História The fugitives –Amor Doce/Castiel– - Capítulo 36


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Castiel, Debrah, Kentin, Leigh, Lysandre, Nathaniel, Personagens Originais, Rosalya
Tags Assassinas, Castiel, Drama, Luta, Rebeldes, Romance
Visualizações 88
Palavras 1.372
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Talvez eu tenha demorado um pouco com esse cap, mas nn eh nada comparado com os meses q fiquei sem postar neah?!

Mas então....

Oiii beninas!!!!! No totoriau de hoge, nos vamuz aprender a como ganhar denheiro, em um cascino! Yeeaah! Isso mexmo que você ouviu (leu). E para isso, nós vamox precizar dos seguintes materiais:
• Crianças, de preferência umas que segao inteligentes para a sua idade, ou maiz inteligente que você;
• Cascino.

A parte maiz difícil é ezecutar u trabalho... Porquê você vai precizar dê, ser hagil e abilidozo para jogar os jogos du cascino.

(ERROS DESPROPORCIONALMENTE PROPÓSITAIS, POR FAVOR, PASSE UM CREME CONTRA ESSE TIPO DE COISA PORQUÊ É ALTAMENTE INFLAMÁVEL E PERIGOSO. SE APRESENTAR SINTOMAS DE "VONTADE EXCESSIVA DE FALAR ERRADO, NÃO QUERER CONSULTAR UM DICIONÁRIO OU COMEÇAR FALAR PORTUMERDA FLUENTEMENTE" PROCURE AJUDA MÉDICA DE UM DICIONÁRIO. LEIA A BULA! LEIA A BULA! ENTENDEU? LEIA A PORRA DA BULA!)

Obigadaaaaah meuz amollessss!


;-;

Capítulo 36 - Tutorial de como ficar rico feat. Crianças em um cassino.




— Olha pelo lado bom, pelo menos vamos tirar uma folguinha! — Tento animar Castiel que estava de cara fechada só porque conseguiu as passagens. O mesmo apenas finge que eu nem estava alí. — Olha, se for pra ficar de bico com má vontade o passeio inteiro é só dar meia volta com esse carro. — Assim como ele, comecei a ficar de cara fechada o olhando.


— Não mesmo! Fui eu quem comprei as passagens, nós vamos sim, eu gostando ou não. — Ele responde quando paramos num sinal vermelho. Eu puxei seu rosto até o meu e ficamos nos encarando. 


— Eu estou tentando me divertir depois de uma bola de merda que me atingiu, se não quiser se esforçar para eu parecer uma criança quando vai a um parquinho, nem precisa ir. — Disse séria.


O ruivo pregava suas pupilas as minhas e não dizia nada. Quando o sinal abriu ele apenas continuou o caminho e eu basicamente não entendi nada. 

(...)


— Esta é a suíte de vocês, se precisarem de algo é só ir ao painel ao lado da porta e pedirem oque quiserem. O serviço de quarto atende ao horário que vocês desejarem. Sejam bem vindos e tenham uma ótima estadia! — O mordomo diz saindo do quarto. 


Meus olhos vagaram pelo quarto o observando. Era bonito.


— E então, está satisfeita? — O tomate fala após se esponjar na cama do quarto. Na única cama do quarto... 


— Você é muito safado! Porquê um quarto só com uma cama? Já não basta você achar que pode dormir na minha cama. — Reclamei dando passos até a cama.


— E você é muito ingrata. — Eu me joguei na cama e ela era bem macia. Apenas me virei para Castiel rindo e ele ficou confuso. — Que foi? 


— Eu gostei do lugar que você escolheu, tomate. — Respondi ainda rindo. Castiel arfou um sorriso malicioso.


— Maluca. 


( Quebra de tempo )


Castiel me esperava na piscina, eu fiquei no quarto para botar algum biquíni. Como hoje é o primeiro dia em alto mar, eles (comandante e responsáveis pelo navio) organizaram uma festa para os hospedados no navio.

Quando terminei de amarrar as alças, apenas me enrolei numa canga de praia e sai do quarto. Comecei a andar pelos corredores do local até chegar na parte de baixo onde o navio era aberto. Tinha muita gente alí, todos bebiam e se divertiam. Também tinham crianças, bastante criança até, elas tacavam água uma nas outras numa piscina infatil. Já a dos adultos, tinha sua parte mais rasa, mas era funda por si só. Naquele espaço ainda havia algumas jacuzzis.

Castiel estáva em uma das jacuzzis com várias garotas alí em volta do mesmo conversando com ele. Eu apressei um pouco meus passos até ele e parei quando já estáva a sua frente, o olhando de braços cruzados e arqueando minhas sobrancelhas, foi aí que ele notou minha presença.


— Mey?! Entra aí. — Ele me chama.


— Acho que não tem mais espaço. — Respondi me referindo as garotas que estávam dentro da jacuzzi com ele. E estáva tão cheio, que as outras meninas que sobraram ficaram deitadas em voltar da mesma babando pelo ruivo.


