História The Heathens - Capítulo 53


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Ação, Drama, Gaaino, Konoha High School, Lutas, Naruhina, Naruto, Nejiten, Romance, Sasusaku, Shikatema, Suspense
Visualizações 539
Palavras 13.432
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom dia
Boa tarde
Boa noite



Gente desculpa a demora de postar O ÚLTIMO CAPÍTULO DA 1 Temporada, é que muitos fatores foram contra kkk primeiro de todos foi o computador que resolveu fazer graça e por esses motivos escrevemos pelo notebook da tia da Kyara, GOSTARÍAMOS DE PEDIR PERDÃO PELA EDIÇÃO PORQUE EU NUNCA VI SER HUMANO TÃO RUIM USANDO TECNOLOGIA IGUAL A KYA... E PIOR QUE ELA SÓ EU... Resumindo se já é difícil editar usando o mouser, imagina no Note que nem mouser tem kkkkk.
Mas em fim nós queremos agradecer a todos os leitores... TODOS MESMO DESDE OS QUE COMENTAM AO OS QUE APENES LEEM vocês são muito importantes e nos inspiram a escrever mais♥ Essa primeira temporada de The Heathens foi inspirada em vários dramas da vida, misturado com série, suspense, comédia e a segunda não vai ser diferente MAS POR CONTA DE SER UMA GUERRA TERÁ BASTANTE AÇÃO GENTE... MUITA MESMO MAS VAMOS DAR UM JEITO DE SER ROMÂNTICO, DRAMÁTICO E DIVERTIDO AO MESMO TEMPO kkkkk.
(gostaríamos que após o capítulo vocês dessem uma olhada nas notas finais, deixaremos avisos importantes lá)

Sem mais enrolações, BOA LEITURA♥ (e mais uma vez obrigada meus bebês)

Capítulo 53 - Capítulo LIII - To be continued...(1temp, encerrada)


Fanfic / Fanfiction The Heathens - Capítulo 53 - Capítulo LIII - To be continued...(1temp, encerrada)

No último capítulo:

 

 

 

 


 

Aproximei-me decepcionada, sentei na cama dela olhando para o chão, meus olhos voltaram a se encher e minha garganta doer…



 



 

– Sunbae – sem precisar piscar aquelas malditas gotículas caíram – Se você está reagindo assim então como eu devo agir?



 



 

Shizune largou a tigela de miojo e arrastou-se para perto de mim dando-me leves tapinhas nas costas… porém ela chorava tanto quanto eu!



 


 


 


 

Continuação…


 


 


 


 

(Música tema do capítulo, graças a recomendação da nossa leitora linda decidimos colocar as músicas no começo, LINK NAS NOTAS FINAIS…)


 


 

Thunder – Imagine Dragons


 

ust a young gun with a quick fuse – Apenas um jovem com pavio curto
I was uptight, wanna let loose – Estava me sentindo preso, queria me libertar
I was dreaming of bigger things – Sonhava com grandes coisas
And wanna leave my own life behind – E queria deixar tudo para trás
Not a yes sir, not a follower – Não sou de abaixar a cabeça e obedecer, não sou de seguir os outros.


Fit the box, fit the mold – Se encaixe, adapte-se ao molde
Have a seat in the foyer, take a number – Sente-se no hall de entrada, pegue a sua senha
I was lightning before the thunder – Eu era o relâmpago antes do trovão.


 

 

Thunder, thunder – Trovão, trovão
Thunder, thun-, thunder – trovão, tro-trovão
Thun-thun-thunder, thunder, thunder – Tro-tro-trovão, trovão, trovão
Thunder, thun-, thunder – Trovão, tro-trovão.
Thun-thun-thunder, thunder – Tro- tro-trovão, trovão.

Thunder, feel the thunder – Trovão, sinta o trovão
Lightning and the thunder – Relâmpago e o trovão
Thunder, feel the thunder – Trovão sinta o trovão
Lightning and the thunder – Relâmpago e trovão
Thunder, thunder – trovão, trovão
Thunder – trovão.



 


 


 

(3 MESES DEPOIS)


 


 


 

Tsunade Senju

C.P.K, Diretoria, sábado, 12:00MIN.

 


 

Estava vasculhando os arquivos e por acaso achei a ficha do Shikamaru, na mesma hora me veio a mente de que ele e o resto dos rapazes estão na guerra, esses pirralhos não me ligaram e nem mandaram notícias, todos os relatórios que chegam vão diretamente para o Yondaime e eu fico sem saber de nada.

Pelo menos as coisas estão indo bem por aqui, levou um tempo mas todos os nervos foram acalmados, foi difícil mas todos acreditam que Sasuke foi expulso, Kakashi tirou férias e Shikamaru bom… A maioria presenciou oque aconteceu ele, não foi necessário ter que explicar.

Sakura, Naruto, Neji, Gaara, Hinata e Pain foram os únicos que não engoliram essa história até hoje mas relevaram e aceitaram as coisas mantendo a paz no “lar”, mas quero ver até quando essa paz vai durar…


 


 


 

– Tsunade Sunbae – Yamato abriu a porta as pressas tomando rumo até mim, ele estava curioso e ansioso, pude ver isso em seu rosto ao terminar de se curvar para me reverenciar.

– Diga – levantei-me da cadeira…

– Os líderes das vilas te esperam hoje a noite no palácio de Konoha!

– Revelaram o motivo? – encarei preocupada.

– Não senhora, disseram apenas para chegar as 19:00hrs e que o assunto é sério!


 


 


 

Já imagino oque seja, durante esses meses eu fugi disso… mas acho que finalmente está na hora de ceder.


 


 

– Obrigada Yamato! – sorri observando-o sair da sala.


 

Eu espero poder tomar a decisão certa.


 


 


 


 

Tenten Mitsashi

Refeitório, 13:00min, sábado.


 


 


 

Eu fui a última a terminar de comer, as meninas já haviam deixado o refeitório, aproveitei que estava sozinha e resolvi terminar o relatório que Neji e eu ficamos de entregar para Kurenai, assim que finalizei, sai correndo segurando as folhas mas acabei esbarrando com alguém no meio do caminho e voltei para trás em um tropeço só...


 


 


 

– Você deveria olhar por onde anda…


 


 

Virei-me para a confirmação de que era Neji, apenas revirei os olhos e abaixei-me para apanhar as folhas que se espalharam pelo chão, já se passaram três meses desde que a nossa “história de amor” se encerrou e de lá pra cá até nossa amizade ficou estranha.


 


 

– Aish… – reclamei caminhando agachada – Eu olho, só não esperava que você fosse surgir do nada…

– Eu não surgi do nada – o Hyuuga abaixou-se para me ajudar – Sai da sala de aula…

– Não me importo – levantei-me encarando-o – De qualquer forma eu estava te procurando para entregar as folhas…


 


 

Segurei os relatórios com as duas mãos e os entreguei para Neji, o Hyuuga segurou as folhas com a mão esquerda e naquele corredor vazio, nossos olhos se encontraram… O olhar perolado de Neji parece um espelho, mas não sou capaz de compreender oque reflete, se ele gosta de mim, se não gosta, se já me esqueceu ou se arrepende todo os dias daquela briga assim como eu.


 


 


 

– Tenten… – Ken aproximou-se gritando, ele vem me visitar quase todo fim de semana desde que o perdoei, me conta sobre as novas crianças do orfanato e oque aconteceu com as antigas, também me traz notícias da Madre e comidas que ela sempre manda.


 


 

Rapidamente o Hyuuga puxou as folhas revirando os olhos.


 


 

– Então – Neji arqueou as sobrancelhas – Já entregou…


 


 


 

O Hyuuga deu as costas desaparecendo no final de corredor, acompanhei com um olhar triste nem percebendo que Ken estava do meu lado, respirei fundo logo em seguida…


 


 

– Ainda gosta dele? – meu antigo rival encarou-me.


 


 


 

Antes de entrar no C.P.K, eu era uma pessoa boa até demais, aceitava qualquer palavra que me diziam, acreditava em todos e por pior que a pessoa fosse eu respeitava e tratava igualmente, não acho que isso era algo ruim, mas depois que entrei aqui percebi que antes de querer amar todos tenho que amar a mim, antes de querer ser boa com todos tenho que ser boa para mim, “amar o próximo como ama a si mesmo”, se você não se ama é impossível amar o próximo também.

Por muito tempo eu rastejei atrás de amizades e do amor, mas criei maturidade o suficiente e resolvi mudar, se o Neji quer ir embora da minha vida que vá… eu ficarei aqui, no mesmo lugar.


 

 

 

– Não – menti – Está tudo bem… – sorri.

– A Madre te mandou bolinhos de chuva – o moreno sorriu pegando a minha mão – Vamos comer?

– Bom é que… – cocei a cabeça – Acabei de almoçar, mas… sempre sobra um espaço para os lanchinhos da Madre… – e um pulo só grudei nos braços de Ken – Vamos “tampinha”… – apesar de ser mais alto que eu, vou sempre chamá-lo assim, tomamos rumo ao refeitório enquanto conversávamos.


 


 


 


 

Sabaku No Gaara

Piscina, 13:20min, sábado.


 


 


 


 

Combinei com a minha namorada de nos encontrarmos aqui, hoje o tempo cooperou e o sol resolveu aparecer, tirei a camiseta e sentei-me na beira da piscina colocando os pés dentro da água, olhei para o céu e fiquei encarando por alguns minutos.

No início eu não queria vir para o C.P.K, odiei a ideia de me misturar com os privilegiados mas agora com toda as letras afirmo que foi a melhor coisa que me aconteceu, me sinto mais maduro em relação a muitas coisas, tenho uma visão diferente da vida e Naruto Hyung está até me ensinando a controlar minha biju… Mas isso os líderes não sabem, se souberem terão um treco só de imaginar que estamos tentando liberar as criaturas em treinos secretos. (vai da merda vai)

De repente olhei para a entrada da quadra e pude ver uma das mais lindas cenas que já vi em minha vida, uma loira maravilhosa caminhando até mim, com um shortinhos Jeans e uma regatinha justa branca, seu cabelo cor de ouro balançava no ritmo do vento, até parece uma daquelas cenas de filme quando o protagonista vê o amor da sua vida vindo na sua direção.


 


 


 

– Demorei? – ela sentou-se ao meu lado colocando seus pés na água também.

– Já me acostumei com os seus atrasos… – sorri. – No dia do nosso casamento eu definitivamente estou ferrado, aposto um ano lavando a louça que você vai me fazer esperar horas e horas no altar…

– Ya – A Yamanaka me olhou de canto com seus lindos olhos azuis – Já está pensando em casar comigo?

– E você não? – arqueei a sobrancelha encarando-a da mesma forma.

– Claro – ela sorriu graciosamente – Já que não tive notícias da minha mãe e meu pai não veio um dia sequer me visitar… vou viver minha vida com que me ama de verdade!


 


 


 

Ino colocou as duas mãos no chão apoiando-se para trás, nesse momento foi inevitável não olhar para os seios dela…


 


 

– Vai me fazer esperar até o casamento também? – sorri maliciosamente.

– Talvez… – a loira começou a balançar seus pés dentro da água.

– Então não use blusas decotadas perto de mim!


 


 

Medi Ino de cima a baixo mordendo os lábios, a minha graciosa namorada enfiou a mão dentro da água e em seguida espirrou no meu rosto molhando-me.


 


 

– Ya – reclamei.

– Pervertido… – Ino retrucou sorrindo.


 


 


 


 

Do outro lado.


 


 


 


 

Neji Hyuuga

Quarto masculino, 13:20min, sábado.

 


 

Após deixar o relatório na sala dos professores, tomei rumo ao quarto masculino que por sorte estava vazio, sentei-me em uma das camas esticando os pés, ao encostar minha cabeça na cabeceira da cama aleatoriamente comecei a pensar em Tenten e naqueles olhos puxados quais encarei profundamente quase agora.

Fechei os olhos e pude me lembrar nitidamente daquele momento, ela segurando as folhas com suas mãos morenas e pequenas a medida em que me olhava intensamente, sei que ainda gosta de mim, mas… eu não estou aqui para viver um romance e sim cumprir uma missão.


