História The Forgotten Child - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Potter, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Dolores Umbridge, Draco Malfoy, Fred Weasley, Fred Weasley Ii, Gina Weasley, Gregory Goyle, Harry Potter, Hermione Granger, Lílian L. Potter, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Merlin, Minerva Mcgonagall, Ministro Milicent Bagnold, Molly Weasley, Murta Que Geme, Narcissa Black Malfoy, Pansy Parkinson, Personagens Originais, Ronald Weasley, Rose Weasley, Rosier, Rowena Ravenclaw, Salazar Slytherin, Scorpius Malfoy, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter, Tiago S. Potter, Yaxley
Tags A Criança Amaldiçoada, Alvo Potter, Alvo Severo Potter, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Rony Weasley, Rose Weasley, Scorp, Scorpius Malfoy, Tiago Sirius Potter
Visualizações 212
Palavras 1.975
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Isso gente, estou reescrevendo a fic.
Perdão por ficar tanto tempo longe, mas é que eu n estava gostando muito do rumo que a história tava tomando e resolvi começar de novo do zero.
me perdoem e não desistam de mim <3

Capítulo 1 - Prólogo


Mansão Malfoy

1 de Setembro de 2015

Raven Malfoy

 

O dia amanhecia com um céu cinzento e típico de Londres. Estive esperando tanto para esse dia a tanto tempo que nem a mais grossa nuvem de chuva seria capaz de estraga-lo, com meus recém feitos onze anos de idade, recebi minha carta da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, e desde então não poderia estar mais ansiosa para o inicio do ano letivo.

Penteio meus cabelos loiros com a maior rapidez que já vi, me visto as pressas e corro em direção ao primeiro andar para tomar café com minha linda e puro-sangue família, os Malfoy!

-Bom dia senhor papai, bom dia senhora mamãe!- Os comprimento sentando com rapidez na imensa e cheia mesa de café da manhã de nossa sala de jantar- Por que ainda não estamos prontos? Se eu me atrasar vou ficar bem chateada! E cadê o Scorpius que não chega?

-Calma, calma, calma!- fala minha mãe começando a rir- essa pressa toda é a empolgação pro seu primeiro dia de aula?- Eu concordo enquanto como o mais rápido possível um pedaço de pão que havia pegado- Pode se acalmar, Rae. Estamos bem adiantados.

-Eu ainda preferiria que você estudasse na Academia Beauxbatons, sempre odiei Hogwarts- Reclama meu pai sem tirar os olhos do profeta diário.

-Ah, papai, não deve ser tão ruim! Além do mais, todos os meus amigos estarão lá, mal posso esperar para rever o Ivan Rosier, faz meses que não temos contato.

-Continuo não gostando, e se você não for para a Sonserina pode se considerar um aborto- Diz meu pai me fazendo arregalar os olhos.

-Draco Malfoy!- Briga minha mãe e ele ri, o senso de humor de papai é estranho- Bobagem, seja lá qual for a casa que você cair, teremos muito orgulho! Mas por favor tente ficar longe da Lufa-lufa e da Grifinória.

-Pode deixar- eu digo rindo.

Assim que Scorpius chega e se junta a nós no café, já começamos a arrumar as coisas para ir até a estação King’s Cross. E meu irmão é claro, chateado por ainda não poder vir.

 

Plataforma Nove e Meia

10h55 da manhã

 

Já me despedi dos meus pais e de meu irmão, o Expresso de Hogwarts parte daqui exatos cinco minutos, e me encontro ainda procurando uma cabine. Vou andando pelos corredores, mas todas estão cheias, com exceção de uma com dois meninos que aparentam ter minha idade, um ruivo e um moreno.

-Com licença- digo- posso me sentar aqui com vocês?

-Claro- Diz o ruivo sorrindo, o seu amigo parece não ter gostado muito da ideia- Senta ai, Loirinha.

-Obrigada- Entro na cabine fechando a porta e me sentando de frente para os dois- A propósito, meu nome é Raven, e não “Loirinha”.

-Bom, prazer então- o moreno permanecia calado observando seu amigo ruivo falar comigo- Meu nome é Fred Weasley II, e esse é meu primo James Sirius Potter.

-Mas você já deve ter ouvido sobre a gente- o tal James diz com o nariz empinado.

-Um Weasley e um Potter no mesmo vagão que uma Malfoy, que contraditório- comento- meu pai me mataria se soubesse que estou com vocês.

-Pera lá, você é uma Malfoy!?- a boca do pequeno Weasley se abre em choque.

-Vai dizer que não reconheceu o cabelo de agua oxigenada?- zomba James.

-Calado filhote de Potter!- Digo cruzando os braços.

