1. Spirit Fanfics >
  2. The Horns (vol.1) >
  3. Vazaram o vídeo

História The Horns (vol.1) - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Vazaram o vídeo


Vivy: A gente devia ter ido, você não estava querendo cagar? – perguntou a Nic.

Nic: Era uma piada, ô engraçadona. – disse irônico.

Vivy: Você é uma piada. – rebateu.

Nic: Você gosta de piadas que eu sei. – disse com ar levemente malicioso. Fazendo Vivy resmungar baixo.

Jake: Você é atirado né? – indagou a Nic enquanto Michael se sentava em uma das cadeiras.

Vivy: Você não viu nada. – murmurou para Jake.

Nic: Eu sou atirador, não erro nenhum tiro. – disse convencido fazendo Vivy soltar uma risadinha e Jake fazer uma careta engraçada franzindo o cenho e em seguida se sentou ao lado de Michael.

Jake: Eae, Michael.

Michael: Eae. – disse e apoiou os braços nas pernas inclinando o corpo mais pra frente.

Jake: O que você tem?

Michael: Me desculpa tá? Por ter batido no seu amigo.

Jake: Tá tudo bem, você só estava ressentido pelo o que ele fez. – disse de forma solidária, pois ele tinha noção que mesmo que aquilo tenha sido errado, conseguia entender o lado de Michael.

Michael: Mesmo assim, não devia ter batido nele. Nem em você, e nem ter xingado ninguém.

Jake: Você bateu em mim? – questionou confuso.

Michael: Te dei uma cotovelada.

Jake: Ah verdade, doeu. – Vivy sussurrou para Nic uma piada maldosa, fazendo o garoto rir escandalosamente alto. Jake o olhou sem entender. – Cacete, ô tagarela. – resmungou.

De repente o médico apareceu de novo, fazendo Jake levantar rápido da cadeira.

Médico: O Vitor acordou.  Se quiserem vê-lo, só pode ir uma pessoa.

Jake: EU VOU! – disse de imediato.

Médico: Me acompanhe, por favor. – os dois saíram para o quarto que Vitor estava. Enquanto eles estavam saindo Jo estava voltando.

Vivy: Finalmente, já estava achando que você tinha morrido no banheiro.

Jo: A porta emperrou. – disse e se sentou ao lado de Michael.

Nic: Estava brincando de DJ, né safada? – questionou com um sorriso malicioso fazendo Vivy e Michael rirem.

Jo: Tá louco? – disse rindo.

Vivy: Vitor acordou, Jake entrou pra ver ele.

Jo: Ah que bom. – suspirou aliviada.

Nic: Vou morrer de sede, onde tem água aqui? – disse em tom dramático.

Vivy: No bebedouro ali no corredor. Eu vou com você. – os dois saíram juntos.

Michael: Tava brincando de DJ no banheiro? – perguntou curioso para sua namorada.

Jo: Lógico que não, estou caindo de sono.

Michael: Devia ter ido pra casa.

Jo: Vou ficar aqui com todo mundo esperando o Vitor. – Michael abaixou a cabeça ao sentir uma pontada de ciúmes. Era difícil para ele ver sua namorada se importando com o amante dessa forma, mesmo que ele não tivesse direito de reclamar de nada.

Michael: Gosta dele, né?

Jo: Ele é nosso amigo, e me sinto culpada pelo o que aconteceu com ele. – Claro que se sente culpada, quem começou tudo foi você, pensou involuntariamente.

Michael: Talvez... Você devesse ficar com ele... Ele é claramente melhor do que eu... – murmurou com dificuldade, não queria terminar com ela, mas estava tendo consciência de todo mal que havia causado e que Vitor havia sido mais companheiro da Jo em um dia do que Michael já havia sido em meses de relacionamento. Jo o encarou preocupada, seu coração disparou e sua garganta se fez um nó.

Jo: Você... Não me quer mais? – indagou já sentindo seus olhos marejarem.

Michael: É claro que eu quero, mas...

