História The fury of the seas (interativa) - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Piratas
Visualizações 46
Palavras 3.189
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Aí está o capítulo, lembrando que há perguntas para alguns personagens que podem ser decisivas para o rumo da história!
A aparência do novo personagem estará no próximo capítulo, não coloquei neste porque quero fazer uma capa decente kkk
Boa leitura a todos ❤
PS: Ignorem os erros de digitação pessoal kkkkk

Capítulo 9 - Cap.6 (Um inimigo próximo)


Fanfic / Fanfiction The fury of the seas (interativa) - Capítulo 9 - Cap.6 (Um inimigo próximo)

-Claro que eu vou com você Liz! Eu adoro o porto, é bonito lá!


Alexa falou enquanto abria um largo sorriso em seu rosto e batia algumas breves palminhas. Annelise concordou com a cabeça também sorrindo. As moças conversavam ainda por um curto tempo, até finalmente acabar o turno, ambas nem trocaram de roupa que trajavam, no caso o fardamento, e foram direto em direção onde os navios atracavam. A distância não era longa, em no máximo dez minutos, chegariam lá. E quando chegaram viram o navio de Tarsis, prestes a navegar, e tiveram a brilhante ideia de se juntarem a tripulação, passando-se por guardas em serviço. As soldados jamais haviam entrado em um navio, a curiosidade despertou nelas e as levaram até a grande embarcação.


-Para onde vamos senhor?


Alexa perguntou ao Capitão do navio que já era um senhor que aparentava ter por volta de 45 a 50 anos. O mesmo a olhou levemente desconfiado.


-A senhorita é a guarda, e não sabe para onde iremos?


A voz do capitão foi calma, porém cheia de dúvidas. Alexa imediatamente começou a rir nervosa, mas para sua sorte, Liz chegou ao seu lado.


-Senhor, é que minha companheira tem facilidade em esquecer das coisas…


A loira deu uma desculpa qualquer, que no momento serviu para manter as duas dentro do navio. O homem, levantou uma sobrancelha, ainda parecendo desconfiado, mas resolveu deixar passar e responder a pergunta da jovem ruiva.


-É apenas um navio de ronda. Iremos dar a volta nos contornos do reino, voltaremos pelo anoitecer senhoritas.


Dito isso, ambas concordaram com a cabeça e agradeceram a informação dada pelo capitão, e se afastaram, indo em direção ao convés de onde podiam ter uma bela vista do mar e seu horizonte. Não demorou para a grande construção de madeira, começar a se movimentar deixando o porto aos poucos.


                            *


Em média passou-se uma hora, ainda era dia, umas três horas da tarde, as jovens estavam claramente divertidas com a nova emoção de navegar, porém havia algo mais a frente, que levou as duas a começarem a terem dúvidas se haviam feito uma boa escolha...A frente, estavam dois navios, um deles estava com uma bandeira negra com uma caveira no centro, indicando claramente que se tratavam de piratas. O segundo, tinha o mesmo brasão, porém também levava a bandeira de Tarsis, mostrando que eram corsários a serviço do rei. No entanto, tudo poderia ser normal, se não fosse pelo fato, da embarcação dos corsários estivesse sendo atacada, destruída e com toda a sua tripulação já quase morta.


-Homens! Direção sul, temos inimigos à vista! Inimigos à vista!


Ouviu-se a voz desesperada do capitão, a direção no qual o mesmo ordenou, era a direção dos navios, era óbvio que os soldados teriam de combater os piratas.


-Se nós estávamos procurando confusão, nós realmente encontramos!


Alexa falou puxando seu escudo de suas costas. Annelise que tinha um sorriso no rosto, desfez, dando lugar a uma expressão séria e determinada, que mostrava que estava pronta para o combate. A tripulação de Tarsis, já estava preparada, estavam a menos de 50 metros dos navios, até onde podiam notar, os corsários haviam sido derrotados. De qualquer forma, estavam dispostas a morrer por pelo seu rei e defender seu povo.


-Boa sorte Liz! Nos vemos mais tarde!!


Alexa falou, pegando uma das cordas, e se inclinando, para dar impulso e chegar ao outro navio.

Annelise, fez o mesmo, pulou para o outro navio, vendo a sua frente, os piratas iniciarem uma nova luta, desta vez contra seu povo.


