1. Spirit Fanfics >
  2. The fugitive heirs >
  3. Nono

História The fugitive heirs - Capítulo 9


Escrita por: luah_zahir

Capítulo 9 - Nono


*Narradora Morgana Zahir*

Nós chegamos na mansão e fomos recebidas por Narcisa Malfoy.

-Boa noite.

Ela disse assim que abriu a porta.

-Boa noite.

-Entre. E olá Morgana quanto tempo, eu estava com saudades.

-Oie, eu...

-A me desculpe, eu sei que não se lembra de nós.

Eu não me lembrava de Narcisa, mas ela me passava uma vibe muito boa, não sei explicar mas era bom ficar perto dela.

Nós fomos para a sala onde Lúcios já estava nos esperando. Nos cumprimentamos e eu achei que minha tia iria pular nele e arrancar todo aquele cabelo platinado dele, mas ela só o encarou com um olhar mortal.

Nós estávamos conversando, mas eu realmente estava incomodada pois ainda não tinha visto Draco e eu só estava ali por causa dele.

-Narcisa. 

Eu disse chamando a atenção dela.

-Sim, querida.

-É..Draco está em casa?

Nesse momento eu senti o olhar de Lúcios em minha direção e ele parecia muito irritado com a minha pergunta.

-Está sim, ele está no quarto dele pode subir se quiser.

-Acho melhor não, ele não vai gostar.

-Querida pode subir não tem problema nenhum e acho que ele vai gostar.

Eu achei muito estranho ela estar me falando isso, porque pelo que eu sabia Draco estava proibido de me ver. Mas eu acho que isso não conta mais, afinal os Malfoy's nos convidaram para um jantar não é.

-Tá bom então, mas onde é o quarto dele?

-Segunda porta à direita querida.

Eu dei um sorriso em forma de agradecimento para ela e me levantei subindo as escadas, mas antes de sumir da vista de todos eu olhei para traz e vi minha tia me olhando pasma e Lúcios me olhando furioso.

Quando cheguei na porta do quarto dele fiquei encarando por um tempo, criando coragem para bater, porque eu estava com medo da reação dele. Então tomei coragem e bati.

-Eu já falei que não vou descer mãe, não adianta.

-Não é sua mãe Draco.

Eu falei baixo mas em um tom em que ele escutasse. Então ele abriu a porta e eu me assustei porque foi de repente de mais.

-O que f.... Morgana...eu não sabia que você também viria no jantar.

-Psé nem eu... eu posso... entra?

-Não, volte lá para baixo é melhor.

-Por favor Draco.

-Morgana...

Ele parecia estar com uma cara de tristeza, mas eu não tinha certeza pois o quarto dele estava todo escuro e o corredor também não estava bem iluminado então não conseguia ver o rosto dele direito 

-Tá entra.

Ele disse abrindo passagem para que eu entrasse.

-Lumos.

Ele acendeu a luz e eu pude ver que o quarto dele estava uma completa bagunça, tinha coisas quebradas nos cantos, à beira da cortina estava rasgada, parecia que alguém tinha brigado ali. E Draco estava de costa para mim, mas ele parecia mais magro que antes, o que faz eu me perguntar como uma pessoa pode emagrecer tanto em menos de 3 dias?

-Vou ao banheiro, espere aí Morgana.

-Ok.

Eu fiquei sentada na cama dele e ele demorou voltar, eu já estava indo atrás dele.

-O que você veio fazer aqui?

-Eu vim te ver, fiquei muito preocupada, você sumiu do nada e não me avisou. O que aconteceu?

-Nada não.

-Eu sei que algo aconteceu.

-Morgana é sério.

-Então se vira para mim, e olha nos meus olhos e fala isso.

Ele estava de costas para mim, parece que ele não queria olhar para mim.

-Porquê você se importa com isso?

-Porque eu simplesmente me importo, não tem explicação... Draco olha para mim.

Ele passou a mão pelos cabelos e então se virou devagar.

-Draco porque você tá assim? Você tá tão abatido, tá mais magro que antes e esse quarto que mais parece uma zona de guerra.

-É difícil explicar Morgana.

-Por favor tente pelo menos, eu preciso saber e tentar te ajudar com qualquer coisa.

-Você não pode me ajudar.

-Claro que posso, eu sempre vou te ajudar quando você precisar.

-É arriscado...

-Como assim?

Ele começou a chorar mas parecia querer resistir às lágrimas mas ele não conseguia. Eu estava cada vez mais preocupada com ele, o que será que estava acontecendo?

-Senta aqui Draco.

Eu disse apontando para a cama, ele se sentou e abaixou a cabeça então eu o abracei, ele já estava soluçando.

-Calma vai ficar tudo bem, seja lá o que está acontecendo.

Nós ficamos mais alguns minutos ali só abraçados, até que ele se acalmasse.

