1. Spirit Fanfics >
  2. THE GAME (G!P) Jenlisa >
  3. Nem sempre é de sangue

História THE GAME (G!P) Jenlisa - Capítulo 22


Escrita por:


Capítulo 22 - Nem sempre é de sangue


Fanfic / Fanfiction THE GAME (G!P) Jenlisa - Capítulo 22 - Nem sempre é de sangue

 

POV´Jennie

Foi ele quem me atacou, FOI ELE QUEM TENTOU ME ESTRUPAR

Sabe aquele momento em que o tempo parece ter congelado e é como se tudo a sua volta desaparecesse? Era isso que estava acontecendo comigo. As memorias daquele terrível dia em que eu me esforcei tanto para esquecer  me acertaram com um força insuportável, eu não estava pronta para contar a verdade, não agora, mas ela simplesmente estava me exigindo soltura, o que estaria preste a acontecer nas nossas vidas poderia nos unir ou nos separar para sempre.

Lalisa: jen? Fala comigo– ela diz tentando parecer calma, mas seu olhar a trai, sem dúvidas ela está controlando a raiva.

Jennie: Eu sinto muito, eu não consigo – digo me desvencilhando se suas mãos e me levantando para caminhar de um lado para o outro. Tae não parecia diferente de lalisa, ambos pareciam duas bombas de ódio prestes a explodir.

Tae: Lali – diz encarando com um olhar frio, eu poderia dizer que o conhecia de algum lugar e saberia perfeitamente destingir pois lalisa possuía o mesmo olhar

Lalisa: Hum

Tae: É pessoal agora

Lalisa: Sim – diz se levantando e vindo em minha direção – seu olhar tinha fúria

Lalisa: Amor, eu sei que não deve ser nada facil para você reviver tudo o que aconteceu, nunca na vida iria te forçar a contar, mas a situação aqui é bastante diferente, todos nós estamos envolvidos, isso parece ser algo maior e perigoso, eu só posso nós proteger se eu souber com que estou lidando, você sabe o quanto informações são valiosas. Esse desgraçado estuprou a Lia, ele estava se aproveitando do Tae e só Deus sabe o que ele planejava para a minha empresa e agora você me diz que foi ele quem tentou te estuprar? Você não tem ideia do ódio que está correndo no meu sangue agora, a verdade seria muito em vinda agora.

Jennie: Eu não vi seu rosto, nunca saberia dizer como ele era, mas essa tatuagem no pescoço, sem dúvidas é ele, eu nunca me esqueceria dessa tatuagem.

Lalisa: Você não sabe nada sobre ele?

Jennie: Meu pai deve saber, ele o conhece, foi ele quem impediu que ele terminasse o que começou

Lalisa: Seu pai?

 Jennie: Sim, ele sempre me buscava nas aulas de balé, eu podia jurar que era ele pois o carro era o mesmo, eu não sei qual o tipo de relações que eu tinha com esse homem, mas eles sem dúvidas são muito próximos.

Lalisa: Sem dúvidas, para ele ferrar comigo e proteger o filho da puta que tentou estuprar a própria filha.

Tae: Lis não surta agora

Lalisa: A meu amor, eu já surtei.

Jennie: Amor?

Tae: Não adiante jen a parte assassina do cérebro dela foi ativado, agora só precisamos nos preparar pra destruição.

Lalisa: Mande para meu celular o vídeo.

Jennie: Amor? O que você vai fazer? Fala comigo – disse agarrando seu braço e a fazendo se virar e me encarar

Lalisa: Desde o dia em que te vi toda machucada eu jurei que iria me vingar de quem fez isso com você, eu sempre te amei, nunca deixei de odiar o que tinha nos acontecido, nem todo o tempo que perdemos, nós poderíamos ter sidos felizes antes mas esses desgraçados nós separaram, arrancaram isso de nós, Deus pode até perdoa-los, mas eu não irei.

Ela selou nossos lábios com todo carinho que ele poderia passar num momento como esse, eu senti seu amor apenas na respiração suave.

Lalisa; Tae, cuida de jennie, não saia de perto dela em nenhum momento, leve-a ao hospital, ficou de voltar para conhecer lia, ligarei para jisoo e avisarei que vocês ficaram todos juntos. Certo, acione aos cães, precisamos deles atentos.

Tae: Precisamos? O que você vai fazer?

Lalisa: Fazer uma visitinha a Saito e Kai

Tae: Nós podemos fazer isso com melhores resultados lali, sem você sujar suas mãos

Lalisa: ESSA É A PORRA DA QUESTÃO, EU QUERO SUJAR MINHAS MÃOS

Tae: Se você insisti, vou cuidar dela. Apenas volte logo e não mate ninguém ok?

