1. Spirit Fanfics >
  2. The head and the heart - Bellarke >
  3. Ele surtou

História The head and the heart - Bellarke - Capítulo 12


Escrita por:


Capítulo 12 - Ele surtou


BELLAMY

As coisas entre mim e a Clarke mudaram muito nos últimos dias e a noite passada no bunker foi a prova disso, há pouco tempo nós não suportávamos nem olhar na cara um do outro, quem dirá dormir juntos a noite toda. Quando nos beijamos eu tive a confirmação de que o que há entre nós dois não é apenas amizade. Sinto algo a mais por ela, algo diferente. Assim que chegamos no acampamento, nós reunimos os delinquentes que fizeram um círculo ao redor de nós dois. Explicamos tudo sobre como iria ser a utilização das armas, quem iria usar e quando usar. Ao final, falamos sobre o bunker que o Jaha nos indicou e explicamos que não havia como vivermos lá, pois era um lugar praticamente inabitável. Depois, os delinquentes se dispersaram e antes que Clarke se afastasse eu a chamei.

— Clarke. — Ela se vira. — Sobre o outro bunker? — pergunto baixo e ela se aproxima.

— Não, deixa entre nós, não há nada que possa nos interessar lá e que vá servir pra todos. — diz e eu sorrio. — Para de sorrir, eu sei o que está passando na sua cabeça...e a resposta é não.

— Tá vai me dizer que não passou pela sua cabeça de nos encontrarmos lá sempre que quisermos. — Digo mesmo arriscando levar um tapa.

— Você...me irrita sabe. — Assinto sorrindo e ela acaba sorrindo também. — Para de me olhar ass...

— E aí irmaozão. — Octavia nos interrompe e chega sorrindo. — Sentiu saudades de mim? — pergunta convencida e me beija o rosto.

— Não muito. — Respondo, ela me dá uma cotovelada de leve e eu solto um riso, Clarke ri também.

— Fala aí Clarke, como foi passar o dia todo e a noite toda ao lado do meu maninho, como aguentou? — reviro os olhos.

— Ele é suportável Octavia. — Clarke me olha e eu semicerro os olhos pra ela, que segura o riso e Octavia começa a olhar para nós dois.

— Vocês estão estranhos. — Ela olha pra mim, depois pra Clarke. — Muito estranhos.

— Bom, eu vou deixar os Blakes se entendendo e vou cuidar de algumas coisas. — Clarke sai.

— Eu também tenho umas coisas pra fazer. — digo antes que Octavia viesse me encher com suas perguntas. Saio de perto dela e vou até onde um grupo separava raízes e sementes.

CLARKE

Entro no módulo e encontro Raven separando a munição. Me aproximo e pergunto se ela quer a minha ajuda. Ela balança a cabeça em negação, mas não diz nada, o que é muito estranho, pois ela era bastante falante.

— Tá tudo bem Raven? — questiono tocando em seu ombro.

Ela para o que estava fazendo e apoia as mãos na bancada improvisada que organizou para trabalhar. — Nada está bem. — ela fecha os olhos e eu junto as sobrancelhas. Noto lágrimas em seu rosto.

— Raven. — Falo e a viro pra mim, ela me abraça forte e eu toco levemente em seus cabelos. — Me conta, aconteceu alguma coisa? — Pergunto a segurando em seus braços. — Quer conversar? — ela assente e eu puxo dois banquinhos para nos sentarmos uma de frente pra outra.

— O Finn. — Ela diz ainda chorando e eu desvio o olhar do seu. — Clarke eu sinto que ele não é mais o mesmo.

— Porquê acha isso?

— Ele não gosta mais de mim, não do jeito que gostava antes. — fala com os olhos vermelhos já de tanto chorar. Vê-la sofrendo assim por causa dele, parte o meu coração, Raven é incrível, não merece sofrer assim.

— Isso pode ser só uma fase Raven, nós todos estamos passando por mudanças. — falo tentando acalmá-la.

— Não Clarke, não é isso...o Finn está gostando de outra e eu sei que você sabe do que eu estou falando. — Abaixo a cabeça olhando para o chão. — Eu vi o jeito que ele olha pra você, eu não sou idiota.

