História The King Of Games - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Black, Blue, Leaf (Green), Red, White, Yellow
Tags Pokémon, Romance, Vrmmorpg
Visualizações 37
Palavras 4.833
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eae... bom nada a dizer muito ;--;

desculpe os erros e boa leitura~

Capítulo 4 - As pessoas da cidade da lua nova são realmente assustadoras


Clackk.

Os sons de quatro esqueletos se movimentando ecoava por toda a caverna, ao mesmo tempo em que Touya os encarava com um olhar sério. Eles seguravam as picaretas ao qual Touya dropou dos Mini kobolds, as acertando de novo e de novo em direção aos minérios em volta do rio congelado. Touya havia os ensinando a minerar após intenso esforço.

" Pensando bem.. você não tem durabilidade?. Mas que diabos.

Disse encarando o grande machado em suas mãos. Ele havia o retirado para inspecionar. Porém descobriu que o machado era bem diferente do status que ele imaginava.

- Itens iniciais eu entendo por não ter.. mas você?

Itens iniciais do jogo não teriam durabilidade, e eles sempre apareceriam automaticamente no corpo do jogador caso todos os seus equipamentos equipados estejam quebrados ou dropados. O motivo disso? 

A dream corp não iria gostar de ver os seus jogadores pelados por aí.

Ele tentou equipar o grande machado. Apenas para ver a mensagem.

[ O item está danificado e incompleto. Você não pode equipá-lo ]

-Oh?

Ele rapidamente entendeu o motivo de esse item ser tão diferente. Colocando de volta em sua mochila. Logo chegou a conclusão de que era um item estranho que talvez ele possa ver melhor futuramente, para procurar uma missão.

Ele retirou do seu inventário o mesmo colar, quando lentamente o colocou em seu pescoço. Ele poderia também equipa-la automaticamente apenas clicando no ícone. Porém ele gostava da sensação de colocar um novo item com suas próprias mãos.

[ Parabéns, você desbloqueou o título " O portador de uma lenda " ]

[ Você é portador de um item lendário ]

[ +50 de influência ]

- Oh? 

- Nada mal, um título e influência a essa altura de jogo. Eles disseram que seria incrivelmente difícil conseguir itens lendários e títulos... porém sinto como se eles estivessem chovendo para mim.

Ele encarou o título com um olhar pensativo.

- E eu nem mesmo estou tentando achá-los... nem quero imaginar quando eu decidir ir atrás deles.

Ele não pôde deixar de se orgulhar e estufar o peito. Seu orgulho era algo que poderia encher o céu se possuísse uma forma física.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O Portador de uma lenda.

+5 a todos os atributos.

+5 a todos os atributos quando o item em questão " Lua vermelha " estiver equipado.

Um título dado ao primeiro jogador a conseguir e equipar um item lendário. Dizem que ele cria um vínculo especial com o primeiro item lendário encontrado.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Títulos eram formas de se conseguir status e habilidades especiais, sem precisar ocupar um espaço em seus equipáveis, além disso, você não precisava escolher um título dentre os que você tem, todos estariam funcionando a partir do momento em que você ganhar. Porém para uma forma mais estética, você poderia escolher um deles para se tornar visível abaixo do seu nome. Eles eram incrivelmente raros de se conseguir, e muito poucos conseguiam um, dando a quem conseguia uma vantagem sobre os outros.

Com o tal colar equipado. Ele agora possuía pelo menos um item para uso. Magos era uma classe que se quisesse não precisaria de arma. A magia viria do seu corpo e não do seu cajado. Cajado era apenas uma forma de aumentar o seu poder mágico, ou no caso o seu dano magico.

Claro, seus itens atuais de iniciante como o seu manto e calçados?. Não passavam de lixos usáveis na visão de Touya.

Um estalar de dedos pôde ser ouvido pela caverna.

Touya havia ensinado aos esqueletos que estalar os dedos significado " parar ". Todos os esqueletos pararam no mesmo instante quando encararam o seu mestre.

- Carreguem esses minérios.

Ele tinha um olhar amargo no rosto enquanto encarava o seu inventário. Ele possuía apenas cinco slots para colocar os seus equipamentos, sendo que equipamentos de médio tamanho como a pele de um kobold poderia se acumular no máximo em dez, junto de três picaretas que não poderiam ser colocadas juntas e um machado grande. Touya estava sem espaço.

