História The Killer Bunny - Imagine Jeon JungKook ( Repostando ) - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bipolaridade, Bts, Comedia, Criminal, Hyu_wang, Imagine, Jeon Jungkook, Jungkook, Sadomasoquismo, The Killer Bunny, Tô De Volta Manos, Trouxice Envolvida
Visualizações 253
Palavras 3.840
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


MEUS BEBEZINHOS MAIS PRECIOSOS DO MUNDO!!! Gente, eu não esqueci dessa Fanfic e muito menos me esqueci de vocês <3 Estou com muita coisa pra fazer então isso faz com que eu atrase nas postagens de capítulos, mil perdões. Mesmo estando atarefada, sempre reservo um tempo para produzir as capas e revisar os capítulos, isso também me leva tempo :/ Não posso fazer qualquer coisa e postar, não sou assim, quero dar o meu melhor pois sou perfeccionista demais e também porque todos merecem uma escrita de qualidade, não? Para recompensa-los, postarei dois capítulos seguidos :3 Sempre que demorar, postarei mais de um, okay? Espero realmente que gostem >.<

Não se esqueçam, eu amo vocês! Good Leitura e desculpem qualquer erro ortográfico.

Capítulo 13 - XIII. It's The Only Way Out


Fanfic / Fanfiction The Killer Bunny - Imagine Jeon JungKook ( Repostando ) - Capítulo 13 - XIII. It's The Only Way Out

Capítulo 13  –  It's The Only Way Out  [ É a única Saída ] 

[ No Capítulo Anterior... ]

 

— Se realmente me odiasse não teria deixado eu te beijar.

 

 

— Eu te ode... — Novamente, JungKook me interrompeu com outro beijo. 

 

 

Dessa vez o seu beijo foi mais eufórico fazendo nós darmos pausas para respirar. Agarrei em seus fios de cabelo e o puxei para termos mais contato.

 

Eu cedia tão facilmente aos seus beijos, sou muito vulnerável a ele e isso pode ser um problema. Jeon ainda me esconde muitas coisas me fazendo ficar no auge do nervosismo, mas naquele momento não ligava mais pra nada.

 

Eu realmente sinto uma forte queda por ele, mas ele não sente nem isso por mim, eu acho. 

 

Oh merda, por que você é tão difícil, Jeon JungKook? 

 

Eu deveria odiá-lo, não deveria? 

 

[ . . . ]

 

JungKook havia parado o beijo e logo em seguida colou sua testa na minha e me olhou.

 

— Agora tenho toda certeza que você é realmente boba. 

 

— Que? — Não estava entendendo, como sempre.

 

— Você apenas cedeu ao meu beijo. — JungKook riu curto.

 

 — E-E... isso não é uma coisa boa? — Já estava insegura, agora estou mais ainda!

 

— Por um lado é e pelo outro não. — Ele voltou a sua posição normal.

 

— Explique. — Suspirei fundo.

 

— Olha S/N, eu vivo te tratando com patadas, meu humor pode mudar a cada quinze minutos e... faço tantas coisas que seriam para você desconfiar de algo mas... você apenas continua do meu lado e cede aos meus encantos. 

 

— ... — Eu apenas observava seus olhos sem dizer nada. 

 

— Isso significa que você é bem trouxa e vulnerável a mim.

 

— Mas... e...  

 

— Não diga nada, apenas quero lhe propor uma coisa. — JungKook me interrompeu e se levantou e me olhando sério. 

 

— Qual coisa? 

 

— Deixaria eu te mudar?

 

— Me mudar? — Arqueei uma sobrancelha.

 

 — Sim, sim. Deixaria eu te ensinar algumas coisas? Gostaria que você fosse mais... ''menos trouxa''. 

 

— Obrigada por pensar isso de mim. — Ditei irônica revirando os olhos.

 

— De nada. Então... o que vai ser? — Ele me olhava ansioso no aguardo de uma resposta

 

— Me mudar? Explique com mais detalhes. — Levantei-me também.

