História The Impossible Game - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Bambam, Choi Youngjae, Got7, Im Jaebum, Jackson, Jackson Wang, Jaebum, Jinyoung, Kim Yugyeom, Littlegabuy, Mark, Mark Tuan, Markjin, Park Jinyoung, Youngjae, Yugbam, Yugyeom
Visualizações 144
Palavras 1.904
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Luta, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa pela a demora, espero que não desistam de mim.

Tenham uma boa leitura e desculpem os erros!

Capítulo 18 - Learn about guns


Jinyoung

 

Olhei diretamente para a arma em minha mão enquanto Bambam falava coisas que eu até queria entender, porém, definitivamente, eu não nasci para ser mecânico. Por que eu deveria ser a arma? Eu não quero ser a arma.

Jaebum ao meu lado encarava Bambam boquiaberto, como se perguntasse como Bambam podia ficar tão inspirado quando falava. Yugyeom, que estava em pé apoiado na minha cadeira, olhava o namorado de uma forma engraçada. Jackson e Mark pareciam pais orgulhosos do filho, no caso Bambam. Eu só queria entender o motivo, porque na minha cabeça eu só queria jogar essa arma longe e ter certeza que não iriamos precisar dela, mas só iludido está nas minhas especialidades.

Bambam parou de explicar como funciona uma pistola e pediu para que tentássemos montar e desmontar uma. Certo, Jaebum fora o mais rápido a pegar o jeito da coisa, mas Yugyeom conseguiu ser mais rápido em o fazer. Eu ficava ali no meio, pelo menos eu sei o que fazer e sei o fazer. O tailandês nos ajudava e nos ensinava quando fazíamos errado, mas ele era um bom professor.

Íamos passar o dia inteiro nisso, já que a principal arma que usaríamos era a pistola e devíamos aprender bem como ela funcionava, palavras do Bambam.

O Youngjae só apareceu na hora do almoço, esta que foi um intervalo para nós que estávamos treinando. Ele andava meio de lado e estava com um sorriso no rosto, nos cumprimentou sorrindo e foi direto para o colo de Jaebum.

— Então os gemidos que eu ouvi essa noite foram de vocês! — Jackson bateu as palmas como se descobrisse algo importantíssimo.

— Cala a boca, Jackson! — Jaebum o encarou com os olhos semicerrados e o que fez todos rirem.

Logo comemos e estávamos treinando nossa mira no jardim da casa.

Eu estou orgulhoso em ser o melhor nisso!

Ficamos a tarde inteira fazendo isso, atirando, recarregando, montando e desmontando. Até que éramos bons nisso!

— Vamos fazer isso amanhã de novo, de manhã e o Jinyoung-hyung, vai ficar nisso a tarde. — Bambam disse olhando para Mark e Jackson, que por acaso também treinavam conosco.

— O que nós dois vamos fazer a tarde? — Yugyeom perguntou curioso.

— Nós vamos treinar vocês um pouco na luta corpo-a-corpo. — Jackson sorriu ladino. — E Jinyoung só vai ter esse treinamento na cama, até melhorar por completo.

Se Mark não tivesse o batido, eu teria o feito.

— Podemos entrar agora, vai ficar frio daqui a pouco.

Caminhamos para dentro da casa, com o pescoço doendo e a vista embaçada por termos passado o dia inteiro sob o sol e entortando a cabeça para uma melhor mira. Além de uma dor incomoda no braço por causa de todos os coices que a pistola deu.

—  Você ficou a tarde toda ai, hyung? — Bambam olhava para Youngjae distraído com um notebook sentado na mesa da cozinha.

— Passei. Algum problema? — Ele nos encarou parando de digitar.

— Na verdade, nós que devemos perguntar isso. — Jackson sentou ao lado dele dando uma espiada no que aparecia na tela no notebook. — O que você encontrou?

— Eu encontrei o motivo certo de fazer nossos pais saírem para nos fazer uma visita. — Sorriu orgulhoso de si mesmo e eu fiquei sem entender o que se passava na cabeça dele.

— O que você fez? — Mark pediu o encarando.

— Nada, mas nossos irmãos mandaram notícias. Todos já estão seguros e seguindo com o plano. — Youngjae olhou para Yugyeom. — Seus pais estão seguros também, um dos irmãos do Jackson está com eles.

Yugyeom sorriu aliviado, ele estava preocupado com sua família mesmo que não falasse sobre ela, nem mesmo se explicou sobre sua irmã, ele queria demonstrar sempre sua força.

