1. Spirit Fanfics >
  2. The Jewelry - ERERI >
  3. Capítulo 25

História The Jewelry - ERERI - Capítulo 25


Escrita por:


Capítulo 25 - Capítulo 25


Os gritos de agonia que ecoavam por todo o lugar, eram ignorados sem nenhuma piedade pelos cinco príncipes que andavam entre as chamas sem sequer sentir dor, focados somente em dar a informação valiosa para o seu Rei.

Um alma infeliz que já não aguentava mais a dor, agarrou na perna do Asmodeus, fazendo-o parar e olhar com desprezo para baixo.

Lentamente, um sorriso psicopata vai aparecendo em seu rosto propositalmente, resultando na alma que antes implorava por ajuda se afastar enquanto choramingava por perdão.

"Mamon." chama Asmodeus

"Sim?" Questiona, olhando por cima do ombro para o seu Irmão.

"Posso tomar conta do trabalho do Eren?"

"Faça o que quiser. Menos trabalho pra mim." atrapalha Azazel, ciente de que com Eren fora, seria ele quem herdaria todo o trabalho dele por mais tempo.

Sorrindo, Asmodeus olhou ao redor do Inferno, que era um lugar imenso, onde havia muito fogo e tortura juntamente com mais imensidão, com um certo carinho antes de dizer: "Um... Dois... Três!" Com isso, o fogo aumentou drasticamente, deixando o local ainda mais quente.

"Se divertindo?" uma voz bastante rouca e grossa ecoou por todo o Inferno, em um tom que não permitiria mais nenhuma brincadeira.

Rapidamente, todos os cincos se ajoelharam no chão sem nem sequer pensarem duas vezes.

"Meu Rei... Fizemos o que pediu. Eu o embebedei, agora posso afirmar com toda a certeza de que ele ama a Jóia." diz Mamon

"Eu observei a Jóia durante todo esse tempo, meu Lorde. Assim como o Eren... O sentimento é mútuo." acrescenta Azazel

Os dois únicos que falaram, abaixaram suas cabeças assim como os outros três que permaneciam em silêncio.

"Agora é só questão de tempo para que Eren acabe pegando o poder. Querendo ou não."

Após dizer isso, uma risada grotesca ecoou por todo o local, fazendo os cinco príncipes se entreolharem com sorrisos vitoriosos.

"O tempo do Inferno voltar a reinar... Está mais próximo!" Com isso, não só os cincos, mas todos os demônios rugiram em um grito de guerra.

  - Eren -


Abro meus olhos rapidamente, olhando em volta logo depois para garantir que tudo não se passou de coisas da minha cabeça, mas a dor que já estava leve me fez lembrar de tudo. E assim como o ódio que cresceu  quando lembrei do que fizeram comigo, uma pontada de felicidade/carinho também cresceu conforme eu lembrei dos últimos acontecimentos.

"Eren? Você acordou?" Questiona Levi ao terminar de vestir uma blusa, que só pelo estilo nerd, aposto tudo que era do Armin. "Está com dor?"

"Estou bem." falo me apoiando em um braço na cama, em uma tentativa fútil de me levantar, que serviu apenas para que a dor aumentasse um pouco mais. "Droga."

Com passos longos, Levi veio até mim para ajudar, me levantando até que eu ficasse sentado na cama. Franzo o cenho ao tomar uma longa respiração. Precisar de ajuda para tudo era irritante demais. Eu não queria ser um peso morto pra ele e muito menos pra ninguém.

"Ei, há algo errado?" pergunta preocupado

Suspiro ao negar, "Eu só quero que isso melhore logo. Não quero ser um maldito peso morto."

"Normalmente, meus poderes curam quase que de imediato qualquer coisa... Você têm que ser paciente. Essa ferida não foi apenas superficial."

"Quase na minha alma." brinco com minha situação contra a vontade dele.

"Exatamente. A ferida foi feita na alma. E eu preciso que você volte para sua forma verdadeira para que eu possa curá-la."

