1. Spirit Fanfics >
  2. The Heirs - Clace >
  3. Mine

História The Heirs - Clace - Capítulo 36


Escrita por: Sweet_Felicity

Notas do Autor


Hello mores, tudo bem com vocês?

Eu sei que a Páscoa foi ontem e que cada família tem o seu próprio modo de comemorar a Páscoa, no entanto, ainda assim gostaria de deseja-los uma Feliz Páscoa e que este amor incondicional que muitos acreditam que a cerimônia representa, possa estar dentro de cada um de nós..

Para aqueles que são cristãos, a Páscoa representa amor, sacrifício, perdão e passagem. Sendo o maior deles, o amor. Como vimos no pedido de casamento do Jace kk.. Porque foi a partir desse amor incondicional, que Cristo se sacrificou dando a sua vida para que todos tivessem o direito a vida eterna. E pelo seu sangue derramado, Ele purificou a todos do pecado, oferecendo a oportunidade para que tivéssemos vida e vida com abundância.

Mas como eu disse, cada família comemora de uma forma diferente, e tem uma crença específica, por isso, se você quiser compartilhar a sua conosco, sinta-se a vontade. Amarei conhecer um pouco mais sobre você..

E agora pensando nesse sentimento de amor e perdão que a Páscoa reflete a muitos, vamos dar início a este capítulo com os dedinhos cruzados, para que a nossa ruiva possa exercer esse sentimento sobre o Loiro, e perdoa-lo por suas mancadas e pelas repercussões desastrosas que elas vão gerar neste capítulo..

Uma boa leitura a todos, aguardo vocês nas notas finais 😘..

Capítulo 36 - Mine


Fanfic / Fanfiction The Heirs - Clace - Capítulo 36 - Mine

  Pov Jace

 

- E o dono, sou eu. Jonathan. Christopher. Herondale. Agora ela também é uma Herondale. - Afirmo envolvendo a cintura da ruiva com o braço, a puxando para mais perto de mim. 

 

  No entanto, em resposta, a minha linda noiva após passar o choque em ouvir as minhas palavras, me ofereceu o sorriso que só ela é capaz de dar. 

  Um sorriso 100% sensual, mas ao mesmo tempo, 100% mortal.

  Não preciso perguntar do que ela está brava, porque sei exatamente do que se trata. 

  Nós combinamos que contaríamos ao público sobre nós, usando uma nota oficial da empresa. Porque assim seria mais fácil controlar as notícias, já que não estamos falando de Alec, Magnus, o Nerd ou qualquer outro cara por aí. 

  Não, se tratando de mim, Jonathan Herondale, Herdeiro da família Herondale que tem fama de pegar todas as mulheres que ele vê pela frente, e nominar aquelas que tem interesse de pegar, tudo se torna mais delicado. 

  As pessoas poderiam simplesmente comentar que ela é só mais um de meus casos, apenas mais uma em minha cama, e por isso tínhamos escolhido a nota de imprensa, assim a ruiva não precisaria ser confrontada com perguntas desnecessárias, ou julgada erroneamente. 

 

- Herondale, eu não tenho ideia do que você está planejando fazer. Mas...- Mantendo o sorriso mais sexy e mortal nos lábios, Clary se inclinou para ficar mais próxima do meu ouvido demonstrando o quanto ela está indignada. - Saiba que se você não resolver isso logo, o mínimo de tempo que você vai ficar sem sexo é um mês.

 

  Meu corpo todo estremeceu quando ela declarou a pena que vai ser dada a mim, dependendo do que rolar aqui. 

  Levo um baque quando ela diz isso, mas não porque ela me ameaçou de ficar 30 dias sem sexo, e sim porque ela fez essa ameaça. 

  A ruiva não é do tipo de mulher que tudo que acontece vira para o cara e diz que ele tem que dormir na sala, ou que ficará sem sexo durante um tempo.

  Ela sempre diz que fazendo isso, ela sai perdendo também, e não só o idiota que cometeu o erro. 