 

— Está vendo? Além de trouxa é lerda. Gostaria de te ajudar a defender a si própria, vai ter uma hora que eu não estarei com você e você precisará de ajuda, então, defenda a si mesma. E também quero mudar esse seu jeito fofo demais, seja mais madura. 

 

— Mas eu... preciso ir embora.

 

— Ah é? Mas você não vai. Pense pelo lado bom, te ensinarei várias coisas legais. 

 

— Ok mas... será que você será legal comigo? — O que eu estava pensando? Dã, é o JungKook!

 

— Não conte com isso. Esse beijo foi o seu primeiro e último, apenas estava testando você. 

 

— Sério? — Me encolhi abaixando um pouco a cabeça. 

 

— Olha, foi mais por que eu quis mas por favor, não quero que goste de mim. 

 

— Você me deixa muito confusa! Uma hora você me odeia e a outra me beija? Será mesmo que será legal ficar esse tempo todo com você? — Bufei.

 

— Eu ainda estou pegando leve demais com você, você não me conhece direito então não sabe do que sou capaz. Eu poderia te deixar amarrada em um porão escuro, sem água e sem comida, sem atenção, sem ar e principalmente sem você ver ou ligar para seus estúpido papai ou até mesmo Taehyung e Jimin que você tanto adora. — Sua voz estava assustadora. 

 

— Você jamais seria capaz disso. 

 

Ou seria?

 

— Está vendo? Você realmente não me conhece. Trate de ser obediente e fazer o que eu mando até a semana acabar, ser quietinha e não falar tantas asneiras. 

 

— Ok... — Por que ele era tão cruel comigo? 

 

— A partir de amanhã começamos o nosso ''treinamento''. 

 

— Sou seu cãozinho de estimação agora? 

 

— É, e um cãozinho obediente faz o que o seu dono manda, isso é, se o cãozinho não quiser se machucar.

 

— Te odeio! — Exclamei.

 

— Melhor que seja assim. — JungKook por um momento abaixou sua cabeça e parecia triste. 

 

— Jung... Kook... — Fui aproximando minha mão bem devagar em direção aos seus cabelos. 

 

Como eu ainda poderia me preocupar com ele? 

 

— Não! — JungKook me empurrou de uma certa forma que eu nem conseguia descrever com a força que foi. 

 

Caí batendo com o meu corpo na quina da cama e resmungando de dor logo em seguida.

Passei minha mão direita no meu braço esquerdo sentindo que teve um pequeno corte bem ali, estava sangrando e ardia um pouquinho também. 

 

— V-Você se machucou m-muito? — JungKook por um momento parecia estar preocupado comigo, ele se abaixou na minha frente e ia tocar o meu ferimento mas ele fechou os olhos com força parando o ato que ia fazer, era como se uma parte da mente dele estivesse gritando: ''— Não faça isso, você odeia essa garota! ''. E a outra: ''— Faça isso, ajude-a!'' — De noite iremos sair portanto se troque por volta das... nove horas. — Ele disse levantando nervoso. Ele não fez o que parecia que ia fazer. 

 

— Por que? — Indaguei ainda com minha mão em meu braço. 

 

— Apenas faça o que eu mando! — Seu tom de voz estava muito nervoso.

 

Ele saiu do quarto batendo a porta com grosseria. 

 

QUAL ERA O PROBLEMA DELE?! 

 

Me joguei na cama e fiquei ali chorando quinem uma retardada. Quando que ele vai ser amigável comigo? QUANDO? Quando ele mostra ser gentil não é por muito tempo. 

 

— Hmmm... — Cocei os olhos de sono.

 

Mal acordei e já tô com sono. Já tive bastante insônia na minha vida, devo estar querendo repor todas as dormidas que não aconteceram, hahaha. Já que JungKook não liga pra mim mesmo, vou dormir até quando eu quiser. Ficar acordada pra que? Pra aguentar o seu bom humor? Nem pensar.