Liz, assim que “pousou” no chão de madeira, deu uma cambalhota para o lado esquerdo desviando de um pedaço de madeira incendiada que voou pelo ar ao ser arremessada por alguém que não pode identificar. A jovem pegou sua adaga com a mão livre e rapidamente a lançou na garganta de um dos piratas que tentou atacar o capitão que estava aos prantos. O homem não era um soldado, era somente quem dirigia o navio mesmo, não estava apto para lutar, e a loira percebeu isso rapidamente.


Alexa que estava mais a frente, defendeu-se de um ataque com a proteção de seu escudo, em seguida acertando o atacante com a borda de metal o fazendo cair no chão com a mão no nariz que agora sangrava. Com sua espada, a ruiva parou outro ataque de outro pirata e o chutou na barriga e com um giro, acertou o indivíduo com um soco no rosto.



                            ***


Leon tinha seu rosto coberto por sangue, não o seu próprio sangue, mas sim de seus inimigos que agora jaziam mortos no chão de madeira. Porém, sua expressão de vitória rapidamente mudou para fúria ao notar que seu navio estava sendo invadido pelos malditos soldados, que chegaram em uma outra embarcação. Mas o capitão não se preocupou muito, 80% dos corsários haviam sido mortos, e eram somente cerca de trinta ou quarenta homens do reino, seus marujos tiveram pouquíssimas baixas, então teriam uma vitória fácil.

Sem perder tempo, o capitão ordenou que seus homens atacassem, e assim fizeram como foram mandados. Pronto novamente para outra luta, algo que Leon adorava, o desossador rapidamente pegou um de seus machados e lançou em meio aos olhos de um dos homens que se aproximavam, rapidamente abaixando-se e escapando de um ataque de outro. Desta vez, Leon puxou a lâmina ligeiramente curvada, chamada sabre e cortou a barriga do homem desprotegido que caiu de joelhos sangrando, apenas esperando sua morte, que veio com uma decapitação feita de seu atacante. Leon soltou sua típica risada estranha, vendo que mesmo estando em desvantagem, os soldados estavam sendo praticamente massacrados pelos seus homens.


O capitão puxou de seu coldre sua pistola atirando na cabeça de um dos soldados, em seguida com a outra arma, disparou em um outro que estava tentando pular para seu navio, porém ao ser atingido caiu no mar. O pirata que até então mantinha um sorriso em seu rosto, ouviu passos apressados atrás de si, e rapidamente pulou para trás ao virar-se e quase ser atingido em seu rosto por uma rapieira empunhada por uma soldado loira.


-Senhorita!


Leon debochou fazendo uma reverência, o que enfureceu Annelise, que por um impulso acabou atacando o pirata que segurou seu braço e a puxou, enquanto seu pé ficou a frente, fazendo a moça tropeçar e cair no chão, deixando sua lâmina fora do seu alcance. O capitão riu novamente, pegando sua machadinha enquanto Annelise estava tentando levantar-se. A moça estava tonta, pois na queda havia batido o seu rosto e cabeça que agora sangrava, podia apenas ver borrões ao seu redor ao invés de pessoas. O fogo era a única coisa que conseguia distinguir, além dos gritos e tiros. Quando finalmente recuperou sua visão, viu o pirata já muito perto de si com o machado em mãos. Para sua sorte, a loira pode ver sua amiga aproximar-se correndo e pular sobre as costas do homem que acabou por largar o machado no chão com o impacto.


-Seu malvado! Minha amiga não!


A ruiva disse enquanto tentava enforcar Leon com seus braços, a fim de desmaiá-lo, porém o pirata era infinitamente mais forte, e puxou um dos braços de Alexa fazendo a jovem se soltar de si e cair de costas no chão a sua frente com um “offfff”.

Agora Leon bufava irado, e antes que pudesse fazer alguma coisa, ouviu uma grande explosão ao seu lado esquerdo. Ao olhar para a direção do barulho, não pode conter o sorriso debochado e vitorioso em seu rosto...o navio de Tarsis havia sido destruído. Agora só sobravam algumas madeiras carbonizadas e alguns corpos mortos no mar que afundavam lentamente nas profundezas azul.


-Vitória marujos!