"Com chifres e tudo?" tento mais uma vez fazê-lo rir, mas acabei ficando sério quando vi sua feição. "Entendi. Nada de gracinhas por hora."

Com um pequeno sorriso, ele disse: "Ainda bem que entendeu. Será que consegue mudar sua posição para ficar de frente com a parede?"

Sorrio ao assentir, voltando a minha forma verdadeira assim que fechei os olhos. Abro lentamente, observando a sua feição com cuidado. Da última vez que ele me viu assim, eu o assustei de tantas ameaças que fiz.

"Levi?" chamo

Ele pisca algumas vezes antes de sorrir, pegando em meu cabelo com cuidado para prendê-lo. "Desculpe, só estava pensando."

"Sobre o quão nada ameaçador sou?" sorrio

"Exatamente. Vendo por outra perspectiva, você não é nem um pouco assustador para mim."

"Você está é muito mal acostumado já." retruco quando ele riu do "penteado" que havia feito, mas logo sorrir quando o mesmo acabou soltando.

"Merda."

"Você diz isso agora, mas antes morria de medo." falo com um sorriso provocador, ganhando em troca um olhar questionador.

"Como você mesmo disse, antes. Porque, agora, eu só vejo um pobre demônio que precisa de mim."

"Desde quando você se tornou pra frente? Não que eu esteja reclamando... Pelo que parece, todas as suas faces e fases são bem interessantes."

Coloco uma mão em sua cintura quando ele ficou um pouco mais próximo de mim, empurrando-o gentilmente para que se sentasse em frente a mim na cama.

"Eu sempre fui desse jeito. Agora que finalmente posso tratá-lo e ser tratado de igual para igual, me sinto mais a vontade de ser eu mesmo. Sem mais medo."

Encostando nossas testas juntas com nossos olhares cruzados, murmurei: "Sem mais medo, né?"

"Sim." retrucou ao fechar seus olhos, movimento no qual copiei quase que no mesmo instante.

Abro um pouco mais minha boca, dando a ele o direito de aprofundar o beijo, seguindo com fervor o ritmo que ele quisesse. E por mais que eu quisesse, não iria ser um beijo longo pois algum filho da puta nos atrapalhou ao abrir a porra da porta.

"Acho que atrapalhei algo." diz  Armin sem jeito, pegando Levi de surpresa.

Ele se afasta de mim rapidamente, rompendo o beijo contra minha vontade.

"Não. Não atrapalhou. Eu iria começar o processo de cura nele." diz ao se levantar.

"Sério mesmo?" retruquei irritado

"Eren, calado. Isso é sua culpa."

"Minha? Foi o Armin que atrapalhou."

"Você quem começou com tudo isso, seu idiota."

"Eu?!"

"Sim."

Armin observava tudo com um pequeno sorriso. Os dois realmente haviam se entendido bem. Bem demais até.

"De todo jeito, o que você quer, hein?" questiono ao Armin.

"Trouxe algumas roupas do Jean para que você use depois de um bom banho. E escove os dentes, por favor." explica brevemente, colocando a roupa bem dobrada na cômoda que ficava do lado da cama.

Reviro os olhos com a parte de escovar os dentes. Eu ainda não conseguia sentir esse bafo horrível de álcool!

Passo meu braço por cima do ombro do Levi, mudando de posição com cuidado quando senti umas pontadas horríveis na ferida. "Tsk."

Apoio minha cabeça na parede, deixando tanto Armin quanto o Levi com a vista de minhas costas. "Como tá aí atrás?"

"Como ainda conseguiu manter esse físico depois de passar um mês inteiro enchendo a cara?" questiona Armin incrédulo.

"Está horrível." diz Levi

E ele estava certo. A ferida no corpo "humano" do Eren nem chegava perto de como estava na sua verdadeira forma. Não só o tamanho era maior como  também escorria uma espécie de sangue negro.

"Chame a Mikasa se puder." diz sem nem conseguir tirar os olhos da ferida.

"Ela está fora com o Jean, mas posso ajudá-lo."