 

Me aconcheguei na cama e simplesmente fechei os olhos. Não quero pensar em JungKook, nem mesmo sonhar com ele.

 

[ De Noite / 20:00 PM ] 

 

— Para... — Me remexi na cama. — PARAAA!!! — Em um pulo sentei na cama. 

 

Mas que merda! Um mosquito ficava gritando no meu ouvido me impedindo de continuar o meu delicioso sono. 

Já que estava acordada, peguei meu celular que deixei em cima do criado-mudo e verifiquei as horas. 

 

OITO HORAS?! EU DORMI ATÉ AGORA?! Ah não! 

 

S/N, você não pode continuar desse jeito, não mesmo.

 

~ FLASH BACK ON. ~

 

— De noite iremos sair portanto se troque por volta das... nove horas. — Ele disse levantando nervoso. Ele não fez o que parecia que ia fazer. 

 

~ FLASH BACK OFF. ~ 

 

Havia me lembrado do que JungKook disse de tarde. Será que deveria me arrumar? Ele não faz nada de bom pra mim praticamente, por que então deveria obedece-lo? 

 

''Por que se não você morre, né S/N?'' — Disse minha consciência.

 

— Cala a boca, argh. — Ditei para mim mesma na tentativa de não a ouvir.

 

Se bem que ela está certa, se eu não fizer o que o chato do Jeongguk manda eu posso acabar morrendo. Talvez ele tenha sim coragem de me matar.

 

Sem muito ânimo, resolvi começar a me trocar.

 

Antes de me vestir tomei um banho demorado e fiquei pensando em tanta coisa, sim, o nome dessa ''coisa'' era JungKook. 

 

Depois que saí do banho coloquei uma das roupas que Tae havia me trazido, era bem simples para sair mas ainda sim não deixava de ser linda. 

 

Infelizmente teria que fazer o que ele manda, afinal, o humor de JungKook muda instantaneamente então... nunca devo duvidar dele. Para onde ele ia me levar dessa vez? Para terminar de me arrumar apenas passei um batom rosa claro na boca e em seguida deixei meus cabelos soltos.

 

Por fim, voltei para o ''meu'' quarto e fiquei o esperando.

 

Ponto de Vista: JungKook

 

Horas Antes  /  Depois do ocorrido no quarto

 

Por um lado devo estar totalmente maluco por querer ajuda-la aquela hora, bom, eu não quero muito ''ajuda-la'', apenas quero que ela se torne uma pessoa mais... agradável? Digamos assim. Não quero influência-la a ser uma assassina como eu, apenas quero deixa-la melhor, sem que os outros montem nas costas dela. Aquele momento que ela se machucou por minha culpa eu posso ter certeza que... uma coisa estranha me invadiu e era como se eu fosse me aproximando dela por impulso e dizendo: ''— Está tudo bem, estou aqui com você.'' 

EU NUNCA DIRIA ISSO... diria? Seria muito estranho, muito. Não posso de jeito nenhum ter sentimentos por aquela guria, muito menos ela por mim. 

Agora, focando no assunto de eu manda-la se vestir. Hoje à noite pretendo leva-la para vários lugares pois pretendo analisar os seus ''conhecimentos gerais'', isso é, se ela tiver que e eu espero que tenha um cérebro que funcione pelo menos um pouco.

 

Momento de Agora / De noite 20:10 PM 

 

Fiquei a tarde inteira pensando em S/N. Merda, será que aquela garota imbecil está bem? Nem fui vê-la, não tinha coragem depois do que fiz. Claro que foi por impulso, mas... da mesma forma eu fiz. Pedi para que ela ficasse arrumada quando desse nove horas da noite, no momento são oito e dez. Será que ela se trocou? Acho que ela nem saiu do quarto... na verdade, ouvi barulho de água vindo do chuveiro, acho que ela tomou banho. Mas é questão é: será que ela prestou atenção no que eu disse? 

