História The Intended - Kim Taehyung - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Jeon Jungkook, J-hope, Jimin, Jin, Jung Hoseok, Jungkook, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Min Yoongi, Park Jimin, Suga
Visualizações 13
Palavras 1.160
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá!

Fiquem com mais um capítulo! Espero que gostem!

Boa leitura!

Capítulo 2 - Capítulo II



3:00am

Seoul, Coréia.


O barulho dos seus pés em contato com o chão, ecoam nas ruas vazias e Seoul. Sua respiração ofegante entrega o tempo em que está correndo de algo que não sabe o que é. O medo corre nas veias, o pânico cresce a cada passo que dá, o cansaço chega no corpo pela distância já percorrida inútilmente.   

A Jovem sem escolha se esconde no primeiro beco escuro e sem saída, ela não sabe o que a persegue, apenas tem medo do que pode fazer. Afinal, o que uma mulher fazia na rua às 3:00am, sozinha sem proteção, sabendo que há um assassino a solta? Ela havia saído escondido de casa para se encontrar com o namorado, vulgo o garoto que não presta. 

Assim que estava voltando para casa, começou a se sentir observada, mas ela estava "sozinha" na rua... Pelo menos era o que ela achava.
No meio da escuridão, se encontrava o ser mais cruel já criado. Muitos dizem que existe por maldição, outros que foi o próprio Lúcifer que o criou, não sabemos ao certo qual a sua origem, mas com certeza não é celestial. 

Neste momento ela está no beco atrás de uma lixeira dando um tempo, para quem quer que fosse que a estivesse seguindo, fosse embora. E então ouviu a grave voz da "coisa".


- Vamos, querida! Apareça! - diz entrando no beco - Não adianta se esconder de mim, eu sou ótimo em jogos de esconder! Não é atoa que sou o melhor caçador dentre todas as espécies.


Ela permaneceu parada, em silêncio, orando para que ele fosse embora e desistisse dela. Mas ele não é do tipo que desiste, ele vai pegá-la, de um jeito ou de outro.


- Vamos, meu bem, estou ficando cansado de esperar... - diz parando ao lado da lata de lixo que cobria a menina - Você não me deu escolha...


Ele agarra a garota pela camisa e a põe contra a parede, sem chance de defesa, mesmo que tivesse, seria um ato em vão.


- O-o que q-quer de mim? - diz com rios de lágrimas escorrendo de seus olhos.


- Calma, querida... Não chore, vamos conversar primeiro... - diz passando levemente seu indicador esquerdo na bochecha da jovem.


- Conversar o que? - diz olhando para os olhos do ser nada humano apesar da aparência à sua frente.


- Sobre sua rebeldia, você sabe que seus pais não gostam de seu namorado com razão. Por que insiste nele? - diz segurando o queixo da menina.


- Eu o amo, e ele me ama! Nós iremos ficar juntos sim! - diz irritada.


- Que você o ama, disso nunca duvidei, mas você tem certeza que ele te ama? - pergunta fazendo um jogo com a cabeça da mais nova.


- C-claro que ele me ama! - exclama ela.


- Se ele te ama, por que não te conta as coisas? Não a apresenta para os amigos, família. E aquele dia que ele estava no beco com a "amiga" dele e inventou que estavam só conversando... Sera que ele te ama mesmo?


- Para! Chega! Não fale mais isso! - grita com as mãos na cabeça chorando.


- Eu posso fazer essa dor parar. - diz deixando as presas saírem.


- N-não... Por favor, não! Eu não quero mor... - e interrompida pela mão do maior que a pega pelo pescoço e a tira do chão.


- Você não tem escolha, quem da as cartas do jogo sou eu querida. - sorri e logo a morde.


O corpo frio dela cai sem vida no chão, totalmente drenado. O ser desumano, ao ver a cena, sorri pois mais uma etapa de seu plano foi concluída.


S/n on


Acordo com a luz do sol entrando em contato com minhas vistas. Havia me esquecido de fechar as cortinas, mas do mesmo jeito teria que acordar cedo hoje.


- S/n, levanta! Temos que ir. - diz Hoseok se vestindo.


- O que aconteceu? - digo me levantando enrolada na manta da cama.


- Há alguns minutos acharam um corpo em um beco, nos chamaram para ver o local e a garota. - Diz abotoando a camisa em frente ao espelho.


- Tá, vou me vestir. - digo e pego minha roupa começando a me vestir.


Ontem após o nosso "banho" fomos conversar com o Imperador para conhecermos melhor a cidade. E quando voltamos terminamos aquilo que começamos nos banheiro.

Terminamos de nos arrumar e saímos de casa indo até o local do crime. Haviam várias pessoas no local, policiais e civís vendo a triste cena do crime.


- Deixem eles passarem, são os responsáveis pelo caso. - diz o guarda.


- Qual o nome da vítima? Idade? família? Era casada? Havia alguém que quisesse o mal dela?


- Seu nome era Choi YungMi, tinha 19 anos, solteira. Aparentemente não havia ninguém que quisesse o mal dela, era de boa família, sempre querida por todos.


- Ou quase todos, ninguém consegue agradar a todos, sempre tem alguém querendo nosso mal. - digo logo passando pelas pessoas.


A multidão foi abrindo espaço para passarmos, nos dando a visão da jovem moça, não aparentava mais de 20 anos, no chão do beco. Seu corpo se encontrava sem marcas de violência, estava intacto, sem nenhuma ferida mortal.


- Estranho, ela não tem marca nenhuma de machucado, apenas essas manchas de sangue no pescoço, mas não há nenhum corte... - diz Hoseok para mim antes de examiná-la, já que ele é médico.


Enquanto ele olhava o corpo dela, vi algo que me chamou a atenção.


- Hoseok, olha isso aqui... - digo me aproximando e mostrando o pescoço da vítima que se encontrava roxo com uma marca de... Mordida?


- Ok... Isso é estranho... Vamos levá-la, assim poderemos avaliá-lo melhor. - diz e vai falar com os outros policiais que logo a colocam na maca levando para o hospital onde iríamos estudar a causa da morte.


??? On


Eu estava em minha maravilhosa sala, ouvindo uma música, relaxando após uma madrugada cansativa, quando ouço alguém na porta.


- Entra Hyung.


- Ela mordeu a isca, está começou a investigar o caso do assassinato da garota. - diz Jin com um sorriso.


- Ótimo, mantenha me informado. Diga-me tudo o que está acontecendo, pelo menos até eu conseguir me aproximar, não irá demorar para isso acontecer... - digo para o mais velho.


- Sim senhor, vou voltar ao meu posto, com licença.


- Toda... - digo e ele se retira - Ah.. S/n, Logo você estará aqui - bate na coxa - no meu cólinho, me obedecendo como uma cachorrinha, de onde nunca devia ter saído. Uma pena que seu pai foi idiota o suficiente para te deixar ir, mas agora não vou te deixar ir. Nunca mais, meu amor. - digo com a cabeça jogada para trás lembrando de minha doce S/n.


"Quando duas são prometidas pelo destino a ficarem juntas, ninguém no mundo pode separá-las"


Continua...



Notas Finais


Até o próximo capítulo!

Beijos, espero que tenham gostado! ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...