1. Spirit Fanfics >
  2. The Killer. (Vkook shortfic) >
  3. Number four.

História The Killer. (Vkook shortfic) - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Number four.


              Previously in Killer Bunny...

Uma pequena caminhada com o garoto ainda desacordado em seus braços e chegaram até o local, Jeon colocou o garoto em uma cadeira e tratou de imobiliza-lo. Algemou as mãos do garoto, prendeu os pés do mesmo e cobriu a boca do mesmo com um pano, puxou outra cadeira e se sentou ao lado do garoto esperando que Taehyung acordasse enquanto mexia em seus celular.

[...]

Taehyung se sentia meio grogue devido a pancada que acabara levando, sua cabeça ainda dóia bastante, abriu seus olhos de forma vagarosa sentindo sua vista arder pela claridade desmasiada para si naquele momento. Demorou alguns segundos a se acostumar com a mesma e direcionou seu olhar pelo local parando sobre Jeon, este mexia em seu celular de forma despreocupada, só então, Taehyung tentou se mexer reparando que estava amarrado, arregalou os olhos tentando se soltar a qualquer custo, ganhando a atenção de Jeon para sí.

— Ah, você acordou... – Suspirou vendo o mesmo se debater na cadeira que o garoto estava amarrado.– Não se debate, você não vai conseguir se soltar, não adianta Taehyung... – Se levantou e andou para perto do maior se abaixando em sua frente o ouvindo resmungar contra o pedaço de pano que cobria sua boca.– Oh... Eu irei tirar, se você gritar... eu serei obrigado a te deixar desacordado mais uma vez, seja um bom garoto e não grite, uh? – Jeon tirou o pano da boca do garoto vendo o mesmo respirar de maneira ofegante no mesmo instante.–

— P-por que você ta fazendo isso? Por que não me mata de uma vez, Jeon? – Jeon deu uma gargalhada e jogou o pano em qualquer canto dali.–

— Qual seria a graça de só te matar, meu bem? – Taehyung se manteve quieto. Jeon aproximou seu rosto do mais velho quase lhe beijando e sorriu.– Incrível como até com medo você consegue ser lindo, amor... – Jeon acariciou o rosto do garoto e este virou o rosto fechando seus olhos recuando do toque.– Não faça assim, Tae.

— Me deixa ir embora, Jeon... Por favor, eu prometo não te entregar, só... Por favor. – O garoto revirou os olhos e se afastou do namorado.– Aonde a gente ta? Ggukie... Por favor.

— Calado! – O mais novo gritou.– Ou eu terei que usar a força novamente, apenas fique quieto. Vamos brincar um pouquinho, o que acha?! – Jeon pegou a grande mochila que carregava consigo e abriu dando a visão ao Taehyung do que havia ali dentro o deixando ainda mais assustado.–

O mais novo puxou a faca dali de dentro, analisou a lâmina e dedilhou o objeto como se admirasse a beleza daquela arma branca, direcionou o olhar ao namorado e se aproximou novamente, levou a faca até o rosto de Taehyung e a deslizou sem força nenhuma por ali, o garoto chorava em desespero e Jeon estava amando aquilo.

— P-por favor... – Jeon se irritou com toda aquela cena e usou pressão na faca fazendo abrir um corte no rosto do namorado.–

— Não vai sair daqui vivo, é melhor aceitar e parar de agir feito criança, Taehyung. – O menor falou com um tom de voz ríspido e arrogante.– Agora fica quietinho, me cansei da sua voz. – Soltou a faca e pegou o pano voltando a amarra-lo em volta da boca de Taehyung. O pano continha clorofórmio ainda e Taehyung apagou após ingerir o mesmo.– Bom garoto.

Seven Days later.

A polícia inicou a busca para o Idol desaparecido, Kim Taehyung de vinte e três anos. Ainda não há provas mas, a polícia suspeita do namorado já que os dois estão desaparecidos. O serial Killer do bairro também parece ter cessado seus assassinatos. Traremos mais informações sobre o caso em breve, agora vamos a previsão do tempo...

Jeon desligou a Tv assim que pararam de falar de si, jogou o controle longe e olhou para Tae que estava assustado e, agora não mais amarrado, comia o que Jeon tinha preparado para si. Jeon resolveu o deixar solto já que sabia que não havia como Taehyung sair dali de qualquer forma.

