1. Spirit Fanfics >
  2. The Four ; >
  3. O ômega ;

História The Four ; - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura meus anjussss

💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖💖

Capítulo 2 - O ômega ;


A U R O R A 

Subo na moto indo para um armazém abandonado, chegando lá vejo alguns betas me esperando, sinto o cheiro de tensão e nervosismo no ar e alguns barulhos de chicote batendo no chão no grande armazém. Caminho até o portão de entrada e consigo ouvir melhor a conversa dos betas.

Ele não abre a boca para nada, eu só quero matar logo ele... -- Diz irritado e fechando os punhos, alguns de seus amigos o seguram para não fazer besteira, foi quando eu boto a mão do ombro do mesmo e vejo seus olhos cor amarelo ouro voltarem para um caatanho claro. Eu consigo sentir a tensão no ar e isso me deixa seriamente irritada, tudo estava saindo do controle e eu odeio quando não tenho controle sobre algo, principalmente se envolve o meu bando e minhas terras.

Quero saber exatamente o que ele falou -- Digo erguendo o rosto e mostrando um ar de superioridade, o que era óbvio já que em meus olhos a cor predominante é vermelho fogo.

Com certeza ser uma alfa em meio a homens machistas é algo extremamente difícil, porém com o tempo mostrei para eles o que uma CrawFord é capaz, dês daquela noite meu mundo girou de ponta cabeça, meu corpo ficou mais forte e meus sentidos ficaram mais aguçados do que nunca. Na minha primeira lua cheia eu sai correndo por toda cidade, eu via apenas a raiva me dominar e então naquele momento eu soube que algo não estava certo e eu precisava descobrir.

Dias depois eu descobri sobre lobisomens e tudo sobre eles, eu até mesmo achei uma pequena alcateia a qual me ensinou o auto-controle e sobre minhas forças, alguns dias depois contei aos meus pais sobre o que havia me atacado e claro, no começo eles ficaram assustados e com medo de mim porém com o tempo eles aprenderam que eu ainda era sua querida filha.

Entro no armazém e sinto o cheiro de metal enferrujado, também podia se sentir cheiro de carne queimada e sangue, uma mistura dos dois. Caminho pelo salão ouvindo meu sapato bater no chão, quanto mais eu caminho para perto mais eu ouvia sua respiração cortada e ofegante, podia ouvir seu coração bater mais rápido e seu rosnado sair baixo.

Veja se não é a dona da razão, senhora aurora... -- diz quase sem voz, vejo o mesmo sentado em uma cadeira ligada a um motor de carro, as correntes em seus braços impediam de se curar e seu peito com machucados de minhas garras, seu cabelo levemente ondulado agora colado na testa por conta do suor é realmente belo de se ver, seus olhos verdes água contrasta com sua pele dourada e seus lábios rosados, quem olhasse para o mesmo diria que é um verdadeiro príncipe mas seus olhos agora azuis brilhantes entregava a mim seu passado sombrio.

Seus olhos são tão azuis quanto o mar, desembucha logo, de qual alcatéia você é..... e por que seus olhos carregam tanta culpa-- digo indo até ele e segurando seu maxilar com força, minhas garras já se fazem presente e entram levemente em sua pele, fazendo filetes de sangue cair lentamente por meus dedos.

Você sabe muito bem que lobos que tem seus olhos lápis-azúli são considerados pecadores, os olhos azuis só aparacem quando um lobo mata um inocênte... -- largo seu maxilar indo até os controles do motor ligando o mesmo no máximo  vendo faíscas de energia sairem por seus cabos. Seu rosnado alto mostrava que ele sentia dor, porém aquela carga de energia não iria o matar mas iria o fazer sofrer por um bom tempo.

Você....n-não vai tirar nada NADA DE MIM -- Ele grita alto rosnando e mostrando seus olhos azul cintilantes e suas garras, o modo como ele não me respeita sendo eu uma alfa me deixa furiosa, eu estava cansada de mostrar a ele meu lado alfa controladora, o sangue em minhas veias já está quente e então com apenas um movimento eu rosno arranhando seu tronco e agarrando com força seu pescoço.

NÃO OUSE GRITAR COMIGO, EU SOU MAIS FORTE QUE VOCÊ, EU SOU MAIS ESPERTA QUE VOCÊ  eu sou A Alfa-- Largo seu pescoço pegando um pedaço de papel e limpando minhas mãos. Vejo meu reflexo no espelho do carro, meus olhos vermelho sangue já se eram visíveis e minhaa pressas também, eu podia sentir seu medo exalar de seus poros, e de certa forma eu estava amando isso.

Eu não tenho problema em ficar a tarde toda aqui, mas estou cansada de ver sua cara de orgulho ferido... Max-- estalo os dedos e então um de meus betas vem até mim.

Não saia até ele falar quem é seu alfa e de qual alcatéia ele saiu, entendidos??-- digo olhando pra ele e vendo ele concordar desesperadamente comigo.

Eu iria fazer ele falar custe o que custa, ou eu não me chamo Aurora CrawFord....


Notas Finais


Esse cap foi bem curtinho porém foi feito de coração!!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...