História The L World Geração Q - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias The L Word
Tags Drama, Lgbt, Romance, The L World
Visualizações 1
Palavras 2.548
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), LGBT
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - De volta a Los Angeles Parte 1


Fanfic / Fanfiction The L World Geração Q - Capítulo 3 - De volta a Los Angeles Parte 1

“Shane, você complica as coisas e não sabe oque realmente quer na relação”

“Você machucou a porra do meu coração.”

“Será que você não pode ficar sem foder uma pessoa sequer e ter uma relação séria?”

“Eu caso com você”

“Você realmente iria se casar com aquela mexicanazinha quando você tem tudo aqui? Patético!”

“Shane, você é uma boa pessoa, eu vou embora, mas quero que fique com tudo isso, ame-se, ame o seu irmão, seja a cabeleira que sempre sonhou. Seja forte, não magoe as pessoas por dentro.”

O avião se movimentava chegando no aeroporto de Los Angeles e a morena acordou suando frio no espasmo no avião particular, mais um pesadelo, um sonho ruim depois que transou com a aeromoça particular, ela caiu no sono devido ao cansaço. Se ajeitou melhor no banco observando a situação pela janela e vendo o país a sua vista. Muitas coisas aconteceram durante esses dez anos, ela perdeu tudo, mas ganhou de volta oque perdeu. França, Inglaterra,  morou uma boa parte em apartamento, outras era acompanhada pela Cherie Jeffe que chegou a falecer por um acidente de carro, tudo estava no nome de Shane nem a filha a herança deixou pois as duas não se entendiam direito e havia prometido a si mesma que iria mudar. Primeiro foi para um tratamento de alcóolatra anônimos, depois para fumantes e finalmente de sexo, foram anos de abstinência mas com o passar do tempo e pesadelos pesados, conseguiu se levantar, passou a praticar esporte de lutas e melhorar a sua visão sobre o mundo, até pensou em ligar para as ex do passado nada necessário.

Colocou os cintos para o pouso em segurança de volta a Los Angeles e claro Shane havia mandado fazer um salão no centro da cidade e um estúdio de fotografia para os jovens trabalharem caso ela não estiver em um ou outro lugar. A chefe geral era a própria cabeleira que tirava a maleta do avião e colocou os óculos escuros no rosto, havia pedido para trazerem o seu carro que compraram por ela. Sempre discreta ao caso de compras, a morena sorriu ao ver o aeroporto e o cabeleiro que havia trago tudo para a morena, bem, ela não era muito sociável com os homens mas deixou passar por essa descendo das escadas enquanto andava na pista recebendo o abraço do colega.

-Bem vinda a Los Angeles Lady.

Ela sorriu forçado, tirando os óculos escuros no rosto enquanto caminhavam para fora do local

-Só me chame de Shane, ahn, aqui está calor demais, esqueci que estamos no verão. Onde está o carro?

-Sim, o pessoal estão se banhando aqui  realmente, quando vai ver o seu salão? Está recheado de mulheres e rapazes lá.

Ela havia soltado uma breve risada passando a mão livre sobre a franja e nos cabelos.

-Vou ver isso amanhã...preciso me encontrar com duas pessoas hoje e praticamente vou ficar no restaurante, estou lendo muito jornais e realmente muita coisa mudou os anos pra cá.

Colocou a mala que praticamente era numa bolsa, no carro R8 plua 5.2 V10 aut, um dos carros mais caros e esportivos que havia comprado, pegou a chave do rapaz que supostamente iria no seu próprio estacionado longe dali enquanto Shane abria a porta para entrar, mas antes ela perguntou erguendo o olhar, maquiagem retocada, sombra nos olhos preta sem tirar o estilo que ela sempre gostava de usar.

-Hey! Você está sabendo de algo aqui na cidade? A Bette por exemplo.

-Sim Shane! Ela é uma das mulheres mais sociáveis e vi ela várias vezes nas festas com a sua irmã e outras garotas.