— Eles vão te achar, Jeon. Você vai pagar por isso.

— Cala a boca, Taehyung, come de uma vez, preciso sair atrás de comida e vou te amarrar de novo.

— O que? Você não pode ficar me amarrando e desamarrando quando quer! – O menor riu.–

— Não só posso, como eu vou. – Taehyung tentou se debater mas Jeon incrivelmente era mais forte que ele e, acabou amarrado mais uma vez. – Isso, agora... Fica quietinho. – Jeon colocou o pano na boca do namorado para que ele não gritasse, embora aonde eles estejam seja a prova de som, Taehyung poderia gritar o quanto quisesse, seria inútil mas Jeon o acha barulhento, então é melhor.–

Taehyung murmurava e resmungava contra o pano, sentia seu peito apertar e sua garganta arder. Taehyung queria chorar ali mesmo e a questão que ainda rondava sua mente era “Por que o Jeon está fazendo isso comigo? Por quê?” e pensar nisso doía demais, Tae jurava que Jeon o amava apesar de tudo, mas aparentemente ele estava errado.

— Ah, Tae... – Jeon tocou o rosto molhado pelas lágrimas inconscientes do mais velho e suspirou, secou as mesmas e aproximou seu rosto.– Não chore, uh? Vai ficar tudo bem, eu te amo. – Selou a testa do mesmo e sorriu com seu típico sorriso assustador, Taehyung ja não conseguia ve-lo da mesma forma e só sabia sentir medo do namorado.–

Este se afastou de Tae, andou até uma pequena mesa que havia no local, sobre a mesta havia uma grande quantidade de facas diferentes e formas variáveis de matar alguém, aquilo eram os brinquedinhos de Jeon. O menor sorriu e juntou tudo guardando, porém puxou uma de suas facas preferidas, havia nomeado a mesma com o nome de Bunny em sua homenagem mesmo, era gritando o narcisismo do menor.

Jeon pegou sua máscara suja de sangue como sempre, uma de suas armas e a colocou em sua cintura de forma escondida. Suspirou ajeitando a máscara em frente ao espelho e sorriu se vendo.

— Ah céus... Eu fico lindo até usando essa maldita máscara. – Riu sádico e se virou para o namorado que o olhava fixamente assustado.– Ei, Bae... Eu vou sair agora, uh? Comida não aparece sozinha aqui, ou você acha que aparece? – Gargalhou. – É obvio que não acha, Jeon seu bobinho.

O mais novo saiu gargalhando de forma assustadora, era horrível de se ouvir aquela risada e Taehyung podia sentir seu estômago embrulhar em pensar nas coisas absurdas que Jeon fazia daquela porta a fora. Não era o mesmo garotinho fragil que trabalhava no café e sempre corria para os braços de Taehyung quando se viam.

Tae fechou os olhos com força sentindo novas lágrimas escorrerem por suas bochechas, ele estava sofrendo tanto pois ele tinha se decepcionado tanto com o namorado, Taehyung soluçava chorando mas ninguém estava ali para salva-lo, ajuda-lo ou acalma-lo... Era somente ele ali, sozinho, preso pelo próprio namorado que anteriormente se revelou o maior serial killer do país nos últimos tempos, o seu próprio namorado. O mesmo que chorava com trovões, o mesmo que tinha medo de baratas, o mesmo que corria feito uma criança aos braços de Tae, o mesmo que jurava amar o incondicionalmente.

Taehyung sentia seu coração se quebrar cada vez em mais pedaços lembrando de tudo que Jeon havia mentido sobre para si. Se debatou naquela cadeira pensando se teria alguma chance sequer de se soltar dali, a esta altura, Taehyng que sempre foi cético, estava quase orando para que Deus o ajudasse a sair dali. Grunhiu contra o pano que cobria sua boca, remexendo a mesma conseguiu tirar o pano de sua boca e começou a gritar de forma desesperada.

O mais velho chorava e gritava aos ventos para que alguém lhe ajudasse, este não sabia que o local era a prova de som então tentava com toda a sua força que restava gritar por ajuda soluçando em meio a lágrimas. Foram tantas tentativas que sua garganta começava a doer quando viu seu namorado chegar pela porta com uma expressão irritada, arregalou os olhos ao ve-lo ali.