"Ótimo. Precisaremos de algo para limpar esse... Sangue?" murmura

"Não adianta. Apenas cure. Eu sou um demônio, infecção não é um problema." falo impaciente, sentindo a ferida voltar a doer com tudo. "Rápido."

Senti ele se sentar atrás de mim, colocando suas mãos com cuidado perto da ferida antes de sentir minha pele queimar em contato com sua mão.

"Arght." Mordo meus lábios com força ao fechar meus olhos, chorando em silêncio enquanto apertava meus punhos, sentindo as garras começarem a perfurar as palmas de minhas mãos.

"Desculpe." ouvi ele murmurar quando outra onda de dor passou pelo meu corpo, me fazendo dar um murro contra a parede sem nem pensar duas vezes pela agonia.

"Isso só vai doer mais um pouco, eu prometo."

Armin prende o cabelo do Eren que já estava sujo de sangue, algo que com toda a certeza não ficaria por mais tempo.

Os gritos abafados do Eren não passaram despercebidos por nenhum dos dois, e várias vezes Armin se pegou olhando para o Levi em busca de alguma oscilação apenas para vê-lo determinado a curar.

Fechando seus olhos, Armin tomou uma longa respiração. Ele já não estava aguentando mais, principalmente porque sabia que aquilo demoraria mais e logo Eren não aguentaria segurar seus gritos. E como se o destino quisesse testá-lo, logo após pensar nisso, um grito agonizante escapou do Eren.

  - Uma hora depois -


Armin já se encontrava pálido congelado ao lado do Levi sem sequer mexer um dedo, já Levi sorria para a enorme cicatriz que restou, fazendo uma pequena massagem nos ombros do Eren na tentativa de reconfortá-lo.

"Como se sente?"

"Desossado, mas sem dor." respondo ao tentar me levantar, já esperando falhar mais uma vez quando consegui ficar em pé sozinho.

Com um pequeno sorriso, fui até o espelho para ver como havia ficado, sentindo um grande aperto no peito quando vi o que me lembraria do meu Irmão a partir de agora.

"Poderia ter sido pior." brinco ao esticar meus braços para cima,  flexionando todos os meus músculos para ficar em ordem novamente, sem nenhuma dormência.

"Se você diz..." cantarola Levi, voltando sua atenção para o Armin. "Ei, você está bem?"

Armin apenas assente antes de cair sentado ao seu lado na cama, olhando diretamente para seu colo. "Acho que não conseguirei comer nunca mais..."

"Nah!" faço questão de chamar a atenção do dois para mim novamente, "Como eu fui um bom paciente, mereço alguma recompensa, não?"

"Eren..."

"Só um beijinho." provoco ao pegá-lo facilmente no estilo noiva, sem me importar com a presença do Armin ali.

"Antes que se peguem, me permitam sair daqui antes que fique mais traumatizado." Fala Armin, se levantando para sair o mais rápido que podia.

Assim que ele fechou a porta, voltei a olhar para o Levi. "Minha recompensa."

"Não. Agora que você já está melhor, banho e agora." diz ao virar o rosto pro lado oposto do meu.

"Está com birra, bebê?"

"Eren... Não comece com esses apelidos idiotas."

Rio com o seu humor antes de colocá-lo com cuidado na cama, "E então... O que está rolando entre nós?" questiono fingindo ver o estilo das roupas que  Armin trouxe para não ter que encará-lo agora.

"Ah, eu não sei... Ficantes, talvez?"

"Ficantes? Não seria namorados?"

"Bem... Estamos apenas nos beijando, você ou eu nem fizemos o pedido... Então, estamos apenas ficando."

"Vocês são muito cheios de coisas. Não era mais fácil a época de namorar, noivar e casar? Agora vêm essa de ficar. Isso é estranho."

