História The Imortals - Capítulo 41


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Ação, Drama, Magia, Romance
Visualizações 2
Palavras 1.707
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


...

Capítulo 41 - Fugindo...!


Capítulo 41

            Zaratras estava no quarto com a servente da taverna. Ela o havia levado para o quarto dela para o salvar, segundo ele havia pedido. Ele foi até a janela para ver algo. A abriu e viu que seus amigos estavam saindo da taverna. Ele a fechou rapidamente para eles não o virem e então sentou-se em uma cadeira perto da penteadeira da dona do quarto. A mulher foi até ele e se apresentou.

-Olá, quem é você e porque está fugindo daquelas pessoas que entraram na taverna por último? Ela perguntou curiosa e desconfiada. Zaratras a encarou com um olhar tenso e então, após demorar um pouco em silêncio respondeu:

-Eles estão me seguindo já faz um tempo!

-O que eles querem com você? Perguntou a mulher cujo o nome era Amélia. Ela era alta, tinha um cabelo curto negro, pele morena, usava um par de brincos dourados, seus olhos eram violetas pouco chamativos mas ela era muito bonita. Tinha um corpo perfeitamente sensual. Ela parecia ter nascido para trabalhar como uma servente que consegue clientes apenas com o seu charme irresistível.

-Não posso dizer. É perigoso demais para você saber disso! Ele falou com um tom de voz um pouco dramático. Amélia olhou nos olhos dele e então falou:

-Perigos é, isso parece excitante! Zaratras no entanto a repreendeu dizendo:

-Isso não é uma brincadeira. Aquelas pessoas são de uma estigma muito perigosa e querem que eu faça uma coisa para eles, e com certeza... Ele fez uma pausa, tentou ouvir se havia alguém ouvindo aquela conversa atrás da porta em algum lugar perto. Estava seguro, ele poderia falar sem se preocupar. -Com certeza, o que eu tenho de fazer é algo terrível! Ele terminou. Amélia estava muito curiosa e interessada naquele assunto. Se aproximou mais dele até ficar intimamente perto. Sentou-se no colo dele e com um olhar sensual direcionado á face dele ela disse:

-Terrível quanto? Ele então a afastou sutilmente com as mãos e respondeu:

-Muito terrível, você não irá querer imaginar isso! Amélia o encarou com um olhar observador. O olhou de cima à baixo. Ele era muito carismático e naturalmente magnético. Para mulheres comuns era quase impossível resistir á beleza sobrenatural dele.

-Você está muito tenso, deixa eu ajudá-lo a acabar com essa tensão. Eu sei que você não vai querer ficar só me olhando! Disse Amélia enquanto despia suas roupas de cima. Sentou-se novamente no colo dele e começou a deslizar suas mãos pelos braços, pelo rosto e pelas costas dele. Sua unhas as vezes arranhava sua pele. Zaratras estava começando a ficar excitado com ela no entanto, sua cabeça estava cheia com pensamentos sobre a missão que Heitor havia lhe dado e seus amigos o perseguindo. Ele não poderia atender ao rei e aos seus amigos. Não poderia negligenciar ao pedido do rei, mesmo não sendo oficialmente seu servo ou soldado, ele deveria cumprir a missão que o rei havia lhe dado. Ele então olhando para Amélia, sorrindo falou:

-Você tem razão. Eu estou muito tenso! Ele então terminou de despir a roupa dela. A pegou em seus fortes braços e jogou sutilmente sobre a cama de casal com cobertas macias e fofas. Ela olhou para ele com um olhar sensual. Estava muito empolgada.

            Sky estava caminhando pelas ruas festivas de Sivlanesti. Todos estavam alegres e sorrindo, dançando e cantando, cheios de vida e sem a menor preocupação com o dia de amanhã. Ela por outro lado estava muito triste e com o semblante abatido. Luci havia sido a primeira pessoa que ela havia confiado em meses. Ele havia estendido a mão para ela e estava realmente disposto a ajudá-la, mas agora estava tudo acabado. Ela estava sozinha. Ele havia largado ela, sozinha em um beco escuro e agora ela não sabia para onde ir e tinha medo de pedir alguma informação a alguém dali. Todos pareciam estarem tão felizes que nem dariam atenção para ela. Ela caminhava triste e sozinha, sem direção, sem destino. Sky, a garota do vestido bonito que havia sido encontrado por um garoto de capa preta e franja de olhos vermelhos que geralmente, tinha uma expressão fria e serena no olhar. Enquanto caminhava sozinha pelas ruas de Sivlanesti, já tarde da noite, um homem a observava da porta de um bar. Este bar era grande e haviam muitas pessoas nele. A maioria eram homens que queriam muito sexo e bebidas. Haviam poucas mulheres neste bar para tantos homens. O homem que observa Sky era o dono do bar. Ele se chamava Jairo. Era um homem alto, de barba bem feita e usava um smoke que o fazia parecer um homem rico, dono de várias propriedades. Ele tinha um porte físico médio. Nem era gordo mas também não era tão magro. Ele estava de olho em Sky já fazia um tempo. Ele então mandou que um de seus seguranças fosse atrás dela. O mesmo, um homem de quase dois metros começou a segui-la. Ela ao perceber que alguém a estava seguindo procurou se apressar. Ela começou a andar mais rápido mas não adiantou. O homem logo a alcançou. A cercou em um muro próximo a uma perfumaria que estava fechada. O homem olhou para ela com um olhar malicioso.