 


 


 


 

Neji FlashBack On

2 meses atrás…


 


 


 

Eu estava praticando meus exercícios normalmente, na verdade estou exagerando um pouco… Por culpa de Tenten me sinto tenso o tempo todo, após nossa discussão e o definitivo ponto final na nossa história que nem começou, me sinto intrigado com a história de Sasuke, eu o conheço bem e sei que não faria algo para ser expulso, não com Sakura aqui dentro, essa garota se tornou o mundo para ele…

Parei por um instante para beber água, me sentei em um dos bancos e fiquei admirando o sereno daquela manhã, inesperadamente um senhor sentou-se ao meu lado assustando-me.


 


 

– Neji…


 


 

Olhei para o lado rapidamente me dando conta de que era ele… Hiashi Hyuuga, meu tio e o homem responsável pela minha vida infeliz.


 


 

– O que faz aqui? – esbanjei desprezo virando-me para frente novamente, olha para a cara dele me deixa com raiva.

– Vim te fazer um pedido pois fui convocado há uma missão!


 


 

Levantei-me rindo, caminhei um pouco para frente e me virei aos risos irônicos encarando-o.


 


 

– Você não cansa de me fazer pedidos tio? Olhe para mim, Tente se lembrar da Hinata… nós descemos ao fundo do poço e se não fosse o C.P.K para nos jogar uma corda estaríamos lá até hoje – respirei fundo – Eu não vou fazer mais nada para você!


 


 

Virei-me para ir embora e quando ia me retirando Hiashi segurou meu braço.


 


 

– Continue cuidando da Hinata!


 


 

Puxei meu braço fazendo-o me soltar, me virei lentamente cruzando os braços.


 


 

– Neji – meu tio como nunca tinha visto antes tinha um olhar triste e deprimido em seu rosto – Cuide bem da Hinata e se for preciso… dê sua vida por ela, eu estou partindo em missão, provavelmente algo vai acontecer comigo assim como aconteceu com todo os ninjas que foram até lá. – ele entregou-me um pedaço de papel – Mostre esse papel a côrte do clã Hyuuga quando sair, Hinata vai ser a principal herdeira e líder… você o segundo, não tenho o direito de pedir desculpas mas tudo oque fiz até hoje foi para proteger vocês dois, para tudo houve uma razão e um sentido.


 


 

Apanhei o papel com as mãos trêmulas, eu não me importo com o tio Hiashi mas não gosto da ideia de que ele vai morrer.


 


 

– A sua missão ainda não acabou sobrinho, acima de qualquer coisa… proteja Hinata! – ele segurou minhas mãos com os olhos marejados – Se mantenha forte, corajoso e imbatível como sempre foi…


 


 

Assenti sem expressão alguma, mas estava me tremendo por inteiro, Hiashi deu as costas colocando um boné para disfarçar, afinal algumas pessoas já haviam acordado, deu alguns passos mais virou-se rapidamente…


 


 

– Não diga a Hinata que vim, não conte a ela sobre o papel até saber que morri…


 


 

Assenti novamente, meu tio virou-se e dessa vez se foi andando rapidamente, observei-o se afastar, esse cara aparentemente é igual meu pai, meu coração está apertado… não me importo com o tio Hiashi, mas ele não precisa morrer, de qualquer forma protegerei Hinata, se alguém tentar tocá-la lutarei, se alguém tentar matá-la, antes matarei essa pessoa… e se alguma ferramenta ameaçar encostar o corpo dela, eu serei o escudo.


 


 


 

Neji FlashBack Off


 


 


 

Hinata não sabe de nada, mas eu sei… eu sempre sei de tudo… As vezes preferia não saber para sofrer menos.


 


 


 

Neji FlashBack On

Anos atrás…


 


 


 

Eu havia acabado de treinar com as outras crianças, apanhei minha mochila e voltei caminhando sozinho quando de repente Hiashi surgiu assustando-me.


 


 

– Pensou que fosse um inimigo? – ele sorriu – Aish… – meu tio apertou minhas bochechas – Meu sobrinho está se tornando um ninja de primeira…

– Ya – reclamei emburrado – Não aperte minhas bochechas…


 


 

Tio Hiashi pegou minha mochila e começou a caminhar do meu lado, conversamos sobre muitas coisas, eu adorava ouvir as histórias de batalhas dele.


 


 

– Aish… você já me contou essa! – cruzei os braços.

– Ya – ele me repreendeu-me – Você não tem idade para dizer “aish”… pirralho.

– Aish, Aish, Aish… – recebi um beliscão do meu tio, mas cai na gargalhada em seguida.

– Aqui…


 


 

Ele abaixou-se ficando na minha altura, retirou algo de sua bolsa entregando-me em seguida.


 


 

– Uau – abri a boca impressionado – Lâminas de chakra…

– Ye – ele assentiu – Te presentearei sempre que subir de nível – Hiashi colocou uma de suas mãos da minha cabeça sorrindo – Quero que seja um dos melhores ninjas de Konoha, faça inveja aos outros meninos e conquiste o coração das meninas…

– Ye, gomawo(obrigado) tio…


 

Neji FlashBack Off


 


 


 

Sem que eu notasse uma lágrima escorreu rosto abaixo, passou pela minha boca e caiu ao chegar no fim do queixo, fechei os olhos novamente engolindo o choro… Tio Hiashi errou com a Hinata, em certo ponto errou comigo também, mas sinto como se eu tivesse perdido meu pai pela segunda vez.

O C.P.K me fragilizou, eu sempre fui focado em proteger a Hinata, ser forte, corajoso e imbatível, mas agora eu me pergunto, por que? Talvez porque a única coisa que sei fazer é matar… desde sentimentos assim como fiz com os da Tenten, até pessoas assim como fiz com todas que tentaram fazer mal a Hinata e não foram poucas, me sinto mal porque não fui forte o suficiente para resistir a Tenten, nem corajoso para dizer o quanto gosto dela, também não fui imbatível porque ela me derrotou com o seu amor… e é por isso que dói tanto voltar a ser oque eu era.


 


 


 


 


 

Do outro lado…


 


 


 

Konan Kondo

13:30min, sala de filmes, sábado.


 


 


 


 

Resolvi assistir TV sozinha já que não tinha nada para fazer, começou a passar uma série chamada THE 100…

 


 

– Hum… que bom que é o primeiro episódio! – sentei-me e estiquei a perna apoiando na mesinha.


 


 

Estava completamente entretida no episódio quando de repente Pain surgiu, ele estava sem camisa e suado, o ruivo sentou-se ao meu lado um pouco ofegante e começou a puxar assunto mas aumentei o volume da TV intencionalmente.


 


 

– Hum… ok… não existe indireta melhor do que aumentar o volume da TV enquanto falam! – ele ficou quieto por alguns minutos, podia senti-lo me encarar mas não desviei o olhar da tela – Noona… você está chateada comigo?

– Aish… – apanhei o controle abaixando o volume, retirei meus pés das mesinhas e apoiei meus cotovelos sobre os joelhos – Estou… antes você fazia questão de está comigo 24:00hrs por dia, mas agora vive me trocando pelos seus amigos!

– Ya… isso não é verdade – o ruivo aproximou-se – Eu só queria jogar futebol com o pessoal da outra sala…

– E ontem foi vôlei, antes de ontem basquete… amanhã vai ser oque golfe? – serrei os olhos – Nem um campo de golfe nós temos aqui…


 


 


 

Pain abraçou-me de lado, colocando minha cabeça em seu ombro, ele respirou fundo acariciando minha cabeça.


 


 

– Pabo(boba), não seja tão carente… por acaso está de TPM?

– Não – retribui o abraço – Eu só quero passar mais tempo com você caramba, vi o quanto Sakura e Temari sofreram sem os rapazes… me imagino no lugar delas e surto – levantei-me minha cabeça lentamente olhando-o nos olhos – Nós ficamos separados por tanto tempo, se isso acontecesse de novo, eu morreria com toda certeza…

– Não se preocupe meu chicletinho – Pain segurou meu rosto – Mesmo se eu fosse expulso, te raptaria daqui e te levaria comigo…


 

 

Sorrimos um para o outro ao mesmo tempo, aconcheguei minha cabeça no ombro dele novamente e voltei meus olhos para a tela. Antes do C.P.K pensei que era só mais um ser abandonado, mas depois que encontrei Pain novamente descobri que sempre fui amada, cuidada e protegida, por muito tempo fui cega mas esse ruivo me deu “lentes” para usar e enxergar uma vida linda ao lado dele…


 


 

– Pain… – respirei fundo – Saranghae(eu te amo).

– Eu sei – ele sorriu – Porque eu me sinto da mesma forma – pude senti-lo encostar sua cabeça na minha – Momentos como esse deveriam ser eternos…


 


 


 

De repente os prisioneiros espaciais de THE 100 desceram até a terra e tiveram o seu primeiro contato com o mundo, aquela cena me deixou com vontade de chorar e olha que não sou sensível a esse ponto.


 


 

– Noona – meu namorado chamou-me – Como acha que será quando sairmos do C.P.K? Não somos vistos bem lá fora, não temos casa, nem uma vila fixa…

– Eu não sei – afirmei segurando as mãos dele – É como Kurenai disse, nós somos passarinhos seguros em nossos ninhos mas chega uma hora que temos que aprender a voar… quando sairmos daqui voaremos juntos!


 

 


 

Eu só tenho que agradecer ao C.P.K, se não fosse por ele talvez eu permanecesse no ninho pra sempre, sozinha e sem asas.


 

 


 


 

Shizune Sato

Vilarejo Konoha, casa da shizune, 14:00min.


 


 


 


 

Nos últimos meses quase todo os finais de semana dormi no meu quarto do C.P.K, as meninas me faziam companhia principalmente Temari e Sakura que até dormiam comigo no quarto… passávamos a noite compartilhando nossa “bad” uma com a outra enquanto comíamos Lámen.

Temari disse que não tem com oque se preocupar tanto afinal Shikamaru está lá fora, mas Sakura e eu… nós não fazemos ideia de como eles estão agora, isso é oque mais dói.

Nos acostumamos com ideia de que é necessário seguir em frente, Sakura voltou a se alimentar bem e socializar com as pessoas, a Sabaku sempre encarou tudo muito bem e bom eu não tenho escolha, como jõnin e ninja médica preciso trabalhar.

Ao chegar em casa notei o quanto ela estava silenciosa e vazia, repentinamente encarei a porta do banheiro…


 


 


 

Shizune FlashBack ON


 


 


 


 

Assim que cheguei na porta e estava com a mão na maçaneta prestes a puxá-la inesperadamente Itachi abriu-a eu estava olhando para baixo na hora do susto e comecei a levantar meu olhar aos poucos ele estava descalço apenas com a toalha enrolada na cintura, tinha um tanquinho mara… quer dizer digno e esfregava a toalha em seus cabelos que obviamente estavam molhados assim que mirei em seu rosto corei e dei um pulo pra trás.



 



 


 

– I-itachi – falei escondendo o rosto na toalha, droga que situação mais constrangedora.

– Oh… eu não esperava que você fosse acordar agora! – O Uchiha se desculpou voltando com suas roupas para dentro do banheiro.

– “Naaah” – passei por debaixo dos braços dele ainda com a toalha na cara – Se troca ai for


 


 


 

(…)


 


 


 

Itachi e eu cozinhávamos juntos, é a primeira vez que ajudo ele kuntos fizemos creme de tomate com pimentão assado, macarrão farfalle com legumes e couve-flor assado com alho, assim que terminamos fomos direto para o sofá nossa “mesa”.


 


 


– Itachi você já pensou em abrir um restaurante? – Comentei de boca cheio – Você cozinha tão bem…

– Eu sou um ninja… renegado… as pessoas não iam comer com medo de ter veneno! – Ele enfiou um couve-flor na boca.

– Aish… babo(se pronuncia pabo… é significa idiota), por que você é sempre tão negativo?

