História The House Black Bar - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Drama, Dualipa, Fanfic, Justinbieber, Romance, Traição
Visualizações 13
Palavras 2.183
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Aggressive love


Fanfic / Fanfiction The House Black Bar - Capítulo 3 - Aggressive love

Mia Leighton 

Tinha se passado uma semana desde que vi Justin. 

Não liguei, não mandei mensagem e pretendo não fazer isso. 

Eu estava nervosa, incomodada com tudo.

No momento eu estava andando de um lado para o outro no quarto, com o cabelo solto, sem maquiagem, sem sutiã e com camiseta branca largada, bom e uma calcinha box preta. 

Essa é a melhor roupa do universo pra se estar vestida em casa, sozinha. 

Sozinha... Hendric havia viajado a trabalho e disse que voltaria logo, fazem 3 dias e eu estou surtando, não pela viagem, mas pela forma que ele me tratou antes disso. 

Flashback on 

-Olha você não pode sair assim sozinha várias noites ou com as putas das sua amiga Mia! Eu já fui paciente demais com você, eu não aguento mais ficar te tratando sempre bem quando você não sabe ser boa pra mim, você nem está bonita como no começo do relacionamento, você não vai arrumar ninguém que queira ficar com você se eu for embora e te largar, você está ouvindo? NINGUÉM MIA VAI QUERER VOCÊ. - Hendric gritava isso na minha cara e eu só tentava digerir. 

Segura o choro Mia, ele não merece. 

-Hendric... você está me machucando, larga meu rosto - digo tentando puxar sua mão que estava apertando meu maxilar, ele realmente estava depositando sua força pra marcar meu rosto. 

-Olha, você é deplorável, eu vou sair a viagem, quando eu voltar conversamos! - me empurra e faz minhas costas bater bruscamente na parede, pega sua mala pronta e sai do quarto. 

A mala que eu fiz, separando as suas roupas preferidas, com seu perfume novo que eu sai pra comprar, e com uma foto nossa feliz há 7 meses que foi revelada, por mim, e com um "eu amo você" gravado pelas minhas mãos que escreveram ali. 

Sinto meus lábios tremerem, eu não quero chorar, não preciso chorar, não posso chorar. 

As lágrimas começam a cair contra minha vontade, me levanto e pego nossa foto no porta retrato que fica do lado dele da cama acima do seu móvel. 

Taco na parede e ouço de forma distante um barulho dos estilhaços de vidro, não sei o que mais me consumia,  se era raiva ou tristeza. 

Me deito na cama e me encolho, tentando ignorar tudo isso, a dor em meu maxilar, e logo pego no sono. 

Flashback off 

Vou ligar pro Justin, foda-se. 

Não, vou mandar só uma mensagem, se ele quiser que ligue. 

"Drew: Justin é a Mia, desculpa não ter mandado a mensagem antes." 

Vou até o banheiro da suíte e retiro as poucas peças de roupa que ainda vestia, ligo o chuveiro e deixo a água quente cair sobre minha pele. 

Uso meu shampoo preferido, meu sabonete líquido de morango com chantilly e deixo meu corpo relaxar. 

Depois do banho preparei panquecas com mel e um suco de laranja, trouxe pro quarto e me deitei na cama ligando a série na Tv. 

Pego meu celular no meio da cama e tinha uma nova mensagem, do Justin.

"Vamos nos ver hoje?" 

Penso um pouco e logo digito a resposta. 

"Que horas ???" 

"Estarei aí pra te buscar as 7, assim que eu sair do trabalho" 

"tudo bem, te espero." 

Jogo o celular de volta no lugar e fico comendo, me deito um pouco mais confortável abraçando meu travesseiro, e fico pensando, onde estou me metendo. 

 

6:50 pm 

Retoco o batom nude na boca, foi a única maquiagem que passei, não queria usar nada no rosto hoje. 

Pego minha bolsa e vejo se tenho dinheiro suficiente na carteira. Logo Justin deve chegar, então apago a luz do quarto e desço às escadas indo pra frente da casa. 

Vejo o carro dele se aproximar e passo as mãos na perna, estava nervosa e suando de novo. 

Ele estaciona e eu vou até o carro, sorrio pra ele quando o mesmo abaixa o vidro e me recebe com um sorriso de canto nos lábios.

