História The Forgotten Girl - Third Season - Capítulo 13


Escrita por: ~ e ~holezeira

Postado
Categorias Saga Crepúsculo, Teen Wolf, The Vampire Diaries
Personagens Alan Deaton, Alaric Saltzman, Alice Cullen, Bella Swan, Breaden, Carlisle Cullen, Caroline Forbes, Chris Argent, Cora Hale, Corey Bryant, Damon Salvatore, Derek Hale, Edward Cullen, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Embry Call, Emmett Cullen, Enzo, Esme Cullen, Ethan, Gerard Argent, Hope Mikaelson, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Jacob Black, Jasper Hale, Jennifer Blake, Katherine Pierce, Kol Mikaelson, Leah Clearwater, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Mason Hewitt, Melissa McCall, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Personagens Originais, Peter Hale, Renesmee Cullen, Rosalie Hale, Scott McCall, Seth Clearwater, Sheriff Noah Stilinski, Stefan, Stefan Salvatore, Theo Raeken
Tags Crepusculo, Teen Wolf, The Vampire Diaries
Visualizações 23
Palavras 2.493
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey Meu amoreeees, olha quem está de volta, Mayzinha
E já voltei com capítulo bombástico, escrito pela Melzinha e já adianto pra vocês, tá maravilhoso!
Bora ler?

Capítulo 13 - Chapter Eleven - Discoveries


Fanfic / Fanfiction The Forgotten Girl - Third Season - Capítulo 13 - Chapter Eleven - Discoveries

“É mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que com a ponta de uma espada.”

 

[William Shakespeare]

 

 

A cabeça de Mona estava agora no colo de Alex, que chorava desesperadamente enquanto acariciava os cabelos da falecida.

- Jacob, ei, se acalma okay? – Edward tentava segurar o lobisomem, que assim como Alex, chorava desesperadamente.

- Por quê?! Por quê?! Por que ela?! Ela não fez nada! – O moreno agora estava ajoelhado, gritando.

Eu não conhecia Mona, mas pelo pouco tempo que passei com ela pude ver o quanto à garota era fofa e amorosa.

- E-eu não... – As palavras não saiam da minha boca.

- Alex, calma, vai ficar tudo bem... – O alfa sussurrou se aproximando.

- Ficar tudo bem? Nada vai ficar bem, Scott! Se você não percebeu, tem uma garota morta na sua frente! – A caçadora gritou. O moreno apenas ignorou a grosseria da irmã e a abraçou.

- E-ela, ela tá morta... É tudo culpa sua! – Jacob gritou apontando pra mim.

- Jake, eu não... – Comecei a andar para trás ao perceber que o lobisomem vinha raivoso em minha direção.

- É culpa sua! – Jacob avançou, porém Edward foi mais rápido e empurrou o mesmo para longe de mim.

- Tá louco, cachorro?! A culpa não é da Maíra!

- É sim! A Mona disse que estava sonhando com a Brianna, mas achou que não era nada de mais, e agora ela tá morta!

- Olha, a Brianna fez isso, não eu okay? Eu não tenho nada a ver com isso e...

- Ah, Maíra, por favor! Você diz que não é culpa sua, mas é sim! Dá pra uma vez na vida você assumir as consequências?!

- A culpa não é minha! É da Brianna!

- Ela fez isso por sua causa! Pra te dar um aviso! E agora Mona Hastings está morta por sua causa!

- Jake, já chega, vamos embora... – Bella tentou levar Jacob dali, mas o mesmo a empurrou pra longe.

- Tem uma garota morta na sua frente e você quer ir embora como se nada tivesse acontecido?! Você não cansa de pensar só em si mesma, Bella?!

- Não fale assim com ela... – Os olhos de Edward já estavam vermelhos.

- Ah, e você vai fazer o que? Defender a sua mulherzinha como sempre? É só isso que você faz, seu inútil!

O vampiro avançou no moreno, o jogando com violência no chão.

- Eles vão se matar! – Gritei.

E realmente eles iam. A luta ficava mais violenta a casa segundo.

Scott tentou segurar Jacob, porém o alfa foi jogado no chão e acabou batendo a cabeça em uma pedra.

Alex levantou do chão e saiu correndo pra dentro da minha casa, e eu a olhei confusa.

Alex Argent estava fugindo?

