1. Spirit Fanfics >
  2. The Jewelry - ERERI >
  3. Capítulo 26

História The Jewelry - ERERI - Capítulo 26


Escrita por:


Capítulo 26 - Capítulo 26


  - Levi -


"Ainda bem que só estava o Armin. Se Mikasa estivesse, era bem provável que ela tentaria me impedir de vim aqui. Falando nisso, têm certeza disso, Levi?"

"É claro que eu tenho. Depois de tudo, somos amigos e agora ficantes." sorrio involuntariamente quando senti seus braços em torno de minha cintura. "Eren, não aqui." murmuro ao olhar pelos corredores, desviando o olhar quando um homem passou com cara feia.

"Ue, por que? Isso é normal. Seus vizinhos sabem que você é gay."

"Têm gente que não pensa da mesma maneira que você... E como assim meus vizinhos sabem que eu sou gay? Eu nem falo direito com eles."

"Bebezinho, a gayzisse brilha em sua aura. É óbvio demais. E como assim? Pensei que isso fosse normal. Apesar de você ser o primeiro gay que encontro."

"E você o segundo." revido

"Parando pra pensar... É verdade."

"Também têm seu amigo, Armin."

"Ele é gay? Pensei que ele tivesse uma queda na Mikasa..."

"Você é cego? Ele tava babando seus músculos assim como fica de baba no Jean. Confie em mim, eu sei quando alguém é gay."

"Instinto gayzástico?"

"Só mais outra dessa e eu te coloco pra arrumar a casa assim que colocarmos o pé dentro."

"Estou doente."

"Mentira."

"Estou sentindo uma forte dor no estômago... Eu disse que estou doente! Será que estou morrendo, Le?!"

Reviro os olhos tentando não rir enquanto procurava a chave no meu bolso, encontrando-a antes de abrir a porta. "Não se preocupe, eu irei fazer algo para você comer."

"Sério?! O quê?!"

"Isso será uma surpresa. Mas você irá gostar." falo ao abrir a porta, sendo seguido por ele logo depois que entrei.

Ele foi direto pro sofá e eu pra cozinha depois que fechei a porta, tendo em mente em fazer algo simples porém delicioso.

Abro o armário para pegar o macarrão e depois a geladeira para pegar a salsicha, deixando a água com um pouquinho de sal e óleo no fogão antes de tentar ligar, franzindo o cenho quando o fogo não subiu. Olho para o bujão apenas para franzir o cenho, acabou o gás.

"Merda." resmungo ao sair da cozinha, deixando tudo lá sem nenhuma chance de acidente enquanto ia em busca do meu celular para ligar.

Logo o encontrei em cima da mesinha/centro na sala. "O que houve?" questiona Eren

"O gás acabou." explico ao desbloquear, "Mas não se preocupe. Só vou pedir um gás e faço algo para comermos."

Depois que digitei o número e encostei o celular em minha orelha, ouvi a campainha da casa. Que porra estava acontecendo de repente?

"Eren, atende e pede um bujão."

"O que? Como faço isso? Eu não sei ped-"

"Aprende, Eren." entrego o celular para ele antes de ir até a porta, torcendo com todas as forças para que não fosse a Hanji. Com certeza ela daria um dos maiores chiliques se visse o Eren aqui em casa, principalmente depois de todo aquele sermão que ela me deu.

"Levi, por favor, eu não sei como pedir e já vai atender..." choraminga

"Eren, é só pedir." resmungo alto o suficiente para apenas ele escutar, ficando de ponta de pé para espiar pelo olho mágico quem era.

Arregalo meus olhos quando vi Erwin parado em frente a porta com os braços cruzados e uma feição de poucos amigos enquanto a Hanji, do seu lado, tentava olhar pelo olho mágico de minuto em minuto.

O que diabos esse povo estava fazendo aqui? O que eu iria fazer agora? Eu preciso de uma mentira para mandá-los embora!

"Oi, é do gás?" ouço Eren perguntar um pouco mais distante, "Vocês têm gás?"

Me impeço de dar um tapa bem dado em minha testa quando eu ouvi a besteira que ele estava falando. "Um gás! É só isso que te pedi, um gás!" grito baixinho para ele, recebendo em troca um sinal de que tudo estava certo.

