História The Killer Bunny - Imagine Jeon JungKook ( Repostando ) - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bipolaridade, Bts, Comedia, Criminal, Hyu_wang, Imagine, Jeon Jungkook, Jungkook, Sadomasoquismo, The Killer Bunny, Tô De Volta Manos, Trouxice Envolvida
Visualizações 352
Palavras 1.878
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie oie oie ( Pra que três OIS eu não sei )

Boa Leitura e Sorry Qualquer erro :3

Capítulo 14 - XIV. What will become of me?!


Fanfic / Fanfiction The Killer Bunny - Imagine Jeon JungKook ( Repostando ) - Capítulo 14 - XIV. What will become of me?!

Capítulo 14  –  What will become of me?!  [ O que Será de mim?! ]

[ No Capítulo Anterior... ]

Que porra!! LOGO AGORA!! 

 

Sem ao menos perceber, dei um soco no espelho que na mesma hora quebrou em vários pedaços. Baguncei os meus próprios cabelos como sempre quando estou irritado e fiquei andando pra lá e pra cá, não adiantava muito já que eu estava num banheiro e o espaço não era lá tão grande. 

Aquela mulher pode ser a minha morte! Quem ela é? Nada mais nada menos que a vagabunda da Samantha! Ela foi a única que conseguiu escapar dos amigos. Ela devia estar me seguindo há muito tempo, mas fui trouxa em não perceber. Será que ela falou algo para a polícia? Ela é filha de um policial... oh, droga! Preciso elimina-la o mais rápido possível pois caso contrário The Killer Bunny estará morto, no caso eu. 

 

É a única Saída.

 

[ . . . ]

 

Tomei um rápido banho e me vesti. O espelho? Ficaria do jeito que está mesmo. Antes de sair do banheiro fiquei refletindo um pouco na vida, na grande vida que eu levo. Tenho que matar para não ser morto, tenho que seguir as malditas regras do Namjoon para também não ser morto, não posso me apaixonar porque... sempre vai ser uma ilusão, um caminho sem volta.

 

Ponto de Vista: S/N

 

Se passaram vários minutos e eu vasculhei tudo, não acho nada! Bom, tem o notebook dele mas tem senha. E aquela mochila no canto do guarda-roupa... eu olhava toda hora para ela, ela estava me chamando pois queria ser aberta. Meus dedos coçavam e minha curiosidade aumentava cada vez mais, acho que... ele não vai ligar se eu ver o que tem dentro, só uma olhadinha não faz mal.

 

Me aproximei da mochila e minha mão estava quase encostando nela, faltava pouco, muito pouco... 

 

— O que pensa que está fazendo aí? — Ouço a voz de JungKook. 

 

— m-e-r-d-a.—  Movi os meus lábios. — Ér... oi, Kookie. — Me virei para o mesmo fazendo uma carinha fofa. 

 

— Então quer dizer que a lindinha estava me investigando. — Ele colocou a mão no queixo e fez uma expressão séria. 

 

Nada bom, nada bom. 

 

— N-Não... — Acabei por gaguejar. 

 

— Quem gagueja mente. — Ele deu um passo.

 

— Eu... só vim admirar o seu lindo quarto. — Que desculpa lixosa, S/N!

 

— Ah, jura? Eu vou contar até cinco, quando chegar no cinco eu quero que você tenha sumido daqui. Se você não sumir quando chegar no cinco essa faca que está na minha mão vai voar na sua garganta delicada. — Ele tirou uma faca de seu bolso e me olhou sério. Acho que ele não estava brincando... estava? 

 

— Um; dois; três; quatro; cinc... — Antes de ele falar cinco eu já saí correndo. Melhor não arriscar, não é mesmo? 

 

Voltei para o meu quarto e me joguei na cama. Eu estava bem pensativa, muuiito pensativa. Tão pensativa que...

 

— QUE?! AAAH! — Por sorte, consegui desviar de uma faca que veio voando do nada. Sim, u-m-a  f-a-c-a. 

 

— É só pra você ficar esperta.— JungKook entrou no cômodo. 

 

— TÁ MALUCO?! Aquilo podia ter me acertado! — Exclamei preocupada.

 

— Mas era pra acertar, só que você foi esperta e desviou, parabéns. — JungKook foi até a parede próxima a mim e arrancou a faca da parede, ele a limpou um pouco com um paninho que tinha.

 

— Isso só aumentou os meus motivos para querer sair daqui. — Estava boquiaberta, foi um belo susto. 

 

 — Se você ousar sair daqui sem a minha total permissão...  — JungKook pausou e me empurrou na cama ficando por cima de mim. — Essa linda e fofa faca vai percorrer o seu pescoço. — Ele a encostou em meu pescoço. 

