História The Kiss of the devil - Imagine - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Lee Hi, Red Velvet
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Joy, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lee Hi, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Seulgi, Yeri
Tags Anjos Caídos, Bangtan Boys (BTS), Demonios, Drama, Humanos, Jimin, Lee Hi, Mistério, Namjin, Red Velvet, Suspense, Tragedia
Visualizações 7
Palavras 1.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Hentai, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


olha eu aqui de novo... :)
espero que gostem, boa leitura...
qualquer erro foi mal...

ahhh só um aviso, quado vcs verem a frase "os lesados ou as lesadas" significa que são as pessoas do mundo, ok?

bom, vão ler...

Capítulo 2 - Sn


Fanfic / Fanfiction The Kiss of the devil - Imagine - Capítulo 2 - Sn

Após sair do banheiro peguei a toalha e a enrolei na cintura, com isso andei até a pia parando de frente ao espelho e analisei o meu rosto por um breve momento. Meus labios carnudos estavam mais rosado do que o normal hoje, e isso era estranho, meu cabelo estava um pouco longo, molhado e jogado para trás para não caísse nos meus olhos, minha barba havia crescido um pouco desde ontem... 

Eu precisaria resolver isso logo.

[...]

Depois de fazer a barba e seca o cabelo com o secador, sai do banheiro e entrei no meu quarto andei até o guarda roupa e peguei uma muda de roupa limpa, entretanto, algo caiu da parte de cima do guarda roupa quando ia fechá-lo, se espatifando no chão, tomei um susto por isso pensado que fosse um rato, mas observando melhor vi que se tratava de um dos meus brinquedos preferidos durante a infância.

Então com um movimento rápido me abaixei pegando a caixinha de som agora quebrada.

A caixinha era média com vários desenhos circulares e com várias flores pequenas decoradas com pequenas pedrinhas roxas e pretas, dentro dela havia as peças que faziam o som soar de fora da caixa (que agora não funciona mais), como também havia dois bonequinhos abraçados, um era um menininho com roupas simples como um macacão rasgado nos bolsos da cor verde escuro e uma blusa de mangas longas preta  seus pé estavam descalço a outra era uma menininha com um vestidinho branco, também ela estava descalça, sua cabeça estava deitada no ombro do menininho a dele estava como o dela do mesmo jeito, seus braços estavam em volta do um e do outro, parecendo um abraço apertado, já a tampa que fechava a caixinha na parte interna dela havia uma coisa escrita nela, numa caligrafia muito bonita. E isso despertou minha atenção.

“Que nunca nos separamos e que nossa infância sempre continua…

Para o meu querido Jimin - S/N seu anjo caido”.

Então olhei novamente para os bonequinhos abraçados com mais atenção e percebi que o menininho tinha o cabelo no corte moderno como o meu agora, longo. Já a menininha seu cabelo batia na cintura, longo, mas colorido com as cores roxo e azul.

Não sabia como tinha aquilo, como principalmente não me lembrava daquilo e nem conhecia aquele nome. Quem era S/n? por que eu tenho uma caixinha de som? observei a caixinha por muito tempo até perceber que estava quase atrasado para o trabalho. Então larguei tudo e corri para me arrumar.

Mais tarde eu iria verificar isso… Sendo que aquele nome me parecia muito familiar, o que soava muito estranho para mim, como Déjà vu.

~~x~~

Estacionei minha moto no outro lado da rua em frente ao bar Blizz, a essa altura eu estava muito atrasado e era arriscado que eu perdesse o emprego por causa do atraso, porém, vi Jeon meu chefe se aproximar, parecia muito nervoso quando parou na minha frente.

- Jimin, está atrasado… - disse sério me encarando quando tirei o capacete da cabeça 

- O senhor irá me demitir? sei que chego várias vezes atrasado mas me perdoa! não irá acontecer novamente - falei ao sair da moto e ficar ao seu lado

Eu precisava muito desse emprego

- E quem te disse que eu iria te demitir? - perguntou me encarando um pouco assustado 

- Não vai não? - perguntei e vi ele negar sério 

Foi aí que soltei o ar de alívio… não iria ser demitido! graças! 

- Não posso demitir você agora, por que eu não conseguiria achar um barman a essa hora tão cedo. Além do mais irei descontar do seu salário o atraso…

- Que? - gritei alto surpreso - porque? 

