1. Spirit Fanfics >
  2. The Kingdom >
  3. Capítulo 25- Medo

História The Kingdom - Capítulo 26


Escrita por:


Capítulo 26 - Capítulo 25- Medo


Fanfic / Fanfiction The Kingdom - Capítulo 26 - Capítulo 25- Medo


Estar perto de Minseok e Baekhyun faz me sentir menos solitário principalmente com essa possível guerra eminente, JongIn passa bastante tempo no forte treinando os soldados e quando vem ao castelo fica no escritório do rei revisando estratégias, ele tira um tempo para mim mas nosso relacionamento não é certo, eu sou um ômega que mora aqui no castelo como noivo do segundo príncipe mas não tem uma data onde nossa união será firmada. Ele pode desistir de mim a qualquer momento…

"Se pensar mais e capaz de sair fumaça das suas orelhas!"- olho para Minseok que está de braços cruzados na entrada da biblioteca.

"Não acho isso biologicamente possível...!"

"O que foi Soo-soo, você está meio estranho… quero dizer diferente da época da seleção, você era confiante, sabe?! E agora e só deixarmos você sozinho por um minuto que sua energia se vai."- ele senta comigo no divã e tenta olhar nos meus olhos mas eu desvio.

"Você sabe o motivo de você e o Baek estarem aqui?"- ele acena com a cabeça.

"Sehun disse que era para te fazer companhia já que todos aqui estão ocupados com suas próprias coisas."

"É… JongIn ele passa muito tempo no forte treinando o exército e eu entendo isso. Jimin e Yoongi tem um reino para governar e agora que o Yoon está grávido parece que a possessividade dos dois lúpus piorou! Sehun pode estar no castelo mas não para nem na hora de dar ordens a alguém… Não posso voltar para casa porque minha família não acha certo o meu relacionamento com o príncipe…"

"E…."- ele segura a minha mão me dando confiança para falar o resto.

"E eu não acho que eu seja bom o suficiente para o Nini."- falo baixinho mas sei que o ômega ao meu lado escutou o que eu disse pois logo sou esmagado por dois braços.

"Ele te ama Soo-soo! Eu não tô falando isso só por falar ok?! Eu vejo como ele te olha, quando ele te abraça e fecha os olhos colocando o nariz no meio dos seus cabelos parecendo pedir para você nunca sair dali. Teve um dia que você ainda estava dormindo e o Baek tinha ido atrás do Sehun para poder visitar a família, o príncipe JongIn veio ao nosso quarto mas quando o viu dormindo ele se sentou ao seu lado e começou a fazer carinho nos seus cabelos e falou comigo para cuidar de você já que ele no momento não poderia ficar sempre perto.- tirei minha cabeça do pescoço do Seok e olhei em seus olhos.- Ele não precisava nem pedir já que eu estava, estou e estarei cuidando de você  até que ele ou você me expulse daqui."

"Obrigado Seok!"- eu o abraço apertado.

"Sei que a situação que está não é fácil mas eu estarei aqui ok?! O Baek provavelmente estará correndo atrás do Sehun mas eu estarei aqui do seu lado sempre que você tiver esses pensamentos idiotas."- concordo com a cabeça e acabo ficando ali nos braços quentinhos do ômega Kim.

~•~•~

A cada dia que passava os sentimentos dentro si iam crescendo, tinha vergonha e medo de admitir em voz alta. Desejar alguém que já não deveria ser seu é inaceitável. As vezes em seus sonhos mais bizarros acreditava poder ter uma relação como as dos governantes de seu reino, via o quanto o pequeno sofria longe do alfa e só queria o abraçar e o confortar mas sabia que era errado o ter nas mãos com aqueles pensamentos.
Gostava quando era procurado, quando o pequeno exigia seus abraços e podia sentir o aroma em suas roupas o resto do dia. Seu coração se quebrava ao vê-lo próximo de outras pessoas mas continua por perto mesmo que os cacos dentro de si fizessem ferimentos que demorariam a se fechar.
Aquele segredo ficaria guardado a sete chaves dentro de si mesmo, não existia espaço naquela relação para ele e por isso se contentaria em ser um bom amigo.