Ela não iria perguntar sobre o relacionamento, iria vê-la pessoalmente a morena, assim entrou no carro e ligou o carro ao seu novo “palácio” ligando o gps e colocando um Rock no som do carro ajustando o horário que era meio dia, ela pensou se o tempo voou enquanto estava no avião ou perdeu a noção do horário.

 

(Enquanto isso no trânsito pela tarde)

Bette já se irritava com o engarrafamento, passando mensagem rapidamente que iria se atrasar para o trabalho, isso não era bom, na verdade não era hora disso acontecer na verdade, uma briga de trânsito causava total atraso pela batida dos motoristas.

-Ah vamos lá!

Apitava algumas vezes impaciente com a situação, o sol estava piorando oque obrigava a morena abrir a bolsa do lado e pegar a garrafa de água para se hidratar, enquanto isso o trânsito não ajudava e ia devagar para a  pista, notou uma brecha de um carro aberto e desviou rapidamente  soltando uma risada alta durante o trajeto.

-As vezes penso no que as mulheres ficam tanto em celular e atrasando o trânsito.

Iria pegar um atalho para avenida de baixo nem que desse a volta e nesse espaço de tempo o carro de Shane estava vindo numa velocidade considerável, até ligou o ar condicionado para não sentir calor, o gps funcionava perfeitamente mas o trajeto de uma para outra iriam dar de cara pois a motorista radical ainda se lembrava de atalhos para fugir de engarrafamentos e bom, ela via de longe para poupar atrasos.

Bette por sua vez pegou a estrada e dirigiu mais alguns quilômetros , porém o carro atrás a perseguia, sendo que ela nem percebeu e Shane viu pela cor dos cabelos e o jeito que a morena se movida durante o carro se inclinando rapidamente por mais que o cinto impedisse dela olhar mais a sua frente.

-Espera, Bette? Não, não é possível.

Queria ver de perto se ela era mesmo, mas vinha carros a frente da morena claro não podia entrar na contramão só então entrou no pequeno espaço devagar e abriu o vidro automático  olhando por instantes a morena.

-BETTE! HEY, BETTE!

Ouviu o seu nome e olhava para trás e quando viu quem estava no carro vermelho esportivo ao lado, a maior levou um susto mal podendo acreditar.

-Shane! Meu Deus! Vá a minha empresa, sabe onde fica?

Concordou com a cabeça e subiu o vidro rapidamente indo na frente da morena para chegar primeiro ao destino, demorando dez minutos  com a selvageria e cuidado da cabeleira quando deparou o lugar ainda em movimento, procurou uma vaga para estacionar, foi por trás da empresa o lugar seguro, deixou sua mala no lado pegando o celular, tirou o cinto e desligou o carro tirando da chave o mesmo. Saiu do veículo observando o tamanho do prédio e sabendo que iria esperar pela amiga.

-Puta que pariu Bette! Você foi bem longe agora!

Dizia enquanto entrava na empresa e ao deparar na entrada tinha um guarda-costas o lugar era decorado em um azul marinho nas paredes, com os quadros mais sofisticados pela arte moderna e antiga, assobiou o local e viu o elevador onde apertou alguns botões até abrirem, dando de cara a uma recepcionista morena, cabelos presos e longos, blaze preto por debaixo estava vestida uma camisa social feminina rosa choque. Abaixo uma saia moderna social preta com demostrando as pernas lisas e torneadas da jovem assistente aos pés com os pares de sapatos de salto alto, provavelmente iria ir na área de recepção.

A mente de Shane travou quando viu e rapidamente chamou atenção iniciando a conversa antes de entrar.

-Boa tarde, poderia me levar até a Bette Potter? Me chamo Shane.

Levou a mão para cumprimentar a jovem que rapidamente levou a mão para retribuir a gentileza.

-Perdão, mas tem horário agendado?

