História The frost creatures - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 952
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Deve ter vários erros. Então, espero que me ajudem a corrigi-los, para deixar a história melhor. Se quiserem postar algum comentário tbm, ficarei mais que grata, Outra coisa, se acompanharem essa historia vai ser por sua conta e risco, por que só vou continuar ela. Sempre que tiver ideias. Obrigada por estar lendo, fuis, bjs de luz.

Capítulo 1 - Introdução


Fanfic / Fanfiction The frost creatures - Capítulo 1 - Introdução


- Aurora? Está pronto! Gostaria de ver como ficou?

Uma voz adentrou os meus pensamentos e puxou meu sub consciente, me libertando do estado catatônico em que me encontrava.

Me arrumei na cadeira sem jeito, respondendo com um sim tímido.

A mulher atrás de mim, rapidamente, puxou um espelho, colocando-o a minha frente, falando logo em seguida, como eu estava bonita.

Olhei bem, meu cabelo agora, possuía um tom acinzentado e estava mais curto, batia mais ou menos no meu ombro e minha franja estava picotada, do jeito que eu queria, tudo estava perfeito.

Mas, como ela adivinhou? Eu tinha pedido uma coisa mais simples, com medo de ser julgada por meus pais. Porém, no meu interior era isto o que eu queria.

Meus olhos cor de âmbar por um breve momento se tornaram laranja e meu olfato aflorou. Alguma coisa estava errada, alguma coisa vinda dessa mulher não me caia bem, a energia que ela emanava não era de um ser humano comum, logo, sendo uma sobrenatural

. .................

Nesse mundo, há diversos seres humanos e entre eles estão as criaturas da noite, como eu os chamo. Escondidos em cada canto das cidades há pelo menos um de nós.

Werejaguars,werewolfes,kanimas,banshees,wendigos,werecoyotes,kitsunes esses são alguns.

Eu sou uma espécie meio rara hoje em dia, uma direwolf, eu posso me transformar em um lobo acinzentado, gigantesco, pré histórico. Bem, eu posso também transformar qualquer parte do meu corpo na dele, mas, estou ainda treinando para isso.

Meu amigo de infância que mora comigo e com meus país Apolo, é um direbear, outra rara criatura pré histórica. Ele precisa se refrescar seguidamente, como entrar em uma banheira cheia de gelo.

O seu direbear é do Ártico assim, como o urso polar só que maior e mais antigo.

Eu também preciso me refrescar as vezes pois o direwolf é mais ou menos de climas frios também mas, não ao extremo como Apolo.

Acredite se quiser, esse muleke é mais experiente que eu, mesmo eu sendo mais velha que ele, domina a arte de se conectar com a sua criatura interior, assim, transformando as partes de seu corpo.

Eu e Apolo somos como yin e yang. Um, chegou a conhecer a sua verdadeira família, as suas raízes, em quanto o outro. Não.

O pai e a mãe dele eram genuínos direbears de puro sangue. Eu por outro lado nem sei de onde vim, mas, de uma coisa eu sei, sou adotada, meus pais adotivos são humanos.

Eu sou feliz com eles, mas, isso, até descobrirem quem realmente sou

......................

As vezes em minhas memórias e em meus sonhos, um Alpha e sua alcatéia aparecem em minha mente. Scott McCall, no entanto, não os reconheço. Somente o nome vagando por entre meu sub consciente consegue me dizer algo, a qual não sei. 

Uma banshee uma vez me falou sobre como nós, direwolfs, somos conectados com o mundo a qual não podemos ver, ou seja, o espiritual e com nossos primos também, os werewolfes. Talvez, seja por isso.

Meus pensamentos foram interrompidos bruscamente quando meu "irmão" desceu as escadas bocejando e coçando a barriga, repetindo a frase o que tem para comer muitas vezes, até ser respondido.

Eu respondi sarcasticamente comida e ele retribuiu o favor me chamando de otária, mostrando o dedo do meio. Aí como eu o amo, é amor de família gente, super normal. Apesar da maioria das vezes ser avoado e quieto, responde desse jeito, quando alguém o implica. Porém, nem é meu irmão de verdade.

Apolo pode ter o dom da transformação por partes mas, eu sei caçar. Uma coisa que todas nós bestas deveriamos necessitar.

Claro, eu não vou atrás de carne humana, posso não saber me controlar tão bem quanto ele, no entanto, sei o que quero, não sou uma assassina

. ................

Chegou o dia, a qual devo sair da minha cama confortável, passando para as cadeiras empoeiradas da faculdade. Além disso, ainda vou ter que aturar meu "irmãozinho" indo para a mesma que eu, pode ser mais novo, mas, possuí tamanha inteligência a qual o fez pular um ano chegando aqui. Até meus próprios pais tem mais orgulho dele do que de mim. Bem, isso não importa agora.

Meu despertador atrasou, sai correndo de casa com um pão na boca e sabe o que achei ao cruzar a rua de bicicleta? Mônica, minha melhor amiga junto com o senhor inteligente mimado dos meus pais, ela ruborizava em quanto falava com ele.

Não a culpo por isso, Apolo é dono de uma cabeleira macia da cor da neve, além de ser curta e meio bagunçada. Possui também uma pele pálida e olhos azuis com um tom profundo.

Como se não bastasse, ainda é alto. Sou baixinha, pareço uma formiga perto dele.

Mas, isso é tudo, só o acho bonito, nada mais.

Já ia me virar, deixando os dois pombinhos a mercê da sorte, quando, senti algo em minha nuca coçar, minha visão começou a ficar escura, fui perdendo os sentidos lentamente.

De repente, uma mão gélida passou por mim e agarrou a minha cintura suavemente me puxando para si, não deu tempo de ver quem de fato era, eu já havia apagado completamente.

A única coisa de que me lembro, eram os gritos de Mônica, no qual se transformaram mais tarde, em, dores de cabeça crônicas. Desde então, ela perguntava o motivo do meu desmaio.

Nunca, respondendo a sua pergunta pensava. O que posso dizer? "Eu senti a presença de um Alpha muito poderoso, por causa da pressão desmaiei?"

Não vai rolar, ela é uma humana inocente, mal sabe sobre as coisas e tenho medo de envolve-la nesse mundo até então desconhecido.

Quem era o Alpha? Cuja presença, me fez desmaiar?


Notas Finais


Olha eu de novo aqui \o/ obrigada por terem acompanhado, até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...