1. Spirit Fanfics >
  2. The Hunter >
  3. Never one, without the other

História The Hunter - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Oii gente, então aqui estou eu novamente para lhes trazer o sexto capítulo desta história. Bom gante acho que é só isso ahaus boa leitura ^^

Capítulo 6 - Never one, without the other


P.O.V Warwick


Ainda no mesmo dia

A tenda que fizemos realmente ficou boa, mas felizmente e infelizmente ela é pequena e está quase nos forçando a nos abraçar, o que não seria uma má ideia... ainda mais com esse frio e alguns outros motivos. E assim eu fiz, o abracei quando o vi bater o queixo e tremer um pouco de frio, no começo o mesmo pareceu não gostar da ideia mas depois que aceitou sua situação, tudo ficou ótimo até eu ficar excitado com alguns pensamentos indecentes, os quais envolviam a mim e Rengar. Vendo que eu ainda tinha tempo para tentar acalmar meus ânimos, tento dormir sem pensar em nada para que minha ereção desapareça logo, visto que a qualquer momento o mesmo pode acordar e sentir tal coisa em suas costas, visto que em uma noite gelada, algo quente e pulsante em suas costas é uma coisa extremamente fácil de se perceber, pois mesmo eu usando uma calça, depois que me transformei varias partes do meu corpo cresceram muito, inclusive "ele"...

Após um tempo nessa mesma situação, vejo que o mesmo se mexe, merda ele deve estar acordando, tenho que parar de me preocupar e dormir, para que esse ânimo acabe, e assim o faço, começo a cair no sono e vejo que meu "amigo" também está a adormecer, só espero que Rengar não tenha acordado e percebido algo.


Dia seguinte/atual

Acordo e abro os olhos vagarosamente dando piscadas consecutivas tentando me acostumar com a luz ambiente, após conseguir abrir completamente os olhos dou de cara com o rosto de Rengar virado para o meu lado, a poucos centímetros de distância, quase encostando seus lábios nos meus, ao ver isso me assusto levemente com a proximidade de nossos rostos, mas depois de um tempo me acostumo, penso em acorda-lo, mas seria um pecado fazer isso, ele desse jeito, dormindo tão calmamente fica ainda mais belo do que já é, então nesse momento, após esses pensamentos me toco que eu estou gostando do felino que passara esses dias junto a mim. Não, isso não está acontecendo, que besteira Warwick de onde veio esse pensamento? É claro que você não está gostando dele, afinal, vocês são dois caras, isso nunca daria certo. Após me auto-repreender e se passar algum tempo, ouço o mesmo falar coisas impossíveis de se entender, o mesmo parecia estar tendo um pesadelo.

- Ei Rengar, Rengar.... RENGAR - Digo tentando acordar o mesmo que aos poucos foi despertando, e ao ter acordado por completo tem o mesmo problema que tive ao abrir o olho subitamente e ser surpreendido pela luz.

- uhn, o que foi? - Diz ainda meio sonolento. 

- É que já amanheceu e temos que sair, ah e você estava falando dormindo - Digo já me levantando e saindo de dentro da tenda.

- Ah, verdade, precisamos levar as flores para a Nida. Poxa, ficar alí deitado nesse friozinho estava muito bom - Diz também se levantando com uma voz um pouco manhosa.

- É... tenho que concordar, ter ficado deitado ali estava otimo, ainda mais com vo-... - Arregalo meus olhos instantaneamente quando percebo o que vou dizer.

- Com? - Pergunta com curiosidade

- Companhia, não seria nada legal ficar no frio sozinho - Digo tentando me safar dessa e pelo visto consegui já que ele não disse mais nada, afinal, o que esse leão tem para me fazer ficar desse jeito? Isso me irrita... ter alguém que mexe tanto com minha mente e me faz perder a noção até do que estou falando.

- Então já vamos né? - Rengar me pergunta para ver se estou pronto para continuar o percurso.

- Bora - respondo o mesmo e assim continuamos o caminho.