A mais velha passou a mão livre sobre as mechas bagunçadas e o estilo um pouco e sorriu negando com a cabeça.

-Não, eu encontrei com ela na estrada e ela está  chegando, é pedir muito?

Os olhos da morena brilhavam e encantava a jovem que suspirou segurando os papéis acima do busto e logo levou a mão destra para fechar o elevador até o ultimo andar.

-Obrigada, qual o seu nome?

-Ah! Natalia, o seu é Shane pelo que disse.

-Certamente, faz muito tempo que trabalha aqui? Uns...três anos praticamente.

-Legal...a Bette cresceu muito como esse elevador, logo ela vai te levar ao topo.

-Eu acredito que sim, quando damos duro no trabalho somos bem recompensados!

A jovem parecia envergonhada ao notar que Shane que supostamente estava olhando para o teto do elevador com ambas as mãos na cintura, tentando ignorar a tentação.

-Ela é super  bondosa e tem amigas realmente bonitas.

O olhar da Cabeleira fixou o olhar castanho nos escuros da outra e sorriu ouvindo o barulho do elevador.

-Ela tem...

Assim que o elevador abriu andaram sobre o corredor e Shane realmente sentia calor, tanto que tirou o blazer longo e ficou apenas de camisa social  observando a recepcionista ir na frente olhando para o corpo esculpido da outra.

-Quer que eu leve até a sala chefe ou em outro lugar?

-Ah! Por favor, me leve onde você acha segura para mim.

Ela sentiu a pressão e a conexão da Shane e não sabia como explicar, bateu os papéis na mesa e conduziu até o outro corredor, eram dois: um estava em construção e mudanças com os pisos azulados marinhos e espelhado, podia ver o reflexo do sapato de ambas que caminhavam  e o outro corredor dava acesso onde estava a sala de espera fazendo a maior entrar na porta feita e sentiu o leve frio do ar condicionado e vendo uma enorme mesa vazia de madeira logo desviando o olhar para o  estofado, ainda inacabável.

-Aqui deve está bom, vai se sentir a vontade até a chefe chegar.

-Hey, está com medo de mim?

Os olhos da recepcionista encaravam da Shane que ficou observando por um bom tempo.

 

O carro de Bette estacionava onde tinha sua principal vaga, mal podendo se conter de rever a Shane depois de dez anos, saindo do carro pegando a bolsa e o celular juntos depois de destravar o cinto de segurança, ela deu seu boa tarde aos guardas, mas assim que entrou na recepção principal, não viu a jovem garota com a papelada, tudo limpo, até o computador estava ligado. Ficou Piscando os olhos algumas vezes querendo saber onde a recepcionista foi parar, o almoço havia terminado, só então a morena ligou o botão do elevador e iria pedir para ligarem e procurarem por Natália.

-Tem algo errado que não está certo.

O elevador se fechava com a desconfiança da morena no olhar.

 

(Na sala de espera)

 

-Meu Deus, se minha chefa me pegar ela vai me demitir!

Shane tomava os lábios da recepcionista com prazer, chegando levar as mãos sobre a camisa social branca e puxar revelando o sutiã da mesma cor da outra, movia o corpo durante a troca de beijos nos lábios, a garota se apoiava uma mão na mesa e a outra conduziu nas mechas longas de Shane. Estavam fazendo  rapidamente pois a mão rápida da cabeleira levou sobre a saia preta de Natália suspendendo e apalpando o intimo por cima da calcinha, não demorou para os dedos invadirem e trabalharem enquanto a garota arrancava gemidos longos e se esfregarem nos dedos ágeis da morena que lhe dava prazer. Ela se movia no vai e vem intensamente enquanto Shane calava a boca da mulher entre beijo para abafar o gemido durante a estocada do seus dedos por dentro da boceta quente e molhada, não queria saber de muita história ou drama, apenas aliviando a tensão da garota.

-Ela não vai te demitir, eu prometo.

Falou a voz rouca da mulher.