-Entre, Mia - diz Justin e eu não demoro muito pra isso, ao me sentar e fechar a porta ele fica me observando, fica estudando meu rosto e enruga as sobrancelhas, depois volta a suavizar a expressão.

Me estico um pouco até ele e o abraço, sinto suas mãos e braços ao meu redor, me abraçando mas com carinho, como se pudesse me quebrar só de apertar mais. 

Eu sentia uma confiança nele, o que é tão estranho já que eu mal o conheço. 

Nos arrumamos novamente e ele liga o carro seguindo para algum caminho. 

-Você está linda assim, toda natural - ele diz sem olhar pra mim ainda. 

-Tá falando que sou feia maquiada? - pergunto brincando. 

-Ooou você quem está interpretando assim - ele faz a curva e para na frente de um estabelecimento, me estivo e vejo que na verdade é um restaurante de comida italiana. 

Volto o olhar pra ele e o observo um pouco. Hoje ele estava com uma camisa meia manga de algodão preta, ficava um pouco justa nos braços dele, bem bonito. Acho que ele gosta de preto, e bom eu também gosto muito. 

-Vou descer e pegar algo pra gente comer, vamos pra minha casa depois ?- eu apenas concordei com a cabeça. Não sabia o que achava sobre isso ainda. 

Ele desce e da a volta no carro indo entrar no restaurante. Abaixo a janela e me preparo pra chamar o bonitão. 

-Ei, querido não traga nada exótico, apenas massas - ele me olha e sorri concordando e entrando de vez pela porta. 

Passou um tempo e como Justin ainda não havia voltado Resolvo esticar meus pés apoiando no painel do carro e pego meu celular, havia mensagens de Hendric. 

"Me desculpe pelo que fiz dias atrás, só fiz isso porque amo você e você sabe disso, me perdoe. Te amo." 

Leio aquilo balançando a cabeça em negação e coloco o celular novamente no bolso de trás da minha calça.  

Ligo o som do carro e escolho uma música, escolho "Daddy issues" e começo a cantar dando umas batucadas com a mão na porta ao meu lado. 

-Go ahead and cry, little girl, nobody does it like you do - continuei cantando até que Justin voltasse ao carro, entrou e me entregou os pacotes de comida, estava cheirando muito bom. 

-Parece que vai babar nos pacotes - ele diz ligando o carro e eu dou um tapinha em seu ombro. 

-Folgadooo - cantarolei rindo e o vi sorrindo também. Eu gostava muito disso. 

Logo chegamos em sua casa e ele estacionou na garagem. Saímos do carro e ele abriu a porta me dando passagem pra entrar. 

-Bela casa Jus - digo e vou até a cozinha colocando as comidas na bancada. Sento em uma das cadeiras e olho pra ele que estava tirando o sapato e agora vinha até mim. 

-Olha eu pedi algumas coisas que acho que você vai gostar e.... Jus? Que espécie de apelido é esse Mia ? - perguntou escondendo uma risada e eu virei pro lado também escondendo a vontade de rir. 

-Olha eu adoreeeei esse apelido, é fofo e ao mesmo tempo super descolado. - digo irônica e ele se senta na mesa ao lado abrindo as embalagens e me entregando um dos pratos. 

-Sei, ainda não achou um melhor né? Eu entendo, você vai ter tempo ainda - diz e eu já estava comendo, estava com fome aliás. 

Depois da gente comer ele me chamou pro quarto, o quarto dele era todo em tons pretos, muito bonito aliás. 

Me joguei na cama depois de tirar meu tênis e fico de meia, enquanto ele pegava um cobertor pra mim. Se sentou ao meu lado e me sentei também me arrumando, então ele foi pra minha frente. 

-Abre as pernas - disse e eu arregalei os olhos. 

-Justin ? - perguntei incrédula e ele rolou os olhos. 

- estica um pouco e coloca uma de cada lado da minha, vem - me ajudou a me arrumar assim e coloca a mão na minha cintura me puxando mais pra frente, mas com uma distância considerável entre nós. 

Ele fica me observando e leva uma das mãos até meu rosto, onde estava marcado pela força que o Hendric usou comigo uns dias atrás ainda estava dolorido, fechei os olhos quando o polegar dele passou suavemente ali. 

-Quer me falar disso agora ? - pergunta e eu nego na hora, não me sentia pronta pra isso. 

-Prometo contar depois, ok ? - digo isso a ele e coloco minha mão por cima da sua, abaixando-a e me abraçando ao corpo dele, deixando minha cabeça em seu peitoral. 