  Então para ela dar esse tipo de ultimato, quer dizer que ela está realmente furiosa comigo, o que não é nada bom. 

 

- Eu não vou ser cotada como mais uma de suas “amiguinhas”. Nem hoje, nem nunca.- Ela completa em tom sério, voltando a sua posição anterior. 

 

  Entendo completamente o que ela quer dizer com isso, também não quero isso para ela, e foi exatamente por isso que tivemos o plano de anunciar nosso noivado pela nota oficial de imprensa. 

  Porém, devido ao ciúme todo que passei hoje e a perseguição de todos querendo a minha ruiva, eu acabei pirando um pouco. 

 

Sr. Herondale, podemos saber o que o senhor quer dizer com “ela é parte da Família Herondale agora”?

 

   Um dos repórteres questiona. No entanto, antes que pudesse responder, outra repórter levanta a voz fazendo mais uma pergunta.  

  

Por acaso ela estaria grávida do senhor, e por isso o senhor disse que é dono dela e que ela faz parte de sua família? Porque pelo que sabemos o senhor nunca quis se casar, e entendemos que seria só assim para o senhor assumir alguém. 

 

 Uma repórter com vestido mega colado e com um decote bem maior do que as outras mulheres estão vestindo, questionou revezando o olhar entre mim e a ruiva. 

 Porém, é nítida a diferença no olhar que ela oferece para mim e no olhar que oferece para a ruiva. Para a ruiva, ela olha como se a mesma fosse uma qualquer e tivesse me dando o golpe da barriga. Enquanto que para mim ela está olhando na intenção de me provocar, de chamar a minha intenção. Oferecendo sorrisinhos e mordendo o lábio quando termina de falar. 

 Pelo Anjo, como ela tem coragem de dizer algo assim? Ainda mais se direcionando a uma Morgenstern? 

 Apesar de que ela não está totalmente errada, eu pensava assim mesmo. Mas eu ia mais além do que ela tem conhecimento. 

 Nesse momento nem preciso olhar para Clary para saber o quanto ela está furiosa e decepcionada comigo. Mas também não para menos, ela tem total direito de se sentir assim. O que faz eu me odiar pela reputação que tenho. 

 

- Jace eu vou matar você.- Izzy que está do meu outro lado, diz ao fingir se aproximar para me contar algo bom. 

 

 Mas antes que eu pudesse responder algo, a ruiva voltou a falar comigo.

 

- Um mês não, está mais para um ano. Ou talvez para sempre. - Com a voz na mistura que só ela consegue fazer também, ela afirma cada palavra de modo sensual e frio ao mesmo tempo. 

 

 Meu corpo todo arrepiou. Por Raziel, eu estou perdido. 

 Para ela dar uma sentença assim, é só se tiver certeza que não vai querer ficar comigo durante todo esse tempo. 

 E ao que tudo indica, eu acabei de deixar ela tão brava e ao mesmo tempo tão decepcionada pelo modo que as pessoas estão se referindo a ela, que isso não vai ser difícil de acontecer. 

 Meu coração disparou em meu peito, só de pensar em perdê-la ou tê-la longe de mim por um tempo, e isso já é o suficiente para me deixar sem ar. 

 Nós dois sabíamos que quando fôssemos anunciar nosso relacionamento, que algo assim ocorreria. 

 Que muitos pensariam que ela era só mais uma, e fariam especulações descabidas. 

 Estávamos cientes que isso a faria se sentir incomodada, e não é para menos. Quem não se sentiria?

 Por isso chegamos ao maldito acordo que eu acabei de quebrar, o que no lugar dela também me faria ficar muito irritado. 

 Porque com todos pensando que o nosso relacionamento não vai durar, todos ainda vão ficar em cima dela só esperando a gente se separar para eles ficarem com ela. O que me deixa furioso só de pensar. 

