1. Spirit Fanfics >
  2. The girl of steel >
  3. A jornada de Zor-El

História The girl of steel - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Antes tarde do que nunca kkkkk era para eu ter postado antes mas quando já estava com o capitulo todo pronto eu fui ler e não gostei ai fui rescrever ele todinho e cá estamos, espero que gostem.

Capítulo 2 - A jornada de Zor-El


Meu nome é Kara Zor-El, refugiada e única sobrevivente do planeta Krypton, mas isso vocês já sabem, depois de vinte e quatro anos viajando pelo espaço eu finalmente cheguei na terra no ano de dois mil e cinco e fui resgatada e acolhida pelos Danvers.

Com eles eu aprendi como funciona a vida na terra, o idioma local, eles me presentearam com uma irmã mais velha, no princípio não nos demos bem, mas quando os meus poderes começaram a aparecer foi ela quem esteve do meu lado.

Me lembro como se fosse hoje quando o primeiro poder apareceu, a super audição: Tinham se passado cinco dias desde que cheguei a terra, eu vivia grudada em Eliza, a considerava um porto seguro; nesse momento eu estava na cozinha da casa com ela, era uma cozinha espaçosa com moveis de madeira no famoso estilo americano.

Eu estava a ajudando a fazer uma torta quando Alex surgiu na porta e surtou e começou a me ofender – eu não acredito que você já está grudada na minha mãe de novo, parece um bichinho de estimação – ela então olha para Eliza e fala – eu tinha pedido um cachorro mãe e não essa aberração.

Eu então começo a chorar e Eliza ralha com ela – Alex peça desculpas agora! – e ela responde – eu não, ela é uma aberração do espaço sideral mesmo – o choro me fez perder o controle e do nada parecia que tinham ligado vinte caixas de som no máximo em cada direção e cada uma falando uma coisa diferente.

Aquilo foi o inferno na terra eu me abaixei e comecei a chorar em posição fetal de baixo da mesa com as mãos no ouvido, elas logo notaram que tinha alguma coisa errada e por incrível que pareça quem veio até mim foi Alex, ela subiu em cima de mim me fazendo a olhar e me fez ler os seus lábios e ela dizia “foque em mim, só em mim” e assim eu fiz até ouvir os batimentos cardíacos dela e assim como veio do nada todos os outros sons se foram.

Eu então a abracei e comecei a chorar e ela foi quem me consolou, daquele dia em diante nos tornamos amigas inseparáveis.

Depois daquilo mais alguns poderes apareceram, por exemplo, quando eu entrei no auge da adolescência nos meus quinze anos a visão de raio x apareceu, lembro até hoje a vergonha que senti; era o último ano de Alex no colégio e eu lembro que estava na aula de educação física quando

Estávamos organizados em fila para realizar o exercício, era subir na corda, eu estava nervosa porque já tinha notado que era um pouco mais forte do que um humano normal, eu olhei em volta e vi todas aquelas pessoas, os atletas estavam jogando basquete, as líderes de torcida estavam ensaiando e uma delas em especifico chamava a minha atenção

Seu nome era Elizabeth Tyler, ela era a capitã das líderes e ao mesmo tempo a única delas que era simpática comigo, ela estavam lá se alongando, quando chegou a minha vez de subir na corda elas pararam e foram para o vestiário.

Eu então suspirei e subi na corda, tentei fingir que estava difícil, porém quando cheguei ao topo senti uma pontada nos olhos os fechando e quando abri de novo percebi que estava vendo por de trás das paredes e dali eu conseguia ver o vestiário feminino, eu vi Elizabeth nua e aquilo foi o suficiente para me fazer perder a concentração e eu cai com tudo no chão.

Todos se aproximaram preocupados e eu notei que todos estavam pelados para mim, eu então me levantei e sai correndo e só parei quando já estava no bosque atrás da escola e por lá eu fiquei por muito tempo, quando já era noite Alex apareceu.

Ela se sentou ao meu lado e perguntou – me contaram o que aconteceu, estava te procurando, o que realmente houve? – E eu respondi – eu estava na aula quando do nada senti uma dor nos olhos e comecei a ver pelas paredes, eu consegui ver a Elizabeth nua no vestiário e vi todo mundo pelado.

Ela me olha e pergunta – é por isso que você ainda não me olhou, está com medo de me ver nua? – E eu faço que sim, ela então segura na minha mão e fala – Kara, olhe para mim! – Eu resisto, mas quando ela aperta a minha mão de novo eu o faço e no princípio ela estava nua e eu logo fecho os olhos, ela então fala.

Kara, respire fundo -  e eu faço, ela me manda continuar e depois de um tempo ela fala – agora abra os olhos – e eu faço e diante dos meus olhos eu vejo uma Alex nua, mas aos poucos as roupas vão reaparecendo, eu então respiro aliviada quando tudo volta ao normal e então eu a abraço e falo – obrigado, muito obrigado por ser minha amiga – e ela responde – eu sou sua irmã, eu vou estar aqui por você para sempre.

...