Fiz uma nota mental de lhe dar uma bronca depois.

- Parem, vocês vão se matar! – Malia gritava desesperada.

Eu simplesmente não sabia o que fazer, estava estatica olhando tudo acontecer.

Ouvi barulhos dentro de casa, e senti alguém mexer no meu arsenal.

Estava prestes a entrar correndo e ver o que a caçadora estava fazendo, quando Alex saiu da minha casa com um arco e flecha nas mãos.

A mesma mirou nas costas de Jacob e o acertou, fazendo o mesmo cair no chão se contorcendo de dor.

Edward notou que a morena ia fazer o mesmo consigo e tentou fugir, porém ela mirou e acertou uma flecha no vampiro com uma velocidade impressionante.

- Parem de agir feito crianças e olhem a sua volta! Tem uma garota morta na frente de vocês e ninguém vai fazer nada a respeito?! Se não vão ajudar, não atrapalhem! – Gritou Alex.

Todos olhavam assustados para a caçadora, que parecia ter perdido um pouco a paciência.

- Stiles e Malia, levem o Scott pra dentro e cuidem dele. Edward, Jacob e Bella, acho melhor vocês irem embora. – Ditou à morena.

Bella assentiu, tirando a flecha do corpo do vampiro e em seguida do corpo do lobisomem. A vampira pegou os dois pelo braço e os levou até o carro com violência.

O humano e a coiote levaram o alfa pra dentro de casa, enquanto eu observava Damon, Stefan e o meu pai ajudarem.

Alex se aproximou do corpo de Mona e se abaixou, acariciando os cabelos da mesma.

- Eu sinto muito... – Sussurrei.

A caçadora fez um tipo de sinal da cruz encima do corpo da morena e se levantou.

- Não sinta, não foi culpa sua. – A voz da Argent estava estranha, provavelmente estava tentando esconder o que estava sentindo em relação a tudo aquilo.

- Olha, eu... Preciso ir, tá bom? Pode levar o corpo da Mona pra clinica? Scott pode cuidar dela depois.

- Claro, sem problemas. – Falei meio nervosa.

Pela primeira vez, eu não sabia o que fazer, estava estática.

Alex sorriu fraco para mim e me devolveu o arco, começando a andar em direção à rua.

Olhei para o arco em minhas mãos. Como ela havia conseguido atirar tão rápido assim?

 

[...]

 

Depois de tanta insistência do meu pai, finalmente subi para o meu quarto dormir.

Com tudo aquilo acontecendo, a ultima coisa que eu queria fazer era dormir.

Scott, Lydia, Malia e Stiles levaram o corpo de Mona pra ser analisado, enquanto os outros foram para suas casas.

Quando me deitei na cama, pensei no dia agitado que tive: primeiro, descubro que a minha melhor amiga é na verdade irmã da mulher que quer me matar. Depois, eu mostro meu arsenal – que nem meu pai sabia que existia – e por fim, Mona Hastings morre.

- Talvez descansar não seja uma ideia tão ruim assim... – Murmurei, apagando a luz do quarto e fechando os olhos.

Acorde.

Fechei os olhos com mais força e ignorei a voz que me mandava acordar. Provavelmente era o meu pai ou até mesmo Stefan, então resolvi ignorar.

Acorde, Maíra.

A era fina demais para ser Derek ou Stefan. Dessa vez, cobri meus ouvidos com o travesseiro.

Maíra sou eu, Mona.

Abri meus olhos, mas eu não estava em meu quarto, estava em um tipo de estúdio completamente branco.

A minha frente estava uma garota vestida de branco.

- M-Mona? – Perguntei.

- Eu mesma. – Sorriu.

- Mas, você não tava morta?

- Assim você me ofende. – Fez um biquinho nos lábios. – Brincadeirinha. Sim, eu estou morta, mas antes precisava te contar uma coisa.

- E como você tá falando comigo... Pelos meus sonhos?

- Bom, minha mãe nasceu com o poder de se comunicar através dos sonhos das pessoas. Até hoje esse tipo de “poder” não tem nome, mas eu chamo de “comunicação do sono” mesmo.

- O que... O que eu estou fazendo aqui?

- Eu preciso te contar sobre os meus sonhos.

- Você... Ainda sonha?

- O que? Não, obvio que não! Eu estou falando daqueles sonhos que tive com a Brianna.

