sorrisinho nos lábios.

E em um só piscar de olhos eu estava lá embaixo, na areia da praia, e bem de frente para o rio. Forcei a minha vista quando vi alguma coisa se aproximando da praia; e quando já estava bastante próximo, percebi que era Jungkook me segurando nos braços, aquela típica cena clichê, sabe?

Já na praia, ele pousou o meu corpo na areia delicadamente, como se eu fosse partir no meio. Jungkook me olhava curioso, observando todos os traços do meu rosto de maneira admirada. Sua mão foi até os meus cabelos e tocou fracamente, até que do nada ele me olhou assustado, logo verificando a minha respiração, e pela sua cara eu não estava respirando. Aproximou então o seu rosto do meu e começou a fazer boca a boca, mas eu não acordava.

- Eu nem sei porque eu tô fazendo isso... - Falou para si mesmo, enquanto se sentava na areia em desistência. - Eu só... - Engoliu em seco. - Eu só achei que tinha sentido uma coisa em relação a você. - Ele falou com um olhar decepcionado. Desde o momento que eu vi Jungkook nessas lembranças, eu só consegui enxergar maldade em seu olhar; mas agora ele tem algo mais ali, como um ponto de luz na escuridão. Então tinha sido ali que tudo havia começado?

Sou tirado dos meus pensamentos quando vejo o meu corpo sacudindo e tossindo toda a água que estava em seu peito ,para fora. Jungkook se aproximou de mim rapidamente, bem no momento que eu abri os olhos e olhei na sua direção. Nós ficamos nos olhando fixamente, prestando atenção em cada mínimo detalhe um do outro. Até que Jungkook se afasta e devia o olhar.

- Olha, eu já vi muita gente estúpida nesse mundo, mas você superou, humano. - O Jeon disse, debochando da minha cara. O meu outro eu o olhou com uma cara de ofendido, logo se sentando.

- Escuta aqui, quem você acha que é pra dizer essas coisas pra mim? - O Jimin falou irritado.

- Sou a pessoa que acabou de salvar a sua vida, humano idiota. - Jungkook falou sorrindo de lado e arqueando a sobrancelha.

- Ah sério? Obrigada, mas podia ser até o rei e mesmo assim não teria o direito de falar assim comigo. - O meu eu falou firme, me fazendo sorrir porque provavelmente eu iria dizer a mesma coisa do passado.

- Por isso eu nunca salvo ninguém, humanos são tão ingratos. - Jungkook falou suspirando frustado.

- Para de me chamar de humano, eu tenho nome sabia? - O Jimin falou cansado.

- Claro, um nome que eu não tô afim de saber. - Falou dando um risinho provocador.

- Não vou mais ficar discutindo com você, ganho mais indo embora. - O Jimin falou se levantando e caminhando em passos pesados em direção a floresta.

- Dá próxima vez que você pular me avisa, eu quero ver você afogar até a morte, seu anão ingrato!! - Jungkook gritou se levantando do chão. Jimin, que já estava em uma boa distância, se virou e amostrou o dedo do meio para o Jeon.

- Anão é o seu pau! - O Jimin gritou de volta.

- Não é não, se você quiser eu te amostro. - Jungkook falou provocador, com o seu típico sorisso de lado.

- Vai pro inferno garoto ! - Jimin falou e correu em direção a floresta, logo sumindo das nossas vistas.

Jungkook ainda ficou olhando para onde ele tinha ido por um bom tempo. Nos seus lábios tinha um pequeno sorriso, mas não de deboche como sempre, e sim um sorriso divertido e até terno.

- Que garoto interessante, muito interessante. - Falou baixo para si mesmo, com um ar fascinado."

Abri os meus olhou calmamente, ainda deitado de lado na cama. Aquilo não tinha sido um sonho, e sim uma lembrança do dia que conheci Jungkook pela primeira vez. Já devia fazer uma semana que eu não o via, já havia se passado uma semana desde do acontecimento do caso do Hoseok. Jungkook, Taehyung e Hoseok não iam para a faculdade por sete dias, e eu não tinha notícia nenhuma deles dois. Aquilo estava acabando comigo, porque eu me sentia completamente sozinho no meio dessa situação toda.