 Além de que no meu caso também não seria muito diferente, por acreditarem que o relacionamento não durará muito, as mulheres que eu costumava a pegar vão continuar em cima apenas esperando o que elas acreditam ser uma brecha. 

 Droga de reputação. - Amaldiçoou mentalmente. 

  

- Acredito que meu irmão queria dizer...- Após ouvir as perguntas e o modo como a ruiva reagiu a elas do lado dele, Alec começou a dizer tentando arrumar tudo em meu favor. 

 

 No entanto, com um sorriso mais sério agora, eu o interrompo levantando uma das mãos pedindo que ele parasse. 

 

- Eu quis dizer exatamente o que eu disse, maninho.- Disse com um sorriso conquistador. - Mas não quis dizer do modo que vocês entenderam. Aliás, eu até quis um pouco, mas vou esclarecer para vocês.- Sinto a ruiva se afastar de mim levemente, quando digo essas palavras. 

 

 Ela não se afastou o suficiente para as pessoas notarem, mas foi o suficiente para o meu coração gelar e para eu sentir um vazio enorme entre nós. 

 Inferno. Eu sei o quanto essa mulher é forte, eu sei o quanto as mulheres podem ser fortes como qualquer outra pessoa. 

 E merda, eu sei que controle e respeito são coisas totalmente diferentes. Eu jamais a diminuiria para me impor sobre ela e querer controlá-la. 

 Eu a respeito, a admiro, e inferno, eu a amo mais que tudo nesse mundo. 

 E não vou deixar que ninguém pense que ela é menos do que ela realmente é, só porque ela está comigo. 

 

- O que eu quero dizer quando falo que sou dono dela, e que agora ela é parte da Família Herondale, é que em um momento da minha vida o que eu pensei que jamais aconteceria, aconteceu.- Olhei para minha noiva com um sorriso sincero nos lábios. 

  

 Porém, a ruiva ainda está com um sorriso em seus lábios, mas por meio da minha mão que está em sua cintura, eu sinto seu corpo completamente tenso com o turbilhão de emoções que ela está sentindo nesse momento, e tenho certeza que a raiva está ganhando. 

 

- E hoje eu afirmo com a maior convicção do mundo, que o meu coração foi roubado por alguém. - Mantenho meu olhar fixo no dela. - Já tem um tempo que isso aconteceu, no entanto, somente agora estou compartilhando com todos.

 

 Volto a olhar para as câmeras novamente, mas dessa vez com um sorriso realmente apaixonado. 

 

- O meu coração apesar de estar dentro de mim, pertence totalmente a outra pessoa.- Sorri olhando para minha amada. - E essa pessoa é a Senhorita Clarissa Adele Morgenstern, minha noiva e futura Senhora Herondale. - Sorri mostrando todo amor que sinto por ela. - Sei que as pessoas não são objetos, e muito menos os seus corações. Mas também sei que o meu coração pertence a ela, assim como o dela de alguma forma me pertence.- Começo a sentir o corpo da minha ruiva relaxar, e seus olhos se encherem de lágrimas. 

 

 Lhe dei mais um sorriso amoroso, voltando meu olhar para as câmeras. 

 

- Sei que amorosa como ela é, que eu preciso dividir o coração dela com muitas pessoas. Porém, eu não tenho dúvida de que o que eu sinto por ela, é correspondido. Eu a amo e sei que ela me ama da mesma forma.  

 Sorri para ela mais uma vez com carinho, e voltei meu olhar sério para as câmeras. 

 

- Por isso eu disse que sou dono dela. Eu não estava me referindo a ela em si, mas sim ao seu coração. No entanto, como eu sei que a minha linda é regida por seu coração, por isso disse que sou dono dela.

 

 Voltando ao meu sorriso mais debochado, eu me preparo para continuar. 

 

- Por isso, e para deixar claro para os folgados por aí, que o coração dela já está escondido em outro alguém. - Sorri convencido. - Como eu disse, ela nem pessoa alguma, é um objeto. Ela pode fazer o que bem entender de sua vida, no entanto, eu sou grato por ela ter confiado o seu coração a mim.

