1. Spirit Fanfics >
  2. The last - Imagine Park Jimin >
  3. Feelings

História The last - Imagine Park Jimin - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Noite!

Venho com outro capitulo *-* Espero que gostem.
Beijos e boa leitura.

Capítulo 9 - Feelings


Fanfic / Fanfiction The last - Imagine Park Jimin - Capítulo 9 - Feelings

 

Eu havia decorado cada ponto preto daquele teto, ao meu lado Nabi dormia profundamente enquanto abraçava Jin que se encontrava do mesmo jeito ao nosso meio. O relógio marcava três da manhã e a única coisa que eu conseguia pensar era na nossa conversa com o tio deles.

Que por sinal não sei o nome dele ainda.

Jimin tem uma noiva? Porque isso estava tirando o meu sono? Isso deveria ser uma coisa boa, não teremos mais essa ligação. Virei para o lado e suspirei.

-Ei...

Olhei para o lado e vi Jin me encarando. Me virei e deitei de frente para ele, Nabi o abraçava tão forte e isso o impedia de se mexer livremente.

-O que foi? - Ele perguntou.

Suspirei e apoiei minhas duas mãos em baixo da bochecha.

-Nada. - Respondi. - Só estava pensando no quanto a nossa vida mudou. Não seremos mais três amigos bebendo a noite toda no nosso bar favorito.

Ele olhou para o teto e respirou lentamente. Jin cresceu em uma família de caçadores, os melhores caçadores que existem, mas eu sei que isso não o impediu de ter uma vida normal.

-Nunca mais beberemos cerveja sem sermos interrompidos por aquelas coisas nojentas. - Ele falou e eu ri.

Essa estava sendo a melhor noite desde que vim para cá. Tirando o fato de que Jimin ter uma noiva estava me atormentando, eu estava amando dormir com eles.

-Ei... - Cutuquei seu braço e ele virou sua cabeça pra me encarar. - Namjoon foi bem legal.

Notei seu rosto ruborizar um pouco, raspou sua garganta e encarou o teto novamente.

-Eu ajudei ele, era o mínimo que eu poderia fazer. Ele nos ajudou muito. - Jin falou ainda olhando para cima.

-Ele gosta de você. - Falei e ele me olhou assustado.

-Para com isso Ari! - Exclamou da cor de um pimentão. - Nem sabemos se ele...

-Eu tenho certeza que ele também gosta de garotos. - Falei e apoiei minha cabeça na mão. - Afinal, ele não caiu no meu charme quando pedi para que me levasse na praça do café.

-Isso não quer dizer nada. - Jin falou.

Isso me fez sorrir, eu amava vê-lo sem jeito e envergonhado. Jin está comigo há quatro anos e isso foi tempo suficiente para conhecê-lo perfeitamente.

-Ok. - Sorri.

-Não sei por que está falando de mim. - Ele me olhou. - Eu te vi com o Jimin, tá rolando alguma coisa?

Foi a minha vez de encará-lo assustada, como assim ele me viu com o Jimin? Foi só essa noite que ele me viu com Jimin, como pode ter percebido algo? E outra, não há nada para ter percebido!

-Não! - Sorri e me sentei rapidamente. - Não sei por que perguntou isso, porque acha que pode estar rolando alguma coisa? -Sorri olhando para os lados.

-Eu...

-Isso é loucura. - Sai da cama e fiquei em pé. - Não é só porque ele me ajuda e me salva dessas coisas horríveis que pode haver algo entre nós, ridículo...

-Ari...

-Bobagem Jin. Você acha que pode ter algo? Você viu alguma coisa? Ele olhou para mim de algum jeito que fizesse você chegar a essa conclusão?

Nabi se mexeu e virou para o lado, Jin conseguiu sair dos braços dela e sentou na cama. Tapou a boca e forçou para não rir.

-O que foi? - Perguntei colocando minhas mãos na cintura.