~•~•~


Os três governantes se encontravam no escritório do rei, enquanto Jungkook e Jimin leiam alguns papéis das questões discutidas na reunião algumas horas atrás Yoongi acariciava a barriga enquanto olhava de um para o outro.

"Já foram dois reinos derrubados mas não sabemos para onde ele seguirá."- Jimin fala jogando os papéis que lia em cima da mesa.

"Ele começou com um reino ao qual era aliado e agora foi para um reino que o negou primeiro as suas exigências… E tem três reinos a sua frente para iniciar uma guerra. Nosso reino ainda está longe dele mas está se movendo muito rápido para não nos preocupamos. A cada dia chega mais cartas pedindo nosso auxílio mas não podemos mandar soldados para cada reino que nos aliamos se não ficaremos desprotegidos."- Jun fala tentando se manter calmo.

"O reino Ortiz teve uma boa ideia por que não a apoiamos? Se cada um dos reinos que estão mais longe se prontificaram a proteger um reino mais perto teremos soldados para lutar dentro do nosso reino e ainda ajudariamos nossos aliados sem que achem que os estamos traindo ou os deixando de lado."- Os dois lúpus olham para o dócil que acaba de colocar outra barrinha de limão na boca.

"E a melhor ideia já apresentada Jun, poderíamos proteger o reino Dallas, ele é o nosso maior aliado e parece que Jackson subirá ao trono em alguns dias e o tempo de chegarmos lá."- Jimin diz lendo a carta que foi enviada do rei o de Dallas.

Jungkook olha para seus ômegas vendo Jimin fazendo anotações que precisam passar aos outros reinos e Yoongi se deliciando com as barrinhas de limão enquanto acaricia a barriga de quase três meses já um pouco grandinha para aquele tempo de gestação.

"Meus pais estão apostando para saber se é menino ou menina... Namjoon acha que é uma menina junto com meu Dada Jin, já meu Appa Hobi diz ser um menino."- Jun diz se acertando na cadeira.

"Minha mãe diz que é uma menina."- Jimin olha para a barriga do dócil e acaricia ela um pouco.

"Eu penso que é um menino! Mas se for menina será muito bem recebida, só espero que venha com saúde não importa o sexo…"- o dócil coloca suas mãos em cima da do outro ômega e ele sorriem entre si.

Jungkook olhou aquela cena com amor nos olhos se sentindo honrado em poder ver uma cena daquelas e ali tomou sua decisão. Escreveu uma carta para todos os seus aliados indicando que ajudaria o reino Dallas enquanto Ortiz ajudava outro reino.

Ao alvorecer do segundo dia Jungkook, JongIn e uma infantaria de soldados se deslocaram rumo ao reino de Dallas. 
Enquanto seu marido seguia rumo a guerra os dois ômegas colocaram feições sérias e foram fazer como combinado com seu marido antes da partida.

Não eram mais dois ômegas que entraram naquele castelo tentando uma chance com o futuro rei sabiam disso, eram rainhas agora e estavam ao lado do seu rei a todo o momento mesmo que tivesse que escutar as palavras que mais temiam com um rosto estoico.
Pouco tempo para mudar, pouco tempo para aprender a ser quem só haviam sonhado em ser quando eram crianças com esperanças bobas mas aquilo era real, um filho há caminho e uma guerra acontecendo.


Flashback on
"Estamos em guerra. Mas só as pessoas dessa sala devem saber disso."

Foram as palavras de Jungkook para os três a sua frente. Sabia que deveria dizer ao seu pai Namjoon o que estava acontecendo no momento , na verdade já tinha em mente que ele desconfiava que estava rolando alguma coisa, mas contar para ele seria o mesmo que contar para seus pais ômegas e não poderia fazer isso, não podia fazer seu povo entrar em pânico nesse momento.

"Todos os portões do reino estão fechados. Em dois dias eu, JongIn e Taehyung estamos partindo para um dos reinos aliado aos nossos. Sehun, você ficará e tomará conta de algumas coisas por aqui, se você for junto começaram a achar estranho demais. Taehyung cuidará das coisas de dentro do castelo de Dallas sendo a ponte entre os reinos. Estão liberados, vocês tem dois dias para se despedirem."