Me levantei da cama e fui em direção a janela, a abrindo. Olhei para aquele lugar tão lindo, mas que agora de noite era totalmente sombrio. Devia ser 3 horas da manhã, o famoso horário dos demônios; onde eles normalmente saíam do inferno para o mundo exterior.

Meus olhos ainda estavam pregados naquelas árvores altas, até que algo me chamou atenção. Uma cabeleira verde entava na entrada da floresta, e só tinha uma pessoa com esses cabelos.

- Yoongi... - Sussurrei para mim mesmo. O que ele estava fazendo ali naquela hora?

Ele olhou para mim e sorriu me chamando. Eu não pensei direito, fui muito estúpido e idiota, eu não devia descer e ir lá fora de maneira tão imprudente assim, mas eu fiz.

Abri a porta e fui em direção a Yoongi, que quando me viu caminhou para dentro da floresta escura. Parei no meio da rua e o olhei confuso.

- Ei Yoongi ! Porque você tá indo para aí? - Caminhei depressa até a floresta. Mas quando os meus pés tocaram na primeira folha, eu parei.

- "fuja Jimin!" - Ouvi vozes gritarem, as mesmas vozes que cantavam canções tão lindas, as vozes das árvores falando comigo.

E então eu finalmente despertei para o que estava acontecendo ali; aquele não era o Yoongi, ele nunca me levaria para a floresta naquela hora. Fui dando passos para trás, tentando me afastar da floresta; e quando eu me virei para correr de volta pra casa, eu acabo batendo de encontro com alguém e caindo no chão. Fui subindo o meu olhar desde as pernas torneadas até o rosto bonito, mas totalmente maldoso. Era uma garota de cabelo preto e olhos puxados como os meus. Seu olhar tinha ódio direcionado para mim, e algo me dizia que ela não era humana. Ah não, só falta ela ser uma demônia também.

Tentei me levantar mas o seu pé veio para o meu peito, me jogando novamente no chão.

- Ah quanto tempo, né Jimin? - Falou a garota seriamente. Ah pronto, mais uma pessoa que faz parte do meu passado, que Maravilha.

- Olha eu não te conheço e nem quero conhecer. Agora se me dá licença, eu vou voltar para a minha cama e dormir. - Falei me movendo para se levantar.

- Impressionante como você não mudou nada, ainda continua o mesmo desprezível de sempre. - Falou e tentou me empurrar com o pé para o chão de novo, mas antes de tocar no meu peito eu bati em sua perna e a afastei de perto de mim, logo me levantando e ficando cara a cara com ela.

- Escuta aqui, eu não sei qual é o seu problema comigo, mas não vai achando que você pode vim com essa marra toda pra cima de mim, porque você não vai. - Falei firmemente, tentando impor pelo menos um pouco a minha presença. Mas sou pego de surpresa quando os seus olhos ficam completamente negros, me fazendo recuar um pouco. É, mais um demônio.

- Não se preocupe, eu não vou te machucar agora. O Jong Suk tem outros planos para você. - Falou friamente, aproximando o rosto do meu ouvido. - Eu só estou aqui para dizer que quando tudo isso acabar e você estiver morto novamente, o Jungkook será meu. - Falou sorrindo perversamente enquanto se afastava. Então era isso? Ela era apaixonada pelo Jeon mas ele me amava, então esse ódio é por inveja? Sorri de lado e neguei com a cabeça.

- Acha mesmo que ele vai ficar com você depois que eu morrer? - Falei debochadamente. Eu tinha risco de morrer? Tinha, mas não vou deixar a oportunidade de jagar na cara dessa garota a verdade. - Eu já estive 100 anos morto, você conseguiu fazer ele te amar? - Perguntei sorrindo de lado. Ela me olhava de modo mortal. - Jungkook nunca vai deixar de me amar. Vivo ou morto, eu sempre vou ser a pessoa que ele ama. - Ok, eu não tinha completa certeza do que eu estava falando, mas vamos fingir que eu tenho ne amados.