-Eu não notei nada, só comentei sobre isso para encher a sua paciência. Mas pelo visto está gostando dele. - Jin respondeu ainda segurando o riso.

-Não estou! - Exclamei e meu coração bateu aceleradamente. - Não diga mais isso.

Jin levantou suas mãos em rendição.

-Não está mais aqui quem falou. - Falou e se deitou novamente.

Suspirei e passei minha mão no cabelo.

-Ele está noivo. - Falei e ele se sentou de novo. - Ela chega amanhã, corrigindo, hoje!

Jin ficou me encarando, notei que apertava a barra do meu moletom ao dizer aquilo para ele. Olhei para o lado e saí andando. Entrei no banheiro e fechei a porta. Provavelmente estou dessa maneira por casa da ligação, mas logo isso irá se resolver.

-Ari. - Jin bateu na porta.

-Está aberta. - Falei.

Ele abriu a porta e essa rangeu lentamente quando ele entrou. Aproximou-se e abaixou na minha frente. Eu estava sentada na borda banheira.

-Me desculpa, eu não sabia que estava gostando dele.

-Não estou Jin. - Sorri soprado. - Não estou...

Ele levantou um pouco e sentou ao meu lado. Isso é impossível, eu conheço Jimin a pouquíssimo tempo. Precisei de muito mais que isso para namorar Yuuki, e olha que fiquei arrasada quando ele me traiu.

-Ari, como seu amigo... - Ele começou a dizer e pegou em minha mão. - Eu tenho que te dizer isso. - Olhei para ele. - Vampiros não se relacionam com humanos.

Aquilo me causou algo, algo que eu não sei o que era. Mas ouvir isso dele deixou uma sensação horrível pelo o meu peito.

-Porque não? - Perguntei e encarei o piso preto do banheiro.

-No passado, quando os vampiros se relacionavam com as humanas ou vice-versa, os vampiros lideres dos clãs queimavam eles vivos e faziam o próprio vampiro assistir. Somente para que visse o que ele causou. - Jin respondeu.

Arregalei meus olhos e levei minha mão na boca. Como isso é possível?

-Hoje pode ser diferente, eu não sei... - Jin continuou falando. - Mas nunca se sabe, eles demoram a se desapegarem das coisas do passado.

Isso é horrível, como tinham essa coragem? Como conseguiam queimar um humano vivo e ainda por cima obrigar o vampiro que se apaixonou por ele assistir?

-O que estão fazendo aqui? - Nabi apareceu na porta. Estava com os olhos inchados, seus cabelos bagunçados e eu me forcei para não correr abraça-la, eu senti muita falta de acordar ao lado dela.

-Ari está apaixonada. - Jin falou.

Olhei para ele indignada e Nabi abriu um sorriso imenso. Ela entrou no banheiro e sentou do meu outro lado.

-Não estou! - Exclamei e fiquei em pé. - Nabi, nosso amigo perdeu o juízo!

-Ah, pensei que fosse verdade. - Ela resmungou.

Não me importei nem um pouco pelo o fato de Jin ter dito isso a ela, pelo contrário, eu estava sentindo muita falta disso, nós três juntos dessa maneira.

-Mas não é! - Falei e suspirei.

Eu ainda estava um pouco intrigada com a reação de Yoongi, Hee e Hoseok quando viram Nabi. Acho que confundiram-na com alguém, afinal, eles vivem há tanto tempo e devem conhecer milhões de pessoas.

-Nossa, já amanheceu... - Nabi falou olhando para fora do banheiro.

O que? Olhei para trás e o sol iluminava o chão do quarto. Meu Deus, parece que foi questão de minutos que olhei para o relógio e vi que era três da manhã. Os dois se levantaram e saíram do banheiro junto comigo.

-Preciso ir para casa, meu pai deve estar louco. - Jin falou.

-Liga pra ele, diz que passou a noite na casa de um amigo. - Falei.

Jin pegou o seu celular e se afastou de nós. Nabi se aproximou e pegou em minhas mãos, olhei para ela. Era mais baixa que eu e sempre brinquei com isso.

