1. Spirit Fanfics >
  2. The Hunt >
  3. A Joia Da Vida

História The Hunt - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Fala meus nobres tudo bem ? Espero quê sim, venho trazendo hoje mais um capítulo bem legal, espero quê gostem e boa leitura.😄👍

Capítulo 3 - A Joia Da Vida


Fanfic / Fanfiction The Hunt - Capítulo 3 - A Joia Da Vida

A cidade era como se fosse uma pintura , quê foi conservada pelo artista por muitos e muitos anos , Kardia notou um comportamento estranho em relação a Selene, ela voltou a cobrir seu rosto com o lenço assim quê se aproximavam da cidade, ao chegarem a entrada , dois homens os estavam aguardando , ambos vestiam longos mantos de cor branca e alguns detalhes em vermelho, ao quê tudo indicava pareciam ser sacerdotes, um deles deu dois passos a frente lhes dando as boas vindas.

Sacerdote: Sejam bem vindos a Trestia nobres cavaleiros.

Degel: obrigado meu senhor, eu mi chamo Degel cavaleiro de aquário, e esse é Kardia cavaleiro de escorpião.

Sacerdote: obrigado por virem nos ajudar, estamos passando por tempos difíceis, como não bastasse os assassinos, ainda estamos sendo constantemente atacados por espectros.

Degel:  essa parte chamou muito a nossa atenção.

Sacerdote: Eu explicarei toda a situação a vocês, sigam-me por favor.

Os mesmo obedeceram , quando entraram na cidade , um outro sacerdote veio correndo até eles quase sem folego.

- MEU SENHOR ! Nós não a encontramos em lugar algum.

Sacerdote: fique calmo, eu já a encontrei.

O homem virou o rosto na direção de Selene , Degel ficou a encarar a garota.

Sacerdote: - Eu sei quê é você Selene ,consigo sentir sua áurea de longe.

Ela suspirou fundo enquanto retirava o lenço quê a escondia.

Sacerdote: Você não devia ter saído de Trestia, sabe muito bem disso.

Selene: eu sinto muito , mais eu queria muito conhecê-los.

Os dois cavaleiros trocavam olhares sem entender o quê se passava entre eles naquele instante.

Kardia: mais o quê está acontecendo aqui?, como ela não pode sair da qui? ela é uma guia.

Sacerdote: foi isso quê ela disse a vocês?.

Selene:  não se preocupem eu explicarei tudo.

As ruas  de Trestia eram bem movimentadas , as pequenas lojas exibiam seus produtos , a arquitetura das casas e ruas pareciam ter sido esculpidas pelos Deuses.

Porém não era só àquilo quê chamava a atenção de Kardia e Degel, mais sim pelo simples fato de onde quer que passassem as pessoas abriam caminho, se curvavam ou faziam alguma reverência.

Kardia: essas pessoas sabem mesmo ser educadas.

Degel deu um leve sorriso de lado enquanto kardia acenava pará algumas crianças, quê  em retribuição sorriam e acenavam de volta.

Degel:creio quê as reverências não sejam apenas pará nós.

Kardia lançou seu olhar em direção a Selene , quê ia um pouco mais adiante , acompanhada pelo sacerdote , uma criança veio em sua direção lhe oferecendo um buquê de lindas flores.

- Por favor aceite minhas flores  sacerdotisa.

Ela as aceitou com um doce sorriso, Após um tempo estavam chegando no quê parecia ser um templo , era a construção mais exuberante quê havia ali, ao entrarem nele foram guiados pelos auxiliares até um enorme salão, onde aguardavam Selene e o sacerdote.

Kardia: essas pessoas são muito estranhas .

Degel: eu também estou um pouco confuso , porém nossas duvidas notoriamente serã correspondidas.

Kardia: e espero quê o mais rápido possível. 

Os dois escutaram as grandes portas do salão serem abertas , Selene se apresentou a eles ,sua aparência estava completamente diferente de quando a haviam conhecido, usava um longo vestido branco, com alguns detalhes dourados nas longas mangas e na bainha.

Kardia: hora! .. Parece quê você é mais do quê uma simples guia.

A garota sorriu meio sem jeito , foi em direção ao trono quê se encontrava ali, estava sempre acompanhada do sacerdote.

Selene:  senhor Kardia, senhor Degel sinto muito por não ter sido totalmente justa com vocês, mais enquanto eu estava com vocês notei quê são cavaleiros admiráveis enquanto eu os guiava mi senti também protegida.

Degel: agradeço pelas gentis palavras.