Os gritos da garota eram evidentes e estava com medo de ser pega, porém o prazer prendia no instante, assistindo os lábios da mulher beijarem acima do busto desesperada para sugar o seio direito da jovem.

 

Enquanto isso, os números do elevador onde Bette estava subiam devagar e as vezes paravam simplesmente para os outros empregados entrarem e continuar até o ultimo andar, batia o pé ansiosa para resolver os últimos detalhes do trabalho e conversar com a Shane.

(De volta a diversão)

A garota também masturbava intensamente a mais velha, que logo iria entrar em orgasmo a qualquer momento, estavam deitadas na mesa e a convidada estava beijando o pescoço durante a massagem circular  no clitóris, mas a recepcionista havia deixado uma bela marca no pescoço odiando pela atitude da jovem. Bem, os cabelos de Shane estavam bagunçados mas nenhuma estavam banhadas de suor graças ao ar condicionado fraco na sala, as investidas foram intensas vindo da morena de cabelos curtos escondendo o rosto devido a franja escondia o prazer que sentia até chegar no orgasmo, aproveitando os gemidos que soavam no lugar e notava a outra entrar no embalo intenso abraçando a cintura com as pernas ao mesmo tempo que o corpo que tremia. Um sorriso safado e satisfatório surgiu nos lábios da mais velha roubando alguns beijos para relaxar e retirar os dedos por dentro da calcinha, camisas sociais desabotoadas menos o usar do sutiã por parte da Shane,  ela não usava sutiã pelo corpo masculino que possuía e isso era uma vantagem para suas vestes. Ergueu devagar o corpo sobre a mesa vendo a reação prazerosa deitada na mesa até cair a realidade que estava transando  no escritório.

-Merda, a chefe vai subir aqui!

 Shane sem falar nada se arrumou rapidamente, enquanto ajudava a Natalia se arrumar com a saia e se calçar desesperadamente.

-Pronto, tem algum banheiro?

Perguntou enquanto saia da sala vazia e olhando para qualquer lugar até a recepcionista direcionar ao corredor do lado e logo fez outra pergunta.

-Banheiro e.....aquela mesa com duas cadeiras, eu vou indo nessa, prazer em conhecer.

 Shane correu até o banheiro para lavar as mãos e retocar a maquiagem passando sombra preta nos olhos e disfarçar daquela mordida que sofreu no pescoço ajustando agola da camisa social saindo do banho deparando o olhar ao elevador e a escada. assim que o elevador se abriu a jovem  preferiu descer nas escadas para não deparar com a chefe e se despediu de Shane com um sorriso satisfatório enquanto segurava as pastas acima do busto, e ela sem dizer nada dava uma leve piscada se sentando na cadeira de alumínio sofisticado vendo a paisagem lá fora enquanto botava o celular na mesa. Assim que o elevador se abriu os olhos castanhos das duas velhas amigas se encontraram e ela caminhou em passos rápidos até o encontro da cabeleira.

-Você desapareceu.

Colocou a bolsa no chão observando a mudança facial da outra, o olhar da maior fixou sobre a rua de Los Angeles e o jardim que se localizava ao lado da empresa com mesas, parecia um pequeno restaurante para almoço mas por sua vez não disse nada.  Logo, voltou para para Bette que se sentava na frente dela.

-Eu tomei decisões difíceis.

A voz rouca e firme de Shane dava segurança a outra pela decisão que escutou dez anos atrás.

-Eu sei Shane, você e minha amiga, não ia me esquecer de você, uma hora iria voltar. Senti saudades

-E eu ainda mais.

Retribuiu com ambas as mãos apoiadas na mesa e entrelaçando os próprios dedos enquanto encarava a morena a sua frente.

-Me conte tudo.

Falou a futura prefeita e amiga de tempos da cabeleira, colocando o cotovelo apoiado na mesa e os dedos entrelaçados juntos ficando a olhar para ela.


Notas Finais


Espero que gostem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...