História The Heir of Slytherin - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Andromeda Tonks, Angelina Johnson, Argo Filch, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Avery (Marauder-era), Barão Sangrento, Blásio Zabini, Cedrico Diggory, Cho Chang, Cornélio Fudge, Cuthbert Binns, Daphne Greengrass, Dino Thomas, Draco Malfoy, Fílio Flitwick, Fleur Delacour, Fred Weasley, Gina Weasley, Gregory Goyle, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lílian Evans, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Marcus Flint, Mila Bulstrode, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Mulciber, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Nymphadora Tonks, Olívio Wood, Pansy Parkinson, Percy Weasley, Pomona Sprout, Poppy Pomfrey (Madame Pomfrey), Remo Lupin, Rolanda Hooch, Ronald Weasley, Rúbeo Hagrid, Salazar Slytherin, Severo Snape, Sibila Trelawney, Sirius Black, Theodore Nott, Tiago Potter, Tom Riddle Jr., Tracey Davis, Vincent Crabbe
Tags Draco Malfoy, Harry Potter, Lyra R Slytherin, Salazar Slytherin, The Heir Of Slytherin
Visualizações 32
Palavras 1.410
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIE
Essa história já ta a mais de um ano se desenvolvendo na minha cabeça.
Não vou prometer não demorar, pois sou enrolada,
Então.... Não me matem >-<
E fiquem com o cápitulo


Desculpa qualquer erro de ortografia

Capítulo 1 - Prólogo


June 30, 1980

 

Para muitas pessoas, muggles em geral, esse foi só mais um dia normal, onde era muito comum ouvir “Coming Up (Live At Glasgow)” de Paul McCartney no rádio ou então ouvir comentários sobre o filme Honeysuckle Rose, dirigido por Jerry Schatzberg.

 

Porém em um pequeno vilarejo bruxo, Godric’s Hollow, localizado no sudoeste da Inglaterra, Grã-Bretanha, uma mulher em seus, muito bem vividos, 20 anos de idade, sofria com as contrações de seu primogênito, ou melhor, primogênita.

 

Ao lado da bela mulher, a qual pertencia os olhos e cabelos mais cristalinos que o mundo mágico já vira, onde nem mesmo a branquidão dos Malfoy poderia se comparar, estava seu melhor amigo, que segurava sua mão com a intenção de dar-lhe apoio.

 

Um grito de horror foi ouvido no quarto, significando que a pequena criança estava cada vez mais perto de dar seu ar da graça ao mundo em meio a tempos sombrios, onde a guerra entre a luz e as trevas seguia sem parecer ter um fim.

 

Para aquela mulher, sua filha significaria o começo de uma nova Era e dessa vez ela esperava que fosse uma boa. Afinal, já havia perdido muitas pessoas nessa guerra, sendo a principal e mais importante, no emaranhado de corpos que ela levou, o seu marido.

 

         No salão principal da casa, residiam as pessoas que possuíam certa importância na vida da mulher, dentre eles seu irmão que, era seu gêmeo, além de seus amigos e pessoas pela qual ela tinha apreço suficiente para permitir a entrada em sua casa.

 

         A cada grito os corações das pessoas presentes naquela sala se apertava mais. Afinal, todos sabiam que aquela gravidez era de risco e que a qualquer momento poderiam ouvir o que menos esperavam, que a pequena luz, que sempre alegrara a vida de todos, mesmo em tempos sombrios, nos tempos de escola ou quando só restara um leve resquício de saudade, mas para alguns ressentimentos, tinha falecido.

 

         Devo lembrar que a pessoa mais preocupada, além da própria mulher, era seu melhor amigo, Severus Snape, o qual tinha apelidado Sevie, bem no primórdio da amizade, sendo então na época em que se conheceram o primeiro ano de ambos em Hogwarts.

 

         Diferentemente de seu irmão ela fez de acordo com o esperado, foi selecionada para a casa que, de acordo com sua família, corria em seu sangue, SLYTHERIN. Enquanto Sirius, seu irmão, que sempre fora o rebelde da família acabou caindo na casa em que, apesar de possuírem apena 11, ambos já tinha uma noção de que iria acontecer. Porém na época fora um choque, afinal a pequena garotinha nunca havia dormido longe de seu gêmeo e isso a assustava.

 

         Fora Severus que, em meio a tanta turbulência, a ajudara a superar, afinal a antiga melhor amiga dele havia ido parar na mesma casa de seu irmão, a GRYFFINDOR. Entretanto vamos retomar de onde paramos.

 

         O medibruxo, já começara a se preocupar não somente com a integridade física do bebe, mas como a da mulher também. Desde o inicio ele falara que o melhor caminho para que ambas, bebê e mãe, permanecessem vivas seria através de uma cesariana. Entretanto a mulher não aceitara e não podemos julgá-la, em dada época a cesariana ainda era uma tecnologia que beira somente uma década de sua invenção.

 

         Preocupado com seus pacientes, o medibruxo, já estava pensando em intervir no processo, porém ele avistara algo que chamara sua atenção. Uma cabecinha, com grandes tufos de um cabelo preto como um céu escuro com pequenas quantidades de estrelas, que davam ao mesmo um brilho inimaginável.