– Aish...Me chamou de idiota… sabe quanto anos eu tenho? Você deveria me chamar de Oppa…

– Você também não sabe quantos anos eu tenho… – Parei de comer encarando-o com uma sobrancelha arqueeada.



 


 


 

Shizune FlashBack Off


 


 

Aish… Oppabo… Eu estou ficando louca, por culpa dele. Abandonei a bolsa em cima do sofá e resolvi caminhar um pouco, aqui em casa cada móvel… tudo me faz lembrar de Itachi, eu não sei porque me apeguei tanto nele.

Caminhando lentamente a medida em que o vento passava sobre mim fazendo meus cabelos balançarem, passei em frente a uma lojinha e fiquei alguns minutos encarando-a.


 


 


 

Shizune FlashBack On


 


 


 

 

– É melhor você comprar o de babosa, ajuda a crescer – Itachi aconselhou-me.

– Prefiro o de óleo de coco que nutri, não quero que meu cabelo cresça gosto dele assim curtinho!

– Porque não pegam o Kit família Tsubaki? – o dono da lojinha sorriu e aproximou-se nos mostrando o produto – Ele contem óleo de camélia que é rico ácidos graxos ajudando a proteger dos danos, sem contar que tem um cheiro muito bom e está em promoção vocês pagam o preço de um par de Shampoo e condicionador mas ganha 2 pares e um sachê de óleo, mas só se forem casados porque como o próprio nome já diz é kit “família”



 

 

O Uchiha e eu nos encaramos, ambos sabiam oque tínhamos que fazer…



 

– Como eu amo promoções… – Itachi comentou abrindo a sua carteira.

– Deixa que eu pago “querido” – pisquei e segurei o braço dele – Você praticamente fez a despesas…

– Não se preocupe, as despesas ficam por minha conta “querida” – ele colocou sua mão esquerda em minha cabeça acariciando levemente e eu forcei uma risada.

– Eu não lavei o cabelo – Falei entre os dentes, Itachi retirou sua mão dos meus cabelos com pressa e uma expressão de nojo limpando-a em sua camisa.



 


 


 

Shizune FlashBack Off.


 


 


 

– Senhora… – nem notei que o senhorzinho que trabalhava na lojinha saiu para me chamar. – Está tudo bem? Você não quer entrar e comprar algum produto?


 


 

Sorri graciosamente mesmo com o coração apertado após essa lembrança.


 


 

– Ye – assenti – Quero o de babosa…

– Boa escolha! – o senhorzinho sorriu.


 


 


 

Eu sinto tanta falta dele… Aish… Após comprar o produto voltei para casa, fiz uma boa faxina, alimentei Tonton, tomei um banho quentinho e relaxante aproveitando para lavar o cabelo com o Shampoo de babosa, comi uma tigela de lámen com ovos e verduras, e tomei rumo ao meu quarto.

Já havia escurecido, não está tarde mas prefiro dormir cedo e evitar pensamentos, assim que deitei e virei para o lado esquerdo, me deparei com o ninja de pelúcia que Itachi tinha me dado mas… cadê a parceira dele que a senhorinha nos deu de brinde?


 


 

– Itachi a levou… – sentei-me na cama apanhando a pelúcia, ergui o bichinho na altura de meu rosto olhando-o – Pequeno ninja você também está longe de quem gosta né? – suspirei – Devo te chamar de ChiChi... (pronuncia titi… aos xuxus da minha vida que não entenderam, esse nome é uma referência ao nome de Itachi utilizando apenas o “Chi”)


 


 

Deitei-me novamente dessa vez abraçando a pelúcia.


 


 

– Durma bem “ChiChi”… aonde quer que você esteja.


 


 


 

Naruto Uzumaki

Fonte, 19:00hrs, Sábado.



 


 

Minha raposa continuava a se agitar dentro de mim, o meu selo… Desde quando Sasuke foi embora o clima ficou estranho, continuamos com a nossa vida normal, mas alguma coisa me diz que há algo de errado, a última vez que tentei ensinar Gaara a controlar o Shukaku, Kurama me disse que sentia um Chakra diferente fora da aldeia, um ameaçador que no passado ele havia sentido…

Quando ia pedir mais informações fomos interrompidos por Shizune, sorte que foi ela e não o Yamato caso contrário estaríamos ferrados, mas até agora isso está martelando minha mente… Que chakra é esse que Kurama sentiu? Devo liberá-lo aqui e agora?

Passei o olhar em volta do local para conferir se realmente estava vazio, mentalizei e parti para o meu subconsciente acordando-o.


 


 


 

Naruto Subconsciente On


 


 

– Demorou mané… – a Kyuubi sentou-se, seu bafo quente batia igual vento sobre minha face.

– Você sentiu minha falta né? – sorri.

– Não, na verdade nunca estive tão em paz…

– Ah… ok… Depois lhe faço um carinho – ironizei – Não posso entrar sempre em contato com você aqui dentro, mas a última coisa que me disse… termine de contar.

– Ya...Já falei para adicionar o “Sunbae” sou muitos anos mais velho que você, idiota. – Kurama mostrou os dentes para mim, se eu não o conhecesse teria ficado com medo.

– Desembucha – Sorri recebendo um olhar mortal – Sunbae… – engoli a seco logo em seguida…

– Dez caudas! – Kurama afirmou com seu olhar frio sério.

– O QUE? – arregalei os olhos. – Não são apenas nove?


 


 

Naruto Subconsciente Off.


 


 


 

De repente senti alguém me cutucar e lentamente fui perdendo o contato com Kurama, é fácil acessar o subconsciente e ir até a Kyuubi mas preciso está concentrado e com alguém me chacolhando dizendo “Naruto… oh meu Deus… Naruto você está bem?” fica difícil.

Abri os olhos e percebi que era Hinata, ela me encarava com seus olhos perolados, suas duas mãos estavam em meus ombros e a mesma parecia preocupada.


 


 

– Você está bem? – ela colocou sua mão esquerda em minha testa verificando a temperatura de meu corpo – Está passando mal?

– Não… – encarei-a nos olhos.

– Então por que estava parado que nem um idiota de olhos fechados?– a Hyuuga deu um leve soco em meu ombro.

– Ué, você não medita? Devia… anda muito estressadinha. – debochei fazendo-a revirar os olhos.

– Não minta pra mim – ela aproximou-se de mim, tão baixinha que consigo ficar do tamanho dela sentado na fonte. – Está triste né? Você anda muito preocupado Naruto, não tente disfarçar, sempre fica no mundo da lua, é por causa do Sasuke? Sakura? Seus pais? Me conte eu não aguento ver você assim mas também não aprendi ler mentes e…

 

 

 

Hinata nervosa é pior do que a Sakura ansiosa, quem é Eminem perto dessas duas? Spinardi com seu rap lord perderia para elas fácil, antes mesmo que meu pinscher terminasse de falar a puxei pela cintura depositando um beijo rápido em seus lábios.


 


 

– Aish… atrevido – ela sorriu abraçando-me, eu amo abraçar Hinata… principalmente sentado, tenho a melhor visão de todas daqui, me sinto no paraíso, “abrace as meninas quando estiver sentado” Sábio tarado dizia e só agora posso entender, mas o abraço dessa baixinha não é o melhor por conta disso e sim porque ela é a melhor pessoa para mim.


 


 

Hinata afastou-se por um minuto me olhando nos olhos e em seguida sorriu, esses dentes branquinhos, certinhos, ah que sorriso… que rosto… que mulher.


 


 

– Não se preocupe comigo, eu estou bem. – segurei sua cintura com as duas mãos – Mas nunca pare de sorrir assim pra mim… é tudo que eu preciso para está feliz.

– É? – ela sorriu novamente.


 


 

Comecei a beijá-la novamente, uma das mãos da Hyuuga que estava sobre o meu ombro subiu lentamente pela minha nuca até enraizar seus dedos em meus cabelos loiros, esses dedos me causaram arrepios fortes, nossas bocas aleatoriamente aumentaram o ritmo, minhas mãos que apertavam a cintura da Hinata, estavam gritando “Desce mais idiota, só mais um pouquinho… você está a um passo do paraíso” quando de repente Ino surgiu fazendo nós nos separarmos rapidamente.


 


 

– Shi… foi mal, só estou procurando minha pulseira. – a loira sorriu completamente sem graça, já é a segunda vez que ela nos atrapalha… que vontade de cavar essa grama e enterrá-la, o Gaara me mataria mas oque custa imaginar né.

– Está tudo bem Ino, não se preocupe – falei entre os dentes – De qualquer forma eu já estava indo tomar um banho gelado… – medi Hinata de cima abaixo suspirando.


 


 

Aish… respirei fundo levando as mãos a cabeça enquanto caminhava deixando as duas sozinhas.


 


 


 

Do outro lado


 


 


 


 


 

Tsunade Senju

Torre do Hokage, Vilarejo Konoha, 19:10min.


 



 

Me atrasei alguns minutos, refleti o dia inteiro com a ajuda de Jiraiya e Yamato, apesar de não saber oque os líderes querem sou capaz de imaginar, é algo que eles vêm pedindo a muito tempo… Não fui capaz de concordar, mas a situação está ficando cada vez mais grave, ninjas e ninjas estão morrendo… falta água e comida nos vilarejos mais humildes, não posso fica de braços cruzados.

Arrumei-me formalmente e tomei rumo a sala de reuniões na torre do Hokage, todos já estavam lá esperando por mim o Hokage, Kazekage, Mizukage, Tsuchikage e Raikage, Orochimaru se fazia presente… antigamente Madara também estaria aqui se não fosse um traíra.

Reverenciei todos assim que pisei na sala, lentamente caminhei até a cadeira vazia e sentei-me apoiando os cotovelos na mesa, eu odeio o clima dessas reuniões, sempre tão tenso.


 


 


 

– Fico feliz que tenha vindo... – O pai de naruto encarou-me, de todo os Kages ele sempre é o mais simpático.

– Não fez mais que a obrigação dela – Rasa afirmou, sempre tão ranzinza – Não enrole Yondaime, diga logo a ela oque conversamos a semana inteira…

– Tsunade – Mei colocou sua mão esquerda em meu ombro incentivando-me – Espero que entenda o nosso lado e concorde, é a nossa última chance… e o pior ainda nem aconteceu!


 


 


 

Sorri preocupadamente assentindo, os líderes trocaram olhares uns com os outros, Minato respirou fundo bebericando a xícara de chá…


 


 

– Itachi… nos mandou uma carta, ele pediu reforços, dos 50 ninjas que enviamos apenas 25 estão vivos neste exato momento e 15 deles estão feridos, eles sofreram um grande ataque, um ser com uma força absurda apareceu, atacou e desapareceu. – O Yondaime tomou mais um gole de chá – Até Sasuke se feriu…

– Sasuke? – arregalei os olhos preocupada – Mas ele passa bem?

– Não se preocupe. – Mei afirmou – Está tão bem a ponto de ajudar os que estão feridos…Tsunade, a questão é que os aldeões já perceberam tudo, houve protestos nas aldeias vizinhas por falta de mantimentos, com alguns locais destruídos e marcados como área de risco está sendo impossível transportar alimentos, roupas, coisas simples que são necessárias em nosso dia a dia.

– As tropas que enviamos não estão dando conta… – Rasa cruzou os braços. – Há meses estamos nessa situação angustiante… Se nosso inimigo fosse esperto o suficiente já teria atacado as aldeias, estamos frágeis.


 


 


 

Assenti e tomei em uma golada só todo o chá que havia na xícara.


 


 


 

– Uma família da nossa vila oculta da pedra foi atacada enquanto viajava, crianças foram mortas… – Õnoki encarou-me com seu jeito velho arrogante de ser.

– Estamos sendo provocados, há algo nosso que eles querem… enquanto não dermos isso nunca vai acabar! – “A” Manifestou-se expressando claramente a sua opinião.


 

Refleti por alguns instantes, a intuição feminina nunca falha… Sabia que era isso.