— Raven...

— Não precisa explicar, eu conversei com a Octavia, ela me disse que quando vocês chegaram em solo, o Finn nunca mencionou que tinha uma namorada.

— Raven, eu não sei o que te dizer...mas eu nunca correspondi ao Finn, isso eu lhe garanto. — falo segurando a sua mão.

— Eu sei. — ela enxuga as lágrimas. — me desculpa o desabafo.

— Não precisa pedir desculpas, saiba que tem uma amiga aqui. — ela sorri e aperta minha mão. — Mas Raven, eu vejo que ele está te fazendo sofrer, você não acha que seria bom vocês conversarem?

— Eu já tentei, mas ele muda de assunto. — ela abaixa a cabeça e continua. — acho que vou terminar com ele. — suspiro e toco em seu rosto. — estou me sentindo frustrada, eu desci em parte foi mais por causa dele e agora... — ela levanta do banquinho e eu faço o mesmo, ficamos uma de frente pra outra.

— Não Raven, não pense assim, se não fosse por você 300 pessoas teriam sido sacrificadas na Arca. Em parte, como você disse, pode até ter descido por ele, mas não é por ele que você vai ficar...você é inteligente, a pessoa mais inteligente que eu já conheci. Nós precisamos de você. — Raven se aproxima de mim e me abraça.

— Obrigada Clarke, por essas palavras. — diz me abraçando forte.

— Atrapalho? — ouço a voz do Finn entrando no módulo. Raven me solta e olha para o Finn.

— Bom, vou deixar vocês a sós para conversarem. — Finn me olha confuso e eu saio do módulo deixando os dois lá. No caminho pra fora, encontro Jasper. — Jasper, melhor não entrar agora no módulo, está tendo uma conversa particular lá dentro, melhor ninguém atrapalhar. — ele assente e então eu pergunto. — Você viu a Octavia?

— Vi sim, ela tá nos fundos do acampamento. — diz despreocupadamente enquanto caminhávamos lado a lado.

— Fazendo o que lá? — pergunto curiosa.

— Caçando borboletas, o que mais poderia ser? — nós dois rimos.

— Preciso falar com ela. — Ele assente e eu caminho em direção a parte dos fundos do acampamento. Quando chego lá um sorriso logo escapa de mim, Octavia estava sentada em cima de uma pedra, com várias borboletas azuis em seu braço. Ela me vê e sorri, eu me aproximo devagar para não espantá-las, sento ao lado de Octavia que sacode lentamente o braço, fazendo-as voar. Ficamos alguns segundos observando-as, eram lindas e Octavia observava encantada. — Octavia, eu queria falar com você.

— Pode falar. — diz tranquilamente.

— Eu falei com a Raven, sobre aquilo.

— Sim e aí?

— Ela vai terminar com o Finn, Octavia me diz uma coisa. — A encaro e ela olha pra mim também. — Você e o Finn, chegaram a ficar? Lembro que você ficou bem interessada nele no início.

— Sim eu fiquei interessada nele, mas eu percebi que ele estava afim de você, acabei deixando quieto. E depois quando a Raven chegou, ficamos sabendo que o safado tinha namorada. — Fala e eu assinto.

— A Raven me contou que você falou tudo pra ela.

— Sim eu contei, Clarke, não tenho papas na língua, ela veio toda chorosa me perguntar e eu mandei a real... acho que foi melhor ela saber logo.

— Eu também acho, a Raven não merece passar por isso. — falo olhando para o horizonte e claro, só haviam árvores a nossa frente.

— Mas e você? — ela bate em meu braço. — Eu sei que tá rolando alguma coisa entre você e o Bell.

— Octavia, de onde tirou isso? — questiono sem olhá-la.

— Eu não sou cega minha filha, eu vejo as coisas...vocês dois não estão mais brigando como antes e eu acho que a noite de ontem foi boa, porque meu irmão tá de bom humor, o que é uma raridade.