Com o crescimento do jogador em levels, mais espaço seria adicionado.

Ele calmamente olhou para as grandes pedras de minérios com muitas bordas de pedra, era visível que os esqueletos não possuíam proficiência em mineração.

[ Soldado esqueleto: Proficiência em mineração: 29% ] [ LvL 1 ]

[ Soldado esqueleto: Maestria com espada: 14% ] [ LvL 1 ]

- Eles podem fazer alguns serviços especiais que incluam trabalho braçal como mineração e carregar equipamentos... Nada mal, não acho que eles vão colocar uma inteligência artificial em que um simples soldado esqueleto se torne um cozinheiro ou um alquimista.

Logo ele decidiu voltar a cidade de Okrenel, para relatar a sua missão ao puxador de trenós. Seus passos eram calmos e lentos enquanto seus esqueletos o seguiam pelas costas. Eles carregavam grandes pedras de minérios com muitos pedaços de rochas visíveis, cada um deles carregava perto de quatro ao mesmo tempo. Se alguém olhasse de longe, perceberia apenas pedaços grandes de minérios flutuando.

- Eu espero que aquele NPC sem noção não reclame por eu ter roubado algumas pedrinhas.

...

Seu caminho até a cidade foi tranquilo. Havia um número extremamente baixo de monstros que saiam em meio a nevasca. Touya logo avistou o contorno da cidade de Okrenel. Uma pequena cidade de camponeses da neve, com casa feitas de pele grossas de animal. 

- Eu realmente nunca vou me cansar dessa vista..

Disse encarando a noite eterna cheia de estrelas. Esse era o principal motivo de está terra ser chamado da terra da noite invernal. Era um lugar em que a noite e o inverno nunca terminavam, auroras coloridas nunca desapareciam, e as estrelas nunca morriam. Essa era a terra da noite invernal.

[ Você entrou na cidade de Okrenel, da terra da noite invernal ]

[ Essa é uma área em que o prefeito denominou proibido lutas. Caso não obedeça, punições serão efetuadas ]

Logo Touya chegou em frente a um homem, que calmamente descascava uma estranha fruta. Touya havia descoberto que essa fruta se chamava Airam, e era uma fruta nativa do bosque congelado. Uma terra localizado ao sul, em que Touya já havia pensado em visitar futuramente.

O homem era alto e levemente esguio, possuía uma especie de cartola felpuda e um bigode fino e grande, além de um terno esfarrapado e um grande casaco de pele de animal para lhe proteger do frio. Touya não pode deixar de assimilar o homem com uma especie de vigarista da era antiga.

- Oh? vejo que voltou meu súdito.

Touya deu se de inocente, e ignorou a provocação do puxador de trenós.

- Meu caro senhor, voltei para lhe reportar que acabei com todos os kobolds. Sua caverna está segura agora.

O puxador de trenós o fitou por um tempo. Talvez procurando falhas para explorá-lo. Porém logo ele percebeu que o aventureiro a sua frente, não era alguém comum.

- Muito obrigado aventureiro amaldiçoado. Como combinado, aqui está a sua recompensa.

Os NPCs chamavam todos os jogadores de " aventureiros amaldiçoados ". Isso porque na visão deles, os jogadores não envelheciam e sempre renasciam ao morrer, sem falar das estranhas habilidades de guardar coisas no vazio ou de desaparecem para um lugar distante a certas horas do dia, levando eles a crerem em seres amaldiçoado ou abençoados. Claro, dependendo do ponto de vista de cada NPC.

Touya franziu as sobrancelhas ao ouvir o tom amigável do puxador de trenós. Ele costumava agir arrogantemente, até o próprio esperava palavras rudes vindo do tal puxador de trenós.

[ Você completou a missão " Roubaram a minha caverna! " ]

[ Você recebeu 10 de bronze ]

[ você recebeu 50 de XP ]

Ele encarou a tela pensativamente. dez bronzes era uma mixaria para Touya, e cinquenta de XP, não aumentaria nem mesmo 10% da sua barra de experiencia segundo o que ele observou.

- Tsc... tão mesquinho.

- Você disse algo, jovem aventureiro amaldiçoado?

- Não, nada.. se é tudo, irei me retirar.

- Eu irei partir agora mesmo. Os negócios não podem esperar, se é que me entende Ha Ha Ha.