Jeon se aproximou do namorado e acertou um tapa na cara do mesmo com certa força sem pensar muito.

— CALA A BOCA, TAEHYUNG. – Estressado Jeon andou pra longe.–

— ME SOLTA, JEON SEU MONSTRO! – O mais novo o olhou, incrédulo e então sorriu e começou a rir.–

— Monstro? Eu sou um monstro? Eu sou um monstro por estar te protegendo do mundo la fora? É assim que você me vê depois de ter saido pra buscar comida pra você! PRA VOCÊ, TAEHYUNG! É TUDO POR VOCÊ, INFERNO! – Jeon soca a mesa de alumínio causando um buraco na mesma. – E VOCÊ ME VÊ COMO A DROGA DE UM MONSTRO?! É ASSIM QUE VOCÊ ME AGRADECE SEU IMBECIL?

— VOCÊ TA ME MANTENDO PRESO, ME SEQUESTROU E AINDA POR CIMA É UM ASSASSINO, EU TE ODEIO! – Jeon abismado com a última frase de Taehyung, se aproximou do mesmo e encarou o garoto no fundo de seus olhos com um sorriso assustador, arriscaria chamar de sorriso psicopata. –

— O que você disse, Taehyung? Você o que?

— Eu te odeio. – Virou o rosto para o lado pois sentia nojo de encara-lo.–

— VOCÊ NÃO PODE ME ODIAR, VOCÊ TEM QUE ME AMAR PORQUE EU SOU O ÚNICO QUE VAI TE PROTEGER E O ÚNICO QUE VOCÊ VAI VER!. – Segurou o queixo de Taehyung enquanto gritava aquelas palavras, obrigando o mais velho a olha-lo.–

— EU NUNCA VOU AMAR UM PSICOPATA ASSASSINO. – Levou um tapa forte de Jeon e sentiu seus olhos marejarem.– Eu me apaixonei pelo Jeongguk que era amável, querido, gentil, tão calmo, paciênciente, educado e... Sorria fofo toda vez que me via entrar naquele café.

— ESSE JEONGGUK AINDA SOU EU, MAS QUE DROGA! EU POSSO SORRIR SE VOCÊ QUISER! – Jeon sorriu de forma perturbadora para Tae.– Viu???? Eu consigo... Então me ame, ame somente a mim.

— Não, eu te odeio seu monstro. – Taehyung cospiu no rosto de Jeon. O mais novo se afastou e começou a rir de forma sádica.–

— Você está tão mal educado, Taehyung. – Jeon tapou a boca do namorado e puxou uma de suas facas, sem pensar muito, deixou a ponta da lâmina tocar a pele do mais velho, arrastou a mesma fazendo um corte se abrir e o sangue escorrer pelo braço de Taehyung.– Isso é por me desobedecer, se quiser ficar inteiro, me obedeça. – Jeon sorriu assustador e se fastou.– Daqui a pouco o sangue para... Ou não.

Taehyung resmungava por baixo do pano de dor por aquele corte, Jeon saiu do local o deixando agonizar de dor em forma de punição por tudo que Tae havia feito para si naquele instante.

Talvez os dias de Taehyung estivessem contados e ele não sairia vivo dali, ele tinha certeza que iria acabar se tornando mais uma vítima de seu próprio namorado e que sua vida havia acabado, carreira, sonhos, músicas que ele ainda ia lançar... Tudo havia acabado a partir do maldito momento que ele resolveu seguir Jeon aquela noite e ele se odiava fortemente por ter o seguido, agora aqui estava ele, preso, agonizando de dor e sendo torturado pelo garoto que ele jurou amar.

Taehyung estava fodido e ele sabia disso, ele não tinha mais salvação, o que restava era aceitar que havia acabado para si e deixar Jeon ganhar, deixar ele continuar matando pessoas e abusando de pessoas inocentes por ai por puro prazer próprio. Seu fim havia chegado e isso o assustava.