— E as garotas? — Mark pediu.

— Sua irmã está com elas. Ela não quis deixar suas sobrinhas com outra pessoa, o irmão mais velho do Bambam está com elas.

— Espera. Quantos irmãos vocês têm? — Perguntei meio perdido nas contas das famílias.

— Eu sou o do meio de mais quatro irmãos. — Bambam disse primeiro. — Acredito que minha mãe está com alguém certo? — Olhou para Youngjae.

— Sim, ironicamente. Sua mãe disse que ia fazer compras com a Mama Wang. — Sorriu. — E dois irmãos de vocês.

Jackson riu.

— Eu sabia que elas iam se encontrar! — Disse. — Eu tenho alguns irmãos, contando com os primos que digamos, estão nos ajudando porque meus tios odeiam meu pai. — Sorriu sem mostrar os dentes.

— Eu sou filho único. Por isso minha mãe está com a sua, Mark-hyung. O relatório diz que elas também pediram isso. Na verdade, elas queriam ficar todas juntos e ainda chamar os pais do Yugyeom, mas convenceram elas de que era perigoso.

— Elas realmente querem passar por isso juntas. — Mark assentiu. — Tenho uma irmã mais velha, ela já tem duas filhas, dois irmãos do meio e um mais novo. — Ele sorriu para mim.

— Isso aí. Pelo o relatório, está tudo pronto e as explosões vão acontecer daqui 36 horas, eu já mandei mensagem para nossos pais.

— O que você disse? — Bambam cruzou os braços.

— Que tivemos que fugir da Coreia porque descobriram sobre a gente, Minhyuk já prendeu todos que faziam serviços para nossos pais. E ele sabe que nossas mães e irmãos fugiram porque estão contra eles. Mas eles não sabem que foram nós que planejamos isso tudo. Eles culpam as nossas mães. Eu não contei sobre Yugyeom, Jaebum-hyung ou Jinyoung-hyung. E, para concluir! O Sr. Byom está a nossa procura, graças a falsa morte da sua mãe ele quer se vingar com suas próprias mãos. O que não estava nos nossos planos. Além disso, temos mais uma boa notícia! Byom destruiu todos os pontos dos nossos pais na China, ou seja, nossas mães se foram na hora certa. Mas temos um problema. — Yougjae fez uma pausa.

— Tirando que foi muita informação e eu me perdi? Qual o outro problema? — Jackson arrancou alguns risos e logo ficamos sérios novamente.

— Minhyuk disse que Byom pode querer atacar nossos pais, se ele o fizer, nossos pais vão continuar crendo em nós, então ele perguntou se podíamos esperar um pouco.

— Se esperar demais ele vai nos achar. — Jackson pensou alto.

— Mark comprou casas em outros lugares, estou certo? — Olhei para Mark.

— Sim. — Mark assentiu. — Compra passagens para daqui dois dias, vamos treinar um pouco amanhã e depois. Vamos continuar na América, não podemos ir para nosso ponto final ainda, vamos dar mais um tempo para Byom nos caçar e combinar com nossos pais o dia que podemos nos encontrar depois. — Concordamos com as ordens do Mark, Youngjae voltou a digitar no notebook e me encarou.

— Avisa ao Minhyuk? — Pediu.

— Temos que deixar ele ciente de todas nossas ações. — Jackson assentiu.

— Ele falou algo do meu advogado? — Perguntei.

— Não, hyung. Você não podia sair de lá, mas o fez, isso vai prejudicar muito?

— Não sei, Jae-ssi. — Ele me encarou e balançou a cabeça voltando a digitar.

— O que querem comer? — Bambam caminhou para cozinha procurando algo nos armários. Fomos todos direto para lá.

— Vamos fazer rámen. — Yugyeom tirou alguns pacotes do macarrão do armário e eu peguei carne e verduras na geladeira.

— Eu vou temperar a carne. —  Eu disse começando ao fazê-lo, Mark parou ao meu lado com uma faca em mãos e começou a me ajudar, afinal, era carne para sete homens.

— Vamos cortando isso aqui. — Vi Jaebum pegar água e colocar para ferver e indo para o outro lado da mesa com uma bacia e uma faca.

— Jin. — Olhei para Mark. —  Prefere se sentar enquanto corta? Para não doer sua perna. — Eu assenti e o fiz. Eu não tinha passado o dia em pé, mas sabia que qualquer minuto que eu ficasse em pé, iria doer.