Em um movimento rápido ela me chuta na barriga, me arremessando em direção a uma árvore próxima. Minha costa se choca com a madeira da árvore, fazendo uma dor irritante surgir no lugar. Me apoei no chão e me sentei apoiando minha costa na árvore, enquanto eu fazia caretas de dor. Mas inexplicavelmente eu comecei a rir, uma perfeita crise de riso no meio daquela situação. Eu só podia estar louco, mas alguma coisa me impulsionava a provocar aquela garota; cada minuto que passava eu queria jogar na cara dela que o Jeon era meu e não dela, mesmo isso não sendo exatamente verdade.

Enquanto eu ainda ria, ela brotou do nada na minha frente e me levantou pelo pescoço, me tirando um pouco do chão.

- Do que você tá rindo seu maldito?! - Falou entre dentes. Ela estava completamente furiosa com apenas uma risada minha, já vi que é fácil desestabilizar ela. Esse pensamento me fez sorrir, mesmo com o aperto me sufocando.

- Tô rindo do fato de você ser tão estúpida, garota. - Falei fracamente, mas ainda com o sorriso no rosto. Eu tinha grandes chances de morrer aqui, mas iria irritar ela até o meu último suspiro.

- Quer saber? Jong Suk vai ter que me perdoar, mas eu vou te matar agora. - Falou com ódio e eu percebi a sua voz ficar mais grossa, como aquelas dos filmes de terror que eu assisto. Ok, talvez eu tenha ficado com medinho agora.

Sua mão apertou mais o meu pescoço, me fazendo perder totalmente o ar. Mas acho que ela não queria me matar sufocado, e sim quebrar o meu pescoço; e ela conseguiria com a força que ela estava aplicando no aperto. Então era assim que eu morreria?

Antes que eu pensasse qualquer coisa, ela é tirada de perto de mim e jogada para trás. Me apoiei na árvore e massageei o meu pescoço, finalmente respirando de novo. Levantei o meu rosto e olhei para frente pra ver quem havia me salvado, mas não é como se eu não suspeitasse. Jungkook estava na minha frente como um escudo, e de novo ele salvava a minha vida, esse garoto parecia saber exatamente quando eu precisava de si. Fiquei o olhando e pensando em como Jungkook mudou a minha vida, antes eu nunca me imaginaria em uma situação como esta, mas agora aqui estou eu; e aquilo estranhamente me fez sorrir.

- Jungkook... fazia tantos anos que eu não via você. - A garota o olhava apaixonadamente, me fazendo revirar os olhos.

- Você tentou matar ele de novo... eu vou ter que acabar com a tua vida antes, é isso? Deixe ele em paz, ou você vai desejar nunca ter tocado em um só fio de cabelo dele. - Jungkook disse friamente, muito diferente de quando fala comigo. A garota engoliu em seco e olhou com raiva pra mim, me fazendo lhe lançar um pequeno sorriso de lado.

- Você se corrompeu por culpa dele! Jungkook você era tão diferente, você se lembra da gente? De quando a gente dizia que ia acabar com a raça de todos eles? Mas olha só pra você - Falou olhando enojada para Jungkook. - Tá do lado deles agora, traiu os seus irmãos! A troco de que? De perder mais uma vez?! Porque esse maldito vai morrer de novo, ele vai te deixar mais uma vez sozinho! Porque ele não tem nada pra te ofere-

- Cala a boca Irene! - Jungkook gritou, pegando tanto eu quanto a garota de surpresa. - Ele tem muito mais a oferecer do que você, e não importa se ele morrer, eu ainda vou ama-lo. Então vá embora agora, ou eu não vou pensar duas vezes antes de te matar. - Falou seriamente. A tal de Irene o olhou irritada, mas pude perceber o seu olhar vacilante, ela sabia que ele não estava brincando. Então ela me deu uma última olhada de raiva e desapareceu.

Suspirei cansado de tudo aquilo, quantos mais ainda apareceriam tentando me matar? Eu tinha que me tonar útil.