A dor do corte fazia seus pelos se arrepiarem e o vermelho de seu sangue lhe causava agonia e medo, um medo imensurável, o sangue escorria quase na mesma velocidade em que suas lágrimas. Gritou contra o pano que cobria sua boca, seu som saiu abafado e entregava o seu desespero de forma clara e assustadora. Taehyung pensara que seu namorado estava lhe traindo, mas o segredo que descobriu foi muito pior do que uma traição, ele estava aterrorizado, amedrontado, apavorado e desesperado. Ele não sabia como iria sair dali, mas precisava bolar um plano o quanto antes ou acabaria morto no fim, e ele não queria morrer ali e para o completo psicopata que Jeon era.

Seus olhos começaram a pesar e sentiu sua pressão abaixar, por mais que fosse pouco sangue, o garoto estava sem comer e isso estava colaborando. Seu estômago roncou e este foi o último som que Tae houviu antes de simplesmente ver tudo preto e não conseguir sequer se recordar do que acontecera a seguir.

[...]

Passaram-se vários minutos, Jeon voltou de mais um de seus assassinatos e encontrou seu prisioneiro e namorado, apagado, sangue seco em seu braço e no chão, uma completa sujeira. De certa forma, isso irritara Jeon. O mais novo pegou um pano e limpou toda a sujeira preparou comida para seu namorado e, desacordado, o levou ate a cozinha e amarrou o mesmo na cadeira. Acertou um tapa que estalou pelo ambiente, na cara de Taehyung. O fazendo acordar.

— Vamos, é hora de comer. Você perdeu muito sangue. – Falou com um tom doce. Tirou o pano que cobria a boca do mesmo lhe dando a chance de falar.–

— VOCÊ me fez perder esse sangue. VOCÊ me causou isso e agora quer consertar? Qual seu problema Jeongguk???! – O ódio era nítido em seu tom de voz.– Eu não vou comer essa porra. – Com desdém, deu de ombros.– Tsc, seu doente

O olhar de Jeon que antes mostrava uma serenidade mudou pra um completo escuro assustador, junto a sua expressão, causando um calafrio em Taehyung mas não se deixou demonstrar, não queria mostrar que estava intimidado pelo garoto. Jeon segurou o rosto de seu namorado pelo queixo e apertou com força o obrigando a olha-lo.

— Você vai comer porque eu fiz pra você com todo o meu amor, se você não comer eu vou fazer você comer a força. Come de uma vez.

— Vai se foder, Jeon.

— Agora você me irritou. – Jeon falou e deu um daqueles seus sorrisos psicopatas.– COME A PORRA DA COMIDA, TAEHYUNG, SE VOCÊ QUER SEQUER SE MANTER VIVO. SEU CANTOR DE MERDA. – Disse apos puxar os fios do garoto com toda a força para trás, o fazendo inclinar a cabeça para trás.–

— Vai. se. foder. – Repetiu pausadamente, Jeon soltou o garoto e cerrou os punhos se afastando de Taehyung.–

— Sabe, eu posso te matar aqui mesmo, quando eu quiser, eu não me importo, mas o pouco que me importo com você, quero te matar de forma digna. MAS VOCÊ NÃO COLABORA! – Gritou a última frase e derrubou todas as louças da pia ouvindo o barulho do vidro se chocando contra o chão e virando milhares de pedacinhos, em questão de segundos. Taehyung arregalou seus olhos.–

— Você acha mesmo que vai me assustar com esses seus joguinhos mentais? Você é doente, Jeon, DOENTE! Você não me mata porque não tem coragem, eu fui o único que esteve do seu lado nesse últimos anos, eu te ajudei, eu te dei oportunidade pra trabalhar naquela lanchonete, eu te dei todo o conforto, eu te dei meu colo, meu abraço e meu carinho quando você não tinha ninguém pra fazer isso pra você. FUI EU QUE TE AMEI QUANDO NEM A PORRA DOS SEUS PAIS TE ACEITAVAM, FUI EU, JEON JEONGGUK, FUI EU! – Gritou por último.–

Jeon repetia baixinho inúmeras vezes “cala a boca” e ia aumentando seu tom conforme ouvia as falas de Taehyung, por último, Gritou em desespero mais uma vez.