Logo era possível ser visto o puxador de trenós sumindo no horizonte. Touya nunca havia visto o " puxador de trenós " puxar um trenó, o que deixou ele pensativo.

- Porque sinto que há algo estranho?

Algo interiormente dizia a Touya que talvez esse puxador de trenós não era alguém comum.

- Talvez ele me enganou? 

Ele se virou quando foi em direção a cidade, sem prestar mais atenção ao puxador de trenós sumindo no horizonte.

- Quem se importa? eu ganhei já tudo o que esperava. A recompensa da missão era uma coisa secundária.

Logo uma tela branca e semitransparente apareceu a sua frente, ao qual ele olhou curiosamente. Ela era um bloco de notas feito para os jogadores usarem durante o jogo. Nela algumas palavras estavam sendo listadas.

- Realizei a um, dois, três e quatro.. agora vamos para a cinco.

Essa era a sua lista de planejamentos futuros.

- Um bom jogador solo deve planejar tudo antecipadamente.

Disse em um tom sério.

- Primeiro de tudo. Analise o realismo do jogo.

Ele se lembrou de quando o jogo iniciou. O seu olfato, paladar, audição, visão e audição. Todos estavam preservados e em perfeito estado, deixando ele estasiado pelo jogo. Se ele fosse comentar como era os três jogos antigos, ele apenas diria para tentar imaginar você sem grande parte dos seus cinco sentidos.

- Segundo. Procure o local mais isolado para começar.

Era importante para ele um local isolado, não só porque ele gostava de ficar sozinho, mas para também garantir sempre ser o primeiro a conseguir tudo daquela área. Esse jogo o ajudou bastante com aquele pequeno desafio.

- Terceiro. Teste a IA do jogo.

Se ele pudesse descrever os NPCs do jogo anterior. Ele apenas diria que eram humanos com mentes de robôs. Eles não possuíam personalidade ou qualquer tipo de gostos, apenas viviam para cumprir os seus papéis de auxiliar os jogadores.

Porém nesse jogo era diferente. Pela primeira vez Black sentiu que estava falando com uma pessoa verdadeira ao conversar com vários NPCs. Não só isso, como ele sentiu que realmente estava matando um ser vivo. 

Ele apertou as suas mãos, e logo suspirou.

- Lembrando do medo e da falta de vontade em morrer daqueles kobolds, me faz me sentir mal... 

Mesmo ele tendo matado seres vivos. Eram seres que cedo ou tarde iriam morrer, além de que eram monstros, ou ele mataria eles ou eles o matariam.

- Sem falar de que ainda sim não passam de dados.

Ele logo retornou a sua atenção a lista.

- Quarto. Teste o sistema de missões.

O sistema de missões pelo o que Touya viu, era bastante avançado. Você não deveria esperar um NPC lhe dando uma missão, você deveria ir atrás. Ele também havia lido que os organizadores disseram sobre três tipos de missões. As comuns, onde sempre reiniciavam quando um jogador novo apareceria. As únicas, ao qual só poderiam ser feitas uma vez antes de nunca mais aparecer, e as principais, onde a linha principal da historia será contada, normalmente seria um grande evento se alguém completasse uma missão principal, e assim como as únicas, elas só poderão ser feita uma única vez. Dependendo do que você também fizer enquanto você joga, também poderá influenciar no mundo. Esse era um jogo em que não existia um lugar seguro, o que faria um lugar seguro era as regras de quem dominava o local.

- E quinto o de agora.. tenha uma fonte sustentável de equipamentos.

Para um jogador que não gostava de depender dos outros como Touya, era extremamente necessário saber mexer com as classes de produção do jogo. Ele sabia o quão realista o jogo era, e que no futuro armas e itens usáveis por eles seriam extremamente difíceis de serem dropadas. Os materiais irão dominar tudo, e ferreiros e classes de produção serão extremamente requisitados, isso era o que ele previa para o futuro. Por isso ele não queria depender dos outros.. ele queria apenas depender de si mesmo.

- Ferreiro e alfaiateiro.

Ele havia passeado por toda a pequena cidade, e mapeado a mesma em sua cabeça. Ao todo ele descobriu cerca de cinquenta e seis casas comuns, dezoito casas um pouco mais luxuosas, uma casa do prefeito, um quartel de soldados, uma estalagem, um ferreiro, um alfaiate, e uma pequena fazenda de animais estranhos.