Quando chegamos em casa contamos o que houve e Jeremiah foi até o porão e depois voltou com um óculos, ele me entrega e fala – eu estava olhando os arquivos da sua nave e lá tem uma descrição das suas habilidades e sobre essa em especifico era dito que você não é capaz de enxergar através do chumbo, por isso fiz esses óculos para você, vai limitar essa sua habilidade...

Eu então coloco os óculos e percebo que estava diferente, mas não sabia dizer bem o que era.

Após isso o meu ensino médio correu normalmente, quando ele acabou eu procurei Jeremiah e me pedi para me levar até onde ele tinha guardado a minha nave, ele me levou ao porão, era bem espaçoso e tinha uma escada com uma portinha que levava para o quintal, eu então retirei o cristal de dados, que é tipo o coração da nave.

Eu então arrumei minhas coisas e reuni os Danvers e falei – preciso partir – vi que Jeremiah e Eliza já esperavam por isso, mas Alex se revoltou e perguntou – partir? Para onde? – E eu respondo – preciso retomar a minha missão, devo procurar Kal-El e me preparar para cumprir com os meus deveres para com esse mundo.

NÃO! – Ela grita e depois fala – você não pode ir – eu então a abraço e digo – Alex, eu te amo, foi um prazer ter você como minha irmã mas preciso ir, mas eu vou voltar, eu prometo – e ela fala – você é a minha irmãzinha, só tem 17 anos, não pode ficar sozinha, me deixe ir com você, por favor.

E eu respondo – não Alex, você tem que ficar, mas prometo que quando eu voltar você vai ser a primeira a saber – ela suspira e faz que sim, nós então jantamos e depois eu e Alex passamos a noite conversando no telhado da casa, quando amanheceu eu peguei as minhas coisas e ela me acompanhou até a porta e eu falei – diga a Jeremiah e Eliza que não é nada pessoal, eu só não sou boa com despedidas.

Ela faz que sim, nós nos abraçamos, eu então tiro os óculos os colocando na caixa e depois na bolsa, dou as costas e vou embora, olho para trás quando chego na esquina e vejo que ela ainda está lá, eu aceno e ela também e assim eu me vou.

...

Já faziam quase um ano que eu tinha começado a minha jornada, sempre me guiando pelo cristal, sempre para o norte, fui carona, penetra, pedinte e clandestina até que finalmente cheguei ao polo norte, um belo dia o cristal parou de ressoar, eu usei minha audição e visão e comprovei, estava oficialmente no meio do nada.

Eu então senti o cristal arder na minha mão, dei uma boa última olhada e o sacudi longe, de repente o chão começou a tremer e diversos pilares de cristais parecidos com o que joguei longe surgiram do chão se cruzando até que formaram algo gigante e complexo.

Eu então entro naquilo e bem no centro me deparo com um painel de controle, a arquitetura baseada em cristais em um branco neve, aquilo me lembrava Krypton, forcei um pouco a minha mente para lembrar como ativava até que consegui.

E então surgiu um holograma do tio Jor-El, ele me olhou de cima abaixo e disse – Kara, eu presumo – fiz que sim e ele continuou – você deve ter muitas perguntas – e mais uma vez eu fiz que sim e ele fez um gesto para que eu as fizesse.

Então eu comecei – como o senhor? – e ele respondeu – instantes antes de mandarmos vocês a terra eu e seus pais baixamos nossas consciências nesse sistema, como fui o arquiteto do projeto a minha ficou como a principal, alguma dúvida? – E eu fiz que não

Ele então continuou – onde está Kal-El? – Eu então fiz força e verbalizei – não sei, após saímos do planeta eu vi a nave dele ser engolida por um buraco de minhoca e não tive mais notícias do paradeiro de Kal – ele fica em silencio por um tempo até que responde – irei procura-lo, enquanto isso presumo que devemos começar a sua educação e preparo para a sua missão.

Fiz que sim e ele respondeu – vou dar lugar a sua mãe, ela irá lhe treinar – meu coração então se aperta e a imagem de tio Jor-El se esvai e minha mãe aparece, ela era tão bela quanto eu me lembrava, começo a chorar e ela fala – não chore minha menina, lhe disse que sempre estaríamos juntas.

Ela se aproxima e fala – teremos muito tempo para matar a saudades, mas agora precisamos começar o seu treinamento, devo lhe explicar como ele acontecera, está preparada? – Eu faço que sim e ela começa – irei lhe levar para uma dimensão separada, algo parecido com a zona fantasma, lá você será treinada em como funciona os seus poderes, suas fraquezas, os seus deveres e quem você precisa ser, para você o tempo passara de uma forma diferente dos outros, enquanto para você será coisa de quatro anos para o mundo exterior terá se passado sete anos.

Eu reflito sobre tudo e então falo – podemos começar – ela faz que sim e uma fenda se abre e eu passo por ela e me despeço da garota que fui um dia.


Notas Finais


É isto, espero que tenham gostado, lembrando que comentarios são sempre apreciados então espero ver vocês ai em baixo e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...