1. Spirit Fanfics >
  2. The hero of the heroes. >
  3. Agora piorou

História The hero of the heroes. - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Agora piorou


- Espera aí gente, como assim eu tenho dois super poderes?

Depois de um tempo, depois de levantar a enorme pedra, Delvin se... curou numa velocidade assombrosa e agora, junto dos seus amigos no centro do museu, onde não houve estragos e era o lugar mais seguro ali. Eles explicaram pro Delvin como o poder dele se mostrou.

- cara, não tente forçar a barra, nós não entendemos nada sobre super poderes - disse Alex.

- diga por você, eu entendo um pouco sobre isso e posso dizer uma coisa com toda a certeza, existem pessoas que tem mais de um poder, mais até hoje nunca houve um caso tão estranho como o seu - Disse Finn.

- posso entender o por que, durante quatorze anos meus poderes nunca reagiram aos treinamentos, tratamentos e outros métodos que eu experimentei... - Disse Delvin.

- e justo hoje, eles resolvem reagir e são quase iguais aos nossos por alguma razão. Até onde sei, só o seu pai adotivo tem poderes relacionado a fogo, mas pra desenvolver poderes semelhantes tem que ter algo na genética pra isso fazer sentido - Disse Alex.

- sem falar que quando você levantou aquela rocha, nos seus braços faixas azuis apareceram e começaram a brilhar, algo que acontece sempre com o Alex quando ele usa o poder dele - Disse Finn.

- algo realmente muito estranho - Delvin começou a pensar naquelas informações por um instante e chegou numa conclusão meio óbvia - eu nunca conheci meus pais biológicos, mas talvez eles tivessem super poderes meio medíocres, e de algum jeito eles devem ter se unido.

- teoria interessante, mas quais seriam esses poderes - disse Finn

- copiar e armazenar!

- copiar?

- sim, tipo... - Delvin ergueu sua mão e então as faixas azuis voltaram- depois de conversarmos tanto sobre seus super poderes Alex, eu consigo ativar o que obtive quando quiser, mais já a do Finn, chega a ser bem mais complicada de entender.

- não é tão complicado, a minha habilidade está conectada aos meus sentimentos e ela reage mais facilmente com a raiva. Lembre-se de uma memória que te encha de fúria e foque nela até visualizar uma chama e a libere pro mundo - Disse Finn.

- isso é fácil - o braço de Delvin começou a pegar fogo - raiva e ódio, eu mesmo tenho mais do que deveria desses sentimentos sufocantes. Mas mesmo tendo dois poderes incríveis como os seus, meu corpo não os suporta tão bem.

Após as chamas se apagarem, o braço de Delvin se mostra meio queimado.

- acho que isso é um efeito normal do seu poder - Disse Finn.

- eu não entendi? - respondeu Delvin.

- sabe, você pode ter copiado meu poder e ter armazenado ele em algum lugar, mas continua não sendo o seu poder original e o seu corpo não evoluiu e nem se acostumou a usá-lo naturalmente.

- você só cópia o poder, mais não as propriedades do hospedeiro pra usar - Disse Alex.

- Bom, talvez se eu treinar por um tempo, meu corpo se adapte...

Ele foi interrompido por Finn.

- gente, essa conversa tá demais e muito informativa pro meu gosto, bora fazer algo de útil e procurar mais sobreviventes? - ele disse bem mau humorado.

- verdade, hoje o museu estava lotado e com certeza deve ter alguém soterrado, aqui, vamos nós separar pras outras áreas do museu? Assim conseguiremos resgatar as pessoas mais rapidamente - Disse Delvin.

- Tem certeza que quer ir sozinho? - perguntou Alex.

- Eu não vejo nenhum problema, claro que não posso abusar dos meus poderes mas agora devo conseguir fazer um ou dois truques.

- Se você diz, lhe desejo boa sorte. Nós tínhamos ido primeiro na área sul, então eu vou pro Norte - Disse Finn.