Todos os três se curvaram e saíram restando somente os governantes no escritório real de Jungkook.

"Vocês dois estarão cuidando de tudo de novo... Peço desculpas por isso."- já estava cansado de ficar longe de seus ômegas deixando toda a responsabilidade do reino nas mãos deles, principalmente agora que iria para uma guerra e não sabia quando iria voltar. Por Deus um de seus ômegas estava grávido e ainda tinha que sair de perto deles para ensinar uma lição a um homem mimado que só pensava em si mesmo.

"Nós vamos ficar bem Jun...ei olha para mim nada vai acontecer com a gente ok?!"- Jimin tentava soar convincente o suficiente para acalmar o alfa, o estresse já estava grande e se eles também não acalmasem seus nervos quem sofreria seria seu dócil e não deixaria isso acontecer.

"Jimin está certo! Ficaremos bem, agora vê se dá uma surra naquele reizinho de merda por que, Kim Park Min Jungkook se voltar para essa porra de castelo sem aquele projeto nojento de alfa babaca de merda ter apanhado muito na sua mão quem apanha é você!"- os dois lúpus ficaram espantados com os xingamentos, seu dócil vinha passando por umas mudanças de humor que de dócil nele era só sua classificação, a mão pesada que ele tinha ficava marcada nos braços e costas dos lúpus para contar história por dias.

"Vai dar conta dele?"

"E só pedir para Jin fazer aqueles doces de limão que ele gosta e eu sobrevivo."- Jimin piscou para o alfa que trouxe os dois ômegas para seu colo querendo guardar na memória o cheiro dos dois.

"Me prometam que vão ficar seguros."

"Nós vamos ficar bem Jun!"

"Por favor não demore para voltar... Quero que esteja aqui quando chegar hora do parto."- o dócil falou em um sussurro e o outro ômega pedia em silêncio a mesma coisa.

"Eu vou tentar meus amores. Prometo que vou tentar acabar com isso o mais rápido possível!"
Flashback off


Dizer que estava com medo seria negar o óbvio, mas não estava com medo por si e sim pelos que dependiam de si.
Quando recebeu o pedido de ajuda de um de seus aliados não pode deixar de responder dizendo que estava a caminho. Com um exército pronto, Jungkook, seu irmão e seu braço direito saíram em direção a um dos reinos que poderia ser o próximo alvo daquele rei louco. O reino de Dallas um de seus maiores aliados a frente do reino aonde deveria estar o rei se fazia presente Jackson, o rei Kim ficou sabendo que o rei que estava acamado não havia aguentado e não estava mais entre os vivos. Em algumas horas Wang iria ser promovido a rei só faltava a assinatura de alguns membros, seria uma cerimônia pequena e ele poderia encontrar um companheiro depois que dessem um jeito nesse problema e rezava que não ocorresse com seu reino o que havia ocorrido no reino de Dandelion.

Dandelion havia sido invadida a alguns dias atrás no início da madrugada os líderes não tiveram nem tempo de se preparar. Foi de longe o reino mais destruído. Estavam sim a espera de um ataque mas não esperavam que seria tão cedo, todo o território foi destruído, casas queimadas, alfas, betas e ômegas queimados, esquartejados, esfaqueados e dilacerados  faziam contraste com a beleza que as ruas, casas e jardins tinham antes da chacina, por onde olhavam havia vermelho. As poucas pessoas que conseguiram escapar ou se esconder no reino foram pedir auxílio em outros reinos mais longes. A única pessoa da família real que sobrou foi uma nobre ômega e o filho mais novo, que foi acolhido por um reino que ninguém teve acesso ao nome, do antigo rei esse que teve seu corpo exibido em praça pública com a cabeça separada do corpo deixando claro quem detinha o poder ali.

A coroa do reino de Dandelion estava em posse de Lee Seunghyun que levava todas as coroas em sua mão a cada final de batalha e as colocava juntas em cima no mastro de sua bandeira como sinônimo de suas conquistas e grandeza. Dizia que quando conquistasse todos os onze reinos faria uma coroa só com todas elas. Seria o Rei mais soberano do mundo.