 

         _Senhorita! Já posso ver a cabecinha! Só mais um pouco de esforço e então sua pequenina estará entre nós. – a mulher, então motivada por essa simples fala, que continha um significado tão grande, conseguiu assim, reaver suas forças para continuar lutando pela sua garotinha, sua LYRA, sua pequenina constelação.

 

         E então em meio a tamanho esforço feito pela mulher, em meio a mais um de tantos gritos de horror, finalmente o tanto esperado choro fora ouvido, causando comoção em todos os familiares e amigos da pequena grande mulher.

 

         Narcisa fora a única pessoa da família, que ela gostava, além do irmão, que pode comparecer a esse dia que ela sabia o quão incrível era, afinal ainda não tinha nem um mês que havia dado a luz a um menininho muito saudável, ao qual recebeu o nome de DRACO, a constelação do dragão. Poderia ser um pouco clichê, mas ambas sempre amaram essa tradição, pois era através dela que eles se sentiam em casa, afinal de contas elas eram BLACKS e se orgulhavam disso.

 

         Sua outra prima favorita, Andrômeda estava muito ocupada se preocupando com sua própria prole e fugindo Daquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado para poder comparecer. Entretanto alguns dias antes de sua partida, Andy, como era chamada, aparatou na casa da mulher para poder lhe desejar felicidades e boas sorte.

 

         Algumas das pessoas que consideravam suas melhores amigas estavam presentes, sendo elas, Lílian Evans, agora Potter, exibindo seu grande barrigão, Remus Lupin, James Potter, além de duas pessoas das quais ficou muito amiga na Slythein, os gêmeos Charlotte e Jason Avery.

 

         Estavam presentes também, duas pessoas que eram muito importantes na vida de seu marido e que haveria de ser também na vida de sua filha. A agora avó e o bisavó da pequena, entretanto esse não é o momento de vocês descobrirem quem são especificamente essas pessoas e quais foram seus grandes feitos para com o mundo mágico e devo ressaltar, foram muitos.

 

         Voltando para o quanto onde havia acontecido o parto, a mãe da pequena a segurava em seus braços, com as pessoas que ela amava ao seu redor, porém estava claro de que ela não haveria de permanecer neste plano para ver a filha crescer. Então em um de seus últimos suspiros da amiga Severus Snape perguntou, o que a pequena mulher fez suspense durante 9 meses de sua vida.

 

         _HYDRA. – a chamou bem baixinho, e sendo ouvido somente pelo silencio mórbido que insistia em permaner naquele ambiente, que deveria estar repleto de alegria. – Qual vai ser o nome da pequena, o nome que você escolheu junto com THOMAS?

 

         _Sevie, antes de vos dizer o nome gostaria de te pedir uma coisa. – disse com pequenas e brilhantes lágrimas que insistiam em tentar obstruir a beleza que aquela albina emanava, assim que o amigo concordou ela falou – Eu sei que não possuo muito tempo aqui, por isso quero te pedir para cuidar da minha pequena. – disse chocando muita gente, afinal já havia sido estranho o suficiente ter um comensal no recinto, porem ninguém quis estragar o humor da pequena estrela, entretanto para algumas pessoas como Sirius, essa foi a gota d’água.

 

         _Hydra, você tem certeza disso? – perguntou um Sirius furioso, porém a mulher não chegou a desviar o olhar de Sanpe, ela sabia que precisava a todo o custo convencer o melhor amigo, a pessoa que sempre esteve com ela a cuidar de sua filha, para só assim poder partir em completa e total paz. Começando a chorar respondeu:

 

           _Sim, Sirius! Você pode ate não gostar do Sevie, mas tenho absoluta certeza que ele é a pessoa mais indicada no momento e é o MEU MELHOR AMIGO. – a pequena estrela disse – Sevie, por favor, me prometa que vai ser um bom padrinho e cuidar de com muito amor.

 

         _Hydra, ... eu... – Severus Snape estava congelado, não sabia o que fazer e por incrível que parece, pela primeira vez na vida ele estava concordando com Sirius Black. De uma coisa ele tinha certeza ele, na face da Terra era a ultima pessoa indicada para cuida da pequena, ainda mais sendo considerado o braço direito do Lord. Por fim ele respirou fundo e falou. – Eu temo em concordar com Sirius, mas ele esta certo, eu não sou a melhor pessoa para cuidar da sua filha, pequena.

 

         _Então ela ficara com a avó patena até segunda ordem, -disse desesperada – Porém, me prometa, que assim que esse pesadelo acabar, você ira cuidar dela! Por favor, Sevie?!

 

         Suspirando, ele respondeu, com apenas um sim, simples, porém sincero, afinal não havia nada que não faria pela amiga, principalmente nos últimos suspiros da mesma. Suspirando de alivio ela por fim respondeu o que todos queriam saber.

 

         _Pois bem o nome da minha pequenina, minha constelação particular é ... – ela tomou um tempo para regularizar sua respiração e parar com o choro e então falou, com um sorriso – LYRA R. GAUNT BLACK SLYTHERIN DUMBLEDOR.


Notas Finais


Espero que tenham gostado
Bom....
That's all folks
;P


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...