 

Enfim, pare de pensar nela, JungKook!

 

Saí do meu quarto no qual fiquei a tarde inteira plantado jogando vídeo game e me direcionei para o banheiro.

 

Tomei um banho um pouco demorado e vesti uma roupa simples, não irei dar detalhes pois não tenho obrigação disso. Acabei pegando um remédio no ármario, queria que... S/N passasse em seu braço. O que deu em mim?

Fui em passos lentos até o quarto onde S/N estava e encontrei a mesma já arrumada sentada na cama olhando pro nada. Tenho que admitir, ela estava bonitinha com aquela roupa, só bonitinha , mais nada.

 

Então... ela me ouviu e... se arrumou. 

 

— Ham, Ham... — Limpei a garganta tentando chamar a atenção da mesma. 

 

— É... aah, oi. — A mesma me olhou perdida. 

 

— Tão distraída. — Acabei sorrindo por impulso. — Ér... você está bem? — Perguntei meio sem jeito.

 

— Aham. — Respondeu secamente. 

 

— Olha... — Me aproximei dela lentamente e mostrei o remédio que trouxe. Era uma pomada e curaria o corte em seu braço. — É uma pomada muito boa, vai curar o seu ferimento. — Desenrrosquei a tampa da mesma pondo um pouco em minha mão e logo depositei em cima do seu corte. Ela não disse nada, apenas me olhou de forma estranha.

 

Claro, eu que a machuco e depois eu que a quero curar. Eu sou muito bipolar, admito.

 

— Prontinho. — Assim que terminei, deixei o remédio em qualquer canto mesmo. — Vi que está arrumada e... vamos? Quero te levar em alguns lugares... na verdade, um. Está de noite e não podemos ficar zanzando por aí. — Expliquei.

 

— Ok né. — Ela concordou se levantando e ficando ao meu lado me esperando para ir. 

 

— Bom, darei as regras básicas de quando sairmos na rua em público. Primeiro: evite falar muito o meu nome em voz alta. Segundo: não quero que ande muito colada comigo pois odeio isso, daria o que falar se encontrássemos algum ser infernal da escola. Terceiro: seja um cãozinho obediente e não me faça ter que puni-la em público. Entendeu todas? Eu explico apenas uma vez. — A encarava sériamente.

 

— Entendi, eu pelo menos acho que entendi. Mas... me punir? — Ela fez uma expressão confusa e um pouco assustada ao mesmo tempo.

 

— Sim, punir. Pode ser em público ou quando chegarmos, mas para evitar o que falar será melhor quando chegarmos.

 

 

Ponto de Vista: S/N

 

— É... — Não sabia muito bem o que dizer. Era pra eu pensar besteira?

 

— Pela sua expressão você pensou em algum tipo de desejo erótico. HAHAHA! Não. Eu nunca teria algum tipo de desejo erótico por você, seu jeito é tão bobo mas sua mente é tão suja, que feio. — Ele ria divertidamente da minha cara.

 

— Argh! Dá pra irmos logo? — Bati um dos pés no chão.

 

— Siga-me. — JungKook saiu junto comigo de lá.

 

[ . . . ]

 

Quando chegamos na rua, logo entramos no carro. 

 

— Esse carro é seu? Já conseguiu outro? 

 

— Por incrível que pareça, sim é meu. Sei fazer muitas mágicas, bebê. — Ele deu uma rápida piscada para mim.

 

JungKook ligou o carro e seguiu. Para onde eu não sei. 

 

— Para onde estamos indo? — Questionei enquanto olhava a paisagem pelo vidro. 

 

— Verá. — Respondeu-me concentrado na estrada.

 

— Hmm... deveria confiar em você? 

 

— Você nunca deve confiar em mim.

 

— Sempre com o seu jeito misterioso, que ódio. — JungKook não disse nada, apenas focava o seu olhar na estrada, seu rosto permanecia sem expressão alguma e até mesmo a sua respiração era fria. Resolvi então ficar calada até chergamos. 

