1. Spirit Fanfics >
  2. The heart wants what it wants >
  3. E com isso, você acaba de me perder!

História The heart wants what it wants - Capítulo 23



Notas do Autor


olá pessoas

voltamos!

o próximo é com a minha incrível parceira @tinita_blanco

Capítulo 23 - E com isso, você acaba de me perder!


Fanfic / Fanfiction The heart wants what it wants - Capítulo 23 - E com isso, você acaba de me perder!

Por Tini

Realmente, eu estava mal acostumada.

Depois que o Jorge saiu, eu senti aquele vazio voltar. Ter passado esse fim de semana com ele, foi algo mágico. E nada estava em meus planos. Como aquele “Eu te amo”, e aquela linda história que ele me contou.

Eu sei que ele tem vários compromissos, e eu também. Tenho que procurar por um emprego logo. Porém, eu me acostumei a dormir e amanhecer com ele.

E eu, não tinha nada para fazer aqui. O que poderia fazer sozinha aqui? Nada!

É eu realmente tenho que procurar um emprego. Eu não quero que o Jorge pense que me acomodei. Eu posso trabalhar sim. Eu sempre trabalhei, pelo menos desde da morte dos meus pais. E desde de então, eu tenho me virado sozinha. Jorge, é um homem bom. Porém eu não quero abusar demais da sua bondade.

Enfim, já que não tem nada para fazer, acho que vou limpar esse quarto.

A casa não é minha, claro. Mas, é minha obrigação mantê-la limpa. Já que eu sou a única pessoa que mora aqui.

Começo trocando os lençóis, e depois coloco os lençóis limpo. Passo pano por todos os móveis. Aproveito e desfaço minha mala, arrumando o closet. Logo, eu limpo o banheiro e venho passando o pano no quarto.

Fui para os outros cômodos. Até que não estava tão sujo. A sala eu só passei um pano e limpei os móveis. O banheiro, fiz a mesma coisa. E a cozinha, estava bem limpinha.

Volto para o quarto e tomo um banho. E percebo que já são 00:00 noite. Eu sempre gostei de limpar a casa de noite. Pode ser loucura, mas a noite é a melhor hora para se limpar uma casa.

Quando eu estava me ajeitando na cama, Jorge entra no quarto. Ele parecia triste e totalmente abalado. Mas, o que mudou desde que ele foi embora?

J – Ei – disse com a voz de choro. 

T – Amor… o que ocorreu – vou até ele – Você saiu de casa… - Ele trouxe duas malas. Será que é o que eu tô pensando? – Vai ficar aqui?

J – Se você não se incomodar – me aproximo dele e limpo as lágrimas que ainda estavam em seu rosto.

T – É claro que não, seu bobo.

J – Você não sabe como é bom ter você em minha vida – ele me abraça. Seu coração estava acelerado.

T – Ei… calma… meu amor, eu to aqui...

J – Eu sou um péssimo pai…

T – Ei… - puxei ele até a cama e o abraço – Você não é um péssimo pai.

J – Sou sim! Eu estava tão preocupado com o Blake que acabei esquecendo da Karol.

T – Como assim? - ele se sentou em minha frente.

J – O Blake e a Karol sempre foram diferentes. Eu já te falei isso – concordo – Enquanto, Blake é calmo a Karol é um furacão. Ela é mais parecida com a mãe do que eu imaginava. E eu achei que com o tempo ela fosse aprender. Pensei,

que da “fase de rebeldia” dela fosse acabar. Mas, não ela faz coisas que eu tenho certeza que é pra me provocar!

T – Jorge, ela jovem. Isso é normal.

J – Você também! - ele sempre faz questão de lembrar isso – Porém, você é diferente.

T – Não meu amor. Eu já não tive um pai com quem implicar, ou uma mãe para brigar.

J – Desculpa – ele abaixa a cabeça – Eu sei que dói muito pra você.

T – Meu amor, não é sua culpa – pego em sua mão – Você quer me contar o que houve?

J – Tudo bem! - ele começa a contar e eu ouço atentamente.

T – Você é um ótimo pai sim! Blake e Karol tem sorte de você – ele me olha – Você brigou com sua filha, mas mesmo assim se preocupa com ela. E eu sei como demorou pra você tomar essa decisão, você não errou. Eles vão entender.

J – Eu só não quero ficar lá, no mesmo teto com a Stephie. Mas, eu também não quero deixá-los sozinhos com ela.

T – Amor, você vai poder vê-los sempre. Como você disse, a separação não é com os filhos!

J – Eu preciso falar com o Diego. Ele tem que me dá o papel do divórcio, e ver como tudo vai ficar. Eu tenho plena certeza que a Stephie vai brigar muito por causa das casa, carros e outras coisas.