Leon rugiu enquanto levantava as mãos para o alto em forma de punho, enquanto ouvia seus homens gritarem em alegria. O capitão então virou-se para os soldados que ainda permaneciam vivos mas agora rendidos, e com o sorriso de lado e um olhar sádico, falou:


-Prendam os prisioneiros no porão...Vamos desossar alguém hoje!


E como resposta, o capitão recebeu assobios e gritos seguidos de aplausos e palavrões. Rapidamente os mais ou menos, sete soldados sobreviventes, incluídos Annelise e Alexa, tiveram suas mãos amarradas por cordas, e levados até o úmido e fedorento porão do navio.


-Homens, vamos voltar onde estávamos atracados e buscar Louise.


(Pergunta ao personagem no final do capítulo!)


                             ***


Louise estava sentada em uma rocha, enquanto afiava a lâmina de seu florete, pacientemente esperando a volta do navio que estranhamente não estava lá. Era provável que o capitão teria algum bom motivo para ter saído, e a marujo sabia que por mais que o código permitisse deixar um membro da tripulação para trás, Leon mesmo que fosse muito instável, não faria isso. E a moça estava certa, não demorou para que pudesse identificar a bandeira negra do navio, que se aproximava rapidamente. Depois de alguns poucos minutos, atracou na margem.


-Achei que tivesse me abandonado capitão.


Louis brincou enquanto via Leon sorridente.


-Eu não poderia abandonar o cérebro de minha equipe. Só fui resolver uns problemas chamados corsários, e de brinde ganhei um prêmio!


O homem respondeu com o sorriso alargando-se ainda mais. Para quem não estava acostumado, não era o caso de Louis, este sorriso seria extremamente assustador. A loira incerta do que o capitão estava falando, perguntou:


-Do que falas capitão?


-Temos alguns soldadinhos no porão...Eles podem nos informar sobre as atividades pelo reino.


Respondeu Leon. Louis afirmou com a cabeça. Realmente seria mais fácil ter acesso ao tesouro com a as informações dos soldados, até a ajudaria a conseguir traçar algum plano mais seguro para chegar a mina.


-Então capitão, mudando um pouco de assunto, eu consegui descobrir a localização do navio de Elizabeth, porém eu não sei se ela ainda está aqui. É provável que fique pouco tempo se ainda estiver lá.


Louis falou dando uma pausa e depois seguindo com as informações.


-Agora, como temos alguns soldados, temos vantagens sobre ela, sugiro que seguimos com os planos por aqui. Elizabeth não é um problema por enquanto.


Leon balançou a cabeça positivamente. Louis estava certa, a capitã não era uma pedra em seu sapato por enquanto, e também não queria entrar em um outro confronto imediato, os marujos deveriam estar cansados da recente luta.


-Louis eu perdi alguns homens agora, você é minha pessoa de confiança, quero que encontre alguns que estejam dispostos a juntar-se a nós. Iremos dar uma parada hoje, mais para o leste, tem uma taberna por lá, com certeza irá ter algum vagabundo habilidoso que vai ser útil para a tripulação.


Leon falou a loira. Já estava acostumada a recrutar novos membros, ela sempre era encarregada de fazer este trabalho por poder perceber quem poderia se mostrar capaz de embarcar no navio...e acredite, ela sempre fez um bom trabalho sobre isso.


(Pergunta ao personagem no fim do capítulo!)

                            ***


-Pensei melhor Arthur, você está certo. Partiremos hoje para Galla, temos uns tesouros a nossa espera! Mas antes, necessito de um favor seu…


Arthur que estava encostado na parede do navio de braços cruzados, fez um sinal com a cabeça para que a mulher prosseguisse em sua fala.


-Bom, o meu relógio de bolso literalmente foi por água baixo...Você poderia ir até o centro e comprar outro para mim antes de partirmos?


Arthur não conteve de rir de canto balançando a cabeça para os lados. Por um momento havia pensado que pudesse se tratar de algo realmente importante.


-É sério senhor sombra! Odeio ficar sem um relógio, e sei que você é safo o suficiente para conseguir fazer o que lhe pedir sem ser percebido.


Arthur riu nasalmente, começando a caminhar para fora do navio.


-Considere feito.


Foi a simples resposta do homem que rapidamente seguiu para o centro de Tarsis, não era longe, poucos minutos de caminhada.