Ele já havia visitado a estalagem para usar o seu recurso de depósito, assim podendo guardar os minérios ao qual ele achou. Os esqueletos estavam escondidos em pedras do lado de fora da cidade para não assustar os moradores, afinal ver esqueletos andando pela cidade não era comum.

- Eu não tenho muita ideia de como funciona as profissões.. droga, eu deveria ter lido mais daquele gigante manual do jogo.

Ele pensou um pouco, quando seus olhos brilharam ao se lembrar de algo.

- O fórum.

O fórum era onde jogadores comentavam e se noticiavam para outros, além de também poderem contatar os administradores. 

Uma tela apareceu a sua frente, quando o tópico dos " Mais recentes " apareceu na sua frente.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Tópico: [ Adeus ;'( ]

Assunto: :'(

~Gary ( 1 )

Comentários:

I am batman: Vai tarde seu pedaço de merda.

Eu odeio guaxinins: Alguém vai sentir falta dele? Rs.

[ List Of Dreams(87) ] Archon: Cara, você vai tarde sinceramente...

Fok: Caralho, Archon, eu sou seu fâ ;''''') Reesponde meu comentaaario.

Carregar mais...

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Touya possuía um sorriso torto no rosto ao ler isso. O que diabos era isso? era isso que havia no fórum?

- Parece mais um bate papo.

Ele verificou novamente e não pôde deixar de xingar internamente.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Tópico: [ Acho que engravidei uma garota ]

Assunto: Bom, tudo começou quando eu conheci ela e então... Ler mais...

Tópico: [ Será que dá para urinar e defecar no jogo? ]

Tópico: [ MINHA NAMORADA TA ME TRAINDO NO JOGO ]

Tópico: [ EU MATEI UM DRAGÃO ]

Tópico: [ EU ACHO QUE A PRINCESA DE ARTERIM ESTÁ AFIM DE MIM ]

Assunto: EU ESTAVA CAMINHANDO POR ARTERIM E COMO UM BOM ELFO DECIDI SABE NÉ PRESTAR MEUS RESPEITOS A PRINCESA ELFA SAARIM MAS ELA SE JOGOU EM MIM AQUELA SAFADA E DISSE QUE ME QUERIA AI AI.. Ler mais...

~Gary (7)

Comentários: 

Crost: USA VÍRGULA FILHO DA PUTA.

Dondo12: Como você ousa falar assim da nossa deusa? VAMOS CAÇAR ELE ATÉ ELE FICAR NO LVL 1.

Carrankox98: NAMORAL, VAMOS CAÇAR ESSE FILHO DA PUTA. O CARA ACHA QUE É QUEM PARA FALAR ASSIM DA DOCE PRINCESA SAARIM?

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Touya possuía um olhar vazio em seu rosto. Ele havia visto a mesma pessoa com vários comentários Tóxicos. Todos eram do mesmo úsuario: Gary. 

Ele também percebeu que a cada tópico, o seu level era menor, simbolizando que ele estava morrendo, ou melhor dizendo. Ele estava sendo caçado.

- Viva com as consequências. Tsc.

Ele não pôde deixar de rir ao ver o seu comentário de " Adeus " como o mais recente.

Ele logo reparou que havia uma espécie de filtro ao lado da aba recentes. Ele possuía vontade de se auto xingar no mesmo instante. porém seu orgulho não deixaria isso acontecer.

- Aqui está, manuais do jogo.

Ele leu atentamente cada parte do que dizia o manual feito pelos administradores do jogo. Nele era explicado como funcionava as classes de profissões, claramente era apenas o básico. Porém era mais que o necessário para Touya.

Ele sempre foi alguém especial de várias maneiras, mas havia uma coisa ao qual ele não sabia que poderia fazer, que era aprender qualquer coisa, com o minimo de explicação e conhecimento. Para ele, até mesmo uma simples explicação da internet sobre artes marciais, pode fazer ele lutar o profissionalmente em uma semana. Só era uma pena que para lutar de verdade, era necessário experiencia em lutas, uma coisa ao qual Touya não tinha.

Ele logo passou a caminhar pela terra nevada de Okrenel, em meio a noite eterna. Chegando a ferraria, o seu primeiro ponto de destino, avistou um homem musculoso e barbudo martelando ferozmente uma espada incandescente. Ele usava a típica roupa de ferreiro, mesmo perto do forno Touya ainda sentia o intenso frio, e não podia deixar de perguntar como diabos aquele homem estava suando.