Seria o Deus na terra.


Todos estava assustados. Sabiam que o governante de Tandria tinha sido consumido pela sede de poder a muito tempo mas ainda tinham a mínima esperança de vê-lo mudar.

Quando nasceu foi considerado um milagre, seus pais demoraram para engravidar.

Quando era criança era adorado e mimado por todos, era o único herdeiro. Foi lhe prometido o mundo, que tudo o que quisesse teria ao seus pés.

Quando adolescente percebeu que não era assim tão fácil ter as coisas apesar de ser da família real não tinham tantas riquezas quanto outros reinos e isso o perturbava. Seu reino era forte mas pobre em relação aos outros.

Forte por ter um bom exército, alfas e betas eram recrutados aos quatorze anos para manterem esse status. Pobres por tirar tudo do povo sem ligar para quem morria ou vivia naquelas terras.

Pensar que aquele garotinho que todos queriam agradar viraria um grande rei para salvar o povo condenado a morte foi a perdição daquele reino. O garoto se transformou em um mostro pior que o pai e quando pensaram em não colocar o herdeiro no poder e sim seu primo que parecia muito mais maduro e preparado para aquele cargo, o rei já se encontrava morto e seu filho no trono com a coroa na cabeça.

Sua primeira ordem foi a de matar todos no conselho, ele não precisava daquele monte de velhos, e todos aqueles alfas e betas que não fossem para o exército deveriam ser mortos também. Sua alteza pensou que estava fazendo o certo, sendo o rei que todos deveriam ser, ele era o Único qualificado a estar em um trono.

Ajudar o povo?  Governar para o povo? Que piada. Ele é o rei mas queria ser um Deus.

Pobres os mortais que se encontravam de frente para o monstro mais doido que a rainha de copas, louco para cortar cabeças e ver o sangue jorar como uma fonte.

Ômegas para si eram a escória serviam somente para procriação e só os mais férteis deveriam sobreviver. Alfas e betas tinham o direito de ficarem vivo isso se fossem úteis para o exército.
Ah, seu exército cego com a lealdade falsa para com o rei louco que se elevava para com aqueles que deveriam estar querendo a sua cabeça por matar suas famílias mas se curvavam e viravam o rosto para todo o sangue que escorria por suas espadas pesadas de culpa e remorso.
Foram ensinados a vida toda que reis não são dóceis, são cruéis e sem escrúpulos, aqueles que presenciaram reis bons já estavam enterrados a sete palmos de baixo da terra e não tinham como espalhar suas palavras sobre reis justos e diligentes.

Seu primeiro alvo foi o reino cujo o rei amigo de seu avô quando ainda eram aliados e a pobreza não existia, fora o primeiro a lhe virar as costas e seria o primeiro a morrer.

Ruínas por todos os cantos, servos orando por suas vidas, mas o que lhe importava era aquele que estava a sua frente com a coroa na cabeça, espada em mãos e corpo tingido de um vermelho intenso. Mataria aquele homem e mataria todos que tivessem a droga de uma coroa na cabeça.

O chamavam de louco. Louco para ele era aquele que ousava levantar a cabeça diante sua presença.

Só ele deveria ser Rei.

Só ele deveria ser Soberano.

Só ele era um Deus.

Só ele deveria ter poder os outros deveriam ser subjugados.

Ele seria o dono do mundo nem que para isso tivesse que matar a todos.

~•~•~

Semanas que Jungkook havia partido e ninguém do reino desconfiava que fora dos muros acontecia uma guerra e que muito menos desconfiava que dentro do castelo uma de suas rainhas estava grávido. Os pais ômegas do alfa achavam que o filho havia ido a uma reunião importante com os aliados do reino e levou seu irmão mais novo para que ele desse uma demonstração da força do exército real, e o antigo rei se fazia de cego, surdo e mudo para a guerra fora dos muros, seu filho e genros saberiam lidar com tudo não havia o porque se meter ali. As rainhas mantinham tudo na surdina, toda carta que chegava e saia era passado pelas mãos dos dois ômegas, poucas pessoas do conselho sabiam sobre a atual situação que se encontravam e não abriam o bico para falar sobre isso. Os servos do castelo agiam como se não vissem a barriga de gestante da sua rainha e apenas os antigos líderes falavam sobre isso.