 

[ . . . ] 

 

Depois de alguns minutos, JungKook por fim estacionou em frente a um... restaurante? 

 

— Chegamos. — Disse tirando a chave do contato. — Desce logo daí que eu não vou abrir a porta pra você. — Completou com uma fofura descomunal.

 

— Ok, senhor ''educação em forma de gente.'' 

 

Desci do carro e esperei JungKook o fechar para entrarmos. JungKook estava com aquele maldito capuz preto e quando nós saímos do carro ele ainda colocou um óculos escuro. 

 

— Tive que arrumar outro casaco por sua culpa, garota.

 

— Estamos em uma missão ultra secreta por acaso? — Debochei.

 

— Cala a boca e entra logo. — JungKook me empurrou até lá sem delicadeza nenhuma, era como se eu fosse qualquer coisa. 

 

Nos sentamos em uma mesa um pouco afastada e eu estava de frente para ele. 

 

— Ok, vamos testar as suas habilidades com a mente. — Ele sorriu de um jeito estranho. — É bem simples, apenas quero testar se você tem um cérebro. 

 

— Tenho bem mais que você. — O encarei com um olhar desafiador. 

 

— Uou, isso é um desafio? — Ele arqueou uma sobrancelha. 

 

— Pode ser... — Cruzei os meus braços ainda o encarando. 

 

— Você é tão engraçada. Vamos começar... 

 

— Prossiga. — O olhava com um semblante curioso. 

 

— Primeiro: vou apontar para algumas pessoas que estão a nossa volta e você me dirá o que acha sobre elas só de olhar para elas, entendeu? 

 

— Sim, mas... ''só achar'' pois não consigo ler mentes igual a você. — Ri.

 

— E quem disse que consigo ler mentes? Se eu tivesse a capacidade de ler mentes igual você diz, eu já teria conseguido ler a sua a muito tempo e teria descoberto muita coisa suja. — Ele deu uma simples risada.

 

— Olha, eu só não levanto daqui e dou com a minha mãozinha na sua cara porque estamos em um lugar público, seria chato. 

 

— Que maldade, seria mais fácil eu fazer isso. — Aquele tom debochado dele de sempre, grr!

 

— Dá pra ir logo com isso? — Suspirei impaciente.

 

— É você que não para de falar um minuto; de quinhentas palavras, seiscentas e cinquenta é asneira. Enfim, começando... — Eu nem disse nada e apenas o observei. JungKook apontou para um cara sentando a poucos centímetros de nós. 

 

— Vamos lá, me diga o que acha desse cara, e em seguida me diga o que ACHA que ele está pensando. — JungKook disse enquanto olhava algumas coisas no cardápio. 

 

— Hã? Isso não estava na ''lista''. Você disse que era apenas para eu dizer o que acho da pessoa só de olhar pra ela, não o que ela pensa. — Coloquei a mão na testa já preocupada.

 

— Eu nunca tenho uma lista, meus planos estão sempre mudando, igual o meu humor e não faça o meu humor mudar porque se ele mudar pra pior você ficará sem saída. — Seu tom de voz mudou para amedrontador. — Garçom, um refrigerante somente. Pra essa guria aqui nada, ela não merece. — Completou dizendo assim que um garçom apareceu por perto.

 

Apenas suspirei profundamente tentando me concentrar. Fechei os meus olhos com força e suspirei mais algumas vezes, em seguida abri os meus olhos e comecei a analisar o tal homem. Ele estava sentado sozinho, vestia uma jaqueta preta de couro, calça jeans também preta, um tênis aparentemente simples e normal e por de baixo da jaqueta uma regata branca. Ao que parecia e aparentava ter pelo menos uns trinta e seis anos. Ele bebia apenas uma taça de vinho e ficava olhando diversas vezes para uma mulher que estava sentada a sua frente. Seria um... stalker? 

