1. Spirit Fanfics >
  2. The JK Clubs (imagine Jungkook) +18 >
  3. Papel Higiênico

História The JK Clubs (imagine Jungkook) +18 - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Noite Pessoal, tudo bem?
É uma fic pequena que mas que vai ser bem intensa e interessante, espero que gostem.

Escutem The Night we met - Lord Huron.

Capítulo 1 - Papel Higiênico


Sinto que tudo que vivi até hoje não foi de verdade. Já ouviu falar que para saber o nosso futuro temos que saber o nosso passado? Por que sinto que eu não sei o meu? 

Um fantasma. Nessa cidade solitária e hipócrita.

Já estava na segunda garrafa, ultimamente eu só conseguia fazer isso, beber, causar acidentes, chorar e vomitar.

Peguei a chave do meu carro e fui até o mesmo cambaleando. Eu só queria ser feliz, mas tudo estava muito difícil.

A estrada a essa hora da noite ficava silenciosa, poucos carros passavam ao meu lado, todos estavam em alta velocidade, menos eu. Isso claramente ia dar problema depois.

No relógio do painel mostrava que era 01:59am, vamos ser sinceros, uma ótima hora para morrer. Luzes vinham e desapareciam, e isso me irritava. 

Um barulho alto de pneus me tirou do transe, e em uma tentativa falha de fugir do som, o mesmo se chocou contra meu carro.

Naquela hora tive certeza, minha vida foi em vão.

 

“ - Você disse que estaria comigo pra sempre... Por que me deixou pai por que? - Chorava em prantos apoiada no caixão. - Você disse que ia me levar flores no dia da formatura pai! Que ia bater no meu namorado e que ia ensinar seus netos a cozinhar pai! Porque...”

“- S/N, você sabe que o tia não vai conseguir ficar com você né? - Ela me dizia por telefone.”

“- Querida o trabalho é muito corrido.- Me olhava com nojo e desdém. - Aqui ta escrito que você nem completou o ensino médio, como como acha que vai conseguir trabalhar.”

“- Eu tenho dó dela, o pai morreu, a mãe lhe deixou... perdeu totalmente a dignidade. -As senhoras falavam de mim descaradamente.”

“EU ESTOU CANSADA DE ENTREGAR MACONHA E TRANSAR COM VELHOS DESGRAÇADOS, QUE TEM TUDO, UMA MULHER QUE OS AMAM, FILHOS, UMA CASA PRA DORMIR, UMA CAMA CONFORTÁVEL... MAS QUE NÃO DÃO A PORRA DE VALOR, CACETE ATÉ QUANDO ISSO VAI DURAR?”

A pancada foi forte, fazendo o carro capotar dando duas voltas pelo gramado que cercava a estrada, mas isso não me impediu de pensar na minha vida, e pra falar a verdade eu nem ligava mais pra ela, não é como se fosse fazer diferença eu tentar mudar agora, eu ia morrer de qualquer jeito.

Depois de um tempo inconsciente, com a memória um pouco apagada eu me encontrei jogada na terra, e desesperadamente comecei a chorar.

O que eu havia feito?

Olhei ao meu redor e pude ver o carro todo amassado, do meu pai. Uma das poucas coisas que o mesmo havia me deixado.

Eu nunca gritei tanto, como aquela noite. Uma fracassada, era isso que eu era. Um fracasso.

Peguei meu celular que estava em meu bolso e liguei para o meu chefe, que era o único que me aceitava depois de tudo, mas eu sei que toda essa dó toda só era verídica porque o dinheiro todo que eu me esforçava para ganhar ia pra ele.

Oi minha vida, pode falar! - Ele disse alegre.

- Eu sofri um acidente... - Eu estava fraca demais para explicar o que aconteceu. - Eu estou morrendo vêm logo.

Desliguei o celular mandando a minha localização a ele.

Eu sei que sou forte, eu sei da minha luta, e sei que vou sair dessa, mas quando bebia tudo ia por agua abaixo. Eu sempre disse que bebida foi minha salvação, com ela sempre consegui tudo, um emprego de puta, na vez que eu estava bebendo e dei para um homem cujo hoje é meu chefe, vários amigos, que se aproveitavam de mim mas me faziam rir, chegavam até a me roubar olha que divertido, e o melhor que a bebida me dava era a coragem de me matar, porque eu sóbria não tinha coragem. 

Não estava mais respirando direito, meus olhos estavam fechados mas mesmo os abrindo eu não conseguia ver absolutamente nada, não sentia minhas pernas e meus braços, mas escutava longe um zumbido que cada vez mais parecia uma sirene.

Eu quero viver.

Uma semana depois.

Meu corpo estava dormente por inteiro, e só conseguia mover alguns dedos da mão.

Se você estiver me ouvindo S/N levante o dedo por alguns segundos por favor. 

Escutava uma voz longe. 

Será que devo confiar nele?

Você me ouve S/N ?

O obedeci.

Que bom que se recorda do seu nome, isso é um bom sinal, talvez não tenha perdido toda a memória. - Silêncio. - S/N você sofreu um acidente na noite de quinta-feira dia 27, você ficou uma semana em coma, mas pelos exames não ocorre nada de grave, o mais preocupante é uma futura cegueira e perca de memória devido a pancada na cabeça. -Silêncio. - Não entramos em contato com nenhum parente pois não existia dado nenhum no hospital e seu amigo diz que não saber de nenhum parentesco seu, vamos esperar mais algumas horas para o seu corpo sair da anestesia total do coma. Com licença.

Eu me lembro de muita coisa, eu em casa, no carro, e na grama, eu definitivamente lembro de muita coisa, mas eu não lembro de nenhum amigo.  O que esta acontecendo.

Oi você acordou? - Era só o lee o chefe de todas as boates e puteros do país. - Coloquei outras em seu lugar viu? Sei que é chato falar mais... tinha muitos caras chegando e pedindo pra te encontrar e eu não vi outra forma de explicar a não ser falar que você não trabalhava mais lá... - A não, ele vai me demitir, que ótimo.- Sabe S/N, não parece mas eu lhe admiro muito e tenho orgulho da mulher que se tornou, mas devo afirmar que seu lugar não é esse. Trabalhar em um beco... e só sofrer desse jeito. Eu tenho poupanças variadas -Ele era realmente rico.- que adiciono uma quantidade de dinheiro por mês... eu não sei se vai aceitar mas eu gostaria que você ficasse responsável por um club que irei abrir em outro país, é na Coreia, um amigo muito próximo meu foi preso e eu preciso de alguém que tome conta. Eu não sei se você vai querer por que né... você vai virar uma cafetona.- Ouvi uma risada forte. - Mas você vai ter a chance de conhecer gente nova, ganhar dinheiro, fazer negócios. Pensa bem viu? Eu estou indo, mas volto quando você acordar pra saber sua resposta... tu é uma das poucas pessoas em que confio, pense bem...

 

 

E agora? Será que se eu for no banheiro eu consigo me matar com papel higiênico?


Notas Finais


A S/N veio da música Shameless, da Camila Cabello, uma mulher fraca mas que tem garra e vai quebra geral no meio hauahauahaua.

Eai gostaram? Posso continuar?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...