Sinto o cobertor sendo colocado ao meu redor e ele fazer movimentos para me esquentar. 

-Olha, eu sei que é difícil, mas você não tem que passar por isso - diz e eu concordo. 

-eu sei, mas é tão complicado - digo e solto um suspiro. 

-Vai continuar sendo até você resolver mudar isso, Mia - Justin diz e deposita um beijo na minha cabeça, encostando eu queixo ao topo no meu cabelo. 

-Na noite em que te conheci, tive uma briga com alguém... importante, e quando te olhei sabia que não estava tudo certo contigo, é muita loucura ?- ele continua dizendo e eu me desencosto um pouco, pegando o cobertor e passando ao seu redor também. 

Sua camiseta era preta, ia encher de pelo. Então ele ficou me olhando enquanto eu peguei na barra da sua camiseta e a puxei pra cima, ele esticou os braços e deixou que o pano deslizasse pra fora mostrando seu peitoral. 

Então agora sim arrumo o cobertor nele. 

-Não é loucura, eu mal te conheço e sinto que você não vai me fazer mal - digo e fico observando os detalhes dele, seu maxilar era definitivamente lindo, ele tinha feito a barba e estava lindo mesmo assim, tinha umas tatuagens no peitoral e na barriga, acho que um dia eu perguntaria o significado delas. -E também sinto que era pra gente se conhecer. - digo e olho ao redor, a parede de vidro revelava uma chuva que começou a cair. 

-Quer beber alguma coisa ? - ele pergunta passando a mão em meu cabelo e enrolando em seu dedo. 

-Vinho?-  digo e ele se levanta pegando um vinho em uma bancada e duas taças. 

Volta pra cama e me da uma das taças, abre a garrafa e coloca um pouco da bebida pra mim e depois se serve. 

-Esse é meu preferido, meu pai me apresentou e desde então nunca mais parei de beber  

-Como é seu pai ?- pergunto e bebo mais um pouco. 

-Uma versão de mim mais velha, ambicioso demais na maioria das vezes, é o que estraga ele 

Faço uma careta e ele da risada com isso.

-Me fale um pouco de você, uh? - ele diz passando uma de suas mãos no seu ombro, e eu concordo começando a falar.  

-Estou no último ano de direito, sou apaixonada por violino, Mozart é meu amor... sei que um dia vou casar com ele, bom, nos sonhos lógico. Hm 20 anos, e namoro há 4 anos e moro com ele há 3... e puxa vida é muito estranho ter falado esse final em voz alta mesmo sabendo que você já percebeu meu relacionamento conturbado. 

-Fico feliz que esteja se sentindo a vontade comigo, mesmo que aos poucos. 

 Levanto e abro minha calça, a tiro e também tiro meu casaco deixando as peças cair sobre o chão, fico de calcinha e sutiã, pego a camiseta dele que estava jogada na cama e viro de costas, tirando o sutiã e vestindo a blusa, me virando de frente pra ele e o vejo estudando minha atitude.

Nem tem tanto tempo que fico na companhia dele e percebi que ele mais repara nos detalhes do que fala. 

Me deito na cama e o puxo para o meu lado, ele vem, sem dizer nada. 

-Não quero que faça nada por emoção, eu to gostando da sua companhia e não quero estragar isso e nem te pressionar com nada, mas eu sou homem e você não ajuda ficando vestida assim na minha frente, na minha cama Mia. 

Ele se senta deixando as pernas esticadas e as costas apoiada na cabeceira da cama. Subo o corpo colocando as pernas uma de cada lado do seu colo, e ele ainda assim só analisa, percebo seu peito descer e subir um pouco mais rápido, descompassado. 

Levo minha mão aos ombros de Justin e começo a massagear, ele fecha os olhos. Me inclino e deixo um beijo em seu lábio, não me desaproximo e ele deixa a respiração quente sair entre os lábios, volto mais perto e começo a beijar, pedindo passagem, sinto ele ceder e juntar sua língua a minha, leva suas mãos até minha cintura me pressionando sobre o corpo dele e depois as tiram, sinto o receio dele. O beijo tinha gosto e uma sensação boa, acho que frio na barriga, algo novo. 

Era como beijar algo doce, bom, mas viciador. 

-Não faça eu me arrepender disso Mia...


Notas Finais


Está aí amores, espero que gostem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...