Estavamos caminhando a alguns minutos até que em minha frente surge um portal do qual sai um gato bem em minha frente, para não pisar no gatinho tento desviar mas perco o equilíbrio e vou de encontro ao chão, ou melhor, iria se não fosse Rengar rapidamente me puxando, mas tal movimento me fez ir para cima dele, o qual basicamente me pegou nos braços, e então nossos olhares se chocaram e ficamos nos encarando com nossos rostos a poucos centímetros de distância, aquilo inicialmente apenas foi estranho mas após um tempo se encarando ficou levemente desconfortável, felizmente o mesmo gato que havia me derrubado chama nossa atenção, quebrando a cena.

- Ai livro, você podia ter me avisado que me levaria para outro lugar - Dizia o gato, na verdade, a gata julgando por seu tom de voz.

- Uhn, livro! Quem são esses? - Diz a gata quando nos vê.

- Eu sou Warwick e você é? - Digo, já livre dos braços de Rengar, os quais são surpreendentemente confortáveis.

- Eu sou a poderosa gata yummi, e eu já vou avisando, se me atacarem eu acabo com vocês dois - Diz a mesma erguendo o pescoço em forma de parecer poderosa.

- Tá, e como você pretende fazer isso? - Pergunta Rengar com uma cara de... deboche talvez?

- Com o meu feroz e devastador.... Miau - Ela diz e instantaneamente Rengar solta uma gargalhada da mesma e começa a fazer carinho em sua cabeça, então ela morde sua mão com seus afiados dentes de gato.

- AI, SUA MERDINHA. SE EU TE PEGAR EU FAÇO UMA BOLSA COM TEU COURO - Diz Rengar claramente irritado pela dor da mordida.

- Livro, rapido me tira daqui!! - Diz ela vendo a raiva do mesmo, mas o livro a ignora e então Rengar vai para cima dela mas eu entro na frente para que ele não faça algo estupido, ele mereceu isso, foi brincar com a cara dela e tomou uma mordida de resposta.

- Ou cara, calma, deixa isso para lá, só vamos continuar o caminho - Digo tentando acalmar o mesmo.

- Ah e você, pense duas vezes antes de atacar alguem com 10x o seu tamanho - Digo agora olhando para a gata que assistia levemente assustada.

- Hum - Ela vira o rosto enquanto faz meio que um bico com a boca.

- Vamos então Rengar, temos que entregar isso logo - Digo ao mesmo já continuando o caminho.

- Ok - Rengar diz agora mais calmo.

Após este ocorrido cada um seguiu seu caminho e o resto do caminhada foi calma, sem nenhuma surpresa, seja ela boa ou ruim.

Ao chegarmos na casa da Nidalee batemos na porta e rapidamente somos convidados para entrar.

- Vocês trouxeram a flor exata, agora quanto ao nosso "contrato" Rengar, aqui está o seu medicamento - Diz enquanto entrega ao mesmo um pote com algumas ervas amassadas e um pouco de água, provavelmente tendo uma parte vinda das plantas fazendo com que o mesmo seja bem concentrado.

- É sempre ótimo fazer negócio com você Nida - Diz Rengar contente de sua recompensa.

- Eu que o diga - Ela diz com um leve sorriso no rosto.

- Ok, já terminamos aqui, vamos Warwick? - Diz caminhando até a porta e depois se virando para mim.

- Ah, claro - Digo apressando o passo para o alcançar.

- Mas então, vamos fazer mais o que hoje? - Pergunto ao mesmo um tempo depois de termos saído da casa da Nidalee.

- Bora fazer algo para comermos, eu estou morrendo de fome e acho que você também, podemos fazer aquela carne que deixamos secando, que tal? - Diz enquanto ainda anda em direção à caverna.

- Pode ser - Digo o seguindo.

Após algum tempo de caminhada finalmente chegamos na caverna a qual estava exatamente como havíamos deixado. Quando chegamos Rengar vai direto buscar os pedaços de carne que haviamos posto para secar e eu acendo a fogueira para que possamos preparar o alimento, mas quando o vejo ele volta com uma cara aparentando estar irritado.