 

 Respiro fundo, olhando nos olhos da mulher que tanto amo. 

 

- Com a minha reputação, eu com certeza não mereço o coração dela. Mas mesmo assim, ela o concedeu a mim. 

 

 Ouvindo as minhas palavras, Clary estendeu sua mão em direção ao meu rosto o tocando com carinho, me oferecendo um lindo sorriso apaixonado que é capaz de derreter todo o meu coração. 

 E se inclinando mais uma vez na minha direção, ela selou nossos lábios em um beijo simples, mas ao mesmo tempo muito carinhoso. 

 Instantaneamente fico feliz por dessa vez ela não ter se inclinado por estar irritada comigo. 

 

Mas ela está ou não grávida?  

 

 A mesma repórter de antes, quebrou o nosso clima com sua pergunta inoportuna. 

 Ainda próxima de mim, Clary revirou os olhos e bufou sem perder a postura de um Morgenstern. 

 

- Pelo que eu sei, não.- Afirmo olhando para a ruiva com divertimento, como se questionasse se ela poderia estar escondendo algo de mim. 

 

 Ela revirou os olhos, e me deu um sorriso igualmente divertido, como se estivesse dizendo: Você é um bobo mesmo. 

 

- Se ela fosse qualquer outra mulher com quem eu já fiquei, eu nem precisaria perguntar isso, porque sempre tive uma garantia de 100% de certeza, que elas jamais engravidassem. E não me pergunte como, porque não vou dizer a vocês. - Afirmo com seriedade. - Mas sei com certeza absoluta que se alguma surgisse grávida, o bebê não seria meu. Por vários motivos, elas nunca tiveram essa chance.

 

 Com olhar sério e pouco amigável, conto a verdade que poucos sabem. 

 

 Muitas mulheres no decorrer dos anos, tentaram dizer que estavam grávidas de mim, mas depois de um tempo elas desistiram. Até elas entenderam que não seria possível algo assim ocorrer se eu não quisesse. 

 E antes que me julguem, eu sei que pode parecer cafajeste da minha parte, mas todas elas aceitaram sem reclamar. 

 Sempre que eu ficava com alguma mulher aleatória, eu usava preservativo e fazia com que ela tomasse a pílula do dia seguinte na minha frente, ou na frente de alguém de minha total confiança. 

 Isso, além de outras medidas médicas que eu utilizo para ter 100% de certeza da impossibilidade de grávidez indesejada. 

 Quer dizer, que eu utilizava, porque eu nunca usei nenhuma dessas táticas com a ruiva. Por algum motivo eu nunca me importei se ela poderia ter um bebê ou não.

 Na verdade eu sei bem o motivo, eu sempre confiei integralmente nela, e para ser sincero, se acontecesse, eu acho que até ficaria feliz.

 

- Mas em relação à minha amada noiva, tudo sempre foi diferente. Eu nunca me preocupei com tal coisa. Até porque quando algo assim acontecer, eu vou ficar muito feliz de compartilhar isso com ela.

 

 Declaro, mais uma vez, olhando nos olhos da ruiva para que ela tenha a certeza de que estou sendo sincero, porque realmente estou. 

 

 Não conseguindo conter as lágrimas, Clary me deu mais um beijo. Porém, dessa vez o beijo foi mais profundo. Um beijo digno das cenas dos filmes de comédia romântica, assim como ela adora. 

 Após nos separarmos do beijo, ela deu leves socos em meu peitoral, e me abraçou em seguida. 

 

- Como você consegue fazer isso comigo? Me faz ficar chocada, brava, indignada, toda boba de paixão, e agora derretida de amores, em menos de 5 minutos? - Sussurrando em meu ouvido para que só eu ouvisse, ela me questiona fungando por causa do choro inesperado. 

 

- Me diz você. Você faz o mesmo comigo, o tempo todo.- Contraponho me afastando um pouco para olhá-la nos olhos, esses pares de esmeraldas que eu amo tanto. 