— Ah! Hihi... — Ela percebe que eu estáva falando das garotas e solta um sorrisinho envergonhado e ao mesmo tempo maroto. — Hey meninas, acho que vocês vão ter que ir agora. A minha garota chegou. — Ele despensa todas alí a sua volta que sairam com um cara bem tristonha, deu até dó, só que não. Só que não mesmo!


— Temos que ir mesmo Cassy? Eu estáva me divertindo tanto com você... — Uma das meninas que estava deitada no chão ao lado da jacuzzi diz sem querer sair como as outras fizeram, por mais que elas também não queressem. 


— Infelizmente sim, Aposto que ela não vai gostar nada nada de você aqui... — Ele responde a menina apontando para mim. Ela olhou-me do pé a cabeça praticamente me avaliando e eu revidei o olhar brava.


A menina, platinada, ficou me encarando com desdém como se eu atrapalhasse algo. Quer dizer, não que eu não ache que acabei de atrapar o momento em que Castiel iria sair daqui com todas aquelas garotas e transar com as mesmas...

Ela se levantou e saiu, quando passou por mim me deu língua feito uma criança e eu apenas ignorei.

Depois que ela foi em bora, eu fiquei de braços cruzados fitando Castiel que retornava o olhar na maior cara de pau.


— Que é? — Ele pergunta. Arqueei minhas sobrancelhas e continuei em meu posto sério.


— Idiota. — Resmunguei baixinho e tirei a canga de praia ficando apenas de biquíni, o tomate olhava sem dizer uma palavra. Foi aí que encostei a pontinha do meu pé na água para checar a temperatura e entrei logo depois. 


— Você deveria usar biquíni como sua roupa do dia a dia... — O ruivo comenta.


— Cala a boca, haha. — Respondi tacando água nele. Nós rimos daquilo, não sei o porquê, mas realmente foi engraçado a cara do tomate depois de eu ter tacado água nele. "Ui o Castiel é de açúcar... Dââââh..." Eu pensava isso me igualando a um bebê. — Ei, Castiel, as garotas não te acharam um babaca não? Aposto que a maioria só estáva fingindo estar triste quando foram em bora. — Brinquei.


— Não, acho que elas fizeram aquilo depois de se assustarem com a sua cara de psicopata. — Ele rebate e nós caimos na gargalhada.


Um dos inúmeros mordomos se aproximou e deixou duas taças cheias ao nosso lado. Nós apenas as pegamos e bebemos e, bom, este foi o ponto crucial para ambos começarmos a achar que poderiamos ficar loucos...

(...)

Primeiro nós invadimos a piscina e começamos a tacar água em todos, sorte que ninguém achou ruim e entrou na brincadeira. Não contentes só com uma taça, tomamos várias outras de uma vez em um concurso para ver quem conseguia beber dez taças de uma vez. O pior é que nem sabíamos oque estáva descendo guela a baixo por nosso corpo... 

Teve um momento em que Castiel começou a conversar com umas duas garotas bobinhas e eu fui para a piscina infantil brincar com as crianças. Oque foi divertido, pois elas todas quiseram ficar brincando de tubarão comigo. 

Logo depois, eu quis ir no cassino com os pequenos seres e eles toparam, e aí vem o seguinte tutorial: como ficar rico com a ajuda de crianças. E sim, nós jogamos no cassino, por mais que eu achasse que era proibido a entrada de crianças nestes locais. Haha.

No final de toda essa brincadeira, já estáva de noite e se não fosse por Castiel ter ido me buscar para avisar que estáva tarde, eu e todo aquele bando de gentinha infatil teria ficado a noite inteira também apenas enriquecendo cada vez mais. E sim, a gente ficou rico de verdade, eu dei os primeiros lances, até porquê, eu era a única adulta e a única que tinha dinheiro, e no final nós faturamos uma boa grana com aqueles jogos todos.

Claro, eu dividi todo o dinheiro com eles, afinal todos me ajudaram e foi divertido, e são crianças bem espertas por sinal. Mas no final de tudo, eu ainda faturei uma quatia maravilhosa.


— Hahahahaha! Fui muito legal quando o Micah deu o lance no jogo de beisebol e acabou caindo. Hahahaha. — Eu comentava as coisas que aconteceram durante esse tempo que passei com as crianças no caminho inteiro até o quarto.


— Vamos parar de falar da sua maravilhosa diversão com aquelas crianças? Os pais deles já deviam estar muito preocupados por eles não estarem em seus quartos. — Castiel diz.


— Eu acho que os pais deles ficaram na verdade muito felizes por poderem ter um tempo para sí mesmos sem os filhos para pertuba-los, além de que estávam todos supervisionados por um adulto. Olha coisa ótima e... Adulta...? — Respondi.


— Supervisionados por um adulto? Mey, vocês estávam em um cassino! Até onde eu saiba, não pode entrar crianças em cassinos. — Castiel resmunga e eu revirei meus olhos. — E outra, que eu também queria um tempo só para a gente. — O mesmo diz com malicia em seu olhar após fechar a porta do quarto.





Notas Finais


Beijos no rego da meiada, até o prox cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...