- Olha, o que quer que os seus sonhos estejam mostrando, eu não quero saber, okay? Brianna traiu a minha confiança e eu não quero nunca mais saber dela.

- Maíra, tem coisas que os seus amigos não descobriram... Coisas que são importantes se você quer acabar com as irmãs Miller.

- E o que é?

Ela estendeu a mão para mim. Eu sabia que aquilo era um sonho, que nada daquilo era real, mas mesmo assim toquei na mão de Mona, que estava mais gelada que o normal.

- Está gelada... – Murmurei.

- É porque eu estou morta. – Me deu um sorriso inocente, mas que por trás parecia bem diabólico.

- Feche os olhos. – Mandou e eu obedeci.

Eu senti que estava flutuando. Vozes falavam na minha cabeça todas de uma só vez, e depois de um tempo meu corpo passou a girar. Quando abri meus olhos novamente, eu estava em uma casa. Mas, não era qualquer casa, era a casa da Brianna.

- O que eu estou fazendo aqui? – Perguntei olhando fixamente para a casa.

- Você precisa saber de uma coisa.

- O que...

- Só olhe.

Obedeci e comecei a olhar o que acontecia na casa.

Brianna tentava fazer fogo em uma velha, a menina parecia ter uns 13 ou 12 anos.

- Eu não consigo... – Choramingou.

- Consegue sim, se mamãe conseguiu, você consegue também. – Uma voz mas velha falou. Reconheci na hora: Jennifer.

- Mas Jenni...

- Eu já mandei você não me chamar assim! – A mais velha, que estava sentada na poltrona, agora havia se levantado e segurado o pulso da loira com força.

- Para Jennifer, tá me machucando!

- Você vai aprender esse feitiço, vai matar a filha dos Hale e ter a sua vingança!

- Quis dizer a sua vingança! - Brianna soltou seu pulso da mão da Darach e se levantou.

- Desculpe... Como é?

- É a sua vingança, não a minha! Mamãe e papai morreram e desde então você vem me treinando pra poder matar os Hale, sendo que eu não tenho nada contra eles!

- Eles mataram nossos pais!

- Nossos pais eram uns lunáticos!

Fechei meus olhos ao ouvir o barulho de um estalo.

- E-ela... – Eu não conseguia falar.

- É, a Jennifer deu um tapa na cara da Brianna. – A voz da Mona parecia triste.

- Nunca mais, nunca mais, fale assim dos nossos pais! – Gritou a mais velha.

- Você não tem poderes tão fortes quanto os meus, é por isso que fica me treinando feito uma maluca.

- Eu não te treino feito uma maluca, eu apenas treino os seus poderes.

- Dá no mesmo!

- Brianna, você sabe que precisa ser o mais forte possível. Se os Hale descobrirem o seu ponto fraco, nos nunca vamos poder ter a nossa vingança e todos os seus amigos vão morrer.

- Eu não vou deixar eles morrerem.

- Então você precisa ser forte, precisa que os seus poderes sejam fortes, okay?

A loira olhou triste para a mais velha, porém assentiu.

- Agora tente de novo, pode ser que você consiga.

E, depois de 5 minutos, a chama da vela se acendeu.

Brianna e Jennifer sorriram uma para outra, e elas continuaram a treinar mais feitiços.

- Você sonhou com isso? – Perguntei enquanto via a imagem a minha frente se dissipar.

- Sonhei, e sonhei com mais coisa também.

Logo depois, apareceu outra imagem: era de Brianna, provavelmente na casa dela, depois da festa.

A mesma suspirou e olhou para algo no celular, xingando em seguida.

- Eu devia ter esperado mais tempo... Eu não devia ter concordado... Essa vingança não é minha. – Murmurava tristonha.

- Ela ainda não concorda com esse plano da Jennifer. – Disse Mona.

Por um momento, senti pena dela. Mas depois lembranças de tudo que ela fez pra mim me inundaram e essa “pena” foi embora na hora.

- Mas ajudou.

- Maíra, você não pode ter rancor dela. Eu vi mais coisa que isso, a loira passou por muita coisa...

Suspirei.

- Tá legal, o que mais você pode me mostrar?

Mona parecia tristonha. Ela me deu um abraço e deu um sorriso sem mostrar os dentes.

- Nunca, Maíra. Já está na minha hora de partir.