Ele encarou o homem por alguns instantes. 

" Homem barbudos com um rosto carrancudo e fechado, e ainda mais ferreiro... claramente além de mal humorado, ele deve ser incrivelmente orgulhoso pelo o que ele faz. "

Ele estava tentando arrumar uma forma de se aproximar do ferreiro, e assim conseguir um pouco do ensinamento da ferraria, e claro, um local para ele treinar.

" Orgulho.. essa é a fraqueza deles. "

Ele lentamente se aproximou de uma das espadas escoradas numa bancada. O homem continuava incessantemente martelando.

- Uma bela espada.

Disse Touya em um baixo tom.

" É necessário alimentar o orgulho do ferreiro primeiro. "

O ferreiro o encarou por alguns instantes, demonstrando sua boa audição, e logo aprovando o que Touya dissera. Porém continuou martelando, talvez esperando um pedido de compra.

Touya olhou por alguns instantes a lâmina, ele poderia ver várias falhas na mesma mesmo não sendo um ferreiro, o motivo era que ele havia analisado alguns conceitos de ferraria na internet. Porém ele se sentia inseguro em apontar eles, ele não era especializado na área,  ou muito menos possuía experiencia. Nos outros jogos tudo era extremamente monótomo e simplificado ao extremo. Ele não sabia o assunto, então apenas estudou superficialmente, assim ele não poderia explicar ao ferreiro o motivo da falha. Ele estava começando a ficar nervoso, quando de repente seus olhos brilharam.

" Ele deve ser no máximo um ferreiro com três de proficiência em ferraria. "

Ele havia percebido que uma parte da espada estava cega, demonstrando que talvez o ferreiro não tenha usado muita força na hora da compactação ou talvez..

- Ele não controlou direito a temperatura.

Ele sorriu brilhantemente antes de dizer.

- Oh? mas parece que há uma pequena imperfeição.

Suas palavras rapidamente chamaram a atenção do homem barbudo, que o fitou no mesmo instante. Era um insulto um cliente dizer que havia uma imperfeição no seu trabalho. Porém ele não queria arriscar em expulsar o cliente, para outro um dia chegar e dizer da mesma imperfeição.

Ele cruzou os braços em volta do peito quando disse arrogantemente.

- Qual seria essa falha? eu Crane da terra da noite invernal, sou um ferreiro a dez anos, e nunca cometi falhas. Mostre-me esse erro meu.

" Bingo. "

Ele comemorou internamente. Na verdade, Touya sabia que existia chances do ferreiro o jogar para fora do estabelecimento, assim tudo o que ele poderia fazer em seguida era aceitar.

Ele levantou a espada na altura do peito. O seu manto negro cobria boa parte do seu corpo, só deixando de fora os seus pés, mãos e cabeça. O ferreiro logo o associou a um viajante, ou talvez aventureiro amaldiçoado.

Logo Touya fez algo que chocou o ferreiro. Touya simplesmente passou a lâmina com força em seu braço esquerdo, para o desespero do homem a sua frente.

Porém antes mesmo do homem começar a gritar que um louco estava em seu estabelecimento, seus olhos se arregalaram ao ver que o braço do jovem estava intacto.

Touya fez questão de passa a parte da lâmina cega em seu braço, ao mesmo tempo em que mexia o punho rapidamente para dar a impressão de que ele passou toda a lâmina em seu braço. Somente alguém hábil com a espada poderia fazer isso que Touya fez agora, não era a toa que muitos além de mago de combate próximo, o chamavam de espadachim mágico.

O resultado foi que ele não havia levado um único dano.

Descrente, o homem barbudo olhava incrédulo para o jovem a sua frente, ele jurava que viu a espada cortar o braço de Touya.

- Eu sou um grande ferreiro er uh, da capital da terra da noite invernal, que está a passear por négocios. Gostaria de uma sala para ferraria, você poderia conseguir uma para mim?

Touya aproveitando a situação, agiu o mais sério e nobre possível. O segredo dessas situações para ele, era manter o ar nobre e arrogante por mais tempo possível.

O homem o olhou descrente. Porém logo seu olhar se tornou de tremendo respeito. Ele não conhecia os ferreiros da capital, mas sabia que para um deles, ver um erro em que sua lâmina estava cega ao ponto de não cortar o braço do jovem, só poderia significar ser um grande ferreiro.