 

 Junto com nossos amigos e família que agora não queriam mais me matar, nos direcionamos cada casal para o seu carro. 

 Olhando para todos ao me direcionar para o meu carro, noto que a repórter que fez a pergunta sobre a gravidez, pareceu não ficar satisfeita com a resposta e muito menos com o modo que agimos.

 Mas depois da euforia que os outros repórteres fizeram com as revelações, ela não pode dizer mais nada. Pelo menos não por hora. 

 

    Pov Clary

 

 Quando vejo Jace e os meninos chegando, eu fico chocada. Não esperava por eles aqui. 

 Além de que, o loiro está com um sorrisinho que me deu vontade de dar um soco em sua cara e simplesmente arrancar aquele sorrisinho de paquerador que ele oferece a todas as suas amiguinhas. 

 Mas tentando me controlar, eu imagino que o máximo que ele poderia me fazer passar raiva neste momento, era relacionado a esse sorrisinho. No entanto, eu não podia estar mais enganada. 

 A vaca da repórter que me encheu o saco antes, começou a fazer perguntas como se eu fosse uma vadia interesseira que quer dar o golpe da barriga. 

 Com o corpo completamente enrijecido, eu preciso usar o máximo de autocontrole para  me segurar ao lado do loiro, e não avançar naquela garota  mostrando a ela quem é vadia. 

 Diante disso, eu acredito que nem preciso dizer que eu acabei ficando ainda mais furiosa com tudo isso. 

 A segundos atrás o Loiro se referiu a mim como se fosse um objeto, e agora além de estar sendo cotada como uma de suas “amiguinhas”, eu ainda posso estar dando o golpe da barriga. 

 Ahh, mas eu vou matar esse loirinho. - Penso comigo, enquanto mantenho a pose para todos e declaro disfarçadamente para o Loirinho a pena que o mesmo levará. 

 Sei que ele nunca me trataria como um mero objeto, e que por algum motivo desconhecido a mim, ele está insinuando isso neste exato momento, mas independente do que seja, isso não é justificativa para ele me tratar dessa forma diante de todos. 

 O nosso relacionamento sempre foi baseado no respeito mútuo, e eu jamais aceitaria que ele me tratasse de modo abusivo ou como um mero objeto. 

 Nós mulheres e todas as “minorias” que estão por aí, jamais devemos permitir que nos tratem por menos do que realmente somos. Independente se somos ricos, brancos, héteros, ou não somos nenhuma dessas opções, nós somos pessoas como qualquer um dos outros, e merecemos respeito como qualquer um deles. 

 Observo Alec tentando consertar o que pensei ter sido um erro da parte de Jace, mas o loiro não permite que Alec siga adiante. 

 E além de impedi-lo, ele ainda confirma que quis dizer exatamente o que disse. 

 Ouvir a confirmação de seus próprios lábios, quase me faz perder o equilíbrio e desmaiar, me fazendo ficar completamente possessa de raiva e decepcionada. 

 Porém, como eu tenho uma maldita aparência a zelar, e não posso simplesmente me afastar totalmente, eu opto em apenas me distanciar um pouco de seu corpo. 

 Não que eu realmente seja proibida de sair daqui e talvez até dar um tapa na cara dele, como eu estou com vontade nesse momento. 

 Mas eu me recuso a parecer fraca diante dessas pessoas, e se for preciso fazer algo para reverter essa afirmativa absurda do loiro, eu farei de forma grandiosa e sensual, como a mulher forte que sempre fui. 

 Se for preciso darei a volta por cima usando todo o meu poder de provocação, persuasão e a típica jogada da viúva negra, um olhar sexy e mortal que é capaz de desequilibrar qualquer um. 

 Porque sair daqui com o rabinho entre as pernas deixando essa repórter irritante e ao que parece um Jace que perdeu a cabeça, me humilhar e rebaixar, isso com toda certeza não é uma opção.  