Jo: Para com isso... – pediu segurando o choro, Jo estava disposta a dar uma nova chance para seu relacionamento, estava esperançosa de que dessa vez as coisas melhorariam e não queria em hipótese alguma terminar com ele.

Michael: Posso fazer uma pergunta? – perguntou receoso.

Jo: Claro.

Michael: Ele transa melhor que eu? – Jo comprimiu os lábios segurando o riso.

Jo: Ninguém transa melhor do que você. – Vitor podia ter tido um ótimo desempenho, mas ainda não sobressaia o de Michael. 

Michael: Ótimo. Estamos de boas então?

Jo: Estamos.

Michael: Tenho que ser meloso com você a partir de agora?

Jo: Credo, não. – disse franzindo o cenho. – Tem que ser mais educado.

Michael: AINDA BEM. – gritou aliviado em relação a ser meloso. – Educado eu consigo. – disse arrancando de Jo uma risada.

 

Enquanto isso, no corredor. Nic havia acabado de matar sua sede e no desespero acabou se molhando um pouco mais do que deveria.

Vivy: Nossa, Nic você se babou todo. Não sabe beber água não? – resmungou.

Nic: Tá saindo um jato daqui, você queria o que? – retrucou impaciente enquanto limpava a boca com as costas da mão.

Vivy: Sabe fazer boquete, mas não sabe beber água. – alfinetou fazendo o soltar um risinho debochado.

Nic: Eu sei chupar bem, quer? – perguntou com um sorrisinho malicioso nos lábios.

Vivy: Não! – disse indignada.

Nic: Estou impressionado que você não quis esse corpo nu à noite toda. – disse se referindo a si mesmo com um sorriso sacana.

Vivy: Nic. – repreendeu. – Sossega. – disse desviando olhar do dele.

Nic: Então você quis?! SABIA! Você não aguenta. – disse convencido. Ele sabia que as vezes sua amiga tinha algumas recaídas por ele e Nicolas se aproveitava disso, pois gostava dessas recaídas.

Vivy: NÃO! Cala a boca e não repete isso. – murmurou séria.

Nic: Esse Jake ai é só pra disfarce. Eu transo muito bem. – se gabou.

Vivy: Nic fica quieto tá? Chega disso! – disse impaciente, o assunto a estava deixando irritada, porque quanto mais ele falava, mais a atiçava e a ultima coisa que ela queria fazer era trair seu namorado mais uma vez.

Nic: Olha, eu estava esperando um desafio pra gente lá no hotel, mas ninguém nos juntou. Triste. – fingiu lamentação.

Vivy: Triste nada. Quase fiquei sem namorado por sua culpa. Então por favor, sossega.

Nic: MINHA? – indagou incrédulo. — Você que soltou que eu te engravidei naquela treta lá no Outback. – VOCÊ GOSTA DE POR A CULPA EM MIM POR TUDO NÉ? – gritou indignado. 

Vivy: Sim, porque você ficou com insinuações.

Nic: Eu nasci para discórdia e sexo. – se gabou novamente. Gostava de causar discórdia entre as pessoas, era divertido para ele. Vivy soltou um risinho nasal.

Vivy: Você só causa discórdia por onde passa garoto.

Nic: Escuta, – disse se aproximando mais dela, deixando seus corpos poucos centímetros um do outro. – eu só coloco a pilha no brinquedo, se ele anda até a escada, ele cai sozinho. – disse em tom baixo e sarcástico olhando no fundo dos olhos verdes dela. – Todas as tretas foram problemas pessoais de vocês que eu nem sabia. – Vivy abriu um sorriso malicioso involuntariamente, depois bufou voltando a si e o afastou.

Vivy: Você me irrita demais.

Nic: Tá irritada porque sabe que é verdade.

Vivy: Chega. Minha cabeça já está doendo de ouvir você falar. – resmungou e ele soltou um risinho nasal.

