História The heart on the coffee - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Cute, Minimoni, Minjoon, Romance, Vmin, Yoonkook
Visualizações 98
Palavras 1.048
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey hey~
Postando tarde, mas postando, certo?
Espero que gostem embora eu não tenha conseguido desenvolver esse capítulo da forma que eu queria.
De qualquer forma, esse capítulo é mais, como posso dizer, uma preparação para o que vem pela frente :)
Então, boa leitura!

Capítulo 17 - Esse alguém sou eu


Fanfic / Fanfiction The heart on the coffee - Capítulo 17 - Esse alguém sou eu

Jungkook P.O.V

Eu tentava me acalmar a todo custo, dizia para mim mesmo que tudo aquilo não passava de um pesadelo.

Me lembrava somente de estar bagunçando o porta-luvas do carro de Yoongi enquanto procurava a câmera do mesmo para tirar uma foto.

Enquanto remexia todos os objetos ali presentes, encontrei minha cueca que havia sumido umas semanas atrás, fiquei surpreso de encontrá-la no local.

E tudo corria bem, até um homem aparecer, ou melhor, um bosta de um assaltante aparecer para estragar a minha noite.

Min simplesmente acelerou quando ouviu o bosta falando e após isso eu só me lembro da escuridão, a mesma na qual eu me encontro até agora.

Eu não conseguia me movimentar, não conseguia nem sequer abrir meus olhos, meu corpo não me obedecia mais e isso estava me deixando desesperado.

Mas o que me deixava com mais medo ainda, se é que isso era possível, era o fato não saber do estado do meu namorado, do amor da minha vida! Só de pensar que eu podia tê-lo perdido eu me desesperava ainda mais.

Notei que por mais que eu me esforçasse, por mais que desse o meu melhor, não conseguiria me movimentar assim tão cedo, então optei por pensar somente no mundo lá de fora, nas pessoas e nos momentos especiais pelos quais  já passei, afinal, não era como se eu tivesse muita escolha.

Conseguia me lembrar do cheiro do café quentinho que saia da máquina logo cedo, do cheiro dos doces e salgados que saíam do forno para entrarem na cúpula de vidro que exibia para os clientes diversas gostosuras, estas que sussurravam silenciosamente para que eles entrassem.

Me lembrava da maciez dos lábios de meu namorado, algo que sempre me fez ter ainda mais vontade de beijá-lo eternamente.

Lembrava-me também do quão macio seus fios castanhos eram, e de como amava fazer carinho nos mesmos quando Min deitava-se no meu colo por estar exausto graças ao grande esforço que fazia na cafeteria, ou somente por estar sentindo vontade de conversar comigo enquanto brincava com um ursinho anti-stress que eu tinha lhe dado.

Tudo em Min Yoongi era perfeito diante de meus olhos, e por esse motivo eu não conseguia me imaginar sem ele.

Não podia me esquecer de Namjoon, havia o conhecido a tão pouco tempo, mas mesmo assim o homem garoto desastrado, como gostava de chamá-lo, tinha se tornado um de meus melhores amigos, não que eu tivesse muitos, mas de qualquer forma.

O jeito desastrado e envergonhado dele chegava a ser adorável, o que sempre me estimulava a apertar suas bochechas, dizendo que ele não precisava se sentir tão mal por ter derrubado café em algum cliente ou algo do tipo.

Então lembrei de Jimin, o meu melhor amigo da época de escola por quem sempre tive uma queda, devo admitir, e até tivemos alguns casos, mas como sempre estive rodeado de muitos admiradores e admiradoras, nunca consegui ter nada muito sério com ninguém, pois acreditem, crianças e adolescentes são muito cruéis quando querem acabar com alguma coisa.

De qualquer forma, Jimin sempre foi um garoto incrivelmente fofo, pouco mais baixo que eu, mas isso não importa, pois sempre o chamei de “meu baixinho”.

Eu ainda tinha muitas pessoas para recordar sobre, lembrar de cada detalhe e bons momentos que passamos juntos, mas aquilo estava piorando minha situação e só me deixando ainda mais deprimido por não estar nem ao menos conseguindo me movimentar ou ver o mundo lá fora.

Talvez essa seja a forma do universo mandar eu dar mais valor as coisas, porque o futuro é totalmente imprevisível.

Pessoas vão embora de uma hora para outra.

Você pode ir embora de uma hora para outra.

Chega a ser louco pensar nisso, mas é a verdade, você não sabe o que pode acontecer, você pode engasgar, tropeçar, ser atropelado, existem muitas coisas que podem destruir o ser humano, tudo porque o ser humano é frágil, e tudo porque o ser humano é louco, uma espécie que mata seus próprios companheiros por motivos fúteis, como dinheiro e poder, nada que seja útil para a sobrevivência da espécie.

E fora isso, existem tantas outras formas de destruir um ser humano, ou qualquer outro ser vivo, formas bem mais sujas, como por exemplo destruindo não o físico do ser, e sim o psicológico, o "eu" interno do ser, literalmente o destruindo de dentro para fora.

É necessário pensar, pensar no que essa sua frase ácida pode resultar, no que essa sua forma de expressar seus pensamentos pode causar em alguém que talvez seja importante para você.

Destruir alguém não é uma conquista da qual as pessoas devam se orgulhar, machucar alguém é acabar com alguns dos traços da pessoa, fazendo com que ela já não seja mais ela mesma como era antes.

Acho que é isso que o universo quer me ensinar, talvez eu deva tomar mais cuidado, não tomar decisões tão precipitadas, dar mais valor a tudo, meu namorado, meus amigos, minha família.

Talvez eu tenha que valorizar mais minha vida, valorizar cada segundo que eu passo com aqueles que amo e que tenho tanto medo de perder.

E quando, se, eu acordar, essa será a primeira coisa que farei.

Ligarei para meus avós, os quais tanto amo mas nunca vou visitar.

Não deixarei que Yoongi fique até tão tarde dentro de seu escritório, afinal, lá no fundo eu sei que é isso que ele quer, sei que sente minha falta e se sente culpado por trabalhar tanto, mas ao mesmo tempo não consegue parar por ser tão perfeccionista.

Irei voltar a falar com Jimin, voltar a ter contato com pessoas que eram tão importantes para mim e me fizeram ser quem sou.

Vou proteger Namjoon de suas próprias inseguranças.

Vou dar valor a tudo que tenho, e tudo que virei a conquistar, afinal, a vida é curta demais para desistir de algo pelo simples motivo de parecer inalcançável ou muito distante.

E se não for isso que o universo reserva para mim, ele vai ter que me desculpar, mas está na hora de eu parar de me importar tanto com o que ele quer e pensar que não posso mudar o que me está predestinado, porque se tem alguém que pode mudar minha história, esse alguém sou eu.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, e não esqueça de comentar o que achou, amo ler comentários :)
Então, até o próximo capítulo e me perdoem por qualquer erro.
Hearrrrrrrrrrttttttt<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...