- Algum filho da puta roubou nossa carne, deve ter sido um guaxinim, ah se eu tivesse visto ele estaria em pedaços agora - Diz irritado por ter sido roubado enquanto estava fora.

- Que merda, vamos ter que caçar outra coisa para comermos, vamos para a margem do rio, lá normalmente sempre tem algo - Digo não dando muita importância, já que facilmente poderíamos matar outro cervo e come-lo.

- Vamos então, mas acho que não vamos conseguir nada - Diz ele ainda bravo.

Então vamos ao rio, mas ao chegar não havia nada, provávelmente vamos passar fome essa noite...

- Eu disse, não tem nada aqui, já deve ser umas 15:00, eles já devem ter saído daqui a horas - Diz ainda mal humorado.

- Bom se tivessemos voltado mais cedo dava, mas alguém estava dormindo igual uma pedra - Digo quase que em um sussuro

- O que você disse? - Diz olhando para mim.

- Que se alguém não tivesse dormido demais não ficariamos sem comida - Digo, agora também um pouco alterado.

- BOM, EU TERIA ACORDADO MAIS CEDO SE VOCÊ NÃO TIVESSE ATRAPALHADO MEU SONO COM ESSA PORRA DE PAU CUTUCANDO MINHAS COSTAS NAQUELA TENDA - Diz com ódio em um tom bem alto, o que me deixa ainda mais irritado, me dando uma dor de cabeça intensa, mas por causa do calor do momento ignoro a mesma.

- EU NÃO TENHO CONTROLE SOBR- - Sinto minha pressão despencar e minha visão embaçar, me causando tontura, pouco tempo depois sinto fraqueza e tudo apaga.


P.O.V Rengar

Deixo meu ódio tomar conta de mim e começo a falar em um tom alto com raiva, quando Warwick começa a me responder ele para e o mesmo parece ficar tonto, e então ele cai e bate a cabeça diretamente em uma pedra.

- WARWICK - Chamo meu parceiro desesperadamente, caminho até o mesmo e vejo que ele está sangrando por conta do impacto, ao ver está cena entro ainda mais em desespero, o pego no braços e vou o mais rapido possivel para a caverna, pois seu ferimento parece ser suficientemente grave para o matar.

Algum tempo depois ainda preocupado com Warwick ouço uma melodia que está sendo cantada, quando levanto minha cabeça vejo dois seres, aparentemente místicos em minha frente.

- Quem são vocês? - Digo já me preparando para uma luta.

- Não estamos aqui para lutar com você, estamos aqui para levar a alma dele - A "ovelha" fala enquanto aponta para Warwick... Agora tudo fez sentido, eles são... os Kindred.

- Não... vocês não vão levar a alma dele, além do mais, ele não está morto - Digo enquanto vou conferir os batimentos cardíacos de Warwick, mas quando coloco minha orelha em seu peito vejo que não está batendo.... ao perceber isso meus olhos começam a marejar.

- Vocês só vão leva-lo por cima do meu cadáver - Digo entrando na frente de Warwick.

- Saia da frente criança tola, você irá morrer se não me ouvir - Diz a ovelha já preparando um disparo com seu arco mágico.

- Não me importo de morrer desde que eu salve ele, ainda mais que ainda tenho tanto a conversar com ele - Digo ainda servindo como uma barreira.

- Eu lhe avisei... - a ovelha fala e então faz o disparo, ele acerta meu coração, atravessando-o e então acertando Warwick e desaparecendo.

- Quer saber, considere-se privilegiado, você parece que ainda tem muito o que se resolver com ele, em circunstâncias normais eu o levaria e pronto, mas terei piedade ao menos uma vez na minha eterna existência. Vamos lobo - Ela diz enquanto sai da caverna e desaparece.

- Da proxima vez vocês não terão tanta sorte - Diz o lobo enquanto saí junto dela rosnando de raiva por não ter conseguido nenhum abate.