- deixa o Leste comigo - respondeu Delvin.

- e sobrou o Oeste pra mim, beleza, nos vemos daqui a pouco.

Então eles se separam. Enquanto procurava por sobreviventes, Delvin testava um pouco seus poderes e percebeu que a energia gerada por ele também poderia ser armazenada, o que era um bom sinal, já que o poder que ele copiou de seu melhor amigo é de melhorar qualquer célula do seu corpo ao receber algum tipo de dano.

(Talvez esse poder esteja mau explicado, pra quem não entendeu, o poder "melhoramento" é capaz de melhorar cada parte da célula e torná-la de um jeito amplo mais forte individualmente, graças ao nível da energia cinética que o corpo recebe e invés da pessoa sentir dor, o poder agi e absorve qualquer tipo de energia cinética, seja de outra pessoa ou do próprio indivíduo )

Daí ele foi levantando vários escombros e vendo se havia pessoas ali embaixo, mas ele não estava tendo boas visões do que tinha ali. Muitas pessoas foram esmagadas por aqueles pedregulhos, e só alguns tiveram a sorte de terem ficado com apenas arranhões.

Delvin teve que carregar a maioria dos sobreviventes e levá-los até o centro do museu, onde já haviam montado uma pequena enfermaria graças aos médicos presentes.

Após deixar e ajudar mais algumas pessoas, se houve um grande estrondo vindo da área  Oeste do museu. Delvin sentiu um arrepio no corpo todo ao lembrar que Alex tinha ido por ali.

Sem exitar ele corre pelos corredores totalmente desesperado. Mesmo tendo acabado de ser curado pelos médicos, ele continuava sentindo muita dor e quanto mais se mexia, pior ficava.

Porém seu amigo era mais importante do que sua própria dor e ao chegar ao local de onde veio o barulho, ele se deparo com a seguinte cena, três vilões estavam na frente de Alex que tinha sido desmaiado.

- Hum... a bomba era pra ter sido mais potente Vertigo, deveria ter conseguido uma que pudesse botar o museu inteiro a baixo, agora vou ter mais trabalho do que combinado - Disse o vilão musculoso, que vestia um traje cheio de mangueiras conectadas a uma mochila de metal e usava uma espécie de máscara de gás.

- pra você Bane, é Conde Vertigo e sim, concordo que a bomba que me venderam não fazia todo o estrago que era pra fazer - um homem elegante, roupas chiques e bem arrumado, assim como um "Conde" deva ser.

- relaxem meninos, na verdade isso foi ótimo para nós, teremos diversão gratuita hoje, hahahaHAHAHAHAHA - o terceiro vilão já era bem velho, tinha uma boca cortada com a pele branca e de cabelos verdes, suas roupas eram tradicionais mais estranhas.

- não exagera Coringa, viemos aqui pegar o pacote e pronto, só vamos matar esse garoto aqui, ele teve coragem de me acertar um soco - Disse Bane que apertou um botão que estava no seu peito e duplicou de tamanho- bom, pode dizer adeus ao mundo garoto.

Bane prepara para dar o golpe de misericórdia quando Delvin, correndo a uma velocidade absurda, salta na direção de Bane e lhe acerta um soco tão forte que amassa a sua máscara e ele acaba tropeçando.

- Por Dios, outro moleque? - Bane se levanta do chão e avança em cima de Delvin, que novamente é mais rápido é lhe acertar um chute que quebra seu visor de sua máscara - droga!

- apanhando pra uma criança? Bem a sua cara mesmo - Vertigo gostava de zoa-ló.

- Pres... Prestem atenção Vi...Vilões, eu não sei por que estão aqui, mas se derem mais um passo juro que não saíram vivos daqui!

- Ohhh que criança mais fofa, eu vou ter o prazer de lhe fazer gritar por misericórdia - Disse o coringa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...