 

— Então...? — JungKook me olhava atento aguardando uma resposta enquanto tomava seu refrigerante que não sei a que hora chegou pois estava com meus olhos cerrados. 

 

— Bom... pelo o que analisei sobre ele foi... ele aparenta ter uns trinta e seis anos de idade, parece uma pessoa que não trabalha e analisa muito uma mulher que está sentada a sua frente, imagino ele como um possível stalker dela. 

 

— Wow, começou um pouco bem. Agora me diga, o que você acha que se passa na mente desse homem? — Assim que JungKook fez a outra pergunta o analisei mais um pouco, eu o observava muito atenta.

 

Ele apenas olhava muito para a mulher, muito mesmo. Ele tinha um olhar malicioso sobre a mesma mas... junto com esse olhar malicioso parecia ter uma certa tristeza também. 

 

— Ele gosta da mulher e também... tem um olhar malicioso sobre a mesma. Mas mesmo assim junto com esse possível olhar malicioso existe uma certa tristeza. 

 

— Muito bem, está indo pelo caminho certo! Suas habilidades com isso são boas. 

 

— Isso foi um elogio? Se for, me sinto honrada. — Sorri por ser a primeira vez que ele me elogia de verdade.

 

— Não foi um elogio, portanto não fique feliz por isso. Apenas foi um... ''está bom'' e não um ''está perfeito, palmas''. — Ele disse fofo como sempre ( não ). 

 

— Já era de se imaginar. Podemos ir agora? — Revirei os olhos. 

 

— Nem começamos  ainda, docinho. Bom, você foi bem nessa parte de ''analise de pessoas'', mas foi somente uma pessoa, vamos ver com aquela. — JungKook apontou para uma outra pessoa, dessa vez uma mulher. — Dessa vez não quero que me diga sobre ela, quero que me diga somente o que ela possivelmente está pensando.

 

— Ok... — JungKook havia apontado para uma mulher loira que sentava bem afastada de todos, bem afastada mesmo. Aparentava ter uns dezessete anos, ainda uma jovem garota, digamos assim. Mas não irei entrar em tantos detalhes pois ele somente me pediu para tentar analisar o que ela possivelmente está pensando. Eu observei ela de todas as formas, era como se eu estivesse tentando ver a alma dela.

 

 — Então... ? — Ele me olhou aguardando uma resposta. 

 

— Ela... olha bastante para você. — Franzi o cenho confusa. 

 

 — Hã?! — JungKook se assustou e rapidamente tirou o seu óculos escuro para poder vê-la melhor. Ela realmente estava olhando bastante para JungKook, era como se ela até mesmo quisesse falar algo para ele. — Acabou o nosso turno por aqui, vamos! — JungKook se levantou aparentemente irritado e me puxando pra fora dali. 

 

—Sabia que está me machucando?! — Exclamei tentando me soltar.

 

JungKook não disse nada e apenas saiu me arrastando, como sempre pra variar. Qual era o problema dele? Por que ele saiu assim do nada? Era aquela mulher? JungKook entrou no carro rapidamente e praticamente me jogou lá dentro também. 

 

— O que está acontecendo agora? — Perguntei o olhando mas não obtive respostas. 

 

JungKook ligou o carro mas antes de ele dar a partida ele viu que aquela misteriosa mulher havia saído também e ficou o observando . Os olhares deles se encontraram e parecia ser um olhar de ódio, principalmente o de JungKook. Ele por fim deu partida no carro e seguiu.

 

 — Ok, já começamos mal por aqui. Amanhã já iniciamos o outro passo, não precisamos fazer mais nada por hoje. — Ele suspirou fundo jogando seus cabelos para trás. 

 

Ele estava molhado de suor; tensão. 

 

— O que tem aquela mulher? — Indaguei mesmo sabendo que ele odeia perguntas.

 

— Nada, não tem nada. — Pela expressão que ele fez, com certeza estava mentindo.

 

— Então por que se olharam com ódio? 