— CALA A BOCA, PORRA! – Puxou uma faca de sua cintura e colocou em volta do pescoço de Taehyung enquanto tremia, lagrimas escorriam no rosto garoto e sua voz gritava desesepero e medo.– Você não é tudo isso que acha que é, você acha que me conhece mas não conhece nem um terço sobre mim, cala a boca, inferno. – Tae não se mostrou intimidado, ao contrário, sorriu em sarcasmo e o olhou diretamente nos olhos.–

— Me mata então, Jeon. Se não sou nada para você, me mata, vamos, acaba com isso de uma vez. Se não sou a pessoa que mais te ajudou, se não fui eu que comprei essa casa pra você, se não fui eu que te dei tudo que você sempre quis. Me mata, você pode me matar, é so matar. Por que não mata? Eu sei porquê. – Jeon o olhou com curiosidade e ódio.– Porque você não passa de um covarde, um pirralho que foi mimado demais por mim, uma criança perdida e sem saber o que fazer ou pra onde ir, sem sonhos, ambições e vontades, você não passa de uma criança mal criada. – Aquelas palavras acertaram Jeon e o cortaram mais do que qualquer uma de suas mais afiadas facas, apertou a lamina contra o pescoço de Tae e com as mãos trêmulas o encarava.–

— Você não sabe de nada, Taehyung. Eu sou muito mais do que aquele garotinho que você conheceu, eu tô cansado de ser tratado como uma criança, como um completo deliquente. Eu sou o maior serial killer desse país, você tem noção? Se eu for pego amanhã ou depois, eu vou ficar pra, his.tó.ria. – Silabou a palavra para dar ênfase.– E você? Não vai passar de um cantor medíocre que fez sucesso em algum momento mas depois entrou em decadência e morreu pra mim, o maior serial killer de todos os tempos. – Dizia aquelas palavras se vangloriando e com um sorriso assustador em seus lábios.– Você não é nada.

— Nem você. – O mais novo franziu o cenho em raiva.–

— NÃO SOU???!!!! HAHAHAHAHAHA!!! – Riu de forma estranha deixando Tae um tanto assustado pois nunca ouvira aquela risada antes.– Eu me cansei de você. Você ta chato hoje, amor. – Seu tom na última frase mudou para aquele mesmo tom doce que Jeon uma vez usara e Tae achara adorável e encantador. O menor acertou com o cabo da faca contra a cabeça do mesmo e o desmaiou, o levou de volta ao porão e o jogou no chão completamente desamarado, porém trancou a porta do mesmo com correntes e cadeados, seria impossível de Taehyung o abrir.– Vai ficar de castigo... Você não ta sendo um bom namorado, amor. – Usava um tom baixo e assustador demais.

More Seven days later.

Taehyung estava muito magro, ele optou por não comer mais a comida de Jeon, todas as vezes que este tentava lhe oferecer a comida, ele negava e fazia toda a cena de sempre, brigava, esperniava e as vezes cospia na comida para não come-la, o que irritava Jeon mas com o tempo, ele entendeu o recado. As bochechas do garoto que antes eram grandes e saudáveis, sumiram, seus olhos continham enormes olheiras e se sentia cansado a maior parte do tempo. Seu corpo pedia arrego a todo o momento, mas Taehyung não o ouvia.

Jeon com o tempo passou a deixa-lo solto dentro de casa porém, preparou a casa para que ele não conseguisse fugir. Taehyung passava seus dias sentado no sofá assistindo as notícias de assassinatos que seu namorado cometia, nas primeiras semanas, ele ainda conseguia chorar mas agora... Nem lágrimas restavam em seu corpo mais. Ele parecia quase um peso morto parado em frente a tv, em pura frenesi com tudo.

Seu namorado, por outro lado, mantinha sua rotina como se nada acontecesse, as buscas por Taehyung havia acabado e havia encerrado o caso como morto, as fãs estavam tristes e viviam postando coisas em homenagem ao garoto mas somente Jeon as via, Tae nem sequer sabia disto. Jeon sabia que Taehyung iria acabar morrendo nesse ritmo, mas sinceramente? Jeon ja nem ligava mais, ele estava em busca de encontrar a sua família e quando a matasse, ai morreria em paz. Era o que ele achava, ate receber uma ligação. 


Notas Finais


No próximo cap, a fic vai chegar ao fim!!! Espero que vocês estejam gostando da história, por favor me digam o que estão achando, isto me incentiva muito a continuar escrevendo. Anyways. Love ya'll 💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...