 

Eu ia tentar dizer alguma coisa mas ele colocou a ponta da faca em meus lábios. 

 

— Vai passear pelos seus lindos lábios rosados e depois vai dar uma descansada em suas fofinhas bochechas. — Ele a encostou em minha bochecha. 

 

Eu não conseguia dizer nada, nem dava. Eu apenas o observava com medo, eu estava com muito medo dessa vez. 

 

— Aí depois ela vai resolver girar, girar de felicidade. — Ele fez um pequeno corte em uma de minhas bochechas e girou de leve a ponta da faca. 

 

Aquilo ardia muito, muito mesmo. Nisso caiu uma lágrima de meus olhos, eu não conseguia gritar nem dizer nada pois com a sua outra mão ele estava tampando a minha boca me impedindo de dizer qualquer coisa. 

 

— Óh bebê, por que está chorando? Ela está feliz, você também deveria estar feliz. Continuando... e depois que ela girar de felicidade, ela vai escorregar de tobogã. — Ele desceu com a faca até o meu peito. — Aí ela vai parar e pensar: ''— Hmm, quero entrar aqui dentro para brincar.'' E ela vai simplesmente entrar. — JungKook afastou a faca um pouco para trás e ia voltar com ela pra onde vocês já devem saber, o meu peito... meu coração.

 

— Mas... — Ele parou com a faca a poucos centímetros. 

 

Eu não conseguia dizer nada ainda, mas meu olhar já dizia tudo; medo.

 

— Aí ela vai desistir e brincará mais tarde pois sua Omma chamou ela para almoçar. — Ele voltou a guardar a faca em seu bolso logo saindo de cima de mim. Eu voltei a me sentar na cama e coloquei uma mão no peito e a outra em minha bochecha ferida.

 

Minha respiração estava desregulada e minha bochecha estava sangrando um pouco, ardia bastante. Eu o olhei com um olhar de decepção, como ele pode ser assim? Eu quero sair daqui! Quero ligar para meus pais, quero encontrar novamente o Jimin, quero a minha vida de volta! Isso aqui não é vida, é um hospício.

 

— Eu vou ter que dar uma saída, já sabe o que tem que fazer; ficar calada e não pode sair daqui. Me dá o seu celular, se tiver um.—  Ele estendeu a mão para que eu o entregasse. 

 

— M-Mas i-isso é p-pessoal. — Até mesmo na minha voz mostrava medo.

 

 — Hã? Não ouvi direito. — Eu sabia que não adiantaria nada eu falar alguma coisa, apenas a entreguei. 

 

— Bom cãozinho. Daqui a pouco volto e nada de ousar entrar em meu quarto, já sabe o que pode acontecer, não é mesmo? — Eu apenas balancei a cabeça positivamente.—  Veja pelo lado bom... — Ele se abaixou na minha frente e me olhou. — Não estou te mantendo acorrentada nem nada do tipo, vou ser legal com você mas... você tem que colaborar, ok? — Ele colocou uma mecha do meu cabelo atrás da minha orelha. 

 

— O-Ok... — Eu tinha que concordar com tudo, eu estava com medo. Tenho medo da sua mudança repentina de humor.

 

— Prometo te recompensar com alguma coisa mais pra frente. — Ele se endireitou e saiu. 

 

Assim que ele saiu eu corri para trancar a porta e voltei a me jogar na cama. Então... eu estou presa aqui? E ainda com ele?! Comecei a chorar mas  percebi que nem chorar podia pois o salgado das minhas lágrimas escorriam para o corte da minha bochecha e fazia aquilo arder cada vez mais. Preciso me concentrar e preciso obedece-lo... pelo menos por enquanto. Será que... Tae me ajudaria em algo? Ele parece ser uma pessoa legal, pelo menos eu acho. Mas parece impossível eu confiar em alguém! Tae é um ''amigo'' dele então não sei se mostra ser outra pessoa apenas para me conquistar.

 

 O QUE SERÁ DE MIM?!

 

 

Ponto de Vista: JungKook

 

Assim que saí do quarto de S/N fui para o meu arrumar as minhas coisas de ''trabalho'', pois era hoje que aquela mulher iria sumir. Peguei de dentro da mochila que S/N tanto queria saber a minha máscara e a vesti. Eu tenho tantas máscaras e tantos ''materiais de trabalho'' em TANTOS lugares, mas essa mochila daqui não sai daqui. Logo em seguida peguei uma arma, hoje eu não poderia fazer mais uma morte toda especial pois seria muito arriscado. Coloquei luvas para não deixar digitais em nada e depois saí. Eu teria que ir de carro pois eu nem sei onde essa mulher está, mas não demorará muito para eu descobrir. 

