História The Ghost Diaries (Taeyoonseok) - Capítulo 53


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga)
Tags Bts, Exo, Sobrenatural, Taeyoonseok, Terror
Visualizações 282
Palavras 2.285
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Penúltimo cap, eu tô entrando em desespero jkkkchorando

Se eu demorar para postar o último é porque eu ainda tô me preparando, não vai ser fácil me despedir dessa história e nem de vocês, de certa forma.

Leiam as notas finais, por favorzinho

@SmallSugarBrown esse é especialmente para você ❤

Capítulo 53 - The Ghost Diaries 53


Sehun pov's

É estranho voltar da morte, muito estranho. Você sente que tem algo diferente, é como se estivesse uma sensação esquisita presente o tempo todo.

Por mais que eu tente eu não consigo me lembrar do que aconteceu, acho que faz parte. Talvez quando se morre e volta a vida você esquece seu último momento vivo. Eu fico feliz por ter esquecido, claro que também fico curioso, eu realmente queria saber quem foi. Mas fico feliz de não lembrar, acho que essa lembrança me assombraria para o resto da vida se eu ainda a tivesse.

Eu estava sentado arrumando meu computador que algum cretino fez questão de mexer, eles acham que só porque eu morri meu computador ia virar bagunça, quando Jongin veio todo metido me dar ordens.

— Sehun, quero que vá atrás de recrutas.

— Por que eu? — Disse ainda concentrado na tela de meu computador.

— Por que eu não sei onde diabos tá o Hoseok e o Taehyung, e você é o único que sobrou da equipe.

— É tão estranho ter ele de volta. — Resmunguei.

— É, acho que vai levar um tempo até nos acostumarmos.

— É esquisito, mas estou feliz que ele tenha voltado.

— Sim, e você também voltou. Acho que no fim das contas talvez sejamos inseparáveis.

— Já parou para pensar que todos nós, menos você, já morremos? Tipo, eu fui assassinado, Hoseok morreu e depois Taehyung morreu para dar a vida para ele.

— E eu cheguei muito perto da morte. — Ele disse parecendo estar realmente refletindo sobre aquilo.

— Nossa equipe é a mais estranha.

— E aparentemente a mais indestrutível. — Disse cruzando os braços acima do peito. — Bom, apenas vá logo, até que Minseok ache os verdadeiros caçadores vamos precisar de ajuda, então precisaremos de recrutas.

— Tá. — Falei me levantando e revirei os olhos.

[...]

Estava andando pela rua calmamente seguindo meu caminho, mas de repente ouvi alguns gritos vindo de uma outra direção. Pareciam gritos desesperados, gritos de socorro.

Eu corri atrás do som sem pensar duas vezes, estava preparado para o que quer que fosse, mas quando finalmente cheguei no local de onde os gritos estavam vindo fui surpreendido. Um garoto pálido de cabelos rosas agarrou o agressor pela camisa e começou a bater nele até fazer seu rosto sangrar.

— Ainda vai mexer com alguém de novo? Vai atacar alguma garota outra vez? Vai?! — Continuou desferindo socos no rosto do homem em sua frente. Eu só conseguia ver suas costas.

Corri até a moça que gritava desesperada e a tirei de lá.

— Está tudo bem? — Perguntei calmo tentando passar tranquilidade para ela.

Ela apenas confirmou com a cabeça. Haviam lágrimas em seus olhos.

— Quer que eu te leve para casa ou sei lá? — Ela negou, com certeza ainda estava assustada, acho que não vai confiar em mim. — Consegue ir sozinha então?

— Consigo. — Disse em um sussurro, secou as lágrimas e começou a caminhar para longe de mim enquanto eu voltei para onde os outros dois estavam.

— Ei garoto! Já chega. — Falei para que ele parasse de bater no homem que já estava quase desacordado.

— Ele merece. — Disse e continuou o que estava fazendo.