Nic: Vamos voltar pra lá. – Vivy assentiu e os dois caminharam em silêncio em direção à sala de espera. Violetta realmente queria parar aquela conversa, não estava gostando do desejo por discórdia e maldade que estava subindo em seu corpo, era algo que ela já tentara evitar a um bom tempo. Assim que os dois voltaram viram Jo com a cabeça apoiada no ombro de Michael, que ergue a cabeça quando viu os amigos se aproximando. – Eae família. – disse enquanto se sentava do lado da Jo.

Vivy: Jake ainda não voltou? – perugntou se sentando ao lado de Nic.

Jo: Até agora não.

Vivy: Já estou até vendo as fãs do Vitor surtarem. Não sei o que seria pior, ele sumir das redes sociais por um tempo ou aparecer com o rosto cheio de hematomas.

Nic: Sumir sem explicação, os hematomas tem como inventar uma desculpa.

Jo: Eu vou capotar. – murmurou deitando a cabeça no ombro de Michael de novo e fechando uns olhos por um instante.

Nic pendeu a cabeça para trás e esticou as pernas, assim como a Jo ele também estava bem cansado e só queria dormir um pouco. Vivy era a única que não estava com sono, ela pegou o celular para se distrair um pouco na esperança do tempo passar mais rápido. Assim que abriu uma rede social se deparou com um vídeo que todo mundo estava comentando. Era o vídeo da briga entre Vitor e Michael na balada, Vivy arregalou os olhos e sugou o ar ao ver aquilo.

Vivy: Gente... – os outros a encararam. – Vazaram o vídeo dos dois brigando na festa.

Jo: QUE?! – gritou levantando a cabeça do ombro de Michael e se virando de lado para olhar para sua amiga.

Nic: As fãs do Vitor vão matar o Michael. – comentou.

Vivy: Olha aqui. – disse entregando o celular para a Jo, que assistiu o vídeo todo completamente nervosa, sabia da força que o fandom de Vitor tinha e isso podia prejudicar muito seu namorado.

Jo: O pior é que dá pra ver certinho que são eles dois. Vivy se inclinou para perto da Jo quando algo no vídeo chamou sua atenção.

Vivy: Ali no canto... – olhou mais de perto. – É o Nic pegando aquele cantor famoso? – disse apontando na tela aonde virá os dois. – Eu nem sabia que ele estava lá. – Vivy conhecia o tal famoso, mas naquele momento havia esquecido o nome dele.

Nic: NÃO TÔ LEMBRADO DISSO NÃO! – gritou olhando para o celular.

Vivy: OLHA ALI NO CANTO. – Nic parou para encarar melhor a cena e ficou chocado quando viu que era ele mesmo ali.

Nic: Eu peguei esse cara. – murmurou desacreditado pois não se lembrava mesmo de ter feito aquilo.

Vivy: Você não tem limites.

Jo: OLHA O JAKE COM NARIZ SANGRANDO ALI!

Nic: Michael você se fodeu bem feio. – Além das fãs de Vitor também tinham as de Jake que eram extremamente protetoras e provavelmente fariam da vida de Michael um inferno.

Michael: Nossa, olha como meu cabelo está bonito. – desconversou ao olhar para o vídeo, estava pouco ligando para que os fãs dos dois asiáticos fizessem com ele.

Jo: Está mesmo, um arraso.

Nic: Gente olha a minha pegada, eu beijo bem demais. – se gabou.

Michael: Sério, olha esse balanço. Parece até comercial de shampo. – estava completamente fascinado por seu próprio cabelo.

Jo: Pena que na bagunça eu nem apareci no vídeo.

Nic: É que gente feia é ofuscada pela beleza dos outros. – Vivy riu alto.

Jo: Como é? – indagou séria.

Michael: Não fala assim dela, ela é bonita sim. – disse enquanto segurava o riso pelo comentário de Nic.

Jo: Vocês estão zoando com a minha cara, eu nem tenho autoestima. – murmurou cruzando os braços e fechando a cara. Odiava ser chamada de feia.

Nic: Que dó.

Vivy: Que a gente não tem. – Jo lançou uma cara de tédio para os dois. – Ah, gente vamos ver o berçário? – sugeriu.

Nic: Pra que?