 


 


 

– Tsunade – Minato serviu-me mais um pouco de chá – Eu sei que isso é difícil pra você, há pessoas que você realmente cuida e quer proteger mas… libere os Heathens, isso não é um pedido é uma ordem. – o Yondaime encarou-me – Acredite isso é difícil pra mim, eu queria ver meu filho se formar no final do ano, voltar a ser um ninja, tê-lo todo os dias em casa para almoçar e jantar, queria ver Naruto com um jovem que come e vive bem novamente… acredite, isso ainda será possível, você terá Shizune e Sakura com você... – ele sorriu com um olhar preocupado – As coisas podem voltar a ser como eram antes…


 


 


 

Rasa colocou uma de suas mãos em meu ombro apoiando-me, assumo que não esperava uma atitude assim da parte dele.


 


 


 

– Eu também me preocupo com Kankuro e… – ele respirou fundo mudando o foco – Antes de sermos pais, mães, tios… Somos ninjas e líderes das nossas vilas, proteger o nosso país e o nosso povo é a nossa missão acima de qualquer coisa.

– Tsunade – Mei colocou uma de suas mãos em cima da minha – Conte a verdade aos Heathens, se for preciso todos nós líderes iremos até lá, diga a eles sobre a guerra e os liberem para lutar por seus países…


 


 

Levantei-me da mesa, tirando a mão de Rasa do meu ombro e a de Mei de cima da minha…


 


 

– “Os países” que tanto desprezaram eles… – cruzei os braços indignada – Vocês não sabem o quanto eles sofreram por culpa dos aldeões, o Naruto sempre foi humilhado por eles, o Gaara principalmente… poucos ali dentro são aceitos pela sociedade, na verdade ninguém, suas próprias vilas o separaram de tudo e todos, suas próprias vilas os chamaram de Heathens. – alterei a voz sem querer – Não só as vilas… mas sua própria família… seus próprios pais – encarei Rasa voltando o olhar para o centro da mesa em seguida – Nunca foi minha intenção educá-los e treiná-los para uma guerra… mas farei conforme me foi ordenado, não pelas sagradas “nações” mas para eles mostrarem que são bem mais do que os Heathens desprezados de anos atrás… ELES SÃO VERDADEIROS NINJAS, E OS ÚNICOS CAPAZES DE PARAR ESSA GUERRA.


 


 


 

Cai em mim novamente e percebi que havia gritado com os líderes, sentei-me respirando fundo e tomei rapidamente o chá que Minato me serviu, Mei me aplaudiu com um sorriso no rosto, ela e Minato sempre me apoioaram… Mas o resto, precisava ouvir isso, hipócritas.


 


 


 

– Não perderemos tempo então… – Minato levantou-se pigarreando – Pedirei inúmeros uniformes, amanhã mesmo anunciaremos aos Heathens sobre a guerra, os que estiverem prontos nós os enviaremos, os que sentirem de se preparar mais, esperaremos…

– Preparei as forças especiais que reservei para esse momento – Rasa afirmou.

– Meus batalhões também estão prontos… – Mei sorriu empolgada.

– Ajudarei com os mantimentos – “A” levantou-se – Também enviarei ninjas…

– Agora sim a coisa vai ficar boa – Õnoki colocou-se de pé também – Mantenho a minha palavra de que ajudarei… Essa guerra já está ganha!


 


 


 

Orochimaru espreguiçou-se ironizando como sempre.


 


 

– Todo esse drama para as forças aliadas Shinobi ser reestabelecida. – ele revirou os olhos mostrando sua língua de cobra… – É claro que venceremos!


 


 


 

Espero que tudo dê certo, eu acredito em cada um dos meus alunos do C.P.K…


 

 

Enquanto isso… No C.P.K


 


 


 

Kankuro Miura

Refeitório, 20:00hrs, Sábado.


 


 


 

Sakura jantava com Lee e Deidara, coloquei duas colheres de arroz, uma de feijão, apanhei o maior bife que encontrei, completei o prato com batata frita e em seguida peguei um potinho com salada de alface, escolhi o suco de uva e aproximei-me sorrindo sentando ao lado dela.

Eles davam altas gargalhadas, pareciam conversar sobre algo bem interessante mas assim que me sentei na mesa eles pararam de conversar…


 


 

– Credo gente – enfiei uma porrada de arroz e feijão na boca – Eu não sou nem um fofoqueiro não…

– Eu sei Lee – afirmou – Você até hoje não contou o meu segredo e o do Deidara…

– Espera – Sakura arregalou seus olhos brilhantes expressando surpresa – Ele sabe?

– Sim… – Deidara assentiu cortando um pedaço de bife.

– Hum – ela encarou-me graciosamente – Oppa é realmente de confiança…

– Você ainda dúvida? – sorri coçando a cabeça.

– Jamais – a Haruno apertou minha bochecha – Eu confio em você totalmente…


 


 


 

Fiquei um pouco envergonhado mas continuei comendo, algumas atitudes de Sakura me deixam constrangido, a rosada terminou seu jantar e respirou fundo…


 

 

– Hoje eu comi tão bem! – ela bebeu o suco rapidamente e suspirou outra vez.

– Você fez uma montanha no seu prato – Rock Lee bebericou o copo de suco – Está comendo feito um boi, e não engorda… maldita!

– Quem comia bem era o Sasuke – Sakura começou a rodear a boca do copo com o dedo indicador enquanto falava do Uchiha – Ele sempre fazia montanhas no prato e ainda repetia, Sasuke dizia que seu corpo era bonito por conta da sua genética… – Os olhos dela começaram a brilhar feito duas bolas de gudes esverdeadas – Fico me perguntando se aonde ele está pode comer bem…


 


 


 

A Haruno respirou fundo, parecia querer chorar mas segurou… Lee paralisou com a colher na boca, Deidara apenas a encarava com pena e eu, simplesmente não gosto quando Sakura fica assim…


 


 

– Ya – gritei – Você não disse que tinha superado o Uchiha? – tentei distraí-la com provocações, Sakura sempre cai.

– Hum? – a rosada emburrou-se fazendo seu famoso bico –Aish… Oppa… é claro que superei.

– Então por que estava toda preocupadinha?

– Que preocupadinha oque… Aish… – ela disfarçou corada – De qualquer forma já terminei minha refeição, tchau pra vocês!


 


 

Sakura se despediu saindo da mesa ainda sem graça, foi difícil pra ela se recuperar mas acabou conseguindo e isso me alivia, estive ao lado dessa garota o tempo todo dando apoio, distraindo-a mostrando a ela que é necessário seguir em frente, com isso nós ficamos mais próximos e…


 


 

– Fecha a boca Kankuro! – Deidara mediu-me.


 


 


 

Notei que estava observando a rosada sair boquiaberto, disfarcei enfiando um pedaço de bife enorme na boca.


 

– Tadinha – Rock suspirou – Saky não consegue superar o deus grego – Deidara o repreendeu com olha por esse último comentário, mas concordou em seguida.

– Não sintam pena dela – afirmei – Sakura é forte, e ela não gosta mais do Sasuke!

– Inocente você – Lee balançou a cabeça negativamente serrando os olhos– Ela não gosta, ela ama… por isso demorou para se recuperar.

– Aish – reclamei de boca cheia – Pois eu digo que já superou…

– Por que você não quer que ela goste dele? – o cabelo de tigela abandonou a colher na mesa e serrou os olhos mais uma vez a medida em que me olhava. – Por acaso se apaixonou pela Sakura?


 


 

No mesmo instante me engasguei com a comida e Deidara me ofereceu um pouco de suco.


 


 

– Gomawo – agradeci recuperando o fôlego – Não diga besteiras mané, eu só não quero que ela sofra, como amigo quero o bem daquela pirralha.

– Sei – Lee voltou a comer – Como amigo eu te digo, não se apaixone por ela… Se estragar meu Shipper SasuSaku, eu te mato.

– Chega né? – Deidara o repreendeu.

– Relaxa – arqueei a sobrancelha – Eu estou aqui para cumprir uma missão, não viver um romance… e mesmo se fosse o caso, Sakura é uma criança e eu gosto de mulheres maduras.


 


 


 

Cortei mais um pedaço enorme de bife e comi, como ninja da ANBU que vivia dizendo ao Shikamaru “não se apaixone”, acho que falhei nesse quesito também, mas a diferença é que disfarço bem… até demais!

 


 


 


 


 


 

Do outro lado


 

 

 

Sabaku No Temari

Quarto feminino, 21:00Hrs, sábado.


 


 


 


 

Estava lendo na biblioteca porém cansei e resolvi dormir, antes de tomar rumo ao quarto parei no refeitório e apanhei inúmeros chocolates colocando-os dentro da blusa, estava saindo quando parei e resolvi comer um pedaço de bolo, escolhi o de morango e me sentei tendo boas lembranças a medida que comia…


 


 


 

Temari FlashBack On


 


 


 

Estava comendo bolo junto com Shikamaru, eu amo esse sabor… quando o chantili se mistura com a massa, o recheio e a fruta… me sinto no céu… Passei a comer de forma rápida, enfiando uma garfada de bolo atrás da outra, quando de repente me engasguei.


 


 

–Aish...quantas vezes vou ter que repetir pra você comer devagar? Você, o Kankuro e o Gaara tem a mesma mania feia. – O Naara deu leves tapinhas em minhas costas, ele parecia irritado.

– Dá próxima vez que gritar comigo, eu te mordo! – Reclamei de boca cheia, a medida em que me recuperava.

– Falar de boca cheia também é feio, gordinha! – ele apertou minhas bochechas, nossos olhos se encontraram e eu rapidamente desviei encarando o chão, porque meu rosto está tão quente? Sem pensar duas vezes mirei um tapão na mão dele que começou a rir retirando-as de meu rosto.

 

 

 

Temari FlashBack Off

 

 

 

 

Suspirei ao terminar de comer… Aish… preguiçoso, quem baterá nas minhas costas quando eu me engasgar? Levantei e me dirigi ao quarto, ao abrir a porta me deparei com Sakura e Ino pintando as unhas uma da outra, Konan penteava o cabelo de Tenten e Hinata secava os fios azulados e úmidos da azulada.

Se não fosse essas garotas para baterem em minhas costas a cada engasgada, eu me sentiria tão sozinha, sorri observando-as, fechei a porta do quarto e aproximei-me da cama de Ino jogando os chocolates sobre o lençol.

 

 

 

– Quem quer se entupir de Kit Kat até morrer de diabetes? – gritei fazendo-as virem correndo.

 

 

 

Todas apanharam mais de dois e sentaram-se no chão formando uma rodinha.

 

 

– Vai ficar só olhando Unnie? – Hinata encarou-me.

– Até parece né gente! – Me juntei a elas rapidamente.

 

 

 

Sakura estava com dificuldades para abrir a embalagem, como sempre… tinha que ser.

 

 

– Me dá isso, pirralha… – dei o meu que já se encontrava aberto para ela e abri oque ela estava em seguida.

– Oh… Unnie… tão generosa – a rosada apertou minha bochecha.

– Só não dou um tapa em sua mão porque te amo! – afirmei mordendo o chocolate.

 

 

 

Todas as meninas paralisaram com o doce na boca e me olharam.

 

 

 

– Está bem? – Konan colocou a mão na minha testa verificando a temperatura do meu corpo.

– Estou – afirmei surpreendendo-as – A Unnie ama cada uma de vocês… idiotas.

– “Woooons” – todas fizeram ao mesmo tempo.

– Repete só mais uma vez Unnie? – Ino sorriu.

– Não, é a primeira e última vez que estão escutando isso – mordisquei meu chocolate.

– Anda Unnie… – Sakura abraçou-me.

– NÃO – gritei – quer um beliscão na sua coxa branquela?

 

 

 

As meninas começaram a rir de mim, não é todo dia que expresso meu amor carinhosamente, na maioria das vezes é xingando, batendo, tentando matar, mas sou boa pessoa, juro!



 


 


 


 

Karin Uzumaki

22:00hrs, quarto feminino andar 02.


 

 


 


 

Estava deitada encarando o relógio, já havia tomado aquele banho quentinho e relaxante, vestido minha camisola preta, escovado meu cabelo vermelho jogando-o para o lado, perfumado e hidratado minha pele com algumas loções corporais.