- Um ferreiro da capital da Lua nova?. Oh céus, me desculpe, por favor senhor me siga.

Respeitosamente o homem guiou Touya através dos quartos. Touya furtivamente pegou um livro ao qual estava em cima do balcão. O livro era velho e antigo, demonstrando que essa era não possuía tanta tecnologia. Touya verificou o título do próprio.

" Ferraria "

Era um livro arcaico com algumas dicas e ensinamentos sobre ferraria ao qual talvez seja da família do homem barbudo.

Logo o homem levou Touya a um quarto separado e pequeno, onde uma bigorna, um forno, e mesas com vários materiais e minérios estavam separados.

- Senhor, eu normalmente uso esse local para aprimorar minhas técnicas e testar novas ideias. Porém, seria uma honra você usar esse local, não se importe com nada, apenas use.

Disse o homem com extremo respeito. Touya assentiu satisfeito com o tratamento Vip.

Touya logo entrou calmamente no quarto. Porém antes de fechar a porta, virou o seu rosto de lado e calmamente disse ao homem, ainda parado com extremo respeito na porta.

- Tente controlar melhor a temperatura. Ah e vê se coloque mais força nisso, você é homem não é?

A porta se fechou, quando o homem estático olhava para o vazio, gravando em sua mente tudo o que acabara de dizer. Ele voltou ao seu local de trabalho, pronto para gravar as dicas do jovem em seu caderno, apenas para descobrir que o mesmo sumiu.

- Droga, talvez aqueles moleques vieram aqui novamente? EU, CRANE DA TERRA DA NOITE INVERNAL, NÃO PERMITIREI QUE PEGUEM O TESOURO DA FAMÍLIA. 

Crane, decidido saiu de sua pequena ferraria em busca do seu pequeno livro, que mal sabia que estava nas mãos de Touya.

...

Touya lia com curiosidade o livro. Para muitos ferraria era extremamente chato e desgastante. porém Touya sabia que somente melhorando as suas habilidades em ferraria ele poderia uma forma perfeita de arma ao qual ele queria.

- Uma arma que simbolize morte e trevas... que ao mesmo tempo seja de curta distância.

- Somente há uma arma assim.

- A foice.

A foice era muito comumente associada a fazendeiros, que a usavam para colher as terras. Porém, uma pessoa mudou isso, ela foi o Rei da noite. Ele era alguém que com uma simples foice trazia o caos no campo de batalha, se as suas invocações eram consideradas um pesadelo, ele próprio era considerado a morte encarnada.

- A lamina por enquanto seria de metal, enquanto o cabo, eu poderia usar esse ferro negro ao qual ele gentilmente deixou. 

Touya se perguntava agora se antigamente existia ferro negro. Na sua época atual de 2089, muitos novos minérios foram achados, assim como muitos desapareceram com o tempo.

- Mas.. você não poderia tentar escrever melhor?

Murmurou levemente irritado enquanto observava o livro do ferreiro barbudo. Havia várias letras diferentes, indicando que foi um livro escrito por várias pessoas diferentes. Porém a ultima caligrafia, era extremamente feia, e o portador atual do livro era ninguém menos do que o ferreiro barbudo Crane.

- Não importa, já consegui o que queria do livro.. Acho que já posso tentar.

Ele calmamente deixou o livro de lado. Ele não planejava usar os minérios que encontrou na caverna, ele não realmente sabia manusear eles, ele apenas sabia sobre ferro e alguns dos seus variados como o ferro negro.

- Ferro

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

[ Ferro ] [ Material de produção ]

Descrição: Ferro comum encontrado em minas espalhas por todo mundo. É o minério mais básico e conhecido de todos os mineiros.

Qualidade: 78/100

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

[ Ferro Negro ] [ Material de produção ]

Descrição: Ferro exposto ao poderoso frio da terra da noite invernal. Após muito tempo ganha o tom enegrecido e se torna mais maleável e elástico.

Qualidade: 50/100

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

- A qualidade não é lá tão alta... Bom é o que eu tenho, pelo menos posso fazer um cabo mais elástico, eu ainda tenho que aprender a manusear uma foice.

Logo, ele pegou os dois ferros quando começou a derrete-los no forno.

- 700° graus é a temperatura certa.

Algum tempo passou, enquanto ele observava ainda incessantemente o ferro derreter. Porém ele se assustou ao ver que o mesmo ao invés de ficar incandescente, se tornou praticamente liquido.