Kardia:  más se você não é uma guia então quem é você?, Algum tipo de Deusa?.

O sacerdote foi quem respondeu as perguntas .

Sacerdote: não à senhorita Selene não é uma Deusa , na verdade ela é a reencarnação de uma importante sacerdotisa.

Kardia:  Sacerdotisa?.

Selene: sim senhor Kardia.

O sacerdote entregou a ela uma caixa quê tinha em mãos, de onde ela retirou uma espécie de bola com algumas joia dentro , quê ao ser tocada por ela começou a emanar uma forte energia cósmica, fazendo com quê os cosmos dos dois se manifestassem também.

Kardia:  mas o quê é isso? .

Degel:  esse cosmo esta a afetar o nosso.

Selene:  não!.. Não precisão ter medo, ouçam eu irei lhes contar uma historia, e creio quê ela esclarecerá tudo.

" Há muito tempo, quando os Deuses ainda estvam em paz, foi dado um presente a humanidade, mais claramente a uma sacerdotisa, foi concebida a ela uma jóia ela foi chamada de joia da vida, essa jóia possuía o poder de retirar e devolver a vida a qualquer ser, porém os Deuses à alertaram quê a sacerdotisa jamais deveria usar o poder da jóia pará fins egoístas, pois ela era a única em quê eles tinham confiança , os Deuses também disseram quê por ela ter aceitado essa tarefa ela iria renascer pará quê continuasse seu trabalho , com o passar do tempo , alguns desejavam a jóia pará si , pois acharam quê não era justo apenas ela ter aquele poder , então a sacerdotisa clamou dia e noite pará quê os Deuses construíssem um esconderijo pará ela, seu pedido foi aceito os Deuses deram a ela uma cidade, porém o mal jurou quê um dia teria a jóia pará si".

Selene: e essa é a história .

Degel: então é por isso quê os espectros estão se manifestando aqui, eles estão a procura da jóia.

Selene:  infelizmente sim senhor Degel.

Sacerdote: mais o quê nossos inimigos não sabem é quê, so a senhorita Selene pode controlar tal poder.

Selene:  sim mais tenho medo algo de ruim aconteça com ela e com todos aqui.

Kardia:  não se preocupe Selene , estamos aqui pará acabar com esses problemas.

Degel:  estaremos aposto pará qualquer coisa.

Selene: muito obrigado nobres cavaleiros.

A esperança reinou aquele dia, no entanto a poucos quilómetros da cidade, em meio a imponente floresta de carvalhos, alguns espectros estavam a se reunir .

- Sinto os cosmos dos cavaleiros de Athena, mais sinto um cosmo ainda mais poderoso .

Kagaho:  é o cosmo da jóia, tanto poder sendo desperdiçado.

Foi quando uma voz ecoou em meio as copas das  copas das árvores.

Kagaho: quem está ai?.

Das copas surgem um grupo de pessoas cobertas por mantos escuros quê escondiam seus rostos.

- é realmente lamentável , saber quê um poder como àquele não é bem apreciado.

A voz quê ecoava se prostrou em meio as sombras.

Kagaho: eu posso saber quem é você?.

- digamos quê sou um apoi extra, e ambos queremos quase as mesmas coisas.

Kagaho: eu não faço ideia do quê está falando.

A figura misteriosa começou a sorrir.

- hora não se faça de desentendido, sabe muito bem do quê estou mi referindo, afinal eu vim até aqui lhe oferecer minha ajuda.

Kagaho: quê tipo de ajuda você veio nos oferecer?.

- é muito simples sei quê está querendo a jóia da vida eu posso trazer pra você,em troca eu tenho o quê eu quero.

Kagaho:  e o quê seria?.

- eu quero apenas a cidade.

Um dos subordinados se opôs.

- Não pense quê somos idiotas , assim quê você por as mãos na jóia, não cumprirá sua palavra.

-hahaha... Como são desconfiados.

O homem pega uma adaga , os espectros logo ficaram em posição de ataque , porém ele cortou a palma da mão

- eu dou a minha palavra, se querem deixar seu imperador satisfeito, eu lhes ofereço um pacto.

Kagaho ficou a encara- lo por um tempo, em seguida deu as costas pará ele.

Kagaho:  estamos ouvindo.

O homem da um sombrio sorriso de canto.

- Não iram se arrepender , seus inimigos assim como os nossos não perdem por esperar.


 



Notas Finais


Bom galera esse foi mais um capítulo aguardem pelo próximo.👋😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...