Voltando a minha atenção para porta, pensei em fingir que não haveria ninguém em casa, mas logo me dei conta que em algum momento o cara do gás chegaria e então seria muito pior ter que explicar isso tudo para a Hanji.

Respiro fundo antes de abrir a porta lentamente, deixando apenas minha cabeça aparecer pela brecha da porta, "Oi." sorrio

"Por que saiu do trabalho daquele jeito ontem? Por que não foi hoje?" questionou Erwin

"É. Ficamos preocupados. Não vai nos chamar pra entrar? Uma conversa civilizada, sabe?"

"Não..."

"Não?" Me encolho com o olhar de ambos em minha direção, por um momento, pareciam pais prestes a dar uma bronca das boas no filho adolescente que fez uma merda das grandes.

"É que tipo... Eu comi uma besteira, sabe? Fiquei com vontade de cagar de repente, ai decidi vim para casa e acabei ficando com dor de barriga." minto

"Quer que eu vá comprar algum remédio?" questiona Erwin

"Ah, não! Não precisa! Eu já comprei..." sorrio

"Não vai nos deixar entrar, Levi?"

"A casa tá fedendo. Não está sentindo? Foi horrível os últimos dias." sorrio, desviando o olhar quando ela me encarou seriamente.

Arregalo meus olhos quando ouvi a voz do Eren de longe, dizendo que conseguiu pedir o botijão de gás. "Têm alguém aqui?" questiona Hanji ao abrir a porta sem frescura nenhuma, já entrando.

"Espera. Estou saindo com um cara, então vá embora."

"Mas você não estava doente?"

"Ele trabalha na farmácia... Fiz um pedido e ele veio trazer. Acabamos sendo bem mais compatíveis, sabe?"

Ela sorrir largamente com isso, "Fico tão feliz, muchickin! Eu quero conhecer!"

"Não! Você não quer."

"Ah, eu quero sim."

"Espera, Hanji! Deu vontade de cagar agora, vá embora e leve o Erwin junto!"

"Erwin?"

Congelo no lugar em que estava juntamente da Hanji, que logo depois conseguiu expressar uma única reação. "Estou ouvindo coisa, não é?" pergunta ao dar um olhar reprovador.

"Hanji..."

Erwin deu um passo para trás, puxando nós dois pelos braços assim que Eren apareceu na sala, olhando para nós sem entender o que estava rolando.

"O que ele está fazendo aqui, Levi?! Perdeu a noção?! Ele voltou para te ameaçar?!"

Franzo o cenho quando ela gritou feito uma maluca, me tratando como se eu fosse uma pessoa que não pudesse tomar minha própria decisão.

"Primeiro, estamos na minha casa. Segundo, ele não me ameaçou ou algo do tipo, eu o trouxe para ficar comigo. Terceiro, estamos juntos."

"O quê?!"

"Eu disse, Hanji! Você não quis me ouvir!" diz Erwin irritado, "Ele já está com esse demônio! Não há mais nada que possamos fazer!"

"Têm sim! Levi, precisamos conversar! Perdeu a noção?! Ele?! Ele, Levi?!"

Eren nada falou, continuou em silêncio enquanto observava tudo com desdém, mudando a forma de olhar para uma maneira carinhosa sempre que voltava sua atenção para mim.

Franzo o cenho quando senti uma leve dor de cabeça, eles estavam gritando demais.  "Vocês querem calar a boca?!" grito de volta, pegando os dois de surpresa.

Antes que eu pudesse falar qualquer coisa, senti a mão do Eren em meu ombro. Tivemos uma troca rápida de olhares, que logo foi encerrada quando ele desviou sua atenção para os dois.

"Me desculpem."

Entre os dois, a Hanji era quem mais parecia incrédula e incrivelmente irritada. E para a surpresa de todos, ela jogou um certo líquido contra o rosto do Eren que logo se afastou com um grito de dor.

"Eren!"

"Vamos embora, Levi!" diz Erwin ao segurar em meu braço.

"Eu já estava preparada para isso." diz Hanji ao jogar mais um pouco da água benta no Eren que tentava proteger o rosto acima de tudo.

"Não machuquem ele!" grito irritado e isso resultou em ambos sendo jogados para longe dele.

Rapidamente, corri até ele e me ajoelhei no chão, pegando em seu rosto com minhas mãos trêmulas para ver o estrago.