— Eu sei, mas já chega. Deixa a polícia cuidar disso.

— A polícia? — Falou irônico rindo forçadamente. — Que polícia? Dizimaram o departamento todo, não se lembra? E mesmo que houvesse algum policial por aqui eles não resolveriam nada, pois são apenas ratos nojentos que fingem não notar as merdas que acontecem nessa cidade.

— Sério, já chega. — Disse segurando seu ombro firmamento e o virei de frente para mim o fazendo parar.

— Qual é a sua? Você viu o que ele ia fazer? Ele ia violentar a garota.

— Sim, eu vi, e não acho que esteja errado em defendê-la. É só que, já chega. — Disse o fazendo olhar para o moço desacordado com o corpo jogado no chão e o rosto cheio de sangue.

— Eu só estou tentando fazer justiça.

— Garoto, não estamos em Gotham e você claramente não é o Batman. Acho que tá mais pra superman, já que ele também usa óculos. — Disse o analisando. — Se bem que poderia até ser, você quebrou o nariz dele, talvez até alguns dentes.

— Acho que tô mais pra homem aranha, já que não sou tão forte, fisicamente falando. — Ele disse dando de ombros. — É, talvez eu tenha exagerado um pouquinho. — Disse fazendo uma careta e coçou o pescoço enquanto fitava o homem. — Mas isso não quer dizer que ele não mereceu.

— Vai por gelo nessa mão. — Disse olhando para os nós dos dedos do garoto que estavam avermelhados e cheios de sangue.

— Aah não, tá de boa. — Alisou a própria mão. — Cadê a garota?

— Foi embora. Eu ofereci ajuda, mas ela não aceitou, apenas disse que estava bem e que conseguia ir embora sozinha.

— Nojento. — Disse chutando o corpo do moço.

— Você tem mesmo sede de justiça, eu hein. — Disse olhando para ele e foi quando me veio uma idéia, poderia me causar muitos problemas, mas eu tinha que tentar.

— É…

— Você… você por acaso quer treinar suas habilidades ou sei lá? Poderia se juntar a mim e meus amigos.

— O que? Tá querendo formar os vingadores, senhor Stark?

— Talvez…

— Valeu, mas não tô afim de entrar na sua brincadeirinha idiota.

— Não é uma brincadeira. — Disse ofendido.

— Seja lá o que for, não estou afim de participar, acho que isso é muito mais a cara do meu irmão, aquele nerd. Prefiro só ver os filmes e ler as hq's, não curto muito isso de rpg não.

— Já disse que não é uma brincadeira. — Falei com um tom mais sério dessa vez. — Você sabe brigar e gosta de ajudar as pessoas, deveria se juntar a nós.

— Você é totalmente maluco. — Ele disse rindo feito uma criança. — Bom, não tenho mesmo tempo para isso, então vou indo. — Disse e começou a se afastar.

— Você não me disse seu nome. — Gritei por conta da distância.

— Nem você o seu! — Gritou de volta ainda de costas para mim sem parar de andar.

— Sou Oh Sehun!

— Kim Tahwo! — Disse tão distante que eu mal conseguia o ver, então comecei segui-lo, ele tinha que ser um caçador.

O segui sendo extremamente cauteloso por um curto período de tempo, até ele parar de andar e entrar numa lanchonete. Depois de alguns minutos entrei também para não parecer suspeito.

— Ué, você de novo. — Dei uma de sonso entrando no local e me aproximando do balcão.

— Tá me seguindo? — Perguntou rindo. — Bem que meu sentindo aranha me avisou.

— Você é que tá aparecendo no meu caminho toda hora.

— Vai ver é o destino.

— Não acredito muito em destino, vai ver é a vida tentando te mostrar que você tem que aceitar minha proposta.

— Ainda com essa história? Aah você é chato que nem meu irmão. — Ele disse olhando para um garoto de cabelos cor de caramelo, ele estava sentado numa mesa lendo uma revista em quadrinhos.