Tayuya e Penélope conversaram um pouco mas logo deitaram e resolveram dormir, “Tic tac” para cá… “Tic tac” para lá… e finalmente 22:00hrs chegou.

Rapidamente calcei meu chinelinho preto com pelinhos e quando estava prestes a deixar o quarto Penélope sentou-se na cama me encarando.


 


 

– Vai aonde? – a loira me mediu – Essa hora da noite…

– Eu? – desviei o olhar rapidamente – Bom… – virei-me sorrindo completamente sem graça – Beber água onde mais eu iria…

– Sei, Karin você não me engana! – a Muller deitou-se novamente.

– Quer saber? – cruzei os braços – Cuida da sua vida…


 


 

Apressei-me e bati a porta do quarto sem me importar com nada, desci as escadas tomando rumo ao primeiro andar, deixei divamente a ala dos dormitórios, segui passando pela sala de estar, biblioteca, refeitório, virei a esquerda subindo outra escada e me dirigindo a sala de filmes…

Assim que abri a porta fui agarrada por Sai, o mesmo trancou-a beijando-me alvoroçadamente…


 


 

– Demorei? – sorri maliciosamente desgrudando-me dele, desviei rapidamente e me encostei nas costas do sofá.


 


 

Desde que Sasuke foi embora, resolvi usar Sai como minha principal arma de consolo e ele aceitou já que não sente nada por mim e ainda sai no lucro, mais que parceiros de equipe no C.P.K somos amigos… coloridos.

Tudo começou no banheiro da quadra, eu estava tomando banho após malhar intensamente, quando sai enrolada na toalha o branquelo estava na porta do banheiro feminino, diz ele que ia me entregar os relatórios e depois sumir, o Kikuchi estava sem camisa, seu tanquinho estava todo molhado de suor… ah… esse dia…


 


 

Karin FlashBack On


 


 


 

Segurei a toalha encarando-o ironicamente.


 


 

– Você é um tarado, se não sair daqui vou começar a gritar… – ameacei.

– Você acha mesmo que quero te ver pelada? – Sai começou a rir – Eu já vi e não é grande coisa…

– Não é? – aproximei-me dele.


 


 

Eu até que ia ser gentil mas após esse comentário ofensivo quero mais é que esse branquelo se ferre, passei a gritar escandalosamente pedindo socorro quando menos esperei o Kikuchi agarrou-me depositando um caloroso beijo em meus lábios.


 


 

– Me solta – falei ofegante assim que ele largou meus lábios.

– Não estou te segurando! – rapidamente olhei para a baixo e vi que era verdade, estou próxima dele por vontade própria.


 


 

Sem pensar duas vezes puxei-o, empurrei Sai para dentro do banheiro e fechei a porta.


 


 

– Começou agora aguenta… – desamarrei a toalha do meu corpo e parti pra cima dele que nem fez questão de hesitar.


 


 


 

Karin FlashBack Off


 


 

– Não me faça esperar – Sai aproximou-se o suficiente para que nossos corpos se colassem. – Eu penso muitas besteiras enquanto te espero…


 

Ele colocou suas mãos nas minhas coxas e foi subindo lentamente até a bunda aonde ele apertou fortemente, o Kikuchi voltou a beijar meus lábios lentamente, essa pegada que Sai tem me deixa louca, me pergunto como Ino pode ter deixado ele escapar (porque ela tem o Gaara né fia, me perdoem as fãs do Sai, mas o Gaara é o Gaara).

Sai levantou-me, fazendo com que eu me sentasse sobre a lateral do encosto, enraizou seus dedos em minha nuca e com a outra mão abaixou a alça da minha camisola, hoje a noite vai ser longa… como tem sido nos últimos meses.


 


 


 


 


 

No dia seguinte…


 


 


 


 

Pain Uzumaki

Quarto masculino, 6:30:00hrs, Domingo.


 


 


 

Estávamos todos dormindo quando de repente o alarme do C.P.K soou, Naruto, Neji e eu levantamos em um pulo só, Gaara continuou deitado e Sai, esse branquelo nem no quarto estava, sentei-me na cama escutando atenciosamente o recado que estava sendo transmitido para o colégio.


 


 

– Bom dia – era voz de Tsunade Sunbae – Alunos e alunas do C.P.K, queria convocar todos para se dirigirem ao auditório as 8:00hrs em ponto, temos que anunciar algo importante, não se atrasem!


 

 

 

Ao término do aviso todos nos encaramos com aquele leve olhar curioso…


 


 

– Não deve ser nada demais… – Gaara afirmou – No mínimo vamos fazer algum passeio, sei lá – o Sabaku abraçou o travesseiro virando-se para o lado esquerdo – Me acordam na melhor parte do sonho… Aish… justamente quando eu pegava Ino e…

– Moleque, ninguém quer saber os detalhes! – Neji repreendeu-o sorrindo e nos fazendo rir também, esse ruivo anda muito pervertido ultimamente.

– Até que repreenderia o pivete mas estou passando pela mesma situação… – Naruto apanhou sua camiseta laranja e a vestiu – Fico sonhando com Hinata toda noite…

– Hum? – Neji pigarreou cruzando os braços, o lado ruim de namorar a prima do melhor amigo é não poder fazer esses tipos de comentários perto dele.

– Bom – Hyung sorriu coçando a cabeça – Fico sonhando com Hinata toda noite… eu a presenteando com um cachorro Neji, o que mais seria?

– Ela é alérgica...– o Hyuuga arqueou uma sobrancelha a medida que encarava Naruto afrontosamente.

– De pelúcia – o Uzumaki sorriu, me divirto quando situações assim acontecem.

– Sei – Neji arremessou um travesseiro nele – Olha lá oque faz com a minha prima hein…


 


 

Naruto levantou-se colocando uma de suas mãos no ombro do guardião da sua namorada.


 


 

– Não se preocupe… – o loiro sorriu maliciosamente – Ela gosta…

– Hyung... – o cabeludo serrou os olhos repreendendo-o outra vez.

– De cachorros… de pelúcia – o Jinchuuriki completou dando leves tapinhas no ombro dele – E de um cachorro loiro bem charmoso – Naruto piscou virando-se para mim.

– Você não presta! – cai na gargalhada vestindo minha camisa também.


 


 

(esses meninos só andam pelados meu Deus)

 


 

Sai chegou, fechando a porta e jogando-se na cama… ele estava com a mesma roupa que saiu ontem do quarto, o Kikuchi sempre dorme fora nos finais de semana.


 


 

– Ouviram o alarme? – o branquelo perguntou.

– Alguém aqui é surdo?– Gaara sentou-se na cama – Babaca é claro que ouvimos…

– Não começa com sua “TPM” logo cedo pivete – o Kikuchi suspirou – Seu mau humor não pode com o bom humor do pai aqui…

– É… – cruzei os braços encostando-me no criado mudo – Transando todo os finais de semana, quem é que não fica feliz assim?

– Vai se apaixonar pela “molho quero” – Gaara afirmou.

– Como se você fosse o negão né? – Sai retrucou ironicamente.

– Meu ruivo é natural, mantenho claro usando tio nacho… o da Karin é Koreston, posso zoar! (Gaara blogueirinha)

– Koreston ou não puxei aquele cabelo com vontade – o branquelo levantou-se tirando a camisa (ai não falei, só andam pelados) – Aquela ruiva pega fogo…

– Mas é claro, um verdadeiro palito de fósforo… – o Sabaku comentou sendo acertado pela coberta que Sai jogou nele enquanto ríamos – Desculpa “parça”, a Ino não gosta da Karin aprendi esses apelidos tudinho com ela, resumindo… vou te zoar pra sempre!


 


 


 

O Sabaku levantou-se indo ao banheiro.


 


 

– É verdade… tantas meninas por ai, logo a Karin… – Naruto balançou a cabeça negativamente.

– O que vocês tem contra ela?

– Eu nem ligo… – Neji apanhou uma toalha no guarda-roupa pendurando na porta para Gaara – A propósito você já pegou a Karin também não é mesmo Hyung?

– Nunca nem vi, que dia foi isso? – o Uzumaki sentou-se ironizando.

– E você Pain? – Sai passou a escolher uma roupa – Não vai caçoar de mim também?

– “Naaaaaa”-- espreguicei-me – Cada um com a sua cruz… eu só observo!


 

Segurei o riso, após o Gaara, o Kikuchi é a segunda pessoa a qual é divertido pegar no pé, motivos? Ele sempre fica sem graça. O C.P.K não só fez eu reencontrar o amor da minha vida, mas me presenteou com amigos e me ajudou encontrar o meu verdadeiro eu…


 


 


 


 

Minato Namikaze

Auditório, C.P.K, 7:30min.


 


 


 

Todos os líderes estavam presentes, após a confirmação de Tsunade em relação ao nosso plano, ficou por minha conta avisar os Heathens que iriam ir para a guerra… Todos estavam muitos tensos, inclusive Rasa… imagino que a preocupação com seu filho Kankuro é tão forte quanto a que sinto pelo Naruto.

Mei e Tsunade estavam preocupadas com a reação dos ninjas, mas caso haja algum tumulto temos ninjas preparados para repreendê-los porém me sinto confiante, tudo vai dar certo.


 


 

– Já está na hora Yondaime – Õnoki afirmou – Todos os Heathens estão reunidos esperando pelo anúncio…

– Devemos ir… – “A” abriu passagem para que eu pudesse ir primeiro.


 


 


 

Respirei fundo, acompanhado de diversos ninjas seguranças eu e os outros líderes cruzamos a multidão que olhava para nós curiosamente cochichando uns com os outros, observei Naruto que estava sentando ao lado de seus amigos, ele parecia ansioso para o anúncio também.


 


 

– Alunos e Alunas do C.P.K – Tsunade foi a primeira a subir no palco e pegar o microfone – Quero que prestem muita atenção no que vai ser dito, que pensem bem e não se estressem – a Senju respirou fundo – O Yondaime ira anunciar um acordo que fizemos… espero que compreendam… – ela desceu tomando rumo até mim – Hokage... – a diretora do C.P.K curvou-se em reverência – Boa sorte!

– Gomawo – agradeci sorrindo e tomando rumo ao palco.


 


 


 

Todos os olhares estavam voltados a mim, apesar de já está acostumado com este tipo de situação posso sentir meu corpo tenso, o estômago quer embrulhar e minhas mãos estão suando frio, passei o olho rápido obtendo noção do rosto de alguns, bom agora é a hora…


 


 


 

– Sem muitas enrolações, estou aqui para dizer a verdade a vocês… Alguns líderes queriam que isso fosse obrigatório com medo de não haver um retorno positivo porém resolvi fazer uma proposta pois acredito em cada um aqui dentro – retirei o microfone do pedestal segurando-o com a mão esquerda – Antes de vocês virem ao C.P.K eram divididos em penitenciárias A e B, condenados por crimes que fizeram com que a sociedade excluísse e desprezassem vocês, até mesmo a própria família, mas essa mulher – apontei para Tsunade – Ela acredita que todos merecem uma segunda chance, não de ser perfeito… mas de fazer melhor, ela analisou a história da maioria e nos afirmou com toda certeza “Esses jovens são capazes...”

 


 

A Senju parecia um pouco emocionada mas não derramou uma lágrima.


 


 


 

– Vocês entraram no projeto, passaram pelo projeto… – dei continuidade – Acredito que hoje graças ao projeto vocês se tornaram melhores, para as pessoas e para vocês mesmo… fizeram amigos… se apaixonaram… venceram seus inimigos mais íntimos… Porém… Quero apresentar a vocês um novo inimigo, por causa desse inimigo muitos são “Heathens”, por causa desse inimigo muitos cresceram sem seus pais, por causa desse inimigo muitos enfrentaram dificuldades ao longo da vida… Heathens… – respirei fundo – Estamos em guerra outra vez…


 


 

Pude ouvir sussurros e murmúrios que foram crescendo desde a primeira fileira da plateia até a última.
 


 

– Acalmem-se – pedi gentilmente, mas o barulho só aumentava.