"Me desculpe." Foi a primeira coisa que pensei em dizer sabendo que nos próximos segundos ele poderia atacá-los já que a íris de seus olhos haviam voltado pro vermelho.

Com um toque gentil, passei minha mãos pelos machucados que haviam aparecido, curando-os de imediato.

"Tudo bem." murmurou em uma tentativa fútil de não ficar irritado.

Sem saber o que fazer, o abracei com força sendo retribuído quase que de imediato por ele. "Me desculpe... Eu não vi isso com ela."

"Está tudo bem. Não estou mais machucado."

"Eu prometi te proteger..." murmuro com a voz embargada

"E você fez. Não se preocupe, eu já disse."

"Levi."

Volto minha atenção para ela, dando um dos meus olhares mortal quando me levantei e caminhei em sua direção. "Por que diabos fez isso, Hanji?!"

"Como assim?! Estou te protegendo dele!"

"Eu não preciso de sua proteção! Caralho, eu posso muito bem saber o que é bom ou não pra mim! Não posso ter nem ao menos um pouco de confiança sua?!"

"Você me pede confiança quando escolhe ficar ao lado dele sabendo do risco que corre?! Espera, será que você esqueceu? Se você e ele começarem a se gostar de verdade, VOCÊS MORREM."

Congelo no lugar sem conseguir expressar nenhuma reação. Então, lentamente, olhei por cima do ombro, vendo como ele havia lembrado da maldição com desgosto.

"Espera, Eren."

"Eu..." Ele recua alguns passos quando tentei ir em sua direção, parecendo ter medo de algo e isso me fez perder a pouca paciência que havia restado.

"Feliz?!" questionei irritado para Hanji, que logo retribuiu a feição.

"Eu estou te ajudando, Levi! Ele nem de longe é a pessoa certa pra você! Por que não enxerga isso?!"

"E quem seria a pessoa certa?! Me poupe disso, Hanji! Deveria estar feliz por mim!"

"Eu deveria estar feliz por saber que a vida do meu amigo estará contada a partir de agora?!"

"Por que não esquece isso por um minuto?!"

"Porque eu não quero te perder, caralho!"

A encaro irritado, lutando para não vacilar quando ela chorou em silêncio. "Não posso te perder, muchickin..."

"Levi, pensa. Sua amiga, quatro olhos, está certa." murmurou Eren cabisbaixo, tendo a realidade jogada como um balde de água fria em seu rosto.

"Não... Não de novo, Eren. Já conversamos sobre isso."

"Levi, Hanji está certa." Fala Erwin, tendo a coragem de falar apenas agora depois de observar tudo em silêncio.

"N-"

"Mas você também está." diz ao abaixar a cabeça, não querendo acreditar no que estava falando daquele momento em diante.

"O que está dizendo, Erwin? É a vida dela que está em risco!"

"Eu sei, Hanji! Levi é meu amigo também, e eu não quero perdê-lo de jeito nenhum! E se eu pudesse, ele nunca teria começado a gostar desse demônio. Se eu pudesse mudar o passado, nada disso teria acontecido até agora... Em partes, toda a culpa disso foi minha."

Eren franze o cenho com o que Erwin dizia, tendo um pouco de medo que isso acabasse sendo uma declaração, sabendo que existia uma chance de que Levi ainda gostasse dele.

"Mas eu não posso. Eu nunca poderia gostar do Levi dessa. E desde que chegamos aqui,  observei tudo e... Por mais que eu odei esse maldito com todo o meu ser, foi ele quem Levi acabou escolhendo no final."

"Erwin..." começa Hanji apenas para ser parada por ele.

"Eu ainda não terminei. Hanji, Levi merece ser feliz."

"E se ele morrer?!"

"Foi a escolha dele."

"Não. Não foi a escolha dele." diz Eren, "Eu sabia que isso estava indo fácil demais... Eu havia esquecido por um momento da maldição... Mas, não se preocupe, eu não vou permitir que nada de ruim aconteça com você, Levi."

"Se dizer que vai me deixar, eu vou te espancar, Eren." falo irritado

"Levi..."

"Não. Droga, Eren. Temos uma chance."

"Vai querer arriscar sua vida por mim, Levi?!"

"Você não arriscaria a sua pela minha?"

"Levi..."

"Responda com sinceridade, Eren."