Depois de um tempo que eles saíram, consigo me acalmar, então vou até Warwick novamemte checar os seus batimentos cardíacos, e quando o faço tenho uma otima surpresa, seu coração havia voltado a bater e o ferimento havia desaparecido, mas ele ainda não havia acordado, será que foi por causa daquele disparo da ovelha? Tanto faz, mas e agora, o que eu faço? Não posso deixa-lo aqui sozinho, mas ele quando acordar vai precisar comer já que está com fome, aliás eu também estou, bom quem não arrisca não petisca. Vou colocar algumas moitas na entrada da caverna e vou tentar ir caçar algo, mesmo que só para ele.

Vou novamente ao rio ver se tinha algo lá, novamente vazio, olhando para a água me vem a idéia de pegar peixes, não vai ser difícil, ainda mais que sou acostumado a pescar desde filhote. Após ter pego por volta de 13 peixes vejo que já está quase escurecendo, então volto rapidamente para a caverna para poder preparar eles.

Ao chegar na caverna vejo que tudo está como eu deixei, mas isso não importa, o que importa é o bem-estar de Warwick, quando entro vejo que ele ainda está inconsciente, o que me preocupa é o fato de que ele pode não acordar, só de pensar nisso já fico abatido, melhor eu ir fazer logo esses peixes.

Agora deve ser por volta de umas 20:00 e até agora ele não acord-

- Rengar? O que aconteceu? - Diz ele levemente assustado.

- Como eu posso te explicar? Uhn... Nós discutimos, você do nada desmaiou e bateu a cabeça em uma pedra com a queda, então começou a sangrar muito, eu te trouxe para cá, a personificação da morte veio te buscar mas mudou de ideia por eu ter te defendido, bom é só isso - Digo fingindo toscamente indiferença.

- Nossa, que loucura, e você ainda diz só? Aliás, por que nós discutimos? A ultima coisa que me lembro é nos termos ido ao rio, depois disso não lembro muito bem o que aconteceu - Ele me pergunta.

- Ahn... Vou dar uma resumida. Você disse que eu acordei tarde, e como eu já estava irritado por termos sido roubados acabei perdendo a cabeça e falei... algumas certas coisas sobre a noite passada... acho que você já entendeu do que estou falando - Digo ao mesmo envergonhado pela ultima parte.

- Ehn... Nem sei o que dizer... bom Rengar, desculpa por aquilo, não tive controle - Diz coçando a nuca por estar muito envergonhado.

- Tudo bem, mas então, está com fome? Fiz peixe assado - Digo oferecendo ao mesmo.

- Estou sim - Diz dando leves fungadas para sentir o cheiro. Quando vejo que o mesmo vai se levantar rapidamente pego um "prato" e coloco alguns peixes nele, e entrego para ele ainda deitado.

- Você ainda pode estar fraco, fique descansando, eu pego as coisas que você precisar - Digo com um leve sorriso no rosto.

- Ok, obrigado - Diz ele pegando o prato da minha mão.

E então a noite prosseguiu assim, conversamos sobre algumas coisas, comemos um pouco e depois disso tudo decido ir deitar.

- Nossa, cara, agora que lembrei, nós não tomamos banho, por isso estou me sentindo sujo, sei lá - Digo surpreso de ter esquecido algo de tamanha importância.

- Verdade, eu te chamaria para irmos tomar banho cedo, mas acho que a água vai estar gelada demais, certo? - Ele me pergunta.

- Gelada vai estar, mas o que tem, bora então? Amanhã cedo, aí podemos pescar mais, talvez até fazer outras coisas - digo o fazendo uma oferta.

- Pode ser, te todo jeito, temos que acordar cedo amanhã né, então boa noite Rengar, dorme bem - Warwick diz olhando para mim e em seguida fechando os olhos.

- Boa noite War, dorme bem também - Digo ao mesmo.

Então após isso eu fechei meus olhos e em pouco tempo dormi.


Notas Finais


Então gente por hoje é só, como sempre, digam se gostaram, deem sugestões, e claro, deixem seu feedback para eu saber se a história está boa. Falando nisso eu tenho uma pergunta, vocês estão achando que a relação deles está progredindo lento demais e que eu devo apressar o processo, ou eu continuo nessa "lenta" e constante evolução para poder adicionar mais conteúdo e dinâmica à história?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...