1. Spirit Fanfics >
  2. The Forest Hope - Jikook >
  3. Capítulo Oito

História The Forest Hope - Jikook - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


O vilão finalmente vai dar as caras,e é agora que tudo vai ficar mais complicado. Boa leitura❤

Capítulo 8 - Capítulo Oito


Senti a luz do sol bater em meu rosto me fazendo resmungar incomodado. Levei minha mão ao meu lado na cama procurando uma certa pessoa, mas o que eu achei foi apenas o vazio das corbertas. Abri meus olhos de uma vez e olhei para o meu lado na cama, constatando que o Jeon não estava mesmo ali. Quando eu já estava pronto para levantar da cama o vi parado na frente da minha estante, olhando para alguma coisa nela.

- Achei que você tinha ido embora. - Falei, não conseguindo esconder o ar de alívio na minha fala. Jungkook me olhou e sorriu.

- Quis esperar você acordar. - Falou gentil. - Oh, quem é essa? - Perguntou de maneira curiosa, apontando para uma foto que tinha em cima da estante. Então era isso que ele estava olhando.

- Minha irmã mais velha. Ela faz faculdade no Japão. - Respondi me levantando da cama e indo para a janela. - Bom dia floresta. - Falei olhando para a imensidão verde que estava em minha frente. Senti Jungkook se aproximar e ficar do meu lado, olhando para a floresta igual eu.

- Gosta dela? - Perguntou se referindo a floresta.

- Sim... sabe, eu sempre achei que eu tinha uma ligação forte com ela. E as vezes... - Falei sentindo meus olhos brilharem em admiração pela floresta. - Não, deixa. Você ainda vai achar que eu sou louco. - Dei uma risada sem graça, desistindo de falar.

- Fala, afinal não pode ser mais louco do que dizer que existe demônios, feiticeiros, lobsomem e mais um monte desses seres. - Brincou enquanto me olhava sorrindo, me fazendo soltar uma pequena risada pela sua fala.

- É que as vezes, eu sinto que ela fala comigo... eu consigo ouvir o canto das árvores, como se fosse um canto celestial... Ele é tão lindo. - Falei olhando novamente para a floresta, me lembrando de como eu fico bobo quando eu escuto esses sons. Jungkook ficou em silêncio, completamente mudo; então acabei o olhando, tentando entender o seu silêncio. Ele estava me olhando com olhos arregalados, como se eu fosse alguma fantasma. - Você me acha maluco, né? - Deduzi que foi isso.

- O que? Não! Eu só... só me lembrei de algo. - Falou abaixando o olhar, pensativo. Mas logo levantou o seu olhar, como se tivesse tido uma idéia. - Jimin, o que você acha da gente dá um passeio dentro da floresta agora de manhã? - Perguntou animado. O olhei sorrindo e completamente fez com a idéia de finalmente entrar naquela floresta.

- Sério? A gente pode ir? - Perguntei, não escondendo minha animação.

- Sim, que tal a gente ir 9:00 lá? Ainda são 7:00 da manhã. - Propôs. Assenti rapidamente concordando com o que ele tinha dito. - Ok, então eu vou em casa e 9:00 eu venho te buscar, baby. - Falou piscando para mim e sorrindo.

- Tá bom, eu vou te esperar. - Respondi feliz. Ele sorriu e fez um tchauzinho com a mão, logo sumindo das minhas vistas.

Eu estava completamente feliz. Desde o momento que eu havia chegado naquela cidade, eu só pensava em entrar naquela floresta, como se ela me chamasse dia e noite, e agora eu finalmente poderia entrar lá de uma vez por todas.

Percebi que o tempo estava passando e decidi descer para tomar café. Quando cheguei na cozinha, vi minha mãe terminando de fazer o café, me aproximei dela e a abracei por trás.

- Ai que susto Jimin! Quer me matar do coração? - Perguntou colocando a mão no coração dramaticamente.

- Desculpe. - Falei rindo e fui até a cadeira me sentando na mesma.

- Eu podia jurar que você tava falando com alguém no seu quarto agora de manhã. - Disse colocando uma xícara em minha frente junto com uma panqueca. Acabei engasgando com a saliva quando ela disse isso.

- Ah... bem, deve ter sido eu falando enquanto dormia. - Respondi nervoso.

- É, deve ser. Você fala pelos cutuvelos até dormindo, deve ser isso mesmo. - Falou, não ligando muito. Agradeci por ela não insistir no assunto. - Eu tenho que ir. - Disse olhando a hora no relógio da parede.

- Mas já? Ainda tá cedo, e é sabado. - Falei estranhando a sua pressa.

- É que o chefe de polícia é um idiota que vive pegando no meu pé, ele só quer um motivo para falar que o meu trabalho não é bom. E sabe porque ele quer tanto me menosprezar? Porque eu sou mulher. Só que ele é tão covarde que não fala isso na minha cara. Mas quer saber? Eu já tô por aqui - Sinalizou o alto de sua cabeça. - E no dia que eu tiver virada no cão, ele vai ver só. - Falou Irritada. Eita que esse homem não sabe com quem ele ta mexendo.