Mark permaneceu em pé ao meu lado cortando e começou a brincar comigo, fazendo careta e sorrindo, tentei o ignorar, mas não deu certo, eu sorria para ele e ele sorria para mim.

Não demorou para fazermos o rámem. Youngjae, que fora o único que não nos ajudou porque não parava de digitar, guardou o notebook e sentou na última vaga na mesa. Começamos a comer e a conversa paralela sobre clima não havia parado.

— Mas você sabe que o Oceano Pacifico também banha a Coreia, certo? — Perguntei ao Bambam.

— O que isso tem a ver? — Ele pediu.

— Nada. — Dei de ombros com um sorriso nos lábios e procurando por mais um pedaço de carne.

A comida acabou rápido, mas os assuntos não. Uma coisa que eu nunca entendi e como amigos podem ter tantos assuntos, isso me surpreende.

—  Sempre me disseram que ia ter um filme da Disney como Principe sendo o principal, mas nunca teve. — Yugyeom formou um bico em seus lábios.

— E por que eles fariam isso? — Jackson parou para pensar.

— Porque se ensinam ter as garotas serem princesas, por que não podem ensinar aos garotos? — Ele nos olhou.

— Tem filmes de heroínas? — Jackson ainda pensava.

— Barbie conta? — Youngjae cruzou os braços por cima da mesa.

— Não. Outra?

— Não que eu lembre. — Bambam deu de ombros.

— Ok, Yugyeom ganhou essa discussão. — Sorriu. — Mas como seria um filme com um príncipe? — Pediu ao mais novo e todos nós esperamos por um enredo digno.

— Teríamos um príncipe que fora criado apenas pelo rei, porque sua mãe fora raptada por uma bruxa má. O reino dele está morrendo e ele precisa receber a luz e... — Ele fez uma pausa. — E eu não sei.

Começamos a rir e fomos ajudar Youngjae que ficou responsável pela louça, mesmo que todos tenham ajudado a lavar e guardar.

— A cama nos aguarda. —  Jackson sorriu. — Eu espero não ouvir gemidos do Choi hoje, Jaebum-hyung! — Youngjae ficou vermelho e Jaebum lhe fez uma careta, Bambam soltou uma gargalhada alta. Jackson realmente não é um baú para ficar de boca fechada. — Vamos aproveitar enquanto ainda temos um pouco de sossego porque daqui a pouco vamos virar a noite. — Ele acenou. — Boa noite!

— Boa noite, Jackson! — Vimos ele indo para o quarto e fizemos o mesmo. Ele tinha razão, devíamos descansar enquanto podíamos. E eu esperava que depois de tudo acontecer, eu pudesse dormir tranquilo.

Recebi um beijo na bochecha me fazendo encarar Mark a minha frente e sorrir para ele.

— Você quer ajuda no banho? — Ele perguntou. Pensei por alguns segundos, ele pediu se eu queria, não se eu precisava.

— Quero. — Sorri para ele e me dirigi ao banheiro que fica em nosso quarto. Comecei a me despir e logo ele me ajudou fazendo tal. — Como ele nos achou tão rápido, hyung? — Pedi.

— Ele ainda não nos achou, Jin. — Me respondeu. — Podemos dizer que ele não vai demorar em nos achar.

— Quanto tempo você acha que temos?

— Até ele nos achar... acredito que podemos ficar dois dias em cada cidade, país. Eu queria dar um tempo para você melhorar, mas isso não vai ser possível. Me desculpa.

— Não entendo o porquê de estar se desculpando. — Sorri para ele. — Você não tem culpa.

— Mas você está aqui por minha causa. — Ele me encarou nos olhos, logo seus olhos passeando por toda a minha face.

— Se eu não estivesse aqui, Hyung. Byom descontaria toda sua frustação em mim, eu estaria em um hospital agora, sem meus amigos e sem você. — Segure seu rosto. — Eu prefiro estar com você, sem importar a situação.

Vi ele fechando seus olhos e beijei seu nariz. Logo desabotoando sua calça.

— Não pense em nada agora. Me ajude a tomar banho.

Ele sorriu para mim e fez o que eu pedi. Me deixando apenas aproveitar sua companhia. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Tá acabando e minha meta é terminar antes de 2018, espero que aconteça.
Obrigada por lerem e acompanhar!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...