T – E mesmo que isso ocorra, eu vou estar ao seu lado – me aproximei e o abracei – Eu não vou te deixar nessa, meu amor. Você tem meu total apoio para tudo!

[…]

Os raios de sol, invadiram a nossa cama. Isso significa que era segunda feira. O começo de uma nova semana.

Jorge estava com as mãos em minha cintura e eu deitada em seu peito. Ele acabou dormindo depois da nossa conversa. E ainda bem que ele conseguiu. Espero que hoje ele acorde melhor.

T – Bom dia, meu amor – olhai para ele sem parar. Como poderia ser tão lindo – Eu vou fazer o café.

J – Fica aqui comigo.

T – Jorge… eu precisamos acordar – ele me olhou e logo fechou os olhos – Tá, eu vou e você fica dormindo mais um pouco - Com muita dificuldade tirei os braços dele e fui até o banheiro.

Tomei um banho rápido e coloquei um vestido soltinho rosa. Vejo que Jorge ainda dormia.

Vou até a cozinha e vejo algo para fazer. Pego alguns ovos e uma massa. Resolvo fazer panquecas. Bem estilo americano.

Volto e começo a fazer o café sem açúcar do Jorge e um pouco de suco pra mim. Quando termino, coloco tudo na mesa. Lembro que tinha um bolo e coloco também na mesa.

Quando eu penso em chamá-lo de novo ele surge. Seus cabelos estavam molhados e ele estava apenas com uma calça de moletom.

J – Bom dia vida – ele vem até a mim e me dá um beijo – Que cheiro bom – senta ao meu lado.

T – Hoje tá bem simples. Fiz só umas panquecas.

J - Tá ótimo. Tudo que você faz é bom – ele me olha - Enfim, o dia tá bem cheio hoje. Vou ter uma reunião, e depois do almoço vou falar com o Diego. Se der tudo certo, levo o papel ainda hoje para a Stephie.

T – E você pode conversar com os filhos – digo bebendo um pouco do suco.

J – Sim. Eu vou explicar tudo a eles. Espero que a Karol não me mate e que o Blake entenda.

T – Vai da tudo certo. Eu vou procurar um emprego no shopping.

J – Tini! – ele me olha enquanto toma seu café – O que nós combinamos?

T – Eu sei Jorge! Mas, você tá cheio de coisas. Resolve isso primeiro e depois vemos. Eu sou vou mesmo procurar. Não significa que eu vou achar de primeira - concorda finalmente. 

[…]

Jorge foi se trocar para o trabalho. Eu estava começando tirar a mesa, quando a campainha toca.

J - Amor… abre pra mim! - ele grita do banheiro.

T – Sim! - abro a porta e dou de cara com dois jovens. Poderia dizer que são da minha idade.

XX – Desculpa apartamento errado – ele ia saindo com a garota.

Xx – Ta maluco Blake – pera ela disse Blake? Como eu não o reconheci? - Eu lembro perfeitamente do número do apartamento do papai – Calma papai?

J – Tini, você viu minha gravata cinza… - ele parou de falar assim que os viu – Blake? Karol? O que vocês estão fazendo aqui?

K – Viemos te impedir de cometer uma loucura – ela olha atentamente para o Jorge.

B – Podemos entrar pai? - ele olha pra mim e desvia para o Jorge – Claro, se…

J – Tudo bem… entre.

Eles entram e sentam junto com o Jorge no sofá.

E eu?

Eu nem sei o que fazer? Será que o Jorge vai contar? Não! Não! Não! Ele não pode contar de jeito nenhum. Isso só pioraria as coisas. E além, do mais eu não quero ser acusada pela Karol, de roubar a família dela.

K - Quem é ela? - a garota de olhos verde me fitava dos pés a cabeça.

J – Ela…. Bom, é a nova empregada – ele mente e eu confirmo. Alívio - Vocês querem comer algo?

B – Não, obri…

K – Pai volta pra casa! - ela corta o Blake – Bom… a mamãe tá trancada no quarto desde que você saiu.

J – Karol…

K – Você não pode deixar ela assim – ela estava falando tudo rápido – E além do mais, eu preciso de você. Blake também.

J – Karol…

K – A mamãe te ama e você ama a mamãe.

J – Karol – ele grita – Eu não amo sua mãe!

B – Que… pai… vocês vão se separar?

J – Sim! Eu vou conversar melhor com a sua mãe hoje. Eu ia buscar vocês para explicar tudo isso.

K - Você só pode tá brincando? - ela olha com raiva – Você não pode fazer isso! Blake, fala alguma coisa.

B – Bom… eu…

J – Eu posso sim. Karol deixa eu te…

K – Não, eu não quero explicações. Eu estava certa desde do começo – ela limpa a lágrima que escorre em seu rosto – Você tem outra.

J – Para com isso Karol!

K – Tudo bem! E com isso, você acaba de me perder! Esquece que eu sou sua filha!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...