"Jiminie..."

"Sim Yoonie, o que você quer dessa vez?"

"Falando assim até parece que eu peço muita coisa!"- o dócil sentou no meio da cama com um bico no rosto olhando seriamente para o lúpus que estava sentado na escrivaninha do quarto.

"Amor, a cada três horas você pede alguma coisa..."- Jimin se arrependeu de ter falado aquelas palavras logo depois de tê-las pronunciado mas era tarde demais para isso pois as lágrimas já tinham começado a escorrer pelas bochechas levemente rosados do dócil.

"E que culpa eu tenho disso! Quando ele pede comida eu tenho que comer porque se não fica chutando! E essa droga dói pra caralho! Meus pés estão me matando só porque eu fico algumas horas em pé! E as dores nas costas! Você sabe o quanto pesa essa barriga Kim Park Min???! Eu não imaginei que ficaria grávido na primeira vez que você e o Jungkook enfiasse suas varinhas mágicas enormes em mim mas olha só eu tô uma bola! Nem uma roda eu estou! Eu sou uma bola daquelas bem grandes que não consegue ver nem os próprios pés quando olha para baixo! Eu não consigo nem ver o meu negócinho porque tem uma barriga aqui! Eu não tenho culpa de todo mundo falar o quanto a maternidade era maravilhosa, a melhor coisa na vida de um ômega é poder dar filhotes ao seu companheiro e eu sonhar com isso quando na verdade ninguém avisa que  é um grande e gigantisimo cocô! Você vai mudar de humor a porra do tempo todo, que vai comer feito um javali, que vai sentir vontade de enfiar alguma coisa no buraquinho porque sente calor ali embaixo o tempo todo! Ninguém disse que eu me acharia feio pelo menos umas quinze vezes por dia! Q-que eu me s-sentiria tão c-carente q-que...- quando as lágrimas começaram a cair aos montes o lúpus já estava o apertando em um abraço, ele realmente não sabia como era estar grávido mas sabia que estava sendo vinte vezes pior para seu dócil pela falta do seu alfa marcado do lado.

Ômegas grávidos tendem a necessitar de seus parceiros por perto para se sentirem seguros e aquecidos. Para dócieis era muito pior já que são bem mais sensíveis e Yoongi precisava dos seus dois lúpus juntos. A raiva dentro do dócil o fazia querer ir pessoalmente dar uma lição no alfa que inventou de começar uma guerra logo quando esta grávido, para ele o Lee deveria ter tomado umas palmadas na infância, tinha certeza que uns minutinhos no canto do quarto ajoelhado faria milagres. Jimin já tinha o arrastado para o quarto várias vezes quando o dócil resolvia levantar de madrugada e sair para acabar com aquilo do jeito dele.

O ômega lúpus estava cansado. Apesar de sua natureza e sua personalidade ser mais independente ele era um ômega marcado e querendo ou não precisava do seu alfa. Tentava parecer forte para todos o tempo que estivesse fora do quarto mas quando o dócil não tinha crises era ele que tinha. Um confortava o outro naquele momento e ficava pior quando pensava que seu alfa podia não voltar a tempo do nascimento ou poderia nem mesmo voltar. Isso era desesperador.
Um ômega marcado sem seu companheiro do lado lhe dando forças podia levar o bebê ou até mesmo o próprio ômega a óbito e o ômega lúpus não tinha certeza se conseguiria ser forte pro dócil e prós bebês quando chegasse o momento.

~•~•~

Fora dos muros de seu reino o caos se instalava. Outro reino havia sido reduzido a cinzas, jaziam seis reinos até agora.

O reino de Dallas havia sido evacuado as pressas, o novo rei não teve tempo de comemorar por subir ao trono ou sentir luto pela morte de seu tio.

A guerra tinha chegado aos seus pés e de seus aliados, e como uma erva daninha que se alastra sem o consentimento de ninguém aquele mal teria que ser cortado pela raiz.


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse capítulo e perdoem os erros ortográficos!

Até o próximo e obrigada pelos comentários 😘🥰💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...