- Por que! - disse sério e fiquei com medo dele, será que se eu perguntar algo a mais ele me demite sem pensar duas vezes? - agora ande, hoje a casa está cheia, quero faturar muito hoje a noite - disse me puxando em direção a entrada do bar

Nesse momento vi Hoseok chegar, sem que o senhor Jeon percebesse me afastei a tempo dele para não ver a bronca que ele iria dar em Hoseok agora só para depois sobrar para mim.

[...]

Quando troquei de roupa que entrei no local para começar o trabalho, vi Jungkook (o filho mais novo do senhor Jeon) atendendo as pessoas próximas fazendo o seu drink mágico que era o que mudava de cor e tinha um gosto meio doce e azedo como também era quente, também vi Hoseok atendendo várias pessoas ao mesmo tempo ele servia o tropical uma mistura de bebidas que o grupo de amigos que foi atendido por ele pediu. 

Observei tudo surpreso, realmente hoje por um milagre a casa estava muito cheia, e eu não sairia daqui nem tão cedo…

- Jimin, está fazendo o que aí? vai atender aquela moça que sentou ali - disse rápido Hoseok ao passar por mim para pegar uma vodka de uma tonalidade azulada.

Respirando fundo andei até a moça, ela parecia distraída como se procurasse alguém e para chamar a sua atenção tive que chamá-la duas vezes.

Sendo que algo nela chamou a minha atenção.

- Licença moça, o que você irá querer? - perguntei novamente a ela e nesse exato momento se virou parecendo um pouco surpresa por me ver e depois logo corou parecia um pouco envergonhada, mas, também havia outra coisa que eu não sabia o que era, fiquei intrigado com isso, então abri um leve sorriso para ela 

Fiquei um pouco surpreso por tê-la feito ficar assim, mas o que ela viu em mim? então a observei melhor por debaixo das luzes fluorescentes forçando a minha vista depois dela desviar o olhar para as bebidas e vi que ela era muito linda… até diria que aquela moça sentada à minha frente era uma deusa, ou então filha de um anjo.

Mas algo nela me era familiar, e eu não sabia o que era, entretanto, me sentia muito bem perto dela como se a conhecesse. 

Que estranho...   

- Sim… - falou e olhou para mim, porém, seu olhar era intenso e eu sustentei por um tempo até perceber que estava gostando disso - vou querer… vou querer… - repetiu duas vezes sem tirar os olhos de mim até eu abri um sorriso novamente fazendo-a olhar para as bebidas atrás de mim, indecisa.

- Que tal um coquetel tropical? - sugeri vendo-a a olhar novamente para mim

- Coquetel tropical? - perguntou, parecia bastante curiosa e isso me agradou por que o coquetel tropical foi uma bebida que fiz uma vez para uma menina quando estava num estado de rebeldia com meus pais

- É uma bebida nova da casa, não é nem quente e nem muito gelada, mas é doce que deixa a desejar - respondi a observando com mais intensidade ainda depois de jogar o meu cabelo para trás 

 Não sei o que aconteceu, mas tive uma leve impressão de que ela segurou o ar por um breve momento enquanto me observava com mais intensidade ainda. Isso me deu uma leve impressão de que conhecia aquele olhar.

- Pode ser - falou alto com confiança e sorri para ela.

Gostei dela...

- Então, você parece ser nova por aqui… - perguntei ao pegar duas garrafas de vodka, uma normal e outra vermelha meio rosada que era bem doce.

Logo depois de pegar todo ingrediente, peguei uma garrafa vazia de fazer  mistura para preparar a bebida concentrado no que fazia, até que escutei a sua resposta. 

- Sou, acabei de me mudar por aqui perto... - ao escutar sua resposta levantei a cabeça e sorri feliz por saber disso

Porque eu estava feliz por causa disso?

- Seja bem-vinda, então... Alias meu nome é Park Jimin, mas pode me chamar de Jimin - falei e abaixei a cabeça novamente voltando ao serviço 

-  Se for assim, pode me chamar S/n - estão escutei o seu nome, não sei como, mas aquilo me tocou muito e tive que olhar novamente para ela e ver o seu sorriso

Não podia ser, era impossível, era como se algo estivesse contra mim, não sabia como explicar aquilo, mas como a caixinha e aquele nome, senti agonia, agoniado por não saber explicar como me sentir bem em relação a isso e conhecer mas não saber o que e, por saber que aquela moça sentada à minha frente se parecia muito com a menina que experimentou pela primeira vez o mesmo drink que estou fazendo agora.

Então sem pensar muito chamei Hoseok para terminar o drink no meu lugar inventando uma desculpa que não me sentia bem para ele.

De certa forma não me sentia bem mesmo…

continua...

 

 


Notas Finais


até a próxima espero que tenha gostado...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...