- Isso dona Hane! Dá uma chave de braço nele, depois uma de direita e depois outra de esquerda, depois um chute no saco - Falei fazendo movimentos de luta, vendo minha mãe rir e balançar a cabeça.

- Você não tem jeito. - Fez um carinho na minha cabeça. - Eu já tô indo, se cuida! - Falou pegando suas coisas e saindo, enquanto eu acenava para si.

**********

Já devia ser umas 8:30 da manhã e Jungkook em breve iria chegar para o passeio. Eu estava largado no sofá mexendo no celular, o tempo estava passando muito devagar, e eu não via a hora de ir para o passeio. Mas meus pensamentos acabam sendo interrompidos quando escuto passos no andar de cima. Será que era Jungkook me procurando em meu quarto? Fui em direção a escada e comecei a subir, tinha alguma coisa coisa errada, estava tudo muito em silêncio para o meu gosto.

Quando cheguei na porta de meu quarto percebi uma coisa que me fez travar; tinha alguém lá dentro, e essa pessoa estava parada bem na frente da porta, como se estivesse esperando só eu entrar. Minha respiração ficou ofegante e eu comecei a suar frio; aquele não era o Jungkook, essa pessoa transmitia uma áurea ruim, a mesma áurea de morte que eu senti quando estava sonhando com Dahyun. Levei a minha mão até a maçaneta e fiquei criando coragem para finalmente girar. Meu coração batia feito louco em meu peito, eu sentia medo, muito mais medo do que eu já senti na vida. Quando eu finalmente iria girar a maçaneta a campainha tocou, me fazendo dar um pequeno pulo de susto. Olhei para a sombra que estava no quarto e ela ainda estava ali, até que ouvir um pequeno e leve batuque de dedos na porta, como uma música da morte. E em um piscar de olhos a sombra se foi, me fazendo girar a maçaneta de uma só vez, vendo que o quarto estava vazio. Olhei ao redor e finalmente vi uma coisa estranha; me aproximei apressadamente da estante e segurei o retrato da minha irmã, a foto não estava mais lá; seja quem for, tinha levado a foto da minha irmã por algum motivo, e de alguma forma eu sabia que o motivo não era bom.

Ouvi a campainha novamente me fazendo lembrar que tinha alguém na porta me esperando. Fui correndo até o andar de baixo e abri a porta, vendo que era Jungkook que havia chegado.

- Estava no banho? Você demorou. - Falou com um sorriso de lado.

- Eu... - Sou interrompido quando seu olhar fica sério do nada, e ele passa por mim indo para o andar de cima. Acabo o seguindo e vejo que ele entra no meu quarto e olha ao redor, parecendo assustado com alguma coisa.

- Você viu alguém aqui dentro, Jimin? - Falou segurando meus braços, me olhando aflito. Fiquei calado sem saber exatamente o que responder. - Me responde Jimin! - Exigiu.

- Eu não sei ! Eu... eu tive a impressão que tinha alguém aqui dentro do quarto, mas eu não vi nada. - Repondi por fim.

- Maldito ! - Jungkook se fastou de mim e falou irritado. - É claro que ele viria aqui, ele adora joguinhos. - Disse frustado.

- Eu tô bem Jungkook. - Tentei o acalmar.

- Esse é o problema Jimin, você tá bem agora, mas até quando essa segurança vai durar? Merda a gente tem que fazer alguma coisa. Vem, a gente vai lá pra casa, o Taehyung vai ajudar a pensar em alguma coisa. - Falou apressado e pegando o meu pulso. Ele foi nos guiando até a porta, mas antes de sair eu puxei o meu pulso novamente para mim, vendo ele olhar na minha direção.

- Você falou que a gente ia dar um passeio na floresta. - Falei e abaixei o olhar, eu estava tão feliz de finalmente ir lá, mas agora o passeio ia ser interrompido.

- Me escuta Jimin, precisamos deixar esse passeio para um outro dia. - Disse segurando em meus ombros. O olhei chateado e com a minha melhor cara de cachorro sem dono. Vi ele me olhar cansado e suspirar. - Ok tudo bem, a gente vai para a floresta. - Se deu por vencido, me fazendo abrir um sorriso feliz. - Eu nunca vou saber dizer não pra essa sua cara. Vamos! Antes que eu mude de idéia. - Falou virando de costas e caminhando em direção a floresta. Fiz vergonhosamente a minha dancinha da vitoria e fui saltitante atrás dele.

Fomos caminhando para dentro da floresta e a cada passo dado eu começava a ouvir os cantos das árvores, o som do vento balançando as suas folhas, os pássaros cantando a sua linda melodia; a cada passo dado eu sentia que eu e a floresta éramos um só corpo. Fechei os meus olhos e respirei fundo, aspirando o seu ar puro, completamente diferente da cidade grande.

"- Jimin" - Ouvi meu nome ser sussurrado por uma voz doce e familiar, mas ela estava tão baixa que não pude identifica-la. - "- Você voltou" - Completou a voz, tão baixa quanto a primeira vez. Abri meus olhos e olhei ao redor, tentando entender se aquilo tinha sido da minha cabeça ou não.