-Morgana, eu vou te contar mas quero que você não faça nada precipitado, pois você pode se arrepender depois.

-Ta.

-É sério Morgana.

-Tá eu não vou fazer nada, pode contar.

-Então esse inferno todo começou quando nossos pais brigaram, Lúcios me proibi-o de falar com você ou de ter qualquer contato... o começo foi difícil e depois só foi piorando, eu queria falar com você mas eu tinha medo do que ele poderia fazer com minha mãe, então fui obrigado a fazer tudo aquilo. Eu percebi que você também estava mal, mas não podia fazer nada e então esse ano começou e eu estava decidido que iria falar com você e iria fazer tudo voltar ao normal, mas não deu nada certo, porque eu tentava chegar perto você era agressiva e partia para cima de mim ai eu decidi que iria me manter o mais longe possível mas com a gente está no mesmo dormitório...

-É difícil. 

Eu disse concluindo o pensamento e ele concordou com a cabeça.

-Um pouco antes de você ser atingida por aquele balaço eu tentei te..... beijar e ai você ficou mais brava ainda comigo e eu estava me sentido a pessoa mais horrível do mundo. Quando você entrou em coma eu fiquei apavorado com medo de te perder, mesmo que de certa forma já tivesse perdido, mas mesmo assim quis ficar naquela enfermaria cuidado de você... só que alguns dias antes de você acordar, Lúcios foi até a escola e me disse que eu tinha uma missão..

Eu estava tentando processar tudo aquilo, porque primeiro agressões e depois beijo tipo que coisa mais aleatórias e ao mesmo tempo não consigo imaginar nada disso acontecendo com a gente, mas eu não falei nada pois eu queria que ele terminasse de me contar.

-A missão era Voldemort quem tinha passado... Eu iria... virar um comensal da morte e teria que matar alguém que eu ainda não sei que é...Mas de início tudo parecia muito difícil de acreditar, tipo porque ele estava fazendo isso comigo.. Lúcios foi mais uma vez até a escola e me falou que eu iria receber a marca na semana que vem então eu teria que vir para casa, mas eu achei que eu iria vir só no final de semana, mas na madrugada de quinta-feira Snape entrou no nosso quarto e me falou que eu precisava vir para casa, a princípio eu achei que pudesse ser algo com minha mãe então eu vim para casa na mesma hora mas...

-Mas não era com sua mãe né?

-Não, quando eu cheguei aqui estava tudo bem com minha mãe, eu perguntei a Lúcios o porque que eu precisei vir para casa então ele me disse que era melhor assim pois senão eu iria dá com a língua nos dentes...

-Tá, mas o que exatamente aconteceu aqui?

Eu perguntei esticando o braço e mostrando o quarto.

-E o que aconteceu com você para você estar nesse estado? Tipo eu entendo que tudo até agora te esgotou ao máximo e que você é um cara muito forte para ter resistido até agora sem desistir.

-Morg essa é a parte mais difícil de falar para ser sincero.

-Eu espero não tem problema, tenho todo o tempo do mundo para te escutar.

Nós ficamos alguns minutos em silêncio, pois eu não queria pressioná-lo a me falar nada que ele não quisesse, já deve ter sido muito difícil até agora e ela não merece que alguém o coloque contra a parede, ele só precisa de alguém para escutá-lo e ajudá-lo.

-Quando eu cheguei aqui em casa, estava tudo muito estranho, minha mãe não estava sorrindo como antes, Lúcios estava cada vez mais irritado e Snape estava ficando aqui, ele até dormia aqui... As refeições raramente eram feitas na mesa de jantar, me trazia comida no quarto mas eu não sentia fome nenhuma então acabei só comendo umas duas vezes e eu também nunca escuta ninguém conversa a não ser Lúcios dando ordem para os elfos e nada mais... Mas hoje de manhã eu ouvi minha mãe e Lúcios conversando e como a casa estava em silêncio eu consegui ouvir.

*Lembranças de Draco on*

-Não Lúcios não é justo que façam isso com ele, ele é só um garoto.

-Ele não é mais um garoto, ele já tem idade o suficiente para arcar com as consequência.

-Você diz isso desde que ele nasceu.

-Você sabe que ser um Malfoy exige algumas decisões.

 -A decisão de bater em uma criança e quase jogar uma imperdoável nele?

-Aquilo foi uma exceção Narcisa.

-Você sabe que não foi.

-Não interessa ele receber a marca, ele vai cumprir a missão dele e ele vai receber a punição por ter me desobedecido.

-Por favor, ele já está sofrendo de mais com tudo.

-Sofrimento e uma boa lição forma o caráter de um homem.

*Lembranças off*

-Draco me diz que ele não fez o que eu estou pensando?