-Ari, eu quero ficar aqui com você. - Falou.

-Não, é perigoso demais.

-Não Ari, não vou te deixar sozinha nessa casa! - Ela falou e eu senti meus olhos arderem. - Você não vai mais ficar sozinha. Você se lembra do nosso juramento no orfanato né?

Passei as costas da mão nos olhos e assenti com a cabeça. Como posso esquecer daquele dia? Juramos nunca abandonar a outra, não importa a situação, pois seremos a irmã uma da outra até a morte nos separar.

-Então eu vou ficar. - Sorriu. - Quero dizer, se esses vampiros lindos deixarem né.

Isso me fez sorrir.

-E se não deixarem vou levar as duas comigo! - Jin apareceu. - Tem certeza de que querem ficar?

-Sim, eu preciso descobrir muitas coisas Jin. - Olhei para ele. - Não são só os ‘da noite’ que me querem morta, até mesmo os clãs que odeiam os meninos.

-Imaginei... - Jin falou.

-Não vou colocar sua família em perigo.

Jin me puxou para um abraço e logo senti Nabi nos envolver com os seus pequenos braços também. Conversamos mais um pouco para respondermos algumas perguntas da Nabi e logo nos arrumamos para sair do quarto.

Nós duas sempre gostamos do mesmo estilo de roupa, por isso emprestei uma minha para ela. Saímos do quarto e encontramos Hee no corredor.

-Venham comer. - Ela falou gentilmente.

Se Jin e Nabi não estivessem comigo, Hee teria entrado no quarto há muito tempo para me chamar, mas não o fez. Ela sabe o quanto é importante para mim estar com esses dois.

-Não, obrigado. - Jin sorriu. - Preciso ir embora.

-Pode pegar um dos nossos carros. - Hee falou para ele.

O carro dele ontem foi massacrado por aquelas coisas. Certamente os meninos já o tiraram da pista e já se livraram dele.

-Não é necessário. Eu chamei um Uber, vai me pegar na pista. - Jin respondeu.

-Vou pedir para o Namjoon acompanha-lo então. - Hee falou e saiu correndo.

Jin iria protestar, mas não deu tempo. Nabi se juntou comigo e nós duas seguramos o sorriso.

-Para! As duas. - Ele falou fechando os olhos.

Logo Hee voltou com Namjoon. Ele estava vestido como sempre, todo de preto e casaco longo.

-Jin, fique para comer. - Ele falou preocupado.

-Preciso mesmo ir, meu pai me quer em casa urgente. - Jin falou.

-Tudo bem, eu vou te acompanhar então. - Nam falou gentilmente.

Jin se despediu de nós e acompanhou Namjoon para fora da casa. Acho que agora que todos o conhecem, será mais fácil deixarem ele vir nos ver.

-Oi. - Olhei pra o lado e vi Nabi cumprimentando Hee. - Com toda aquela confusão de ontem eu não me apresentei, sou Nabi.

-Muito prazer. Ari falou muito sobre você. - Hee pegou na mão dela e sorriu. - Sou Hee, a noiva do mais estressado de ontem.

Nabi sorriu.

-Venham comer. - Hoseok apareceu de repente.

-Ahh! - Nabi gritou de susto.

Isso me fez rir, até hoje eu passo por isso.

-Me desculpe. - Hoseok olhou para ela preocupado.

-Tu-tudo bem. - Ela falou um pouco envergonhada.

Nós duas acompanhamos os dois em direção ao grande salão. Meu coração batia acelerado a cada passo que nos aproximávamos de lá, eu iria ver o Jimin. Quando entramos, todos estavam na mesa, conversavam uns com os outros.

-Tio, essa é a Nabi. - Hee chamou a atenção de todos. - Ela é amiga da Ari, vai ficar com ela por um tempo.

-É um prazer. - Nabi curvou seu corpo em um cumprimento.