Ele olha para mim antes de desviar o olhar, sorrindo de nervosismo ao dizer: "Não. Claro que não."

Era óbvio que era uma mentira, todos tinha percebido isso. Mas ainda sim, isso havia me deixado irritado.

"Não?"

Dei uma passo em frente, observando em silêncio ele recuar sem sequer olhar para mim em nenhum momento.

"É."

"Isso é sério, Eren? Você me protegeu... Quase morreu antes... Por mim."

"Tsk."

"Eren. Diga a verdade."

"Sim. Por mais que eu odeie pensar em te colocar em risco, eu não me importaria em morrer por você."

Ao ouvir isso, voltei minha atenção para Hanji e sorrir. "Satisfeita?"

"Pensei que demônios eram especialistas na mentira." murmura antes de suspirar em derrota, "Tudo bem. Eu posso aturar isso. Por você."

Sorrio para ela antes de ser esmagado por um abraço apertado de ambos, "Só tome cuidado, Levi." pede Erwin

"Deixe comigo."

Eren que estava em silêncio observou tudo sem entender. Eles não estavam brigando?! O que diabos essas pessoas tinham de errado?!

Sorrio alegremente para eles antes de voltar minha atenção para o Eren, indo até ele e dando um selinho rápido, pegando-o de surpresa. Ele sorrir de volta e me abraça, beijando minha bochecha com carinho.

"Eu confio nele."

"Decisão horrível." cantarola Hanji como quem não quisesse nada, olhando fixamente para suas unhas.

"Hanji." chama Erwin, dando-lhe um olhar de repreensão, mas ela apenas deu os ombros e cruzou os braços, voltando a nos encarar.

Respiro fundo, tentando não dar uma resposta ao nível de sua provocação, mas congelei quando senti a mão fria e firme do Eren em minha cintura.

"Não ligue."

"Tudo bem." retruca

Depois disso, nossa atenção foi voltada para a porta, já que o homem do gás havia chegado.  "Ótimo! Assim que você colocar o bujão, eu quero comida." diz Hanji ao se instalar no sofá na maior folga.

"Eu coloco o bujão." comenta Erwin ao ir atender a porta, aproveitando para pagar com seu dinheiro também.

"Não vou pagar de volta."

"Aceite isso como um pedido de desculpas pela forma que te tratei nesse último mês." sorrir

"Não vai ser com apenas um bujão. Compre produtos de limpeza também, então posso pensar com tranquilidade."

"Feito."

Sorrimos um para o outro amigavelmente, mas logo voltei a prestar atenção no Eren, que agora tinha seu queixo apoiado em meu ombro. "O quê?"

"Preciso falar contigo." diz ao segurar em minha mão, me puxando para o quarto sem mesmo ter tempo para uma resposta.

"E minha comida?!" grita Hanji

"Eu faço." ouço Erwin dizer da cozinha.

Deixando os dois pra depois, olhei para o Eren e abri a boca para falar, mas fui atrapalhado por um beijo de surpresa.

Fechando meus olhos, passei os braços pelos seus ombros e o retribui com a mesma intensidade, sem me importar com a discussão na sala entre Erwin e Hanji por algum motivo idiota, focando apenas nesse momento.

Ele segura com uma certa força em minha cintura, puxando-me contra ele enquanto nos beijávamos. E antes que eu pudesse aproveitar mais o nosso momento, ele rompeu e juntou nossas testas, olhando diretamente em meus olhos.

"Me desculpe por ter dito aquilo..."

"Eu sei que você mentiu."

"Pensei por um momento que seria o certo a dizer para te proteger."

"Ainda bem que mudou de ideia."

Sorrimos antes de voltarmos a nos beijar com fervor. "Sim... Ainda bem mesmo." murmurou contra o beijo.

"Pode apostar." murmurei de volta

Depois de mais alguns minutos, voltamos a romper com nossas respirações pesadas.

"Eu não vou te deixar."

"Muito menos eu."

"Levi! Eren! Acho melhor vocês não estarem se pegando com a gente nesta casa ainda!"

Nos encaramos antes de rirmos com o seu comentário, "Preparado para aturá-la?"

"Ela é minha amiga." sorrio

"Então eu posso aturá-la sem problemas." sorrir de volta ao pegar em minha mão, "Vamos?"

"Vamos."









Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...