Jo: Vamos! – concordou animada.

Nic: Se tiver muito choro eu não quero.

Os quatro acabaram indo juntos até o berçário, enquanto Vivy e Jo comentavam sobre quanto os bebês dali eram fofos, Nic e Michael ficavam com cara de tédio achando aquilo tudo uma chatice.

Vivy: OLHA AQUELE ALI QUE FOFINHO! – gritou encantada ao ver um bebê e Jo também soltou um grito de fofura.

Michael: Ai meu ouvido. Não precisa gritar. – resmungou colocando a mão na orelha.

Nic: Eu quero um. Me dá um Vivy. – brincou fingindo estar falando sério.

Vivy: Não quero mais ver, vamos embora. – disse fechando a cara e cruzando os braços, fazendo Nic rir.

Jo: Olha aquele que fofo Michael. – indicou um bebê com toquinha amarela.

Michael: É, to vendo. – respondeu entediado. Não via a menor graça em crianças e nem pretendia ter uma alguma dia. – Aquele ali tá babando. – apontou.

Nic: Quase todos estão, são bebês. – respondeu como se fosse óbvio.

Vivy: Olha aquela menininha ali. Toda de rosa, tão linda. Dá até vontade de ter um.

Michael: Fale por você. – Nic concordou com ele.

Jo: Eu gostei daquele menininho de azul ali no fundo do lado direito. E você está nova demais para ter um bebê. – disse a Vivy, que apenas cumpriu os lábios disfarçadamente e continuou olhando os bebês.

Michael: O que aconteceu com aqueles três que você ia ter? – perguntou para Vivy.

Vivy: Não passavam dos dois meses.

Nic: Ela é uma assassina, tá vendo?

Vivy: Talvez porque se eu os tivesse ia ter que cuidar deles sozinha? – falou em tom irônico.

Jo: Você devia era ter usado camisinha.

Vivy: Não fazem camisinha pra tamanho do Nic. – Michael segurou o riso.

Nic: TEM SIM! E eu falava que não ia assumir, mas tivesse tido um eu iria ajudar a cuidar. Não sou um monstro.

Jo: Nic devia aceitar o seu destino de ser uma garota. – brincou e foi ignorada por todos.

Vivy: Tá deixa isso pra lá, já passou. – disse a Nic. – Agora quero bebês coreanos.

Nic: E eu estou bem não sendo pai.

Eles continuaram conversando sobre bebês, e chá de bebê, dizendo quem levaria o que até Jo pedir para voltarem para sala de espera, pois estava caindo de sono e queria sentar antes que caísse no chão. Os quatro voltaram para a sala e se sentaram.

Vivy: O Vitor e o Jake estão transando lá dentro? Que demora. – reclamou impaciente.

Nic: Eu queria estar transando com o Vitor... Jo ele transa bem? – questionou curioso, arrancando de Michael uma revira de olhos.

Vivy: Também quero saber.

Jo: A gente não precisa falar disso, né? – disse sem graça, não estava querendo voltar nesse assunto para não deixar Michael chateado ou irritado de novo.

Vivy: Precisa.

Michael: Não precisa.

Nic: Precisa, dois contra um. – Jo enrolou um pouco para responder.

Jo: Sim... – disse sem graça desviando o olhar. Michael revirou os olhos.

Nic: DELICIA, QUERO! – estava louco para ele mesmo confirmar que Vitor transava bem. O garoto asiático havia prendido muito sua atenção e apesar de Nic já ter ficado com várias pessoas era bem seletivo e eram poucas pessoas que prendiam sua atenção dessa forma.

Vivy: Será que o Jake toparia um a três com o Vitor? – perguntou sugestivamente.

Jo: Com certeza. Ele ficou de pau duro com o Vitor lá no verdade ou desafio.

Nic: Deixa eu entrar junto e virar suruba. – provocou.

Vivy: Ah não.

Nic: POR QUE NÃO? EU TRANSO MUITO BEM!

Vivy: EU NÃO QUERO SEU PAU PERTO DE MIM!