 Após persistir na barbaridade que havia dito antes, e me fazer quase sentir vontade de castrá-lo por tal absurdo, o loiro começa a explicar o que ele queria dizer com tudo aquilo. 

  E por Raziel, que explicação. 

 Ao ouvi-lo meus olhos se enchem de lágrimas, meu coração acelera, e eu instantaneamente começo a sentir o meu corpo relaxando. 

 Como ele é capaz de fazer isso comigo? 

 Como ele pode me fazer sentir uma fúria capaz de destruir tudo que está ao nosso redor, e minutos depois é capaz de me fazer sentir paixão, amor e derreter toda aquela raiva fazendo virar o mais puro amor? 

 Isso deveria ser impossível, não deveria?

 Eu fui treinada por anos. Tanto por múltiplos governos, quanto por Luke, e aprendi a controlar todas as minhas emoções. Mas aí em questão de segundos, o Loiro conseguiu me fazer sentir um turbilhão de emoções perdendo quase que completamente o controle.  

 Se é isso que significa amor? Eu não tenho dúvidas que sou completamente apaixonada por ele. 

 Não que eu tivesse alguma dúvida sobre isso, mas ninguém nunca mexeu comigo assim, então tem que ser amor. O mais puro e belo amor.  

 Esse homem mexe com cada centímetro do meu ser, e é exatamente por isso, que mais uma vez eu vou em direção a ele. 

 Apoiando uma de minhas mãos em seu peitoral, enquanto a outra segue para os seus cabelos, selo os nossos lábios em um beijo profundo e apaixonado. 

 Afinal, o que eu posso dizer? Eu amo esse loirinho. 

 Meu lindo e amado loirinho. 

 Com tudo acertado diante da mídia presente, despedimos de nossos amigos seguindo cada um para o seu carro. 

 Ao ver nossa partida, a multidão de repórteres abre caminho para passarmos. 

 De mãos dadas com Jace, começamos a atravessar o caminho que eles abriram para nós. 

 Quando estamos passando pela repórter “vaca” que fez insinuações ridículas sobre mim, ela olha para o loirinho mordendo os lábios se oferecendo para ele. 

 Bufo de raiva com o comportamento deplorável que ela expressa, mesmo sabendo que devido ao histórico do meu noivo, eu vou ter que suportar coisas assim por um longo período de tempo ainda. 

 Respiro fundo irritada e com pouca paciência para aturar esses dramas ridículos de mulheres que em sua maioria não valorizam a si mesmas, enquanto continuo seguindo juntamente com o Loiro.   

 Quando estou passando pela tal repórter, ela esbarra propositalmente em mim, dizendo com deboche que não sabe o que o loiro vê em mim.

 Ouvir a sua voz debochada e irritante, me faz automaticamente perder o controle que até então eu estava mantendo. 

 Afinal, ela só pode ser louca ou burra para persistir em me afrontar dessa forma. 

 Com a paciência quase no limite, paro abruptamente diante dela, ficando com meu rosto a poucos centímetros do seu. 

 Nossos narizes estão quase se tocando, o que me permite sentir a sua respiração, e sei que ela sente a minha. 

 Me afasto um pouco apenas para olhar melhor em seus olhos, antes de começar a pronunciar o que está preso em minha garganta, mas não desejava dizer tais coisas, porque não tenho prazer em rebaixar outra mulher, e muito menos ofendê-la. 

 No entanto, acredito que todos temos um limite, e às vezes as pessoas precisam ouvir algumas verdades. 

 Ainda mais quando elas mesmas procuram, com afinco, provocar tal situação.     

 

- Caráter, Integridade, Lealdade. Isso, dentre outras coisas. Gostaria de conferir com ele? - Declaro devolvendo o mesmo tom de deboche olhando ela dos pés à cabeça, e acrescento um sorriso mortal e superior no final. 