-Venha cá garota! Ele falou. Ela no entanto tentou correr, porém, o homem a segurou com seus braços fortes e colocou em suas costas. Ela começou a gritar. O homem imediatamente tapou a boca dela.

            Alguns minutos antes... A alguns quilômetros dali, estava Luci, em uma hospedaria. Como a proprietária era uma mulher ele a convenceu a deixá-lo passar a noite lá. No entanto, ele acabou conseguindo mais do que havia pedido. Além de poder passar a noite na hospedaria sem pagar nada, ela ainda exigiu que ele dormisse no quarto dela. Os dois teriam uma noite bem agitada. Anika, a dona da hospedaria era morena, de cabelos longos lisos e pele lisa e macia. Seu perfume era único e seu aroma era quase irresistível. Ela tinha belos olhos verdes com pigmento azul e cílios grandes e escuros que realçavam mais ainda a beleza de seus olhos. Ela também tinha um belo corpo. Era um pouco mais alta que Luci. Tinha seios grandes e um bumbum proporcional aos seios. Suas pernas eram torneadas e seu quadril um pouco largo, de uma maneira bem atraente. Luci já estava na cama, a esperando. Ela estava terminando o seu banho. Após alguns minutos, ela saiu de dentro do banheiro. Estava usando uma lingerie vermelha e uma malha transparente por baixo.

-Oi garotão, o que quer fazer primeiro com este belo corpo? Ela perguntou. -Vai despir qual das minhas peças de roupa primeiro? Ela o encarou com um olhar excitado. Luci estava um pouco animado, mas ainda estava pensando em Sky. Sua consciência o estava torturando por ele tê-la deixado sozinha em uma cidade desconhecida para ela. Nesse momento então ele ouviu um grito vindo da direção de Sivlanesti. Dentre todo o barulho do festejo, dos homens bêbados e das músicas, além da longa distância, ele ainda conseguiu escutar esse grito em particular. Este grito que ele havia escutado era o de Sky, um grito de quem estava em perigo. Ele então rapidamente se levantou da cama e pegou sua capa no porta casaco próximo a porta do quarto. Anika olhou para ele confusa.

-O que vai fazer? Ela perguntou. Luci então olhando para ela com um olhar um pouco sem graça respondeu:

-Me desculpe, tenho que resolver um certo assunto neste exato momento! Após dizer isso a ela, ele desapareceu rapidamente como um vulto, sem deixar rastros. Anika ficou ali, plantada em sua cama, frustrada. Luci estava voando o mais rápido que podia em direção a Sivlanesti.

            Eloisa gostava de meditar sob silêncio total e cercada pela natureza, por isso, ela havia ido para o bosque do silêncio, um lugar que ficava a alguns quilômetros da taverna do senhor Swan. Ela havia dito a ele que iria apenas meditar. O bosque do silêncio era um lugar bem bonito e rodeado de uma paisagem paradisíaca. As árvores eram baixas, dava para pegar de seus frutos sem precisar de uma escada ou algo mecânico. Havia uma variedade extensa de vegetação em apenas uma pequena área de vegetação. Haviam poucos animais o que fazia o lugar ser quase uma zona do silêncio. Eloisa gostava de ir para o lago. Usava sua magia para ficar flutuando por cima das águas, meditando assim no meio do lago cujas águas eram constantemente mornas. Isso porque embaixo dele havia uma fenda que estava ligada a um vulcão distante mas que estava sempre passivamente ativo. Enquanto meditava Eloisa ouvia tudo o que estava acontecendo em um raio de quase um quilômetro. Seus sentidos ficavam mais eficientes e sua percepção do  mundo espiritual e das coisas ocultas ficava mais aguçada. Mas dessa vez ela não estava fazendo uma meditação qualquer, ela estava coletando energia da natureza para poder executar uma magia que iria requerer uma quantidade imensurável de magia. Sua magia não seria o suficiente para conjurar ta magia por isso ela precisava coletar energia natural, e o melhor lugar para aquilo era no meio daquele lago que por algum motivo possuía muita energia natural. Eloisa não demoraria muito para coletar energia suficiente para a sua magia. Ela estava completamente focada naquilo que estava fazendo.

-Eu vou conseguir encontrar você Luci! Ela pensou. O feitiço que ela iria fazer iria levá-la para uma dimensão espelhada aonde ela poderia manipular o tecido do espaço tempo e poderia controlá-lo ao seu prazer. Esta magia permitiria a ela voltar alguns momentos no tempo e descobrir para onde Luci havia ido. Ela poderia descobrir eventos que aconteceram a alguns dias, porém, quanto mais ela tentasse voltar ao passado, mais isso iria requerer de sua vitalidade, por isso, ela precisava ser cautelosa e saber em qual momento do passado ela deveria ir, pois um erro poderia matá-la. Ela sabia dos riscos, conhecia bem aquela magia para a qual estava se preparando e estava disposta a arriscar sua vida. Além de ser uma maneira de encontrar o Luci, era uma maneira de testar até onde ela podia ir com o seu poder e assim poder evoluir o nível de seu poder mágico.


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...