-Acho que é. Quando eu escutei isso eu fui e me tranquei no banheiro e liguei o chuveiro, para ele achar que eu estava realmente no banho, eu o ouvi entrar no quarto e depois não escutei mais nada eu esperei mais alguns minuto e sai do banheiro, mas quando saí ele estava parado olhando a visto da janela.

*Lembranças do Draco on*

-Pai, o que o senhor está fazendo aqui?

-Eu vim falar com você.

-Sobre?

-Você me desobedeceu e voltou a falar com aquela garota ingrata.

-Nós estamos dividindo dormitório este ano ent....

-Não tem justificativa Draco. E se o velho do Dumbledore é talvez o culpado pela sua desobediência então está decidido, você não volta mas para aquela escola, você vai estudar em Durmstrang a partir de agora.

-Não eu quero ficar em Hogwarts.

-Mas não vai.

*Lembrança off*

☢☢

-E então ele pegou a bengala e começou a me bater, por mais que eu pedisse ele não parava, eu consegui pegar minha varinha e tentei lançar alguns feitiços nele mas não deu certo e ele só ficou mais bravo comigo....Ele me batia sem para, me empurrava contra as coisa, e um momento ele me derrubou em cima de alguns cacos de vidro e pisou sobre o meu peito para que os cacos me cortasse ainda mais, ele me empurrou contra a janela e quase me derrubou para fora mas eu me segurei na cortina e consegui me equilibrar para não cair, ele me batia como um sorriso no rosto.. ele estava gostando de fazer aquilo comigo...

-Por Merlin Draco eu sinto muito...

-Mas ainda não acabou.

-Merlin ele é louco como ele pode fazer isso?

Eu estava em choque com tudo e me segurava para não chorar junto com ele porque eu precisava ser forte para ele.

-Depois que eu quase cai da janela ele me olhou com nojo... ele pegou minha varinha, se virou e saiu do quarto e trancou o porta... eu fiquei no chão chorando por muito tempo, até ter forças para me levantar... eu fui até a porta e nada eu tentei gritar por ajuda, tentei gritar para minha mãe, mas aí eu percebi que ninguém escutava porque ele tinha lançado o Abaffiato no meu quarto... Eu fui para o banheiro tentar tomar um banho para ver se a dor amenizava, mas acabou piorando e quando eu tinha acabado de sair do banho eu escuto a porta abrir e ele estava parado na frente dela com aquele sorriso maldito no rosto.... ele entrou e lançou um....Cruciatus...em mim e depois saiu do quarto mas dessa vez ele deixou a porta aberta e minha varinha em cima da cama.

☢☢

Nesse exato momento eu estava me segurando para não explodir de raiva, eu podia estar chorando nesse momento mas a raiva era muito maior e também fiquei mais irritada pelo fato de Draco estar com olho roxo, que deveria ser só o começo do que provavelmente estava pelo corpo dele , como um pai pode fazer isso com o filho eu não entendo.

-Draco você não pode mais ficar aqui nessa casa junto com esse monstro e também não pode ir para Durmstrang.

-E eu não tenho escolha Morg.

-Tem sim Draco.

-Qual?

-Eu tenho uma ideia, ela pode ser meio doida mas pelo menos isso poderá te ajudar.

-Fala.

-Que tal nós descermos e jantarmos normalmente como se nada tivesse acontecido e quando eu tiver indo embora eu peça para que você vá dormir lá em casa, eu falo com minha tia através de telepatia para que ela proponha reatar os negócios da família com seu pai aí nós deixaremos ele feliz e eu direi que você irá lá em casa para comemorarmos a junção dos negócio e que eu irei dar uma pequena festa durante a tarde para alguns amigos da minha família, mas relaxa eu não irei dar festa nenhuma isso só é uma distração porque aí eu falo que você volta comigo para Hogwarts e aí nós temos mais uma semana para pensarmos no que iramos fazer.

-Isso até poderia dar certo, mas eu não posso deixar minha mãe aqui sozinha com ele.

-Eu posso resolver isso amanhã mas por hoje infelizmente não tem o que fazer e se você não for hoje nós não teremos outra chance.

-Ok, mas promete que vai ajudar minha mãe?

-Claro que eu prometo. Mas só mais uma coisa como você já tá melhor da maldição?

-Minha mão me ajudou, ela fez alguns feitiços de recuperação e me ajudou e como a maldição não foi forte é mais fácil.

-Tá bom então vamos descer?

-Vamos, mas antes obrigada Morg por estar aqui nesse momento de verdade.

-Não precisa agradecer, eu sou sua melhor amiga.

 


Notas Finais


Nossa como me doeu escrever esse cap serio.
Decidi trazer essa atualização mais cedo porque hoje estou inspirada para escrever
O cap com a continuação deste jantar vai sair na sexta ok.
Será que a Zulema vai aceitar propor reatar os negócios???
Beijinhos!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...