Um silêncio constrangedor se instalou sob a cabine, até o Weasley resolver falar de novo.

-Bom...Nós dois queremos ir para Grifinória! E você?

-Sonserina, obvio!- respondo com um sorriso enorme- A casa dos ambiciosos e destemidos!

-E dos comensais...-Escuto James comentar.

-Você não pode julgar uma casa inteira só por alguns errinhos de fabrica! Se não se lembra, Pedro Pettigrew era da Grifinória!

-Tá bom, parei- O mini Potter finalmente me encara.

 

Salão Principal

Hogwarts

 

Vim conversando com o Potter e o Weasley o resto da viagem de trem, apesar de umas discussões algumas vezes eles até que são legais, e acho que eles acharam o mesmo de mim. É bem irônica a ideia de nossos pais terem sido inimigos durante seu período na escola e agora eles serem meus primeiros amigos, espero que continue assim.

A diretora McGonagall iniciou a seleção para as casas a um tempo mas ainda não chegou minha vez, já vi nomes sendo chamados varias vezes, inclusive o de Fred, que como todo e bom Weasley, foi para Grifinória. Escuto chamarem James, e fico torcendo para ele ir para Sonserina, eu ia rir tanto! Mas infelizmente, o mini Potter foi para Grifinória também, causando um grande alvoroço em todo salão, ele parece gostar da fama. Metido.

-Malfoy, Raven - Escuto meu nome ser chamado e todo um silêncio percorre pelo salão. Ouço diversos comentários maldosos sobre meu pai e minha família, mas não me deixo abalar e sinto o chapéu seletor ser colocado em minha cabeça.

“Ora, ora, ora, o que temos aqui....

Vejo qualidades de todas as casas...a Inteligência de uma Corvinal, lealdade de uma Lufana, Ambição de uma Sonserina e principalmente, coragem de uma gifinória....ah sim, você será uma grande bruxa em qualquer casa que eu selecionar, mas o que seu coração mandará?”

Grifinória não...Grifinónia não... Penso com muita vontade.

“Grifinória não? Pois bem, mas então eu digo....”

-Sonserina!-O chapéu seletor anuncia e a mesa da sonserina explode em aplausos, vou sorrindo até a mesa e me sento ao lado de meu amigo Ivan.

-Você demorou lá na frente- O Rosier zomba de mim- O chapéu estava  pensando em coloca-la na grifinória é?

-Em nome de Salazar, não! Eu tenho um sangue puro de uma Malfoy, nunca que ficaria em outra casa sem ser Sonserina!

 

Plataforma Nove e meia

Ano de dois mil e dezessete

Primeiro ano de Scorpius em Hogwarts

 

-Não se preocupe, Scorpius, como todo e bom Malfoy você obviamente será da Sonserina- Diz meu pai com a mão no ombro de meu irmão.

-Mas se for para qualquer uma outra, saiba que te amaremos igualmente- Diz minha mãe o tranquilizando- mas por favor, sonserina- ela implora baixinho e nós rimos.

 

Eu e Scorp entramos em um dos vagões e guardamos nossas coisas. Eu infelizmente tive que me separar dele, e ir para a cabine dos monitores, sim, no meu terceiro ano em hogwarts já fui chamada para ser monitora, aluna exemplo que fala né?

Depois de organizarmos tudo descemos para nos despedir de nossos pais, Astória como sempre ficou chorona e não queria nos deixar ir, mas a tranquilizamos dizendo que escreveríamos duas vezes por semana.

O ultimo apito do trem é escutado por todos na plataforma, dando o aviso de que já está partindo, dou um ultimo abraço em meus pais e entro junto de Scorpius no vagão.

-Você vai ficar bem sem mim, certo?- Pergunto ao deixa-lo em sua cabine.

-Não se preocupe comigo, provavelmente ninguém vai vir falar com o “Filho do Você-sabe-quem”- ele levanta os ombros em sinal de rendição e o olho com pena.

-Não importa o que digam, a gente sabe que não é verdade ok? Não somos filhos Dele! Ah, se eu pudesse eu acabaria com a pessoa que começou esses boatos...

-Eu ‘to brincando, Rae- Ele sorri para mim- Vou ficar bem, pode ir para sua cabine- Me despeço dele dando um beijo em sua testa e começo a andar em direção a minha cabine junto com os demais monitores.

