História The jorney of a assassin frost - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - Melhor amigo


Jonas, meu melhor amigo desde o último ano, mesmo tendo pouco tempo livre tento aproveitar o máximo com ele, é um bom desenhista e adora desenhar os lugares, ou pessoas e me deu um autorretrato meu que deixo guardado em minha caixa. Adoramos correr pelos corredores e brincar de esconde esconde até não aguentarmos mais, pois é a única coisa que podemos fazer. Descobri que seu novo nome Jonas, é seu personagem favorito de um desenho, nunca ouvi falar mas é um nome bom

Na hora do meu treinamento ele gosta de me ver lutando com Brin e agora aprendi também a lançar facas e até que a minha mira é boa, e ensinei Jonas como usar uma faca pois ele também quer se defender sozinho. Comemos juntos todos os dias, seja no café da manhã, no almoço, ou na janta já que não tem mais ninguém para comer junto com a gente, nem uma família e o Brin quer ficar junto com os adultos bebendo. 

Os Ogenark fazem a sua própria bebida misturam várias coisas e eles adoram, até que um dia roubei um copo de um dos caras que já estava muito bêbado entao ele nem percebeu e fui em um esconderijo junto com Jonas e experimentamos juntos, ele cuspiu na hora e saiu correndo procurando por água,  mas eu até que gostei por ter um sabor adocicado, e tomei o resto do copo.

Chegou o meu aniversário de novo, o meu melhor amigo foi o único a lembrar, nem mesmo o Brin, mas mesmo assim pedi para Jonas nunca me lembrar do meu aniversário, que seja um dia normal como todos os outros, não quero nunca mais me lembrar daquele acontecimento com a minha família 

Os túneis tem umas passagens que são saídas para o mundo exterior, mas são áreas restritas e ninguém pode abrir para não expor a nossa localização as portas são feitas para enganar os satélites, e a internet que a gente usa é haqueada, usamos o próprio satélite contra ele, então quando eu tinha saído pela última vez para roubar medicamentos saí por uma porta especial que bloqueia os satélites, então quando chegamos a está area sempre paramos para refletir, quando é que sairemos? Seremos livres? Quando vamos conviver com os humanos sem desprezo? O nosso sonho é passar por aquelas portas e a chave sou eu, a única que pode sair e desligar os rastreadores por fora, mas também sou proibida de sair, somente em casos de extremo emergência, e a última vez que vi lá fora foi no dia da farmácia.

Resolvemos fazer uma tatuagem para representar a nossa amizade, é claro que Brin deixou, ele disse "faça o que quiser, o corpo é seu", mas qual?, fomos para o auditório, um lugar cheio de cadeiras e um palco na frente que os Ogenarks utilizam para dar palestras, votações, passar filmes, e naquele dia estava vazio o lugar, sentamos e Jonas pegou o seu caderno para termos ideias de uma tatuagem, ficamos horas decidindo então demorou mais ou menos uma semana, até que chegamos a uma conclusão, era perfeito, era um lápis para representar o Jonas e uma espada para me representar, os dois se cruzando com um X e eram envolvidos por uma linha, ou mais um laço para representar a nossa amizade,  fomos até um tatuador como Jonas era feito de metal então fizeram a lazer e fizeram o instrumento de tatuagem da moda antiga para mim, nós dois fizemos no pescoço, o desenho totalmente preto, sem nenhuma cor diferente, doeu para caramba mas não gritei, sabia que aquilo era permanente, mas nossa amizade tambem vai ser





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...