— Aquele é seu irmão?

— É, e esse é meu pai. — Disse quando um moço de uniforme se aproximava do balcão.

— Eu achei que você tinha um tio chamado Ben. — Disse e ele riu. — Ou uma tia May.

— O que vão querer? — O moço disse se aproximando.

— Eu nada. — Tahwo disse dando de ombros. — E você, senhor Stark?

— Um café, sem açúcar por favor. — Disse gentilmente.

— Credo. — Me olhou fazendo uma careta engraçada. — Vocês são mesmo iguais.

— Que?

— Ele também só toma café e sem açúcar.

— Ajuda a estimular o cérebro.

— Luhan! Vem cá. — Ele acenou chamando o garoto e ele fingiu não ouvir. — Vem logo! — O garoto finalmente se levantou e veio andando até nós de cara amarrada.

— O que você quer? — Falou mau humorado.

— Esse é o Sehun, ele é chato e nerd que nem você. — Nós apresentou e eu apenas ri da definição que ele me deu. — Ele gosta de me encher o saco e falar de rpg. — Se levantou do banco em que estava sentado. — Virem amigos e me deixem em paz. — Se levantou e foi embora.

— Você gosta de liga da justiça? — Perguntou com a voz baixa, parecia envergonhado.

— Gosto.

— Qual é o seu herói favorito?! — Perguntou empolgado, nem parecia estar com vergonha, e foi aí que notei que o quadrinho que estava em suas mãos era do Aquaman.

— O Batman. E o seu?

— Ah o meu é o Aquaman. — Disse me mostrando a revista. — Gosta de algum vilão?

— Sim, de muitos.

Passamos horas e horas conversando sobre heróis. Eu estava feliz, fazia tempo que não conversava com alguém normal e que não falasse só de missão e coisas sobrenaturais. Eu adoro heróis e nunca tive nenhum amigo para falar sobre, nem mesmo na escola. Luhan era uma pessoa legal e Tahwo também.

Nós acabamos indo para a casa dele para ele me mostrar mais de seus quadrinhos e depois disso aproveitei para tentar falar com o Tahwo outra vez.

— Sabia que vocês iriam se dar bem. — Falou quando me aproximei. — Dois trouxa. — Disse rindo.

— É você estava certo, nós somos bem parecidos.

— Eu sempre tô.

— Eu queria te mostrar uma coisa…

— O que? — Perguntou arqueando uma das sobrancelhas.

— É que eu não posso dizer o que é, você tem que ver.

— Suspeito. — Disse pondo uma mão no queixo e me olhou com os olhos semicerrados.

— É sério. — Disse rindo. — Vamos comigo?

— Vai me levar para conhecer os outros vingadores?

— Quase isso. — Falei rindo.

— Não sei…

— Por favor, prometo que não vou te matar nem nada.

— Não tô muito afim não.

— Se você não vier vou contar pro seu pai que você tá dando uma de justiceiro pela cidade. — Ameacei, era o único jeito de convencer aquele cabeça dura.

Me encarou por alguns segundos em silêncio e depois deu um super berro.

— Pai, vou sair, mais tarde eu volto!

— Ai. — Disse tampando meus próprios ouvidos.

Nem esperamos que seu pai respondesse e fomos indo para fora de casa. Andamos um pouco até chegar em minha casa, ficava um pouco longe da dele, mas nem tanto.

— Aqui é sua casa?! — Ele disse com as sobrancelhas levantadas exageradamente numa expressão de surpresa. Estava tão engraçado, nem parecia que havia socado a cara de um moço até sangrar há apenas algumas horas atrás.

— É. — Disse rindo meio sem jeito e abri a porta.

— Você abriga órfãos, cachorros abandonados ou algo do tipo? Olha o tamanha desse lugar, viado.

— Chamou? — Hoseok disse levantando do sofá.

— Que? Não era só jeito de falar. — Tahwo disse rindo alto.

