1. Spirit Fanfics >
  2. The Four Seasons >
  3. Fire In My Soul

História The Four Seasons - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Primeiramente, bem-vindos à The Four Seasons! Eu decidi reescrever a fanfic pois não estava gostando do rumo e na minha opinião faltou concordância, portanto alguns pequenos detalhes foram alterados.

As atualizações serão meio lentas por conta da minha outra fanfic, projetos e obrigações pessoais.

Deem um gás pra fanfic acontecer, gente linda! Aliás, críticas construtivas são muito bem vindas.

A fanfic trabalhará com alguns conteúdos sensíveis para algumas pessoas, não vou romantizar nenhum dos casos mas se fizer algum mal à você, por favor não leia. Caso eu cometa erros nesse contexto, estou cem por cento aberta a debates.

Se passa após Ultimato, basicamente minha versão da série ainda não lançado (infelizmente) The Falcon and The Winter Soldier.

Sem mais delongas, boa leitura! ♡

Capítulo 1 - Fire In My Soul


“And you know I’ve been burned, 

you’ve seen me lose control.”


Anos atrás. 

O bebê, ainda recém-nascido nascido, fora deixado na porta de um casal inglês, estava enrolado num cobertor de cetim vermelho dentro de um cesto rudimentar. O casal acolheu a criança como sua própria já que a mulher não podia ter filhos, considerando os poucos fios ruivos e a cor do tecido, nomearam-na Summer. 


A menina cresceu sendo amada e bem cuidada por seus pais adotivos, seus fios ruivos e personalidade faziam jus ao seu nome. Ela era espontânea, deixava todos ao seu redor com uma sensação boa, o tipo de pessoa que iluminava o ambiente só com um de seus sorrisos abertos, Summer Blackwell era uma garota que muitas outras pessoas gostariam de ser porém ela era alheia demais a isso. Ela era estudiosa e esforçada, costumava sempre se destacar entre os alunos e ter as melhores notas, amava dar orgulho aos pais. 


Isso não quer dizer que ela era perfeita, no meio de sua adolescência cometeu tantos erros que chegou a passar uma noite na delegacia, mas essa é uma história para outra hora. Entretanto, tudo começou oficialmente em seu primeiro ano do ensino médio onde ela descobriu que todos queriam ser descolados e populares, e a porta de entrada eram festas com bebidas e inúmeros tipos de drogas, onde adolescentes se atracavam como animais.


Summer não tinha a mínima vontade de ser popular, ela só queria passar despercebida por todos e continuar com seus poucos e amados amigos, era suficiente para si. Infelizmente um fator chamado Palmer Allen impediu que isso acontecesse, ela era uma garota vinda da Califórnia, com pele bronzeada e fios loiros encaracolados. Além disso, sua estatura alta e olhos azuis cinzentos chamavam atenção, ela mal tinha chegado na escola e todos já queriam ser seus amigos mas ela escolheu uma pessoa em específico. Palmer confessava pra qualquer um o quanto a ruiva dos olhos castanho-esverdeados chamava-lhe atenção, ela foi a primeira a conversar com Summer e vice-versa. 


Summer não gostou da atenção que passou a ter depois de fazer amizade com a loira mas decidiu tentar se acostumar a isso. Com o passar do tempo, ela acabou gostando da situação e começou a se aproveitar dela. Foi no segundo ano do ensino médio que a Blackwell começou a frequentar as festas, visando aumentar sua popularidade, coisa que nunca imaginara fazer. 


"Você tem que aproveitar, ruivinha, a gente só vive uma vez. " Foi o que Palmer falou. 


Os amigos antigos de Summer estranharam seu novo comportamento, até mesmo seus pais lhe questionaram sobre mas tudo o que ela fez foi dar respostas mal educadas com a língua afiada que sempre teve, porém nunca se via na necessidade de usá-la. 


A ruiva estava na festa de um veterano de alguma faculdade, ela sequer se lembrava de quantos shots de Tequila havia tomado quando Palmer a puxou para dançar. A pista de dança improvisada estava abarrotada, todo mundo se esbarrava o tempo todo porém a mão da loira segurava com força o pulso fino de Summer. 


As duas moviam-se juntas ao som de cada batida, elas sorriam abertamente uma para outra, Summer nunca havia se sentido tão viva. O efeito do álcool deixava tudo melhor, ela via os fios loiros de Palmer dançarem junto a elas e era lindo. 


Com a respiração ofegante, elas pararam de pular e se encararam por um tempo. Os olhos avelãs de Summer fitavam os azuis de Palmer até que a loira enfim tomou iniciativa e elas se beijaram, foi a primeira vez que Summer fez aquilo e foi uma das coisas mais incríveis.


Depois disso elas engataram num relacionamento sem nome, era satisfatório para ambas não rotularem o que tinham e tudo bem, elas chegaram até a apresentar aos pais da outra, não tiveram uma boa reação dos pais de Palmer mas em compensação, os pais de Summer as aceitaram carinhosamente. 