Nic: Que saco, espero que o Jake não aceite então. – resmungou cruzando os braços. Vivy mostrou a língua pra ele. – Crianças demais.

Jo: Vocês dois são. – Michael concordou com ela. – Mas eu shippo mais o Vitor com o Nic do que com a Vivy. – disse com um sorriso sacana nos lábios.

Vivy: Não é para me shippar com ele. Só quero sexo a três.

Jo: Então boa sorte, certeza que o Jake aceita.

Nic: Não fala isso, não quero ser o último a transar com ele.

Vivy: Seria legal se vocês dois começassem a namorar. – disse se referindo a ele e Vitor, Nic a encarou confuso.

Nic: Por que? Eu não namoro não. – ele havia namorado apenas uma vez com um garoto e foi um relacionamento em base em uma aposta feita pelos dois para ver quem aguentava mais.

Michael: Pelo menos assim ninguém engravida.

Nic: TEM TODA RAZÃO!

Jo: O Vitor tem jeito de ser um bom namorado.

Vivy: Tem mesmo.

Nic: Talvez... – Nicolas parou para pensar nisso por instante, e se namorar Vitor poderia ser realmente uma possibilidade. Ainda era muito cedo para dar certeza de algo, mas já podia perceber que Vitor estava despertando nele algo diferente.

Vivy: Só se joga Nic, assim você não fica mais de vela no grupo.

Nic: Sinto como se fosse interromper algo. – disse sugestivo se referindo ao que Vivy queria, a mesma se fez de desentendida.

Vivy: Olha, eu tive uma ideia. Vamos todos viajar junto, vai que assim rola um clima entre vocês.

Jo: PRA ONDE?! – perguntou animada.

Vivy: VEGAS! – respondeu com um sorriso levemente malicioso. Jo adorou a ideia, gostava de viajar e Las Vegas era um lugar bem divertido.

Michael: Vegas é bem louco, eu topo.

Nic: Eu aceito ir pra Vegas e arrumar o Vitor pra mim.

Vivy: Então fechou, assim que o Vitor melhorar a gente vai.

Jo: Aí o Vitor não aceita. – brincou rindo do próprio comentário.

Vivy: Aí ele vai à força.

Jake: Oi gente, voltei. – disse ao se aproximar surpreendendo os quatros que nem haviam o visto chegando. Vivy e Jo perguntaram ao mesmo tempo sobre o estado de Vitor. – Ele está bem, estava até rindo. – Jake estava finalmente 100% tranquilo após ver que seu amigo estava bem.

Michael: Que bom, fico aliviado.

Jo: Eu também. – suspirou aliviada.

Vivy: É bom que ele melhore logo porque a gente vai viajar.

Jake: Pra onde vocês vão? E por que eu não vou também? – questionou franzindo o cenho, fazendo Vivy dar uma risadinha.

Vivy: Você vai também, vai todo mundo pra Vegas.

Jake: Ah beleza então! – disse animado. – Então, o Vitor vai ter que passar a noite aqui e o médico disse que não podemos ficar lá no quarto, podemos ir embora ou dormir aqui nas cadeiras.

Vivy e Nic: Vamos embora. – disseram juntos e se entreolharam trocando sorrisinhos amigáveis.

Michael: Eles não vão precisar mais de mim?

Jake: Não, esta de boas, eu acho. O médico disse que ele só precisava descansar, então acho que não vão mais precisar do seu sangue.

Michael: Então vamos, doei dois litros de sangue, tô morto. – disse se levantando e se espreguiçando. Vivy e Nic se levantaram também.

Jo: Vamos porque eu estou quase caindo de sono desde que chegamos. – se levantou também e bocejou em seguida.

Vivy: É, e o Nic quer cagar.

Nic: DE NOVO VIOLETTA!

Jo: tem banheiro aqui sabia?

Nic: Ela tá zoando. – resmungou com cara de tédio.

O grupo finalmente saiu do hospital e foram para suas casas, para poderem finalmente descansar depois de toda a bagunça que tiveram desde o primeiro momento em que se viram.

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...