— Saiu do armário de vez. — Disse batendo em minha própria testa e balancei a cabeça em negação.

— Como assim? Ele é mesmo gay? — Tahwo perguntou surpreso.

— Sou. — Hoseok respondeu.

— E ele tem namorado? — Tahwo perguntou parecendo estar interessado.

— Tem. — Taehyung disse irritado descendo as escadas. — E são dois. — Olhou feio para Tahwo e foi direto para a cozinha.

— Dois?! — Disse chocado e eu comecei a rir.

— Eles não são meus namorados. — Hoseok falou cruzando os braços.

— São o que então?

— Eu não sei. — Disse parecendo estar triste, acho que as coisas não estão nada bem entre eles.

— Enfim, não te trouxe aqui pra paquerar o Hoseok, tem uma coisa que precisa ver. — Abri a porta debaixo da escada relevando o elevador.

— Um elevador? — Disse surpreso e entramos.

— Calma, nem é a melhor parte. — Falei e começamos a descer. — Essa é. — Disse quando a porta se abriu revelando a base do instituto.

— Ai meu Deus do céu! — Disse com as mãos sobre a boca totalmente maravilhado.

— Sehun, onde estão os recrutas? — Jongin apareceu perguntando.

— Só trouxe um, mas garanto que ele vale a pena.

— Tem certeza? — Jongin disse duvidoso analisando o garoto dos pés à cabeça.

— Eu sei que não parece, porque ele usa óculos, é meio magrelo e esse cabelo rosa deixa a desejar, mas ele é mesmo bom. — Falei enquanto Tahwo explorava o lugar.

— Ele está parecendo uma criança numa loja de brinquedos.

— Dá um desconto, Kai.

— Você vai treinar ele. — Avisou e saiu andando, ele vai se surpreender.

— Garoto? Vamos. — Disse o puxando pelo braço e o levei até onde estavam as armas.

— Caraca, que irado!

– Escolhe algo para começar a treinar. A arma que você melhor dominar vai ser sua.

— Sério?! — Perguntou animado.

— Sim. — Respondi rindo. — Escolhe.

— Quero começar pelas facas. — Disse olhando para as armas. — Eu sou fascinado por lâminas, mas não sei usar direito.

— Ah… — Resmunguei preocupado.

— O que? Qual é o problema?

— Eu também não sei usar muito bem, acho que o Tae que vai ter que te ajudar com isso.

— Quem é Tae?

— O moço que você viu lá em cima, o que desceu as escadas.

— O que me olhou parecendo que ia me matar?!

— Ele mesmo...

— Fodeu.

— É… — Disse meio preocupado. — Mas se você não tocar nos garotos dele acho que vai sobreviver.

— Ah qual é? Se ele tentar me bater eu acabo com ele. — Disse brincado e eu deixei uma gargalhada escapar.

— Nem nos seus melhores sonhos.

— Tá me subestimando? — Fingiu estar ofendido.

— Você ainda tem muito o que aprender. — Disse dando tapinhas amigáveis em suas costas e ele apenas me olhou curioso.

Tô sentindo que vai ser complicado treinar esse garoto, mas creio que também vai ser bem divertido.


Notas Finais


Então, eu não posso prometer nada, porque eu realmente não sei se vou conseguir, ainda tô tentando desenvolver a história certinho com todos os detalhes, maaaas eu tô pensando em fazer uma fanfic ligada à essa, nela contaria como o Hoseok e o Taehyung se conheceram e se apaixonaram um pelo outro, mas não posso prometer nada ainda kkk

Aah e eu tô pensando em escrever outra Taeyoonseok aaaaa
Ela seria baseada em Peter Pan, mas tô indecisa se eu faço ela meio terror ou faço toda romantiquinha mesmo
Me ajudem, qual versão vocês gostariam mais?
Sério gente escolhe, eu tô indecisa demais kskakl


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...