- Eh.. tá brincando né?

Xingou enquanto observava ferro ser desperdiçado. Ele agradeceu por o homem barbudo não estar aqui, ou ele poderia ter sério problemas em explicar tudo isso.

- No final, o realismo nas classes de produção é uma coisa boa e ao mesmo tempo ruim.. Tsc.

Ele tinha um olhar vazio. Saber um pouco do teórico era diferente de saber o prático, ele experimentou isso agora... e continuaria experimentando.

- Merda..

- Não, droga não é assim.

- Maldito forno, PORQUE VOCÊ AQUECE TANTO?

- NÃOO, PORRA

- AAAAH

Touya estava com os olhos vermelhos. Já havia se passados várias horas desde que ele começou, e até agora ele já havia falhado várias vezes. O sistema já havia o notificado que ele deveria deslogar em até trinta minutos.

Porém...

- Eu... consegui...

Disse olhando para o que seria um projeto de foice, ele finalmente havia acertado a temperatura certa.

- Cerca de 700°, isso... droga, demorou tanto.

Ele se culpava por dizer ao homem barbudo " controle melhor a sua temperatura ". Como ele poderia dizer isso se nem mesmo ele sabe fazer?

- MARTELE.

Seus olhos já estavam vermelhos, seu corpo suava com o calor intenso da sala. Ele sentia as vezes leves tonturas. porém ele não iria cair tão fácil. 

- Eu só preciso aprender uma vez.

O som de marteladas ecoava pela sala. Quando finalmente ele achou bom, ele decidiu jogar novamente no forno. Retirando depois para martelar novamente, e assim novamente colocar no forno. Ele seguiu com isso até a lamina da foice pegar forma. Durante o processo ele não descansou, ele quase nem mesmo pensava em algo, ele apenas imaginava a lâmina conseguindo forma. Era um estado ao qual ele não havia percebido, mas que sempre acontecia quando ele se esforçava para algo, o que raramente acontecia.

O som de marteladas acabou, quando ele encarou o objeto em sua mão

- E-Eu terminei?

Ele olhou para a lâmina recém feita em suas mãos, ele sentia levemente o calor que ela emanava a algum tempo, mas não era nada para prejudicá-lo. Ela não era perfeita, possuía algumas imperfeições. porém já poderia ser digno de um bom trabalho.

- Eu consegui.. Heh.. Eu...Consegui.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

[ Lâmina de foice ] [ Material de produção ]

Descrição: Uma lâmina de foice feita por um ferreiro inexperiente. Porém com grande talento. Use-a com um cabo de foice para criar uma arma.

Qualidade: 51/100

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Murmurou ainda sem acreditar. Olhando para a sua primeira tentativa jogada ao chão, e para a agora em suas mãos ao qual ele teve sucesso, ele não pôde deixar de rir. Não, Ele não pôde deixar de rir loucamente.

- HA HA HA HA HA HA.

- EU CONSEGUI.

Seus gritos ecoavam por toda a ferraria. As poucas pessoas que passavam próximas de mais, se afastavam com medo se perguntando o que diabos estava acontecendo nesse local.

- EU CONSEGUI HA HA HA HA HA.

O ferreiro barbudo Crane, ao ouvir os sinistros risos, sentiu um frio em sua espinha. Era como se um necromante maligno acabasse de criar uma poderosa criatura que iria assombrar o mundo. Ele não pôde deixar de murmurar.

- As pessoas da cidade da Lua nova são realmente assustadoras.

Finalmente a hora para os jogadores deslogarem havia chegado.

Touya lentamente desapareceu em partículas de luz enquanto ria de uma forma sinistra. Sua mais nova criação havia ido para sua mochila.

Ele realmente se sentia satisfeito com tudo isso... mesmo tendo apenas feito o mais básico de um ferreiro, com o minério mais básico.

Porém ele sabia que ainda deveria aprender a mexer com ferro negro e poder fazer o cabo da foice

O que ele não sabia, e que qualquer ferreiro que começou o jogo, demorou no mínimo três dias para aprender a fazer a sua primeira lamina comum. Porém Touya, não só fez em algumas horas, como também criou uma lamina de foice em sua primeira tentativa.

E foi assim que o seu primeiro dia de jogo em The seven Kings... Terminou.


Notas Finais


Sugestões... tô aí ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...