 

 Eu simplesmente odeio me impor sobre outras pessoas, e tratá-las como se eu fosse superior a elas, porque eu sei que não sou superior a ninguém. Eu posso ser herdeira de um império, mas no fundo ainda sou apenas uma pessoa como todos os outros. 

 Mas como eu disse, essa garota estava pedindo para ser colocada em seu devido lugar. 

 E inferno! Ela deu em cima do MEU noivo na MINHA frente e ainda por cima ME afrontou. Ela merecia isso. 

 

- Ah, e queridinha, avisa para o Sr. Fernando que eu vou mandar uma lembrancinha para ele. - Completo com um sorriso divertido e um tanto ameaçador nos lábios, quando vejo em seu crachá de identificação, o lugar no qual ela trabalha. O que para a minha sorte, e total infelicidade dela, eu conheço muito bem o seu patrão. 

 

 Com os olhos arregalados, ela me olha preocupada com o que posso dizer ao seu chefe. 

 Sua cara assustada me dá até vontade de gargalhar. Ela deveria ter pensado nisso antes de sair por aí afrontando as pessoas, mas parece que ela é ingênua demais, ou arrogante demais em pensar que seus atos inescrupulosos não teriam repercussões. 

 Não que eu realmente tenha a intenção de ligar lá para dizer alguma coisa sobre ela, mas as ameaças veladas como a que eu acabei de fazer, são as melhores e mais divertidas. 

 Eu sempre aprendi nos treinamentos, este é um dos melhores jeitos de dar corda a uma pessoa para que ela mesma se enforque. 

 Porque assim a pessoa fica tão apavorada e tão desesperada de ser descoberta, que ela mesma confessa seus erros e acaba ela mesma trazendo as consequências para si. 

 Agora só resta esperar para ver quanto tempo a “queridinha” vai aguentar se segurar, antes de surtar e se ajoelhar diante do seu patrão suplicando para ele não demiti-la e acabar com sua carreira. 

 

- Tudo bem amor? - Notando que eu havia parado de andar, Jace me questiona com um sorriso nos lábios. 

 

 Assenti sorrindo para ele, voltando a andar em direção ao carro. 

 Depois da parada súbita provocada pelo ser que neste momento está apavorada,  rapidamente chegamos ao nosso carro, e sem demora seguimos para nossa casa.

 Durante o caminho perguntei ao loiro sobre o porquê dele e dos meninos terem decidido ir buscar a gente. 

 Em resposta ele me contou o que ocorreu, e não consegui ficar sem sorrir da cara de ciúmes que ele fez. 

 Com a minha mão sobre a sua perna enquanto ele dirige, escuto a indignação dele com o cara que trabalha no canal de notícias que ele estava vendo.

 Ele até apelidou o cara de “folgado”. Isso porque, dizendo o Loiro, o cara declarou abertamente que quer pegar a Izzy, o Mags, e eu.    

  Sorri enquanto ele bufa de raiva, e seguimos assim para nossa casa. 

 

[...]

 

- Ah não, você só pode estar de brincadeira comigo. - Jace diz ficando irritado quando chegamos em casa e ele vê o carro de Jonh encostado em uma das vagas do pátio. – Nós não podemos dar meia volta, e ir para um hotel ou para casa dos meus pais?- Ele questiona olhando para mim com o semblante cansado.  

 

- Você sabe que não podemos, Amor.- Afirmo tirando os meus olhos da mensagem que estava lendo e olhando para ele. - E olha quem está com ele.- Completo virando a tela do meu celular para Jace, lhe mostrando a foto que Max acabou de mandar dele jogando xadrez com Jonh na sala da nossa casa. 

 

 Jace apenas revira os olhos parecendo ainda mais cansado. 

 Tadinho, eu não o culpo. O dia dele já começou com Alec o provocando, depois pelo que ele disse, foi a vez do “folgado” das notícias o encher, e agora quando chegamos em casa Jonh e Max estão aqui. 

 É óbvio que eu amei saber que os dois estão aqui, mas eles sempre provocam o loirinho, e hoje eu acho que meu noivo já recebeu a sua cota de estresse. 