E realmente, em todo o percurso, o pirata sequer foi percebido pelos diversos soldados que caminhavam por todas ruas em dupla em cada esquina, e eram um grande número deles. Porém o que lhe chamou a atenção foi o fato de dois deles, que estavam com o uniforme diferente, que tinha detalhes brancos, estarem correndo em direção a um homem de meia idade, Arthur o reconheceu do dia da mina, era um dos oficiais. Curioso com a situação, o marujo estreitou seus ouvidos e ouviu a conversa dos soldados.


“Sargento Roman! Tivemos notícias que dois navios, sendo um deles, dos nossos, foram atacados e destruídos por piratas!”


O primeiro soldado disse parecendo bastante atônito.


“Sabemos que o senhor não está de serviço hoje, mas como se trata de um assunto sério, achamos melhor também comunicá-lo”


O segundo disse igualmente agitado.


Arthur percebeu que as características do tal sargento, não eram nada preocupadas com a situação que estava acontecendo, afinal, se tratava de seus subordinados. Mas de qualquer forma, o homem tentou parecer sincero, perguntando:


“Quem estava a bordo do navio?”


“Não sabemos aos certo o nome de todos, mas sabemos que os sargentos Luís, Afonso e Carlos estavam a bordo. O capitão era o senhor Henri, mas também tivemos notícias que dois dos seus soldados também estavam lá, se não me engano seus nomes eram Huldz e Montgomery”.


Arthur ouviu o homem responder e novamente estranhou ao ver uma espécie de alegria no olhar do sargento, que animou-se ao ouvir essas informações. O pirata permanecia escondido atrás de um muro de concreto.


“Irei repassar essas informações ao general, obrigados soldados”


Dito isso, o sargento saiu, e Arthur resolveu seguir adiante, não era algo muito impactante para ele, não lhe dizia respeito, mas iria alertar a capitã de que ainda tinham piratas pelas redondezas, ou seriam os marujos de Leon, ou uma nova tripulação. Mas de acordo com Elizabeth, isso não iria fazer diferença no momento contando que iriam partir hoje.


                             *


-Belo! Excelente escolha Arthur! Agora sim podemos partir.


Elizabeth comentou com o seu novo relógio de bolso que Arthur lhe trouxe, realmente era mais bonito que o outro.


-Partimos para Galla senhores! Levantar velas, rumo ao norte! Chegaremos pela manhã!


Gritou a capitã dando as coordenadas aos homens enquanto se dirigia ao timão de seu navio. Elizabeth estava feliz, chegaria lá sem muito esforço, e ainda conseguiria uma boa fortuna sem muitos gaviões para “ciscar em seu quintal”.


                             *


Passou-se algumas poucas horas, o Sol ia se despedindo timidamente, para a alegria da capitã, já estava na metade do caminho para o reino. Tudo estava correndo perfeitamente durante o percurso, entretanto, uma embarcação com a bandeira negra tremulando no alto da vela fez a mulher suspirar em desgosto. Seriam mais inimigos que teria que lidar... Sinceramente, Elizabeth não estava com vontade de entrar em um conflito, entretanto se fosse necessário teria de fazer.


(Pergunta ao personagem no fim do capítulo)


                           ***


Alexander estava certo em seguir sua nunca falha intuição. Assim que saiu do porto, Alex não demorou a conseguir encontrar o malvado sargento. Havia o seguido por algum tempo e incrivelmente o homem havia ido a um lugar muito mal frequentado, lá era onde se encontravam mercenários da pior espécie. Ficava quase na fronteira de outro reino vizinho, era a prova que o soldado precisava para confirmar suas suspeitas, o problema é provar para os outros que isso era verdade. Roman era um homem prestigiado, inclusive pelo próprio rei, seria difícil abalar a confiança dos demais sobre o maldito sargento.


“Esse é o menor dos meus problemas Derek, preciso me livrar de uma pessoa, porém não posso sujar minhas mãos por agora”


Alexander ouviu o Roman dizer a alguém, que era provável ser um homem pelo nome que havia mencionado, então o tal Derek respondeu:


“Basta me dizer quem é, porém vou cobrar um alto preço como se trata de um oficial”


A voz do homem era bem desleixada e despreocupada.


Alexander que se mantinha quieto ria de canto sabendo perfeitamente que o oficial que Roman queria “livrar-se”, era ele próprio. O soldado estava se divertindo, balançou a cabeça negativamente, pensou que Roman fosse um pouco mais prudente em seus atos dúbios, mas sequer havia notado que estava sendo seguido.