- Vem Jimin, quero te mostrar um lugar. - Jungkook me chamou, fazendo eu olhar em sua direção. Me aproximei de si e fiquei ao seu lado, então começamos a ir em direção a esse tal lugar.

Andamos por uns 15 minutos, e eu já estava cansado, porque se tem alguém mais sedentário que eu, eu desconheço.

- Vai demorar muito Jungkook? - Falei completamente cansado. O Jeon olhou para mim e abriu um sorriso divertido, se divertindo com a minha desgraça.

- Não vamos demorar, na verdade chegamos. - Falou olhando para frente. Segui o seu olhar e fiquei completamente sem ar com a vista que tive. Aquilo era um penhasco, não tão alto mas também não era baixo; de cima dele dava para ver a floresta completa , e lá embaixo tinha um imenso rio. Era lindo, imagino o quanto mais belo seria assistir o por do sol dali. Fui me aproximando da ponta e me apoiei na árvore que estava ali, aquele lugar era lindo mas estranhamente familiar, será que eu vinha aqui no passado?

- Esse era o seu lugar favorito. Foi aqui que a gente se conheceu. - Falou Jungkook se aproximando de mim e olhando para a vista.

- Como foi? Digo, o nosso primeiro encontro. - O olhei curioso. Ele sorriu e me olhou divertido.

- Quando eu te conheci, você estava preparado para pular desse penhasco. - O olhei de olhos arregalados e incrédulo. - Quando eu te vi eu pensei " uma pessoa não pode ser tão burra assim, não é?" E podia, e foi. - Disse rindo. Eu fiquei o olhando esperando ele dizer que era brincadeira e que eu não tinha merda na cabeça, mas parecia que era tudo verdade.

- Eu pulei? - Perguntei perplexo, apontando para mim mesmo. Vendo ele assentir ainda rindo.

- Quando você pulou eu achei que você ti morrido lá embaixo, mas quando olhei pra a água você estava vivo, pelo menos ainda. - Soltou uma risada. - Pelo visto você não sabia nadar direito na época, então aquilo devia ser uma tentativa de suicídio, já que você estava se debatendo toda hora na água. - Falou se sentando no chão, logo em seguida imitei o seu ato e me sentei também. - Eu ia te deixar morrer, na época eu não ligava pra ninguém mesmo. - Quando terminou de falar, eu dei um tapa em seu ombro, vendo ele rir. - Só que no fundo, algo me dizia para te salvar ,então eu pulei também atrás de você. E eu sou muito grato por ter ouvido essa voz dizendo que era pra te ajudar. - Sorriu pra mim e eu acabei corando. - Bem, eu pulei e te salvei, e desde então os nossos caminhos viviam se cruzando, no começo nós dois não gostávamos disso, mas depois concordamos que essa foi uma das melhores coisas que já acoteceram em nossas vidas. - Terminou sua fala me olhando nostálgico. Eu sorri e neguei com a cabeça, achando aquilo completamente engraçado. - Me pergunto o porque de você ter pulado, você nunca me disse. - Falou pensativo.

- Os meninos do acampamento me disafiaram. - Falei normalmente, mas logo arregalei meus olhos quando percebi o que eu tinha dito. Jungkook me olhava pasmo da mesma forma, eu tinha lembrado.

- Algumas coisas ainda estão dentro de você. - Disse alegre.

- É, acho que sim. - Abaixei a minha cabeça e sorri pequeno. Mas logo algo me chamou atenção.

- É até irônico você ter um crucifixo. - Falei por fim, olhando para o cordão. Olhei para o seu rosto e ele sorriu carinhosamente, tirando o cordão e segurando em sua mão.

- Eu ganhei de alguém especial. - Disse olhando ternamente para o cordão.

- Eu te dei né? - Perguntei, e ele olhou para o meu rosto com um sorriso malicioso.

- Bem, você deu pra mim sim. - Falou passando a língua em seu lábio inferior e arqueando a sobrancelha. Estreitei os olhos em sua direção quando percebi que ele não se referia ao cordão, então dei um chute em si, vendo ele tombar pra trás rindo.

- Seu pervertido. - Falei cruzando os braços.

- Ok ok, me desculpe. - Falou ainda rindo. - Mas respondendo a dua pergunta, foi você sim que me deu ele. - Respondeu sorrindo.

- Isso não queima a pele de um demônio? - Perguntei curioso para saber se isso era mito ou verdade.

- Na verdade é apenas um pequeno incômodo, não chega a machucar. - Falou simples.

- Porque não tira já que incomoda? - Perguntei confuso.

- Quando você me deu esse cordão, você falou que enquanto eu estivesse com ele você estaria comigo. Então quando você se foi, esse cordão foi o motivo de eu não ter regredido e ter me tornado o que eu era antes de você; a pequena dor que ele me causava ,era como um aviso de que você estava ali, e enquanto esse crucifixo doesse em minha pele, você não havia me deixado. - Respondeu me olhando profundamente. Ele sabia bem como me deixar sem falas e deixar o meu coração quentinho. Jungkook não poderia se mais perfeito.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...