 Não que ele não mereça um pouco mais por ter me feito passar por toda aquela raiva antes, mas como eu o amo, vou tentar aliviar a barra para ele. 

 

- Eu sei que você está esgotado.- Disse me soltando do cinto de segurança e virando o meu corpo na direção dele, enquanto o mesmo termina de estacionar o carro. – Mas o que você acha da gente entrar, cumprimenta-los, anunciar que vamos tomar um banho e nos encontramos no jantar? - Pergunto fazendo carinho na perna dele, enquanto ele encostou a cabeça no banco do carro fechando os olhos. 

 

 Só de ver o modo como ele está agindo, percebo o quanto o seu dia foi cansativo.

 Tiro a minha mão de sua perna, recebendo um longo suspiro cansado em resposta. 

 Com ele ainda de olhos fechados, me levanto ficando de joelhos no meu banco, enquanto passo carinhosamente uma de minhas mãos em seu rosto.

 Ao sentir o meu toque, ele soltou outro longo suspiro, como se tentasse se acalmar. 

 Me inclino mais vez em sua direção lhe dando o que era para ser um pequeno beijo nos lábios, mas assim que ele sentiu os meus lábios nos seus, ele em um movimento rápido, me puxou para o seu colo. 

 Com a ajuda dele, sem interromper o nosso beijo, me ajeito em seu colo ficando sentada de frente para ele com uma perna de cada lado de seu quadril. 

 Passeio minhas mãos por seu peitoral seguindo para o seu pescoço, onde envolvo meus dedos em seus cabelos dando leves puxões. 

 Em resposta, ele solta um grunhido baixo em meio ao beijo apertando a minha cintura ainda mais contra o seu corpo. O que imediatamente me faz sentir o seu amiguinho que já tinha ganhado vida, e gemo baixinho em seus lábios. 

 Por falta de ar, precisamos nos separar do beijo. 

 Ainda ofegantes, ficamos com nossas testas coladas uma na outra, nos recuperando da nossa pequena sessão de amasso e de certa forma, de desabafo da tensão. 

 Por mais que quiséssemos nos entregar um ao outro nesse exato momento, esquecendo de tudo ao nosso redor, nós não podemos. 

 E tenho certeza que o Loirinho ciumento aqui, jamais arriscaria que alguém me visse nua, ou ao menos tivesse a oportunidade de ouvir um gemido meu. 

 Tenho certeza que ele ficaria completamente louco, se soubesse de algum funcionário comentando sobre mim, ainda mais em um momento íntimo assim. 

 Depois de mais alguns beijos e amassos, nos recompomos e fomos em direção a nossa casa para encontrarmos com nossos convidados.

 


Notas Finais


E aí meus amores, quais sentimentos mais prevaleceram dessa vez? Ou será que foi um turbilhão de emoções, uma misturada a outra?

Ficaram irritados com o Jace afirmando que ele disse exatamente o que intentava dizer?
Ficaram furiosas com a tal repórter se insinuando para o Loiro e dizendo barbaridades sobre a nossa ruiva?
Gostaram da punição que a Clary disse que daria ao Jace se ele não resolvesse as coisas? Ficaram com medo nesse momento?
Gostaram de ver o Jace quase em pânico com a sentença?
Morreram de amores com a declaração pública de amor que o Loiro fez para a sua Amada Noiva?
Enfim amores, um turbilhão de emoções não é? E como perceberam, a Clary pode ser muitas coisas para o Jace, mas em nenhuma delas ela é um objeto.
Nas palavras dele, ela é: minha noiva, minha ruiva, minha linda, minha amada, minha mulher, senhora Herondale… Isso dentre outras coisitas kkkk. Mas NUNCA um mero objeto.
Então me contem como vocês se sentiram, estou louquinha para saber de tudo.. Sintam-se livres para uma chuva de comentários ok?

Uma semana abençoada para todos vocês, até o próximo 😽..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...