Jungkook ainda estava parado do mesmo lugar que antes, ainda sem olhar para mim. Eu não queria falar com ele, tá ok que ele me salvou e tal, mas o infeliz me deu chá de sumiço por uma semana inteirinha, ele ainda iria aparecer se eu não precisasse de ajuda?

Comecei a caminhar em direção a minha casa, planejando nem olhar para o rosto do Jeon. Mas quando eu passei no seu lado ele segurou o meu braço, me virando para ele. Olhei para ele com a sobrancelha arqueada e tentei me soltar, mas ele parecia não estar disposto a me deixar ir. Ele estava com uma feição irritada mas ao mesmo tempo o brilho amoroso ainda estava ali.

- Pode por favor me soltar? Quero ir pra casa. - Falei firme, ainda o olhando com raiva. Ele suspirou e passou a sua mão no rosto, ainda me segurando.

- Jimin pode me explicar o que você tava fazendo aqui? Não era nem pra ti tá acordado. - O Jeon falou irritado.

- Não te interessa. Agora me dá licença que eu vou pro meu quarto. - Falei puxando com força o meu braço, me soltando de si. Me virei em direção a minha casa, mas acabo sendo barrado quando ele brota na minha frente do nada. - Porra, tu enche o saco né. - Falei cansado.

- A gente precisa conversar. - Jungkook falou suspirando.

- Vai me dizer o motivo de ter sumido por uma semana inteira? - Perguntei cruzando os braços.

- Não. - Falou abaixando o olhar.

- Então não temos nada pra conversar. - Falei e me esquivei de si quando ele tentou me parar novamente. Corri até a minha casa e entrei rapidamente, logo fechando a porta. Suspirei e comecei a subir as escadas em direção ao meu quarto. Quando abri a porta do local vi Jungkook encostado na janela, olhando para mim. Mas é claro que ele viria pro meu quarto sem problemas, que burrice a minha.

- Porque você estava a uma hora dessa lá embaixo? - O jeon perguntou de braços cruzados. Olhei entediado para ele e fechei a porta atrás de mim. Caminhei até a minha cama e me sentei na beira dela, bem de frente pra si.

- Isso realmente importa? - Perguntei desinteressado.

- Importa, já que você quase morreu. - Jungkook falou sério, e acabei me dando por vencido.

- Eu vi o Yoongi lá embaixo, por isso desci. - Falei e o Jeon suspirou cansado.

- Ok, já que tudo isso é novo pra você, eu vou relevar.- Falou massageando as suas têmporas. - Mas nunca mais caia nisso, demônios tem a habilidade de se transformar em outras pessoas. - Falou me olhando sério, e eu apenas assenti.

- Ela é louca por você. - Falei me referindo a garota maluca que tentou me matar.

- Não precisa ficar com ciúmes. - Jungkook provocou, me fazendo o olhar incrédulo e depois rir como se ele tivesse contado a melhor piada de todas.

- Não me faça rir, né Jeon. Eu nunca sentiria ciúmes de você, não viaja. - Falei nervoso. Eu nem sequer conseguia o olhar no rosto; eu não estava com ciúmes dele, né?

Jungkook foi se aproximando de onde eu estava e só parou quando já tava na minha frente. Eu ainda não o olhava, algo me dizia que não seria uma boa idéia o olhar agora. Sua mão foi até o meu rosto e virou em sua direção, e finalmente o meu olhar se encontrou com o seu. Ele tinha um sorrisinho de lado e me olhava com um olhar tão intenso que me senti completamente nu em sua frente.

- Não precisa sentir ciúmes dela. A única pessoa que eu amo e sinto atração é por você, Jimin. - Jungkook falou rouco, enquanto aproximava o rosto do meu. Sua mão desceu do meu rosto até o meio do meu peito. - A única pessoa que me deixa louco é você. - Sussurrou e me empurrou na cama, logo subindo em cima de mim e ficando cara a cara comigo.