“Não tente me enganar, posso contratar outro por um preço muito mais razoável para cumprir o mesmo trabalho... Também, agora, esqueça as duas garotas que eu citei mais cedo...já devem estar mortas.”


Alexander tomou uma postura um pouco mais séria desta vez, na hora seu pensamento percorreu em Annelise e Alexa, era muito provável que Roman estivesse falando das duas, a confirmação veio com a última frase do sargento.


“As soldados enxeridas embarcaram em um navio que foi atacado por piratas agora pouco”.


Roman riu brevemente em vitória. Alexander por outro lado ficou ainda mais sério, sentindo a raiva começar a crescer em si. Sua vontade era matar o sargento ali e agora, porém era certo que o mesmo não havia levado essas informações aos seus superiores, então Alex ainda tinha uma chance de recuperar os sobreviventes que poderiam estar sob o poder dos piratas.

Sem demoras, o homem começou a correr em direção contrária de volta para o centro do reino.


-Maldito traidor! Eu ainda terei a chance de matá-lo.


O soldado esbravejava baixinho enquanto permanecia correndo a caminho da academia militar, onde poderia informar o comandante sobre o ataque. Era algo realmente inacreditável, haver um traidor tão mau caráter entre eles e sequer os oficiais de alto calão não enxergarem, até ele que era cego conseguia ver isso! Roman era extremamente perigoso e venenoso, Alex teria que achar alguma maneira de acabar com sua farça e rápido, antes que mais inocentes morressem por culpa dele.


                              *


Chegando em seu destino, Korrai não se surpreendeu ao saber que realmente o comandante não havia sido informado. Entretanto o senhor estava um pouco desacreditado que pudesse ter algum sobrevivente, mas iria mandar algum outro navio para verificar…


                           ***


-E então “Velho simpatia”, quando posso fazer o serviço?


O loiro falou rindo enquanto via a expressão furiosa de Roman a sua frente.


-Eu já lhe avisei para não me chamar assim!


A voz do sargento foi ríspida, porém aos ouvidos do mercenário, não passavam de uma piada. Com o jeito totalmente debochado e relaxado de Derek, Roman tinham constantes conflitos com ele por ser deste jeito. O mercenário era alguém irritante, mulherengo e totalmente sem respeito por alguém, seja quem for, entretanto nunca havia cometido falhas nos trabalhos solicitados, era somente por causa disso que Roman ainda aceitava tamanha insolência. O apelido de “Velho simpatia”, havia sido criado por Derek por conta do habitual mau humor do sargento que estava sempre com uma expressão tempestuosa em seu rosto, que para o loiro era algo muito engraçado.


-O mais rápido possível, preciso tirar esse atrevido do meu caminho…. você tem o prazo de 48 horas.


Derek que até então limpava a sua espada sabre com um pano esfarrapado e sujo, o atirou no chão e embaiou sua lâmina. Iria sim cumprir o seu trabalho como sempre, afinal estava sendo muito bem pago, mas antes, ele teria um pouco de diversão em uma taberna com bastante bebida e moças belas onde poderia divertir-se um pouco.

Era algo que o loiro amava, um dos seus “esportes” favoritos era deitar-se com moças, para sua infelicidade, elas cobravam um alto preço, mas valia a pena, hoje a noite seria animada.




Questionário do capítulo:

Leon:

Os soldados tem informações sobre Tarsis que podem ser valiosas, então quem o capitão irá desossar, opa! Digo, quem o capitão irá interrogar, (Brincadeiras a parte!)

Alexa ou Annelise?

1)Alexa

2)Annelise


Louis:

Deseja procurar novos tripulantes na taberna ou nas redondezas?

1)Taberna

2) Redondezas


Elizabeth:

Irá tentar diplomacia entre os piratas desconhecidos e evitar um confronto, ou partir para o ataque?

1) Diplomacia

2) Ataque


Notas Finais


E aí? Gostaram?
O que acham que vai acontecer com Alexa e Liz?
Elizabeth vai tentar diplomacia?
Louis vai caçar novos talentos!
To sentindo uma treta maligna entre Alex e Roman em kkkkk
Temos um novo personagem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...