Na metade de meu primeiro ano em Hogwarts, surgiram boatos sobre mim e minha família, boatos de que minha mãe usou um vira-tempo para engravidar de Lord Voldemort e usufruir de sua magia, já que como está muito doente não conseguia engravidar sem correr risco de vida. E por algum motivo esses boatos ficaram bem mais fortes com o passar dos meses. As pessoas começaram a cochichar quando passava e muitos se distanciaram de mim, inclusive James e Fred, alias por falar neles, parecem que herdaram a fama dos pais. James começou a ser mulherengo e talvez isso seja ao fato de que ele pode ter ficado mais bonito, mas provavelmente é porque herdou o talento dos pais no quadribol. Já Fred conquistou o lugar do mais bagunceiro de Hogwarts, ganhando até de Pirraça algumas vezes com suas travessuras. Pelo jeito a fruta não cai longe do pé.

E eu? Bom, ganhei fama de malvada, os únicos que andam comigo são Ivan Rosier e Elizabeth Abbott. E minha fama se deve ao James. Ele é igualzinho ao avô em questão de falta de noção, sempre fazendo comentários desnecessários. Potter’s e Malfoy’s, inimigos sempre e para sempre.

Ano de Dois mil e Dezenove

Férias de Verão

 

Sentei com a mamãe em seu quarto. Tentei ajudá-la a se maquiar, não ajudou muito... Eu segurei a mão dela por muito tempo, mas só chorei quando ela estava dormindo, pelo seu estado, ela não iria viver muito tempo.

Umas duas semanas depois, me despedi da minha mãe. Eu tinha muita coisa a dizer...

Fiquei muito mal, e acabei me afastando do meu pai e de Scorpius por um tempo. Decidi que era melhor ficar sozinha.

 

Ano de Dois mil e Vinte e Três

Um ano depois de “A criança Amaldiçoada”

Meu ultimo ano em Hogwarts

 

Tá bom, eu posso estar errada sobre os Potter e os Malfoy, mas quem iria esperar que Scorp e Albus se dariam tão bem e no fim acabariam salvando o mundo bruxo? Pelo menos no fim todos os boatos se acabaram e eu passei a ser conhecida pela bruxa incrível que sou.

-ESSA FOI QUASE EM POTTER, DEFENDE MELHOR ESSES AROS!- Escuto Lorcan Scamander berrar em quanto anunciava os acontecimentos do jogo de Quadribol que estava acontecendo, Grifinória e Corvinal.

Lorcan e Lysander Scamander são gêmeos, filhos de Luna Lovegood e Rolf Scamander. Lorcan é Lufano e Lysander Corvinal, ambos são bem amigos de Scorp e Albus.

-Ainda não entendi por que me fizeram vir a esse estupido jogo- Comento para Ivan e Elizabeth que gritavam empolgados a favor da Corvinal.

-A RaeRae, a gente sabe que você adora Quadribol- Ivan diz sem tirar os jogos do jogo.

-Sim, como toda jogadora de quadribol- respondo o obvio.

-Fala como se não gostasse de ver os garotos tirarem a camisa no final- Elizabeth diz sacana.

-Calada, Abbott- Dou risada e ela também.

-ESTÃO VENDO O MESMO QUE EU? FRED WEASLEY ACABA DE CAPTURAR O POMO! VITÓRIA DA GRIFINÓRIA MAIS UMA VEZ!- Lorcan anuncia novamente em bom e alto som, todos os Grifinórios gritam e comemoram como loucos.

Eu, junto de Ivan e Beth nos dirigimos a saída do campo antes daquilo virar um formigueiro. Já estamos quase saindo quando sinto puxarem meu braço. Meus amigos vão na frente sem mim e meu deixam com seja lá quem seja.

-Então quer dizer que o próximo jogo será eu e você atrás do pomo, loirinha?- Fred pergunta. Ele e James tentaram se reaproximar depois de tudo, mas não quis mais a presença deles ne minha vida, muita coisa foi falada.

-Pois é, Weasley- digo me soltando dele- Sonserina e Grifinória, mas não se preocupe, eu pego leve com você- dou umas leves batidinhas em seu ombro e sinto alguém passar o braço ao redor de mim.

-Feliz com a minha vitória, Malfoy?- o Potter mais velho diz, saio de perto dele o mais rápido possível, vai que o seu ego é contagioso...

-Você não faz ideia- digo sarcástica- Agora se me dão licença, tenho coisa melhor pra fazer- Com um sorriso forçado, começo a me afastar.

-Te vejo nos corredores, Querida- James grita enquanto me afasto.

-Você chama todas de “querida”- Respondo cínica sem olhar para ele.

-E todas parecem gostar- ele se gaba, dessa vez eu me viro para responder.

-É exatamente por isso que eu não gostei- volto a andar em direção a Ivan e Elizabeth, deixando os dois sangues-ruim sozinhos.


Notas Finais


ALGUÉM ME DIZ QUE PEGOU A REFERENCIA PFV


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...