 

[ . . . ]

 

Assim que entrei no carro e o liguei, segui por vários caminhos que conhecia para tentar acha-la. Ela não devia estar muito longe. Rondei, rondei e rondei, mas nada daquela mulher aparecer, onde ela podia estar? 

Sem ao menos perceber notei  já estava em frente a uma delegacia, seria arriscado eu ficar por aqui mas, quando eu ia me retirando vi aquela mulher parada ali na frente conversando com policiais  –  um deles até mesmo podia ser o seu pai. 

 

— FILHA DA PUTA! — Disse para mim mesmo.  Peguei a minha arma e abri o vidro do carro, não abri tanto pois eu não podia ser reconhecido. Mirei na cabeça dela mas minha mão estava trêmula, não entendia o por que. 

 

Respirei fundo diversas vezes tentando me acalmar, eu precisava me acalmar. Sem ao menos perceber ela já havia se retirado dali, provavelmente foi lá pra dentro.

 

QUE MERDA DA PORRA!

 

Eu precisava descer para acabar com aquilo, mas... a única forma era matando aqueles desgraçados policiais. Seria arriscado? Seria. Mas é eu ou eles então eu escolho eles. 

SaÍ do carro sem a minha máscara e coloquei a minha arma no bolso dando também um jeito de esconder a máscara, o melhor jeito é chegar com tranquilidade   –  o famoso teatrinho, se é que me entendem. 

 

 — Senhores policiais, me ajudem!!! — Me aproximei deles ofegante. 

 

Eu precisava inventar um roteiro de teatro e eu era um ótimo ator.

 

— O que houve, jovem? — Um deles perguntou preocupado. Eram dois. 

 

— The Killer Bunny, eu o vi!

 

— Onde?! Precisamos pegar esse desgraçado! A moça já veio aqui falar da mesma coisa. 

 

( Então ela estava falando de mim? )

 

— Venham, venham! Ele está ali! — Eu precisava os guiar para um lugar mais afastado do público. 

 

— Vamos. — Um deles concordou em me seguir e o outro parecia estar um pouco desconfiado mas mesmo assim me seguiu. Os levei para trás da delegacia, lá atrás havia um cemitério e era bem ali que eles iriam ficar.

 

— Onde ele está?! — O policial mais tranquilão me perguntou. 

 

— Tão fácil, mais fácil do que imaginei.

 

Coloquei a minha máscara e logo em seguida disse: 

 

— Prazer, sou Jeon JungKook mais conhecido como The Killer Bunny. — Antes mesmo daquele policial mais tranquilo ditar alguma coisa eu atirei em sua cabeça. 

 

O outro que era mais desconfiado estava comunicando aos outros no rádio e também parecia querer correr mas... foi tarde demais pois eu vi um martelo ali perto e seria com aquilo mesmo que ele iria morrer, arma é muito pouco para ele. Acertei diversas vezes em sua cabeça e tudo o que tinha ao meu redor era sangue e mais sangue, somente sangue. 

Eu até pensei em ser gentil e cavar uma cova para eles por ali mesmo já que era um cemitério, mas eu não tinha tempo para isso e tinha que correr o mais rápido possível dali. Ninguém conseguiria minhas digitais mesmo, eu estava de luvas. Quando ia me retirando dali, sinto alguém me segurar pelo pescoço praticamente me deixando sem ar. 

 

— Achou mesmo que iria escapar? 

 

— Q-Quem é v-você. — Perguntei já quase sem ar. Não podia ver a pessoa. 

 

— Seu pior pesadelo, JungKook. 

 

 

Depois disso não me lembro de mais nada. 

 

[ Continua... ]


Notas Finais


JungKook se fodeu muito, nénon?

Infelizmente é o fim da linha pra mim ( q? )
Último cap do dia, crianças :c

Eu amo dmaisz vocês <3 Beijinhus e até os próximos capítulos!

Perfil: @Hyu_Wang

AH MAS CALMA AE! Vai embora não :c Gostaria que antes de sair dessa humilde página, desse uma olhada na minha ''nova'' fanfic <3 Antes ela era uma one-shot, ou seja, só tinha UM capítulo e não pretendia escrever mais, MAAAS... acabei por mudar de ideia pois me deu uma enorme vontade de continuar a escreve-la. Beninas e Beninos, nessa fanfic a S/N ( que no caso é você mesmo ) é que manda na porra toda, JungKook só obedece mesmo. Se interessaram, hum? Corram lá pois em breve postarei o novo capítulo!

LINK: https://www.spiritfanfiction.com/historia/babysitter-irresistible-imagine-hot-jeon-jungkook--bts-9278346

~ Bye bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...