As duas começaram a frequentar cada vez mais festas juntas, quando iniciaram o terceiro e último ano era costumeiro que passassem de sexta a domingo fora de casa. Naquele dia em específico era mais um sábado que elas passavam juntas na casa luxuosa de alum garoto que já estava cursando a faculdade, ela sequer sabia o nome do garoto e nem de metade daquela festa. 


— O que foi? — Ouviu Palmer questionar. — Por que está com essa cara, ruivinha? 


Summer estava sentada numa das espreguiçadeiras da área de lazer, as luzes da piscina eram a única iluminação do lugar, não tinham muitas pessoas ali pois a maioria estavam enfiadas dentro da mansão. Era possível ver suas sombras através da janela por conta das luzes coloridas que piscavam, todos pulavam ao som de alguma música eletrônica que a ruiva detestava, apesar de dançar ela ainda preferia músicas mais lentas. 


Seus pés descalços eram acariciados pela grama verdinha e o tempo estava ameno, nem parecia que estavam na Inglaterra ou ela que era calorenta demais, foi o que Summer pensou quando observou Palmer, ela parecia o logo da Michelin por causa da quantidade de roupas. 


— O que? Eu vim de um lugar quente, ok? — Palmer riu depois de notar os olhares da ruiva.


— Desculpa... — Pediu dando um sorriso breve e um selar na loira, puxando-a para seu colo em seguida. Palmer sentou entre suas pernas e apoiou as costas seu abdômen, em seguida a ruiva passou os braços ao redor da cintura da garota, pressionando-a contra si. — Você está linda mesmo parecendo o boneco da Michelin. — Disse arrancando um riso da outra. 


— Não seja boba, ruivinha! 


— Não estou sendo! — Summer rebateu. 


— Você que é calorenta demais, onde já se viu usar uma blusa tão fininha num clima frio dos infernos desse?! 


— Teoricamente... 


— Sim, na teoria o inferno é quente mas não muda de assunto, Blackwell! — A loira riu, dando um tapa fraco na coxa de Summer, que acabou rindo também. 


— Eu sou calorenta e quentinha pra poder te aquecer, Palmer Allen. — Deu um sorriso terno para a garota e apoiou o queixo nos ombros da mesma. 


— Isso é verdade. — A loira olhou por cima dos ombros e roubou um selar longo de Summer. — Mas eu trouxe outra coisa pra esquentar, ruivinha. — Ela disse enquanto procurava algo dentro de sua bolsa e tirando uma garrafa de uísque dali com um sorriso largo, arrancando uma gargalhada da Blackwell. Em seguida Palmer saiu do colo da Summer e ficou sentada frente a frente com ela. 


— Oh, Deus, você não vale nada, Allen! 


— Eu sei. — Palmer foi simplista e deu os ombros. Ela forçou a tampa da garrafa e rompeu o lacre, ainda sustentando aquele sorriso lindo na opinião de Summer. — Primeiro gole é seu, ruiva. 


Summer encarou a garrafa em sua frente, ela não tinha bebido nada até então. Considerou negar por um instante mas balançou a cabeça para afastar os próprios pensamentos, tomando a garrafa da mão de Palmer e tomou um gole longo do líquido maltado, sentindo-o queimar toda sua garganta.


Palmer gargalhou alto da careta que a ruiva fez, um som contagiante para Summer, que acabou rindo também. 


— Você é uma idiota, Palmer. 


— E você não aguenta uma bebidinha, Blackwell. 


Aquilo soou como um desafio para Summer, que arqueou as sobrancelhas para a loira. 


— Ah é? Pois então veja só. 


— Summer, o que... — Palmer nem terminou sua pergunta quando seus olhos azuis arregalaram ao ver a ruiva virar mais uma vez a garrafa quadriculada, mas dessa vez ela tomava em goladas. — Summer, para com isso! — Sem resposta, ela apenas continuou o que fazia. — Summer, já chega! — Exclamou alto, a ruiva não costumava beber tanto, ainda mais algo tão forte como uísque puro. 


Summer só parou quando o ar faltou, olhando para Palmer com um sorriso vitorioso. 


— O que tinha dito, loira? — Perguntou em tom de ironia e Palmer revirou os olhos. 


— Você pode passar mal. — Repreendeu tomando a garrafa das mãos de Summer, que apenas riu. 


— Você vive dizendo que eu preciso relaxar e agora está com essa frescura, Palms, me deixa. 


Palmer se afastou-se um pouco, avaliando Summer, estava muito cedo para dizer se ela estava bem ou não então ela apenas bufou revirando os olhos. 


— Caralho, Summer, às vezes eu fico com uma vontade insana de te esganar mas não faço isso porque você é minha pessoa favorita no mundo e eu te amo.


Aquilo pegou Summer de surpresa, elas ainda não se rotulavam e nem costumavam se declarar uma para outra, elas apenas se elogiavam o tempo todo, mais nada. 


— Isso é estranho... — Foi tudo o que conseguiu dizer, fazendo Palmer dar uma gargalhada. 


— Por que você simplesmente não aceita demonstrar sentimentos, ein? — A loira franziu as sobrancelhas mas seu tom tinha certo humor. — Toda vez você diz isso, ruivinha. 