– SILÊNCIO! – Tsunade gritou sem a ajuda do microfone fazendo todos pararem, até eu me assustei – Continue Yondaime…

– Bom – todos ficaram quietos, outra vez – Não vim aqui apenas avisar sobre a guerra… Vocês lembram da proposta que falei no início? Quero convidá-los a participar, mas não pensem como um convite e sim como um pedido de socorro, não só meu mais de todos os países. Quero propor o seguinte, quem servir na guerra… poderá se formar assim que vencermos, não precisará ficar no C.P.K até o final do ano.

 


 

Barulhos surgiram novamente, todos comentavam entre si, pelo menos não se revoltaram…


 


 

– Os nossos ninjas estarão espalhados nas salas de aulas, pegando o nome de quem quer ir servir e entregando os uniformes, os que se alistarem hoje mesmo serão enviados amanhã a noite… Mas quem sentir que precisa se preparar não tem problema, vocês terão a semana todinha para se alistarem.

 


 

Dentre a multidão um ninja de olhos perolados levantou-se, ele parecia está confuso ainda.


 


 

– Guerra? – ele encarou-me – Como começou e por que aconteceu? Quem é o nosso inimigo? Contra quem vamos lutar?

– Isso é algo que precisa se alistar para saber – respondi – Apenas os capitães que já estão lá podem responder… não sabemos desses detalhes também, mas o inimigo não é fraco, já estamos enfrentando-o alguns meses, falta mantimentos em algumas aldeias, os números de protestos e mortes aumentam, vocês são os únicos que podem proteger essas pessoas e vencer esse inimigo – suspirei outra vez – Sei que devem pensar “esses aldeões não merecem nossa ajuda” Mas no meio disso tudo há crianças inocentes, pessoas inocentes, famílias serão destruídas e até mesmo vocês… pensem bem e tomem uma decisão, vocês tem uma semana começando por hoje… obrigada!


 


 


 

Agradeci deixando o palco…


 


 

– Mandou bem Yondaime – Mei sorriu.

– Só espero que a resposta deles seja positiva!


 


 

Acompanhado dos outros líderes e de nossos ninjas seguranças deixamos o auditório ao som da conversa que ocorria na multidão de Heathens… agora tudo depende deles!


 


 


 


 


 

Tsunade Senju

Diretoria, 8:05min, Domingo.


 


 


 

Agradeci e me despedi dos Kages, Minato resolveu ir procurar Naruto antes de partir, Rasa também quis ficar para ver Kankuro, apenas fechei a porta e suspirei aliviada quando todos deixaram minha sala.

Coloquei um pouco de café no copo e sentei-me no sofá relaxando, agora só me resta esperar, quem irá? Quem ficará? Isso depende deles, espero que façam a escolha certa.


 

– Sunbae – Shizune entrou na minha sala sem bater, pensei em reclamar mas ao notar que ela veio correndo por está ofegante apenas pedi que se assentasse.

– Olha não fique chateada Shizune, não podia te falar nada da guerra…

– Eu não estou chateada – minha pupila segurou minhas mãos – Eu entendo a sua preocupação, em especial comigo e com a Sakura…

– Obrigada, por ser compreensiva! – sorri.

– Sunbae… – Shizune soltou soltou minhas mãos virando-se para frente, ela parecia curiosa e ansiosa, a única falha como ninja dela é não saber esconder seus sentimentos.

– Diga – beberiquei a xícara de café.

– -I-itachi… ele está na guerra com Sasuke certo?


 


 

Não esperava outra reação da parte dela, tenho medo como a pirralha rosada vai reagir.


 


 


 

– Ye – assenti – Eu não podia te contar… Mas pelo que sei os irmãos Uchihas são capitães, assim como Shikamaru…


 


 


 

A Sato respirou aliviada, não dá para negar… me sinto da mesma forma que ela agora que tudo foi revelado.


 


 

– Eles estão bem? Se machucaram? Estão se virando bem lá?

– Ye – coloquei a xícara vazia sobre a mesinha que ficava no centro da sala e próxima ao sofá – Shizune – pigarreei – Por acaso está apaixonada por Itachi? – arqueei uma sobrancelha – Você nunca se preocupou assim com homem, recusou todos… até mesmo Kabuto, e ele sempre gostou muito de você.

– Aish – ela se levantou toda corada – Claro que não Sunbae, é que Itachi Oppa é um amigo muito próximo… tipo um irmão… então eu me preocupo e… eu sempre deixei claro para o Kabuto que só gosto dele como amigo, já faz anos que não nos vemos mas nunca dei esperança para ele!


 

 

De repente o furacão rosa invadiu minha sala soltando fogo pelas ventas, com seu macaquinho Jeans, os coquinhos iguais ao da Tenten porém rosados e o bico de birra que ela fazia a medida em que me encarava de braços cruzados, não tem como levar a raiva dela a sério.


 


 

– Sunbae, como pode ter mentido pra mim dessa forma?

– Eu não menti… – levantei olhando para o outro lado de braços cruzados.

– Ya, você disse que Sasuke foi expulso…

– E ele foi do C.P.K para a guerra! – afirmei sorrindo.

– Aquele idiota… por que não me disse nada? – Sakura resmungou olhando para o nada a medida em que seus olhos brilhavam.

– Ya… qual o problema pirralha? – Shizune aproximou-se dela – Você não disse que superou o Uchiha, está tão mexida por que?

– Aish… Unnie… – a rosada esquivou-se sentando no sofá – É claro que superei, não estou nem ai, não ligo… – ela corou completamente – Se Sasuke tivesse consideração teria me avisado, sofri tanto que perdi o pouco de bunda que me restava por passar dias sem comer na “bad” – a Haruno cruzou suas pernas pálidas apoiando o cotovelo no braço do sofá e encostando o queixo sobre a mão fechada. – Mas não me importo, não sinto mais nada por ele, já se passaram 3 meses as coisas mudaram, o sentimento mudou, sim...as coisas mudam, a vida muda, até recuperei os quilos que perdi, porém não a bunda...


 


 


 

Se tem uma coisa que Sakura faz muito bem quando se sente ansiosa é soltar a língua, ela consegue falar mais rápido que cantores de rap e mais do que um papagaio.


 


 


 

– Mas está tudo bem comigo, não se preocupem… me estressei por que? Porque a senhora mentiu é claro, não agiu com sinceridade para com a minha pessoa, mas quer saber? Foi melhor assim, muito melhor… sem tem uma coisa que foi, essa coisa foi melhor… afinal… – Sakura ia continuar falando quando Shizune tampou a boca dela.

– Apenas se acalme papagaio...– Minha pupila continuou segurando a boca dela – Não fique preocupada nem ansiosa… em breve estaremos lá.


 


 

Gosto do jeito que Shizune a trata, como se fosse uma irmã mais nova.


 


 

– Você vai permitir não vai Sunbae? – a morena jõnin encarou-me com olhar de súplica.


 


 

Por eu não ter ninguém além dessas duas, as trato como se fossem minhas filhas… Mas Minato permitirá que Naruto vá, Rasa fará o mesmo, nessas horas não pensamos com o coração mas com a razão, por mais que a preocupação e o medo existam…


 


 

– Ye – assenti – Eu irei também, eles precisam de médicos ninjas lá – afirmei – Porém não vou agora, apenas depois…

 


 

Sakura retirou a mão da Shizune de sua boca e levantou-se um pouco aflita.


 


 

– Eu não irei – a Haruno afirmou nos surpreendendo – Unnie… – a rosada encarou-a com seus olhos verdes – Cuide bem dos ninjas!

– Sakura…

– Não se preocupe… – os olhos dela se encheram de lágrimas.

– Pirralha – aproximei-me surpresa.


 


 

Nos abraçamos… um abraço triplo… Minhas duas pupilas derramaram algumas lágrimas, me esforcei ao máximo para não chorar porém meus olhos brilharam.


 

– Aish… – comentei – Tão emotivas…


 


 


 


 

Naruto Uzumaki

Jardim, 8:10min, domingo.


 


 


 


 

Neji, Hinata, Tenten e eu seguimos conversando após esse anúncio, então era isso que Kurama queria me contar? Antes tivesse a escutado… já estaria lá.


 


 


 

– Você vai ir né? – Hinata parecia intrigada.

– Com certeza, Sasuke está lá… – segurei o rosto dela – Não posso deixar ele lutar sozinho, nem mesmo suporto a ideia de que sangue inocente está sendo derramado…

– Então eu irei também! – a Hyuuga afirmou.

– De forma alguma – Neji se intrometeu – Uma guerra é bem diferente das lutinhas que vocês fazem nas aulas práticas, eu não permitirei que você vá… – o cabeludo afirmou.

– Você não manda em mim – minha namorada encarou seu primo com sangue nos olhos – Eu vou nem que eu tenha que fugir e ir, não é só pelo Naruto mas por mim, eu mereço ser livre, eu mereço ter a oportunidade de ajudar alguém…


 


 

Hinata esbarrou no ombro dele e se retirou rapidamente.


 


 

– Neji você só não mais idiota por que é um só – Tenten o encarou – Hinata é uma ninja bem habilidosa… todas nós somos… podemos ser magras e pequenas, mas somos mulheres fortes, não seja machista… babaca!

– O que você entende de habilidade Tenten? – apenas observei a discussão sem dizer um A – Você acha que atirar kunais é uma habilidade? Você ao menos conseguiu se defender do Choji quando ele te atacou? Não seja idiota se for será só mais um peso para os ninjas que estão dispostos a darem a vida pelas pessoas.

– Eu irei… e quando tiver oportunidade lançarei uma Kunai… bem na sua testa… seu… seu… GRRRR – A Mitsashi saiu com os olhos brilhando esbarrando no ombro dele assim como Hinata fez.

 


 

Respirei fundo sentando-me em um dos bancos, o Hyuuga sentou-se ao meu lado…

 


 

– O que? – cruzei os braços – Vai me dizer para não ir também? – ironizei.

– Não… eu só não quero que Hinata se machuque! – o cabeludo expressava preocupação em sua face.

– Hum… e Tenten?

– O que tem ela?

– Você sabe que ela não lança apenas Kunais, ela é inteligente e ágil quando se trata de lutas… tem mais armamentos do que tudo, eu não queria tê-la como inimiga em uma batalha! – provoquei-o.

– É eu sei…


 


 


 

Ele parecia sério e sem humor para brincadeiras, então rapidamente fechei a cara deixando a tensão tomar conta de tudo.


 


 


 

– Então por que não quer que ela vá Neji?

– Porque não, eu... não quero que Tenten… vá!

– Você está todo preocupadinho com a Pucca e fica ai fazendo charme.

 


 

Cutuquei-o bagunçando seus cabelos, Neji odeia isso e é exatamente por conta disso que faço, estava prestes a levar um xingo quando meu pai se aproximou com seus ninjas segurança… Foi necessário só um olhar para que o Hyuuga se curva-se em reverência e saísse logo em seguida.


 


 

– Abba – sorri.

– Não vou perguntar se você vai, te conheço sei bem a resposta...-- meu pai sentou-se ao meu lado apoiando uma de suas mãos em meu ombro.

– Cuide da minha mãe!

– Acha que sou um líder covarde? Acha mesmo que me esconderei atrás das minhas tropas ninjas? Acha mesmo que ficarei dando ordens de longe? – recebi um beliscão – Moleque idiota… não conhece o seu pai? Eu irei para essa guerra, não agora mas já conversei com Tsunade, quando ela for… irei junto.

– Abba…

– Naruto um líder nunca é bem visto pela sociedade, já fui chamado de corrupto, metido e coisas piores… Mas assim como vocês quero provar que sou diferente, não foi atoa que aprovei o projeto da Tsunade, eu sei que sou diferente e que todos vocês são também, não importa oque a sociedade diga ou pense!
 


 

Meu coração apertou, é verdade que o Yondaime sério que todos conhecem é um pai sorridente e divertido que me ensinou muitas coisas boas, sabia que ele não ia me decepcionar…


 


 

– Pai – desabafei – Eu não demonstro, mas tenho medo...