Lalisa: Vou tentar, como é o nome dele?

Tae: Ele se apresentou com Jay, mas pode ser apenas invenção

Lalisa: Descobrirei

Ela se voltou para mim e me abraçou.

Jennie: Precisa mesmo ir?

Lalisa: Eu não conseguirei me controlar até colocar toda essa raiva para fora, e precisa ser nas pessoas certas. Você estará segura e eu voltarei logo, apenas fique tranquila e se divirta com eles.

Jennie: Como eu posso me divertir enquanto você estará por ai com essas pessoas perigosas?

Lalisa: Eles estão mais para burros do que perigosos amores. Olha, isso apenas é o começo, várias coisas ainda iram acontecer, mas o no final, apenas nós seremos felizes, isso eu te garanto.

Jennie: Eu confio em você, apenas volte logo para mim.

Lalisa: Pode deixar minha deusa.

Assim lalisa nós deixamos, tae estava me encarando sorridente o que eu achei super estranho.

Tae: E então jen jen ? O que vamos fazer para nós divertir até essa lunática voltar? Você já quer ir para o hospital? Eu conheço um restaurante ótimo em que podemos almoçar, ele é um dos nossos preferidos.

Jennie: Ela vai ficar bem?

Tae: Ela vai ficar mais do que bem jen, se tem uma coisa que lalisa é boa fora os negócios, é fazer merda sem ser descoberta.

Jennie: Isso é algo bom?

Tae: Nessa situação sim.

Jennie: Obrigada, nós conhecemos praticamente agora e já me sinto confortável e segura com você. Lalisa é cercada por pessoas incríveis, além de ter me casado com o amor da minha vida, parece que ganhei o pacote completo de amizades e família. – ele me abraça forte fazendo carinho em meus cabelos e aquilo me pareceu tão familiar, era como se cada pessoas que lalisa me apresentou guardava um pouco do seu amor para compartilhar comigo, fazendo com que eu me sinta segura e em paz. Como poderei retribuir todo esse cuidado e amor?

Tae: Sabe jen, lalisa é a pessoa mais incrível que eu conheço, todos nós temos um passado com ela, todos fomos abraçados e acolhidos por aquele grande coração. Quando eu a conheci, não tinha nada, praticamente nada, minha família nunca apoiou minha opção sexual, eles nunca quiseram um filho gay, eu sou a vergonha deles. Praticamente lutei para sobreviver ao lado deles, até o dia que não aguentei mais o sofrimento e decidi ir embora. Nós não éramos próximos, apenas tínhamos nós encontrado algumas vezes pelos corredores da faculdade, ela sempre foi gentil e sorria para mim, eu via nela algo que nunca tinha visto nos olhos de meus próprios pais, sabe, nós conseguimos reconhecer o amor de longe, e ele sempre banhou aqueles olhos verdes. Eu coloquei toda a minha coragem nas costas e vim atrás dela, sua empresa ainda estava começando e eu me ofereci para trabalhar com ela, eu estava com tanto medo jen, tanto medo de ser humilhado mais um vez, mas não, ela e suas fieis amigas aqueles anjos incorporados em humanos me acolheram da melhor maneira possível, ela me deu praticamente sua empresa em minhas mãos, mesmo não me conhecendo ela confiou em mim, se eu quisesse poderia roubar de diversas maneiras e ela tinha total ciência disso, mas sabe o que ela me disse ?

“Nós estávamos mesmo precisando de um irmãozinho”

Você não tem noção do quanto aquelas palavras puderam me fortalecer, o quanto elas mesmo simples, colocaram um curativo em todas os sentimentos de medo, ódio, e incapacidade que habitava em mim, eu ganhei confiança e era tudo o que eu precisava.

Jennie: Tae isso é

Tae: O que o amor pode fazer – ele me cortou estampando um sorriso verdadeiro em seu rosto

Tae: Eu ainda não encontrei minha alma gêmea, mas o amor verdadeiro eu encontrei e ele veio de Lalisa. Você tem um privilegio enorme de tela ao seu lado, se eu fosse mulher com certeza casaria com ela

Jennie: Nem vem, ela é minha – digo fingindo uma cara de brava

Tae: Ai que fofa –ele aperta minhas bochechas, você parece uma gatinha com essa carinha de brava.

Jennie: Por que todo mundo diz isso?

Tae: Deve ser por que é a verdade (risos)

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...