História The Heir - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Wanna One
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jihoon, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Kai, Kang Daniel, Kris Wu, Lay, Lu Han, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Woojin, Xiumin
Tags Abo, Chanlu, Jikook, Kaisoo, Namjin, Sebaek, Sulay, Taeyoonseok, Taoris, Xiuchen
Visualizações 99
Palavras 1.081
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Fantasia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - Yeol Dul


Jungkook

Eu fiquei extremamente chocado quando Jimin confessou que sabia de tudo. Pensava que conseguia ser discreto em relação à isso mas me enganei grandemente. Fiquei em choque quando ele pronunciou tudo aquilo e mais ainda quando consegui falar as coisas que queria sem gaguejar ou fugir mais uma vez. Parece que a situação me tornou um pouco mais corajoso.

Tinha expulsado mais algumas participantes hoje, tive que ter um encontro e por segurança escolhi Daniel novamente, contei as novidades. Ele me apoiou muito e disse que eu não deveria mesmo desistir de Jimin. Pedi que Jaehwan fizesse companhia para o Minnie enquanto eu tinha coisas para resolver e também mandei Baejin o impedir de fugir para a enfermaria. Todos estavam muito preocupados mesmo que a saúde de Jimin fosse forte, existem coisas que derrubam qualquer um e o medo de perder seu omma pode ser classificado dessa maneira.

Meu appa Sehun estava me dando muito apoio para cuidar do Minnie e também falou sobre assuntos mais sérios como a situação do tio Soo que tinha despertado e pediu para que eu fosse vê-lo. Estava com medo de tudo o que poderia ouvir. Apesar de ser appa do Jimin ele também é meu tio. Alguém que cuidou muito de mim e fez parte da minha vida, da minha educação. Eu nunca estaria preparado para dizer adeus para alguém.

-Tio Soo?

-Entra. -Ele disse. Seu rosto estava pálido, sem vida. Seus olhos cansados e a felicidade que eu tanto costumava ver nele não estava ali. -Tudo bem?

-Eu não sei... Como você está tio? -Puxei a cadeira e me sentei ao las de sua cama. Ele segurou minha mão e sorriu fraco.

-Na medida do possível. Um pouco fraco mas é normal.

-Eu estive muito preocupado. Todos ficamos.

-Não queria preocupar ninguém, mas é uma coisa muito inevitável. Eu vi como Baekkie e Jongin estão. Preferia não ter visto aquela carinha triste deles. Eu sei que parece muito egoísmo meu vê-los sofrendo e não mudar de opinião, mas embora eu esteja muito fraco, sofrendo demaios sei que aguento. Eu posso aguentar mais um filho.

-Por quê tio? Por quê fazer esse esforço agora?

-Quando Jimin nasceu, eu não pensei em ter outros filhos. Meu bebê era o suficiente e eu me dediquei imensamente à ele. Fiquei com muito medo. Você sabe... Jimin nasceu no período de guerras e por ser filho do general. Sofri um sequestro quando estava grávido e depois que Jimin nasceu levaram meu bebê quando eu tinha acabado de sair do resguardo. Fiquei louco. Era o meu filho podendo ser morto. Peguei aquele trauma e decidi que não queria passar por outro sequestro embora o reino tenha se tornado de paz. Foi o pior dia da minha vida encontrar meu filho chorando de fome e frio, quase morrendo de hipotermia no meio da floresta podendo ser morto por outros animais ou pessoas.

-Eu sinto muito tio. Não consigo imaginar o quanto deve ter sido difícil. Se você não desejava outros filhos então como aconteceu? Porque eu sei que nem você e nem o tio Jongin seriam descuidados nesse ponto.

-Tem razão. Jimin cresceu. Eu me senti mais solitário embora tenha o meu bolinho sempre. Quando essa seleção foi anunciada, ele se revoltou mas eu entendia bem e sempre soube dos seus sentimentos. Percebi que Jimin já está na idade de casar e ficaria apenas eu e Jongin de novo sabe? Acho que me sentir assim acabou despertando a saudade da epoca em que eu tinha apenas um bebê bochechudo e gordinho. -Acabei rindo lembrando de quando Jimin era um filhote.

Eu sempre percebi que tio Kyungsoo tinha muito amor e era extremamente protetor com Jimin. Eles sempre foram grudados e omma disse que filhotes ômegas demoravam mais para largar a barra dos appas por serem muito mais dependentes. Até hoje eu via isso em Jimin.

-Acho que consigo entender suas razões tio. Sei que é um ômega forte, mas por favor não se esforce acima do limite. Eu sei que por ser um alfa, existem coisas que estão além da minha compreensão mas não desista da sua família que tem pelo bebê que ainda não nasceu. Tio Jongin e Jimin precisam muito de você. Pode ser egoísmo meu pedir que desista de uma vida, é até cruel e me sinto mal em dizer isso mas appa sempre me ensinou que na vida nós temos muitas escolhas, algumas fazem bem e outras não mas a melhor é sempre aquela que não machuca outras pessoas.

-Você vai ser um excelente rei. -O tio esticou os braços e eu me aconcheguei ali farejando seu cheiro e arrastando o nariz por seu pescoço como um filhote. Os alfas tem esse costume quando estão com um ômega de confiança. Ele fazia carinho em meu cabelo. -Quantas vezes eu já te coloquei para dormir e contei histórias. Suas gargalhadas gostosas e aquelas perninhas ligeiras para fugir quando aprendeu à andar. Você foi um bebê que me deu trabalho. Acho que fiquei velho rápido por sua culpa.

Acabei gargalhando junto com ele. Era aconchegante demais escutar seu riso. Eu tinha medo mas agora, dentro de mim existe uma certeza de que ele jamais irá desistir. Pode ser sofrido mas tio Soo vai aguentar os nove meses e trazer o bebê ao mundo. Ele não é do tipo que desiste e aceita a morte. Vai lutar por isso como se estivesse indo para uma árdua guerra.

-Eu te amo tio. Me perdoe pelos trabalhos que já dei pelo castelo. Sempre respeitei muito você e tio Jongin como se fossem meus próprios pais e tenho orgulho de ter tios assim. Me sinto feliz de ter nascido nessa família e receber todos esses valores que são tão importantes. Espero ser um alfa de honra para esse país. Quero um reino de paz como o vovô e o appa.

-Você vai ser porque seu coração é humilde e generoso. Quero que saiba que se Jimin ceder aos seus encantos, nem que seja um pouco, você tem a minha bênção para isso. Eu seria um appa feliz se houvesse esse casamento. Sei que ele puxou muito minha cabeça dura mas se Jongin conseguiu me quebrar, você quebra ele também. Não é um muro tão forte quanto parece.

-Obrigado pelo apoio tio. Descanse agora. Eu virei vê-lo e quero ser o primeiro à trazer presente para o bebê. Amo você tio.

-Você é um anjinho. Me dê um beijo aqui. -Ele me puxou para um abraço e beijou minha testa e minha bochecha. -Eu amo você Kiki.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...