— É meu charme. — Summer deu os ombros. Ela foi pega de surpresa quando a loira a empurrou pelos ombros e colocou o corpo em cima do seu com uma rapidez invejável, ou o álcool estava fazendo efeito e ela estava mais desnorteada do que costumava ser. 


Palmer estava com uma perna de cada lado do corpo de Summer, sustentando seu peso nos joelhos. Os rostos próximos demais uma da outra fazia suas respirações se misturarem, a loira podia sentir o cheiro do álcool no hálito da outra, fazendo-a se arrepiar. 


— Você é mesmo muito charmosa, Summer Blackwell. — Sussurrou com bom humor, dando um sorriso ladino por fim. — E é a garota mais linda que eu já vi. 


Summer não teve tempo de responder pois os lábios de Palmer cobriram os seus, aquela estava longe de ser a primeira vez que se beijavam mas a ruiva sempre sentia borboletas no estômago como se fosse. Mas daquela vez algo estava estranho, não era só aquela sensação, tinha algo a mais com toda a certeza. 


— Summer? — Palmer sussurrou confusa quando a ruiva parou de correspondê-la repentinamente. — Summer, você está bem? 


— Droga acho que você estava certa... — Resmungou dando um riso sem graça. 


Parecia que tudo ao seu redor girava em câmera lenta, seu estômago já não tinha mais as famosas borboletas e estava mais embrulhado que nunca. “Não devia ter bebido tanto..." Summer se xingou nos próprios pensamentos. 


— Ah merda, eu sempre estou! — Palmer se levantou com rapidez mas quando fi ajudar Summer a fazer o mesmo, recuou no mesmo instante por reflexo. — Você está pelando, precisamos ir ao médico, ruiva! 


Summer não tinha ideia mas seu corpo estava em brasa, ela sentia algo estranho mas não nas proporções que estava, Palmer mal conseguiu encostar em sua pele. Com esforço, e sob o olhar preocupado de Palmer, Summer se levantou da espreguiçadeira, juntas elas caminharam lado à lado em passos miúdos, algumas vezes a loira chegava a queimar os próprios dedos para não deixar a Blackwell cair. 


Ao entrarem na casa, puderam ouvir algumas pessoas reclamando pois Summer esbarrava e além disso, seu calor começara a emanar. Com uma certa dificuldade, elas enfim chegaram à cozinha, Summer apoiou seu corpo no balcão e começou a retirar sua blusa de frio enquanto Palmer procurava algo que pudesse ajudá-la, mesmo que nunca tivesse visto algo parecido antes. 


— Isso, fique ai, a gente consegue dar um jeito nisso, não é? — A loira tentava parecer otimista mas seu tom carregava insegurança e duvida, mas de alguma forma aquilo tranquilizou Summer, pelo menos naquele instante. 


Metade do corpo de Summer estava em cima da pedra fria mas parecia que só aquilo não era suficiente, Palmer até pensou em levá-la para o banheiro e dar-lhe um banho frio, mas se preocupou com o choque térmico que poderia dar na garota, então descartou aquela ideia. A ruiva não estava mais com sua blusa, trajava apenas uma regata branca e sua calça jeans preta, sua bota e meias ficaram no lado de fora da cada. Ela nunca tinha sentido nada como aquilo antes, era como se um rio de lava estivesse correndo entre suas veias, seu corpo já estava com uma coloração avermelhada, principalmente as bochechas, e seus fios ruivos molhados de suor, era como uma febre mas mil vezes pior. 


— Summer, o que está acontecendo? Diga alguma coisa... — A voz da loira estava embargada. Ela segurou o rosto da Blackwell com ambas mãos, sentindo a pele doer como se tivesse pego algo do forno sem usar luvas, mas toda a adrenalina e preocupação a impediram de sentir algo, pelo menos até então. — O que você tem? Consegue falar algo? Summer, por favor...


Summer conseguia ouvir tudo o que Palmer falava mas não responder, sua visão também não estava das melhores, ela enxergava apenas vultos de pessoas entrando e saindo da cozinha e o rosto completamente desfocado da Allen. 


— Summer, se você morrer agora eu vou até o inferno se buscar! 


Foram as últimas palavras que Summer ouviu antes de desmaiar, mas não foi ela quem se feriu naquela noite.


Notas Finais


Obrigada a quem chegou até aqui e espero que tenham gostado da pequena apresentação de uma das personagens, Summer vai ser muitíssimo importante para o desenvolvimento da história.

Link da playlist: https://open.spotify.com/playlist/5OfIPt5wIry4qw5QpJP7Wt?si=FchLEBb3RFqfldWBtjkazg

(Se alguém quiser, eu monto no YouTube também.)

Enfim, vou disponibilizar no Wattpad também, pra quem gosta do site, lá com certeza está mais organizado porque dá pra colocar gifs e etc (Spirit arrombado).

Para quem gosta de Harry Potter, aqui um link da minha outra fanfic com Sirius Black, por enquanto só vai estar disponível no Wattpad mesmo. https://my.w.tt/YtEx7r4HH6

Obrigada pela atenção e até longo, anjinhos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...