– É nossa chance de fazer o bem a quem nos faz mal… ajudar quem lhe negou ajuda, você é mais que o Jinchuuriki humilhado de anos atrás e será o novo herói de Konoha.

– Não diga isso, não deposite tanta confiança em mim.

– Deposito, porque conheço o filho que tenho… boa sorte meu garoto, espere por mim lá…

 


 

Minato depositou um beijo em minha testa e se retirou, sinto vontade de dizer que o amo mas não quero exagerar, afinal ele sabe…


 


 


 


 

Kankuro Miura

Corredor, 8:10min, domingo.


 


 


 

Assim que acabou o anúncio fui conversar com meu pai, ele me explicou toda situação, também oque aconteceu com Sasuke, Itachi e me informou sobre Shikamaru… Bom estou aliviado agora porém continuo preocupado. Madara traiu as nações e ele não é um inimigo fraco!


 


 

– Se eu pedir para você ficar como pai, falharei como líder… me perdoe por duvidar das suas habilidades meu filho – Rasa olhou-me nos olhos – Você é um dos melhores ninjas que conheço – ele colocou uma de suas mãos em meu rosto, confesso que sinto vontade chorar pois meu pai nunca foi tão carinhoso, mas posso ser capaz de entendê-lo – Foi aprovado pela ANBU… Vigiou os Heathens… e agora, um guerreiro…

– Abba…

– Na guerra você não será um Heathen, ficará com seu esquadrão da ANBU… Minato e eu não nos esconderemos, diferente de alguns líderes nós resolvemos lutar ao lado de vocês… iremos depois, mas até lá, se cuide meu moleque… se cuide!

– Ye – assenti com os olhos cheios de lágrimas porém as impedi de escorrer dando uma profunda engolida de choro.


 


 


 

Meu pai tirou sua mão do meu rosto, em seguida Gaara e Temari surgiram juntos ao fim do corredor…


 


 

– Oh… Kazekage! – a Sabaku aproximou-se puxando assunto – Imagino que esteja preocupado com Kankuro… mas prometo cuidar do seu filho, o senhor é uma boa pessoa.


 


 

A gordinha do Shikamaru bagunçou meu cabelo como se fossemos bem íntimos… Aish…


 


 

– Você vai? – Rasa parecia preocupado.

– Mas é claro, até parece que Gaara e eu vamos perder essa guerra… – Temari arqueou uma sobrancelha cruzando os braços. – Não é mesmo Gaara?


 


 

Seu irmão ruivo parecia está no mundo da lua, mas voltou para terra ao receber um beliscão de sua Noona.


 


 


 

– Ya… estou falando com você.

– Desculpa Tema, depois nos falamos! – ele curvou-se em reverência para meu pai e saiu.

– O que ele tem? – Perguntei curioso afinal o Maknae(mais novo) do grupinho do Uzumaki é sempre tão falante e brincalhão.

– Está preocupado com a Ino – a Sabaku suspirou – Ela não vê o pai há anos, não tem notícias da mãe e se sente mal em ir para a guerra assim…

– Entendo – Meu pai seguiu Gaara com olhar, parecia mais preocupado que eu que sou amigo dele. – De qualquer forma, cuidem um do outro… depois chegarei para proteger vocês. – ele bagunçou o cabelo de Temari e despediu-se.

– Seu pai é tão legal… – Temari comentou escorando no meu ombro.

– Quer pra você? – ironizei de braços cruzados – Pode pegar, não aceito devolução.

– Credo Kankuro – ela irritou-se tomando uma certa distância de mim – Se soubesse a falta que faz um pai, não reclamaria do seu – os olhos dela se encheram de lágrimas, não aguento ver as pessoas chorarem.

– Ya – aproximei-me – Desculpa está bem? – sorri – Vem… – puxei-a pela mão – Vamos comer um bolo, quando você for pra guerra vai ter que viver de frutas e rações operacionais.

Ino Yamanaka

Quarto feminino, 8:20min, domingo.


 


 


 


 

Após passar alguns minutos caminhando e refletindo retornei ao quarto, disse ao Gaara que não vou para a guerra… me sinto mal por ir sem ver meu pai, por mais que ele não se importe comigo, eu me importo com aquele velho… Aish…


 


 

– Oh você estão aqui? – falei assim que abri a porta e notei que Konan conversava com Pain.

– Não está atrapalhando – a azulada deu leves tapinhas no colchão – Vem… junte-se a nós.


 


 

Sentei-me e permaneci calada olhando para o nada.


 


 

– Está triste? – Pain perguntou sentado na cama a frente.

– Bom, me sinto mal minha mãe saiu em missão muito importante e não retornou, não sei se morreu, se está viva… meu pai… não veio me visitar nunca e agora com essa notícia da guerra, será que ele foi para lá e morreu? – algumas lágrimas começaram a rolar em meu rosto – Tantos pensamentos e hipóteses rodeiam minha mente, não quero ir assim confusa, não quero ficar sem o Gaara…

– Oh minha amiga – Konan abraçou-me de lado encostando minha cabeça em seu ombro – Pain e eu entendemos a sua dor, mas a diferença é que temos certeza da morte de nossos pais… Mas sabe o que nos conforta?

– O que? – ergui o olhar encarando-a atentamente.

– Bom, o que seus pais diriam a você?


 

Passei a refletir por um instante.


 

– Ino, Eu sei que é bem clichê dizer isso mas… escute a voz do seu coração, está bem? – Pain entregou-me um lenço.

– Ye – sorri enxugando as lágrimas.

– E você não está sozinha...hum? A partir de agora eu sou sua mãe e Pain seu pai… – Konan Unnie apertou minhas bochechas como se eu fosse a pirralha da Sakura.

– Se for assim, olha meu genro ai… – o namorado da minha Unnie comentou assim que viu Gaara entrar no quarto.


 


 

O ruivo sentou ao meu lado com um olhar preocupado.


 


 


 

– Está chorando? – o Sabaku encarou-me.

– Estou bem – sorri.

– Mentirosa…

– É verdade – sorri verdadeiramente pois percebi que além de nossos pais, nossos amigos também são nossa família – Ganhei até uma Omma(mãe) e um Abba(pai)…


 


 


 

Pain colocou as mãos no ombro de Gaara apertando.


 


 

– Agora você é meu genro…

– Aish Hyung – meu namorado esquivou-se – Que genro oque…


 


 


 


 

Algumas horas depois…


 

 

Rock Lee

Fonte, 19:00hrs, Domingo.


 

 


 

Sentado na beirada da fonte que jorrava água, comecei a refletir… Sempre fui covarde, covarde em relação a minha família, covarde em relação aos meus amigos, sempre apanhei sem dizer um “A”, e agora com essa notícia triste, meu coração se encolhe de tristeza, ansiedade e novamente por ele… o medo.


 


 

– Tigelinha! – Deidara sentou-se ao meu lado – Olhando para o nada e pensando em tudo?

– Sim…


 


 

O loiro já afirmou com toda certeza que vai servir na guerra, ele não quer perder a oportunidade fazer o bem, Deidara disse que já presenciou tempos assim, é muito difícil e triste viver um país onde sangue é derramado a cada 5 minutos, ele falou que quer parar essa guerra antes que ela nos pare…


 


 

– Chegou a alguma conclusão? – ele encarou-me com seus olhos claros.

– Ye – assenti.

– Bom… estou ouvindo…

– Eu sou um medroso, um covarde – afirmei com a voz trêmula – Não consigo nem me defender dirá outras pessoas…

– Olhe… – Deidara apontou para um formigueiro – Que fofinhas… – ele sorriu – Tão frágeis… pequenas e fáceis de matar, porém guerreiras e trabalham juntas.

– É…

– Lee – o loiro levantou-se estendendo a mão para mim – Assim como essas formigas, vamos trabalhar juntos? Você é frágil, pequeno e se abate por qualquer coisa mas é um ninja, é guerreiro, eu acredito em você… Vamos trabalhar juntos?

 

 

Sorri ganhando forças, acho que eu não preciso de mais nada...Deidara é tudo oque tenho.


 


 

– Vamos – levantei segurando a mão dele – Minha “tanajura”…

– Tanajura? – o loiro questionou confuso.

– Você tem um “bundão”

– Mas olha só que abusado…


 


 


 

Sai Kikuchi

Sala de filme, 20:00hrs, Domingo.


 


 


 


 

Fui informado que receberei a visita de meu pai antes de partir e isso me preocupa, mas com toda certeza vou ir para essa guerra queira ele sim ou não.


 


 


 

Sai FlashBack On



 

– O que passou pela sua cabeça Sai? Treinar dentro da empresa? – O Sr.Kikuchi gritava comigo, apenas abaixei a cabeça.

– Pai eu apenas estava treinando, perdi o controle e acabei destruindo o edifício …

– Você não precisa treinar para substituir-me futuramente, você mexerá com dinheiro e ações, não com lutas! – Abba respondeu-me bruscamente.

 

 

Não aguentei a pressão e surtei… ele sabe dos meus sonhos, mas me impede de realizá-los.

 

 

 

– PAI EU NÃO QUERO HERDAR SUAS EMPRESAS, EU NUNCA QUIS … EU QUERO SER UM NINJA IGUAL AO MEU IRMÃO … UM GRANDE E VERDADEIRO NINJA! – Gritei perdendo a cabeça – DESDE CRIANÇA EU SEMPRE SENTI ISSO, MAS TODOS COLOCARAM EM MINHA CABEÇA QUE EU TINHA DE SER IGUAL A VOCÊ, EU NÃO QUERO SER IGUAL VOCÊ … EU QUERO TOMAR MINHAS PRÓPRIAS DECISÕES!

– Já chega Sai! – falou o “Sr.Kikuchi”.

– SEMPRE TIVE QUE SER O ENGOMADINHO DE NOTAS BOAS, COM AMIGOS INTERESSEIROS QUE SEGUEM O MESMO PADRÃO, NÃO PUDE NEM AO MENOS ESCOLHER COM QUE ME CASAR, ENTÃO DEIXE-ME ESCOLHER MEU FUTURO! – completei gritando a medida em que as lágrimas rolavam.

– EU DISSE JÁ CHEGA! – Retrucou meu pai no mesmo tom de voz – VOCÊ ESTRAGOU A SEDE PRINCIPAL DAS NOSSAS EMPRESAS… A EMPRESA QUE VOCÊ IA HERDAR!

– Ia por que? Não vou mais – disse isso com tanto entusiasmo, era tudo oque queria, poder fazer minhas próprias escolhas.

– Não … na verdade vai sim … mas depois que cumprir sua pena na cadeia! – falou Kikuchi.

– QUE? – Berrei.

– Regras são regras meu querido filho, aproveite para botar na sua cabeça que seu destino é me substituir!

 

 

 

De repente os homens de Susumo entraram e me agarram pelos braços, lutei fortemente chamando pelo meu pai mas...


 


 

– Estou fazendo isso para o seu próprio bem … meu garoto! – falou Susumo sentando-se sobre a cadeira do escritório.

– NÃO… PAI… NÃO…


 


 

Sai FlashBack Off


 


 


 

Comecei a chorar feito um idiota levando as mãos ao rosto, que droga de vida…


 

 

– Branquelo? – Karin interrompeu-me entrando na sala, ela aproximou-se lentamente sentando ao meu lado – Está chorando?

 


 

Levantei rapidamente virando de costas, engoli o choro, enxuguei as gotículas e virei-me sorrindo.


 

 

– Até parece, você pensa que sou você? – respondi grosseiramente – “ai sasukezinho foi pra guerra, ai será que ele tá bem” – imitei-a fazendo voz fina – Se toca garota…

– Credo – Karin levantou-se cruzando os braços – Só perguntei, agora nem ligo, se quiser chorar feito um idiota que morra desidratado.

– Não me importo com oque você liga ou não… – afirmei.

– Estúpido…

– Cobra…

– Imbecil…

– Infeliz…


 


 

Sem perceber estávamos cara a cara um com o outro, olho por olho e dente por dente, medi a de cima abaixo.


 

– Otário…

– Cachorra. – puxei-a pela cintura beijando seus lábios lentamente.