"Estranho é você ainda não ter se questionado ainda sobre sua sexualidade." retruca

"O que quer dizer?" pergunto sem entender

"Bem, eu sei que já falamos sobre o que está rolando entre nós e tudo... Mas, Eren, você nunca ficou com um homem. Eu sou seu primeiro... Pode ser apenas... Um simples interesse que acabou crescendo por causa da Jóia."

"Não fale mais isso." falo irritado.

Mesmo depois do que eu falei, ele ainda não acredita em mim? O que devo fazer? Tudo não deveria ser bem mais fácil? Droga, eu não sei de nada sobre relacionamentos!

"Já estou cansado dessa história de Jóia. A verdade é que no começo o poder da Jóia era o que eu sempre quis, mas a história mudou. Eu simplesmente só quero ficar ao seu lado."

"Eren..."

"Eu sei que é bem estranho o que tá rolando com a gente. Mano, eu sou um demônio que te sequestrou e aprontou várias que uma pessoa normal teria ódio e medo. Eu nem sequer sabia o que era Gay... Mas o que isso importa? Eu não consigo entender. Eu só gosto de você... Tipo... Ah, eu não sei explicar..."

"Eren, o que você quer fazer comigo?"

"Você está sendo um pervertido agora, Levi. Sabia que os passivos deveriam ser acanhados e não pra frente?"

"Quem disse que eu sou o passivo?" questiona na defensiva

"Está estampado na sua cara!" falo começando a sentir minhas bochechas esquentarem assim como as suas.

"Esquece isso por agora e responde minha pergunta, Eren!" grita envergonhado

"Como posso responder isso sendo que agora tô pensando em sexo?!"

Nos encaramos por alguns segundos com nossos rostos completamente corados pela vergonha, sendo ele o primeiro a retomar a conversar depois do minuto de silêncio.

"Se alguém me machuc-"

"Eu mato."

"Está vendo? É assim que se deve responder."

"Mas você me perguntou sobre o que eu quero fazer com você... E agora pensando nisso..."

"O que você pensa sobre mim?" atrapalha Levi

"Um bebê chorão."

"Eren... Sério!"

"Um bebê chorão, mandão, às vezes insuportável, antisocial pra caralho, não aceita beber comigo... Péssimo gosto para homens, o único que se salvou foi eu obviamente... Têm muitas coisas."

Levi que já estava começando a perder a paciência, se acalmou quando Eren disse: "Mas também é bem legal, divertido... Prestativo, gentil, leal, inteligente quando usa a cabeça, fica bem fofo quando está com medo e assustado, têm uma carinha fofa quando chora, é sexy e... Cara, você é lindo pra caralho. Juntando tudo isso, está perfeito."

"O que eu faço com você, hein?" rir ainda sem conseguir acreditar em como uma pergunta que deveria ser respondida apenas com elogios se transformou em verdades jogadas na cara sem piedade.

"Me beija." sorrio ao responder com gosto sua pergunta.

"Vá escovar os dentes e tome um banho, iremos conversar sobre isso depois."

"Eu falei sobre você ser mandão?"

"Falou sim, agora vai."

"Mas..."

Com passos longos, ele veio até mim e me puxou pelo queixo, dando um rápido selinho. "Se quiser mais, só volte completamente limpo."

"Deixe comigo." sorrir, pegando as roupas em cima da cômoda e a toalha, indo pro banheiro sem nem questionar mais.

Levi observa tudo em silêncio com apenas um pequeno sorriso doce, suspirando quando a porta se fechou. Colocando a mão em sua cabeça, ele se questionou: O que estava fazendo? Não podia amá-lo... Isso irá matá-lo... Nos matar...  A não ser que ele realmente não queira mais o poder! Se ele desistir de verdade dessa vingança, mesmo que a gente vá para cama, nada irá acontecer... Isso!

"Por favor..." começo ao olhar para o céu estrelado pela janela de vidro.

Eu pedi por uma pessoa que pudesse me amar de verdade... E ele apareceu naquela noite. E por mais que no começo não tenha sido com as melhores intenções... Eu sinto que ele pode me amar de verdade...

"Ao menos uma vez... Faça dar certo." imploro



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...