- Mas, mas...

- Infelizmente, eu só pude te mostrar isso. O resto quero que descubra sozinha.

- Mas como eu vou...

- Você dá o seu jeito.

Nem percebi quando lágrimas começaram a rolar de meu rosto.

- Não chore...

- Eu vou sentir a sua falta... – Falei com a voz embargada.

- Nos vemos por ai, Maíra Hale.

Depois tudo ficou escuro e eu senti que não estava mais respirando.

Acordei ofegante.

- Mona...

Avistei meu celular na cômoda e o peguei rapidamente.

- Alex? – Perguntei. Eu sabia que a chance de ela atender a minha ligação às três horas da manhã era bem pequena, mas eu precisava falar com ela.

- Maíra, você não tem insônia, volta a dormir... – A voz da caçadora estava meio grogue por conta do sono.

- Eu preciso falar com você!

- Não pode ser amanhã?

Eu sabia que não ia conseguir convence-la assim, então tive que apelar.

- Eu sonhei com a Mona.

Silêncio.

- Já estou indo ai.

Encerrei a ligação e fechei os olhos.

Eu precisava falar com Alex. Talvez aquilo não tivesse passado de um sonho, mas eu precisava.

Algum tempo depois, ouvi alguém bater na minha janela.

- Virou o homem aranha pra poder subir pelas paredes?

- Que isso, eu pulei de uma árvore e me pendurei na sua janela.

- Como fez isso?! – Perguntei surpresa.

- Vantagens de ter um irmão lobisomem.

Deitei na cama e a morena deitou ao meu lado.

- O que aconteceu?

- Eu sonhei com a Mona...

- Como foi?

Contei tudo a ela. Tudo mesmo. Não escondi nada.

- Wow, isso foi pesado... – A caçadora parecia chocada.

- Eu sei que Brianna foi obrigada a fazer isso, mas eu ainda sinto que ela me traiu.

- Talvez seja porque ela realmente te traiu. Bom, do jeito dela.

- Eu só queria saber desse ponto fraco...

- Acho que Mona só queria que você soubesse o porquê da loira ter te traído. Ela não queria que você ficasse com rancor.

Dei uma risada fraca.

- Mona vê bondade até onde não tem.

- Deve ser por isso que Jacob a amava.

- Como?

Alex mordeu os lábios nervosa.

- Eu falei de mais...

- Como assim Jacob a amava?

- Ai, como eu posso te explicar isso... Jacob e Mona... Já tiveram um “caso”. Mas foi por pouco tempo, Jacob esteve aqui em Beacon por um tempo e conheceu a Mona em um barzinho.

- Deve ser por isso que ele teve aquele ataque...

Foi quando me lembrei do tiro super rápido que Alex havia dado no lobisomem e no vampiro.

- Aliás, como você conseguiu atirar tão rápido hoje à tarde?

- Atirar rápido em quem?

- No Jacob e no Edward.

- Ah, Maíra...

- Alex, por favor, me conte.

- Tá legal... É o seguinte: uma vez, eu discuti com o meu pai. Depois, quando fui pedir desculpas, o ouvi dizer que queria que eu fosse igual à Allison.

Abri minha boca para falar, mas a morena continua a falar.

- Eu sei que não devo ser igual a ninguém, mas aquilo me fez sentir mal. Depois disso, passei a treinar mais, e fui ficando cada vez mais habilidosa com o arco e flecha.

- Mas... Aquele tiro foi praticamente impossível...

- Nada é impossível para mim, Maíra. – Sorriu.

Alex se levantou, porém eu segurei seu pulso.

- Fica aqui comigo, eu posso ter outro sonho e quero te contar o que aconteceu.

- Maíra...

Fiz aquele olhar de cachorro pidão que Stefan havia me ensinado a algum tempo atrás.

- Tá bom, mas é só um pouquinho.

Só sei que a caçadora deitou ao meu lado e depois eu adormeci.

 

Não te interesses sobre a quantidade, mas sim sobre a qualidade dos vossos amigos.

                                                 [Sêneca] 


Notas Finais


E aí, o que acharam?
Parece que Brianna Não é tão ruim como nós pensamos que fosse, não é mesmo?
E com esse capítulo nos damos adeus pra Mona, quem mais vai sentir falta dela?
Bom, é isso.
Até loguinhooo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...