 


 

Karin cruzou os braços ao redor de meu pescoço retribuindo na mesma intensidade, nos separamos por falta de ar…


 


 

– Ruiva – encarei-a – Transe comigo pela última vez…

– Não sentirei sua falta nem um pouco…


 


 

Voltamos a nos beijar… Um ótimo jeito de se despedir dela já que Karin vai pra guerra.


 


 

Sakura Haruno

Campo, 22:00hrs, C.P.K.


 


 


 

Por conta da guerra estamos todos aflitos e ansiosos, não é sobre nossas histórias e nossos sentimentos… É UMA GUERRA… indireta mas é, pelo que conversei com Tsunade Sunbae, os renegados misteriosos que estão por trás disso não revelaram as caras, eles atacam quando ninguém percebe, seguem a linha de pensamento “Se atacar de uma vez não dá certo que seja aos poucos”.

Nossa nação tem um inimigo invisível, apesar de saber que Madara está por trás disso com a ajuda de alguns renegados poderosos… Ninguém… Nem mesmo a ANBU foi capaz de localizá-los… eles aparecem, matam, causam graves danos a locais importantes e fogem, como se estivessem brincando com a gente. Então isso vai além do que imaginávamos e pensávamos, é matar ou morrer...

Resolvi ir até o campo e levei meu diário, desde que Sasuke partiu eu não escrevi mais nele só pra não dá de cara com aquela declaração que ele fez quando me pediu em namoro, pabo… Aish… Eu estava com as mãos no diário prestes a abri-lo quando minhas unnies surgiram com seus cobertores enrolados no corpo por cima dos pijamas.


 


 

– Saky… – Tenten correu sentando-se ao meu lado na grama – Por que nunca nos contou sobre esse lugar?

– Tão bonito... – Hinata suspirou com franjinha balançando no ritmo do vento.

– Olha quantas estrelas – Ino apontou para céu.

 

 


 

De repente os rapazes surgiram também… o que está acontecendo hoje? Resolveram me seguir… Talvez seja um sinal que não devo abrir esse diário nunca mais… é!


 

– Não faça isso... – gritei – Dizem que quando apontamos o dedo para uma estrela nasce verruga…


 


 

Todos começaram a rir de mim.


 


 

– Você acredita em papai noel também Sakura? – Gaara sentou-se próximo a Ino.


 


 

Tenten dividiu sua coberta comigo, Hinata com Naruto… bom os casais entre si, Neji acabou ficando sem…


 


 

– Aqui… – a Mitsashi entregou sua coberta para ele.

– Não precisa, não sinto frio... – o Hyuuga tentou se fazer de machão fazendo com que Temari e eu expressássemos ironia no olhar.

– Por acaso você é algum pinguim? – Tenten o repreendeu – Pega logo… – ela jogou a coberta na cara dele.


 


 

Nos juntamos a Temari Unnie que dividiu sua coberta com a gente sem reclamar.


 


 

– Em pensar que todos nos odiamos de início, e agora estamos aqui… um usando a coberta do outro! – Pain afirmou sorrindo.

– Foi tudo culpa do Sauske… – Narutou abraçou Hinata – Ele que provocou primeiro…

– Ya – apertei o nariz dele – Não fale de alguém que não está presente…

– Por que está se importando? – o irmão ruivo da Temari arqueou uma sobrancelha – Não disse que superou ele?


 


 

Por um minuto todos me encararam com o mesmo olhar que dizia claramente, “assuma, você não superou”…


 


 

– YA – gritei – Eu superei, mas é feio falar mal dos outros… – Desviei o olhar disfarçando.

– Mas eu não falei mal – O Uzumaki olhou para o céu – Sasuke é corajoso, ele sempre foi mais meu amigo que meu rival… Shikamaru também… To seriamente chateado por eles terem ido sem mim, nunca imaginei o Nara e o Uchiha trabalhando juntos, o bicho preguiça com todo aquele humor e o Teme com aquela mesma expressão fria, acho que na vida passada ele foi um iceberg…

– Verdade – Pain confirmou tudo – Uma vez ganhamos um jogo dos garotos da outra sala, chegamos empolgados conversando e Sasuke apenas disse “Legal, agora calem a boca”.

– Parece a Temari – gargalhei recebendo um olhar frio da minha Unnie…

– Neji se parece um pouco com Sasuke – Gaara colocou seu braço em volta do pescoço da Ino – A Diferença é que ele é quieto…

– Konan Unnie na vida – Hinata completou e nós concordamos.

– E você? – o primo cabeludo da nossa anã retrucou – Tão elétrico e chato quanto o Naruto, não dá pra saber quem é o Hyung e quem é Maknae… se comportam feito dois moleques. – Pain começou a gargalhar mas o Hyuuga o repreendeu – Você também não fica atrás…

– Sakura, Ino e Tenten… parecem as três hienas do rei leão! – Temari espreguiçou-se.

– Ya… – gritei.

– Viu? Tão escandalosa… – Hinata sorriu.

– Você não pode opinar em nada, pois só sabe dormir… por isso que não cresce, sua alpinista de calçada… – retruquei.

– Não fale assim da minha namorada! – O Uzumaki se intrometeu – Só eu posso zoar a altura dela, além do mais o próprio Sasuke disse uma vez “não entendo como uma coisa tão pequena pode fazer tanto barulho” e ele estava se referindo a você…

– Sabe onde estou Naruto?

– Onde?

– Nem ai…


 


 


 

Continuamos dialogando por um bom tempo, relembramos muitos momentos bons e ruins também, principalmente aquele dia que quebrei a parede do quarto deles, mas chegou um certo momento que todos ficamos em silêncio olhando o céu lotado de estrelas, desviei o olhar por um minuto e notei que Tenten e Neji trocavam alguns olhares, passei o olhar em volta e vi como cada casal se completava.

Temari Unnie, sempre cuidando de mim como se eu fosse a filha dela… aish… sou grata por tê-los em minha vida.


 


 

– Bom – levantei-me olhando-os – Eu não vou ir para a guerra…

– O QUE? – Naruto e Ino arregalaram os olhos, assim como todos que estavam ali – Sakura você não pode ficar…

– Por favor, não morram – meus olhos encheram-se de lágrimas – Vocês… Unnies… Oppas… todos são importantes pra mim,

– Saky… – Hinata abraçou-me – Você tem certeza que…

– Não se preocupe! – retribui o abraço – É temporário, preciso melhorar minhas técnicas, mas alcançarei vocês em breve…

– Meu papagaio… Vou sentir saudades… – Ino encarou-me.

– Eu também vou sentir de cada um que partir… Mas alguns sacrifícios são necessários, me prepararei bem, treinarei dobrado para chegar lá não como a pirralha da turma mas uma guerreira… Meus amigos…Boa sorte…

 


 

Semana seguinte…


 


 


 

Tsunade Senju

Entrada do C.P.K, 4:30AM, Domingo.


 


 


 

Graças a Deus a resposta foi positiva, 99% dos Heathens vão servir na guerra os outros 1% alguns não querem ir como Sai e outros ficaram para se preparar e ir no segundo grupo como Sakura e Tenten que resolveu esperar mais um pouco de última hora… Pude vê-las levantarem cedo para se despedirem dos amigos, a Haruno até chorou ao abraçar Naruto… Uniformizados e prontos pedi que formassem diversas filas…


 


 

– Quando os vi pela primeira vez, principalmente os da penitenciária B que usavam até uniforme laranja… era todos presidiários renegados – passei a caminhar para esquerda – Mas hoje vocês estão saindo daqui como ninjas e futuramente serão reconhecidos como heróis… – voltei para a direita – Minhas crianças… vão lá e arrasem!


 


 

Todos soltaram um alto grito de guerra… Ino… Hinata… Temari… Konan… Gaara… Pain… Naruto… Neji… Lee… Karin, pude ver o olhar de cada um brilhar quando os portões enormes que os mantinham ali dentro presos se abriram.


 


 

– VÃO… – gritei.


 

Naruto foi o primeiro a sair, ele liderava a caminhada até a base onde a equipe de Kakashi estava, mais de 500 ninjas, de aldeias diferentes, com histórias diferentes caminhando juntos em um mesmo propósito… Demorou um pouco mais de dois minutos para que todos saíssem, mas assim que a entrada se esvaziou permanecendo eu, os sunbaes e o 1% dos que ficaram os portões se fecharam novamente…


 


 

– Sunbae – Sakura aproximou-se – Eu sei que você quer chorar…

– Não diga besteiras… – retruquei.

– Mas seus olhos estão brilhando – Tenten encarou-me fixamente.

– Ya – as repreendi – Pensam que vão ficar aqui atoa? Sakura você terá de me aturar como sua Sunbae e Tenten… Gai te espera.

 


 

Elas passaram na minha frente de braços dados ignorando-me completamente.


 


 

– Amiga sabe o que isso me lembrou? – a garota de coquinhos parou de caminhar fazendo a rosada parar também, apenas encarei tudo indignada.

– O que? – a Haruno levantou as sobrancelhas expressando curiosidade.

– Os vingadores: Guerra infinita – elas começaram a gargalhar – Foi tipo a cena do trailer quando o capitão América, hulk, viúva negra e o resto dos personagens saem correndo com a musiquinha “TAM… TAM TAM TAM TAM… TAM… TAM” De fundo… (deixarei o link da cena nas notas finais)

– Ou então The 100 quando os cem chegam a terra… (link da cena nas notas finais) – Sakura completou.

– YA… MENINAS – Gritei aproximando-me – “eu entendi a referência”…


 


 

Assisto Marvel antes delas nascerem… Mas de qualquer forma não teremos mais tempo para assistir nada, boa sorte aos que foram… aos que ficaram se preparem, essa guerra apenas começou…


 


 


 


 

A vida não retorno, mas sim sequência.

Suzana Dantas

 

 


 

Fim… (porém “to be continued”)...


 


Notas Finais


MÚSICA TEMA - > https://www.youtube.com/watch?v=4AqjqOqNrjw

CENA CITADA PELA TENTEN - > https://www.youtube.com/watch?v=3BXq73F2_z4 (PARA SER EXATA SE PASSA NO MINUTO 1:55 DO TRAILER ♥ mesmo assistindo ao filme ainda me arrepio com essa cena kkk)

CENA CITADA PELA SAKURA - > https://www.youtube.com/watch?v=FxsjLaeFH4Y (o vídeo é a própria cena meus amores quem ainda não assistiu THE 100 eu recomendo, gostei ♥)



Agora aos avisos e agradecimentos finais hehe:


Bom meus amores a segunda temporada vai demorar um tempinho pra sair, motivos? Kyara precisa tirar um tempo para estudar para o vestibular e eu a mesma coisa, é um prazer escrever mas temos que separar as coisas para não acabar se perdendo, durante esse tempo quem quiser me seguir no INSTAGRAM É the_Cacau, interage lá comigo estou sempre aberta para novas amizades♥
Mas vamos aproveitar também e já ir escrevendo a 2TEMP pra lançar logo com uma maratona topzeira pra vocês♥ JÁ IA ME ESQUECENDO, ANTES DE POSTAR A 2TEMP QUE VAI POSTADA AQUI MESMO POR NÃO ENCERRAMOS A FIC, FAREMOS IGUAL KONOHA TEEN... AS DUAS TEMPORADAS NA MESMA HISTÓRIA... MAS EM FIM KKK... ANTES DE POSTAR, POSTAREMOS UM "capítulo trailer" tipo um trailer só em capítulo kkk (é cada ideia mas okay)

SOU MUITO GRATA A TODOS VOCÊS POR LEREM E INCENTIVAREM A GENTE SEMPRE, ESCREVER É UMA PAIXÃO, VAMOS PROCURAR MELHORAR A ESCRITA, EDIÇÃO, ADERIR AS IDEIAS QUE VOCÊS DERAM E SEMPRE FAZER O MELHOR PRA VOCÊS♥


Obrigada meus amores e até a 2 temporada♥ (ou até o instagram pra quem me seguir lá the_cacau ... kkkk oia mendigando seguidores... fazer oque nós é pobre até nisso)


AMO VOCÊS, ADIOS♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...