 

— Talvez a gente não tenha ido um com a cara do outro, simples.

 

— Ah claro, simples assim. Eu ainda irei descobrir! — Cruzei os meus braços e olhei para o vidro do carro a minha frente. 

 

Fiquei observando a estrada, eu estava bem irritada. Segundos depois senti um cheiro de terra molhada e vi logo em seguida pingos e mais pingos de chuva.

 

[ Minutos Depois... ] 

 

Depois de longos minutos, havíamos chegado. Ainda estava chovendo bastante, não me importo muito pois eu amo chuva. 

 

JungKook apenas me olhou como quem diz ''— Tá esperando o que pra descer logo desse maldito carro?'' Sim, eu podia ter certeza que ele falaria assim. Eu apenas desci e o esperei pra entrar. Enquanto eu ainda o esperava, inclinei um pouco a cabeça para trás pra aproveitar a chuva em meu rosto, era muito bom. 

 

— Se não quiser ficar gripada melhor entrar, ou se quiser vai ser até melhor pra mim pois assim você morre logo. — Ele entrou me deixando plantada lá fora.

 

Ele era tão fofo que dava vontade de apertar ATÉ ELE MORRER ASFIXIADO!

 

— Hey, espera! — Entrei correndo para tentar alcança-lo. 

 

— Seu dia de teste foi bom, descobri que você tem cérebro e isso é ótimo. — Disse enquanto esperávamos o elevador.

 

— Obrigada? — Deveria agradecer ou não? 

 

— Não se anime muito pois amanhã não pretendo ser legal com você. — Entramos dentro do elevador. 

 

— Novidade pois você nunca foi. — Suspirei fundo decepcionada.

 

Quando chegamos no andar, entramos no apartamento e Jeongguk trancou a porta

 

— Isso aí. — Ele deu um sorriso um tanto quanto irônico e foi para o banheiro , mas antes de entrar me olhou. — Não bata na porta se você tiver algum pesadelo, não vou abrir e muito menos vou sair para te ajudar. — Completou. 

 

— Pode ficar despreocupado pois não irei atrapalhar no seja lá o que você faz. — Sorri com certo ódio. 

 

— Boa garota, ops... cãozinho. — Ele riu. 

 

Eu ia até lá pra realmente dar um soco nele mas antes de fazer isso ele fechou a porta na minha cara, ARGH! Isso é irritante!!! Mas... tenho uma grande ideia! Mesmo que eu morra eu vou morrer sabendo o que ele esconde. Vou até o quarto dele e vou procurar alguma coisa, vai que eu acho algo interessante. Antes de ir até lá eu me destroquei pondo uma roupa mais confortável e logo em seguida corri até o quarto de JungKook.

 

 

Ponto de Vista: JungKook

 

Que porra!! LOGO AGORA!! 

 

Sem ao menos perceber, dei um soco no espelho que na mesma hora quebrou em vários pedaços. Baguncei os meus próprios cabelos como sempre quando estou irritado e fiquei andando pra lá e pra cá, não adiantava muito já que eu estava num banheiro e o espaço não era lá tão grande. 

Aquela mulher pode ser a minha morte! Quem ela é? Nada mais nada menos que a vagabunda da Samantha! Ela foi a única que conseguiu escapar dos amigos. Ela devia estar me seguindo há muito tempo, mas fui trouxa em não perceber. Será que ela falou algo para a polícia? Ela é filha de um policial... oh, droga! Preciso elimina-la o mais rápido possível pois caso contrário The Killer Bunny estará morto, no caso eu. 

 

É a única Saída.

 

[ Continua... ]


Notas Finais


Gostaram? Espero que sim! Hey, eu não mordo, viu? Vai mesmo pular para o próximo capítulo sem deixar pelo menos um emoji nos comentários? :c Não sejam cruéis!

~ Amo demais vocês! Até daqui a pouco ^-^
Perfil: @Hyu_Wang


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...