Eu estava completamente preso no seu jogo de sedução; ele conseguiu me enlaçar perfeitamente bem nisso. Cada parte do meu corpo estava pegando fogo, ardendo em desejo de ter Jungkook tão próximo como agora. Eu poderia resistir bravamente a todos esses desejos impuros que eu sinto, mas fica tudo tão difícil quando se trata de Jeon Jungkook. Nossas respirações estavam misturadas de tão próximo que os nossos rostos estavam. Eu não conseguia desviar o meu olhar da boca de Jungkook, ela me tirava totalmente da linha; porque ela tinha que ser tão convidativa?

- Ah, não me olhe assim. Você não sabe o quanto eu quero te beijar agora. - Jungkook sussurrou e puxou o ar entre os dentes.

Ah, acredite Jungkook, eu também estou louco para te beijar, mas quem dera se fosse só isso.

Inconscientemente minha mão subiu até o seu pescoço, e então arranhei fracamente a sua nuca vendo Jungkook fechar os olhos em deleite. Ver o Jeon se controlando tanto para não me agarrar ali naquele momento, me fez morder o lábio inferior em busca de controle também. Quando Jungkook abriu os olhos novamente ele olhou direto para a minha boca, e eu pude jurar que os seus olhos ficaram mais escuros. E em um movimento rápido e necessitado ele juntou as nossas bocas. O beijo era lento, nossas bocas estavam apenas sentindo uma a outra;então depois de um tempo ele me pede passagem com a língua e eu permito sem nenhuma relutância, afinal eu queria aquilo tanto quanto ele. Quando nossas língua se tocam uma explosão de sentimentos tomam conta de mim, deixando a minha mente completamente em branco; não havia guerra de dominância no beijo, apenas uma perfeita dança repleta de desejos. O beijo era intenso, e mesmo não sendo o meu primeiro foi como se fosse. A boca de Jungkook era divina, e o seu beijo me fazia querer seder a todos os caprichos daquele ser das trevas.

Quando a falta de ar se fez presente, nós nos afastamos ofegantes. Nossas testas ainda estavam grudadas uma na outra, e a sua mão segurava um dos lado do meu rosto enquanto a minha enlaçava o seu pescoço. Quando abrimos os olhos ficamos nos encarando profundamente, totalmente seduzidos um pelo outro. E sem aguentar mais nenhum segundo daquela tortura, puxei seu rosto para mim e o beijei novamente. Mas dessa vez o beijo estava mais necessitado, mais profundo, muito mais intenso. A mão de Jungkook enlaçou firmemente a minha cintura e me girou, me colocando sentado em seu colo, sem parar o beijo por nenhum segundo. Sua mão grande apertava minha cintura de uma forma gostosa, mas logo a sua outra mão foi em direção a minha bunda a apertando, me fazendo suspirar em deleite. Então sem vergonha nenhuma dei uma pequena rebolada bem em cima de seu membro, ouvindo o Jeon puxar o ar entre os dentes enquanto quebrava o beijo. 

- Não me provoca Jimin. Não vou ser responsável pelas minhas ações se continuar assim. Então seja um bom garoto, sim? - Jungkook falou rouco, segurando o meu queixo delicadamente. Sorri provocante em sua direção, completamente bêbado de desejo. 

Desobedecendo completamente o seu pedido, dei mais uma rebolada em seu colo. Suas duas mãos foram até a minha bunda e ajudaram a aumentar as reboladas, enquanto ele suspirava em desejo. Era bastante gratificante ver Jungkook suspirando em prazer por minha causa. Ele aproximou o rosto do meu pescoço e começou a beijar o local, me deixando completamente arrepiado. Ele vai trilhando beijos até o pé do meu ouvido e quando chegou lá deu uma pequena mordidinha. 

- Gosta de provocar baby? Quer mesmo que eu te foda agora aqui nessa cama? - Jungkook sussurrou no meu ouvido. Eu estava totalmente duro, e com as palavras do Jeon senti o meu pau doer em tesão. Eu precisava demais daquele homem. 

Mas somos interrompidos com batidas na porta, nos tirando completamente daquela bolha de desejo. Olhamos em direção a porta assustados. 

- Jimin tá tudo bem? Ouvi a voz de alguém aí dentro. - Minha mãe disse do outro lado da porta. Eu e Jungkook nos olhamos de olhos arregalados. 

É, fudeu. 






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...