— Nada a ver Octavia, não viaja. Nós só somos amigos mesmo. — nem eu tinha tanta certeza assim, claro que eu estava sentindo algo diferente por ele, ainda mais depois do momento de ontem a noite, isso ficou ainda mais evidente.

— Sabe, é uma pena mesmo, porque eu acho que meu irmão está gostando de você.

— Ele disse isso? — pergunto olhando pra frente e pela minha visão periférica percebo que ela sorria pra mim.

— Não precisa, como eu já disse, não sou cega e eu percebo o jeito que ele olha pra você. — engulo seco e não falo nada. — Aliás, me passa um pouco desse mel. — olho pra ela confusa. — Você arrasa corações, Wells, Finn e agora meu irmão...

— Octavia! — a repreendo e ela cai na risada. — Quer saber, eu vou procurar algo pra fazer, fique aí com as suas borboletas. — Levanto da pedra e saio rindo, ela fica rindo também. No decorrer do dia, minha mãe tentou falar algumas vezes comigo pelo rádio, mas eu acabei não falando, ainda não estava pronta pra conversar com ela. Raven parecia estar bem após o término com Finn, segundo ela a conversa foi tranquila e ele deu a entender que também queria terminar com ela. No fim da tarde, eu Raven, Octavia, Harper e mais algumas meninas do acampamento, fomos tomar banho de rio. Por sorte, havia um riacho próximo ao acampamento, sendo assim não precisávamos ir tão longe pra pegar água para o nosso consumo.

[...]

Já a noite, passo um tempo sentada ao redor da fogueira conversando com Monty, Harper, Murphy, Jasper, Octavia, Wells, Raven e Bellamy. Nós rimos muito quando Jasper estava por perto. Raven parecia amimada, acho que ela estava até se sentindo mais leve. Algumas vezes meus olhos se encontravam com os de Bellamy e lembranças da noite anterior vinham em minha mente. Eu tentava disfarçar, desviando dos olhos dele, mas era quase inevitável, porque dois segundos depois, lá estava eu olhando pra ele novamente. Sinceramente preciso entender o que tá acontecendo comigo e o que eu sinto por ele de verdade. Após um bom tempo conversando e rindo muito, cada um foi pra sua tenda e eu fui em direção a minha. Bellamy e Murphy, foram os únicos que permaneceram ao redor da fogueira. Entro em minha tenda e logo tenho um susto.

— Finn? O que faz aqui? — pergunto e ele sorri.

— Estava te esperando. — ele se aproxima e eu não gosto nada do tom dele. Recuo pra trás e ele para. — agora eu tô livre Clarke, nada impede de ficarmos juntos.

— Você ficou louco? Finn, eu já disse que não quero nada com você e eu te disse isso antes mesmo de saber que tinha uma namorada. — falo e ele sorri ainda mais.

— Eu sei que conversou com ela hoje, foi você que incentivou ela a terminar comigo não foi?

— Lógico que não, a Raven é capaz de tomar decisões sozinha. — falo já meio irritada.

— Mas fala a verdade, você gostou de saber que agora vou estar disponível pra você. — olho pra ele incrédula.

—Ah mas você se acha né. Eu não quero nada com você Finn e sai já dá minha tenda.

— Antes me dá um beijo. — ele se aproxima e eu o empurro, fazendo com que ele se afaste. Finn se aproxima de novo e me puxa com força pelo braço.

— Me solta seu imundo!— falo em tom mais alto e cuspo na cara dele. Depois ergo meu joelho e acerto bem no meio das suas pernas, fazendo com que ele se abaixe com a dor. Saio correndo e um tanto assustada, nunca havia passado por uma situação assim. Corro pra fora da minha tenda e olho pra trás, verificando se ele estava vindo atrás de mim. Quando me viro dou de cara com Bellamy e acabo esbarrando nele que segura em meus braços.

— Clarke, porque tá correndo? Aconteceu alguma coisa? — eu aperto seu antebraço e o encaro ofegante, com o coração acelerado. Ele me olha tentando entender e eu não consigo falar, depois olho pra trás e volto a encará-lo.— Clarke? O que aconteceu?

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...