Yoongi estava com a cabeça baixa e sequer levantou uma vez. Notei os olhos do tio dos meninos arregalar lentamente e a esposa de Yoongi se encontrava da mesma forma. De novo isso?

O tio raspou sua garganta e ficou em pé.

-É um prazer minha jovem, sente-se e fique a vontade em nossa casa. Quem é amigo de Arimin é nosso amigo também. - Ele falou.

Nabi caminhou até uma cadeira vaga e sentou ali, era de frente com Yoongi. Sentei-me ao lado dela e olhei para os lados despercebidamente. Jimin não estava na mesa.

-Cadê o Jimin? - Taehyung perguntou.

Levantei a minha cabeça rapidamente, eu também queria saber disso.

-Ele foi buscar a Lana. - Seu tio respondeu.

Juntei minhas mãos no colo, então ela chegará daqui a pouco e com ele.

-Credo! - Hee exclamou. - Mas já?

-Sim, sei que o noivado dos dois aconteceria somente daqui dez anos, mas houve algumas circunstâncias que nos fizeram acelerar o processo.

Algumas circunstâncias? Uma dessa circunstância seria eu? Dez anos? Engoli em seco e comecei a me servir, notei Nabi me olhar rapidamente. Ela não ouviu a minha conversa com o Jin, mas ele falou para ela que eu estava apaixonada e deve estar acreditando nisso.

-Quantos anos tem Nabi? - Haye perguntou de repente e isso fez Yoongi olhar para a esposa.

-Eu? - Nabi exclamou surpresa. - Eu tenho vinte e quatro.

Haye sorriu gentilmente.

-Qual é o sobrenome da sua família? - Ela perguntou em seguida.

-Eu sou Kwang. - Nabi respondeu prontamente. - Perdi meus pais em um acidente de carro e cresci no orfanato junto com a Ari.

Todos encaravam Nabi como se fosse alguém que salvou a pátria na vida passada.

-Não estranhe... - O tio dos meninos falou. - Conhecemos a sua geração do passado, e você tem muita semelhança com certa pessoa que foi bem próxima a todos nós.

Eu sabia! Eles agiram muito estranhos quando viram Nabi comigo ontem. Continuamos o café em silêncio, quando todos terminaram foram para a biblioteca.

-Acho que eles não gostam muito de mim aqui. - Nabi cochichou comigo.

-Porque pensa isso? - Olhei para ela.

Nós duas estávamos sentadas na escada em formato caracol, enquanto todos conversavam sobre o ocorrido de ontem ali em baixo.

-Eles estão cada vez mais empenhados para atacar. - Kook falava.

-Eu não sei... Eles me encaram muito. - Nabi falou baixo ao meu lado.

-Isso porque você parece com alguém que eles conheceram. - Falei sorrindo.

Eu estava ali conversando com ela, mas a minha mente estava um turbilhão. Logo Jimin irá chegar com a garota que se tonará a noiva dele e eu só conseguia pensar nisso.

-Nabi, venha, vou te apresentar a casa. - Hee a chamou.

Ela me olhou um pouco perdida e eu apenas sorri. Ela estará em boas mãos com a Hee, ela desceu a escada e correu até a garota que lhe esperava na porta. Suspirei, eu ia enlouquecer se não fizesse alguma coisa que distraísse minha cabeça. Desci a escada também e saí da biblioteca, caminhei em direção à saída e fui para o jardim da frente.

Me sentei no banco e olhei para o céu. Estava nublado e o vento soprava lentamente. Ouvi o portão ser aberto e olhei para ver quem era. Meu coração acelerou quando Jimin passou por ele acompanhado por uma garota.

Ela era magra, seus cabelos não chegavam aos ombros. Usava um vestido vermelho que modelava o seu corpo e um salto alto nos pés.

Seria a Lana?

Os dois vieram andando e quando me viram pararam. Fiquei em pé rapidamente, Jimin me encarou.

- Quem é essa? - A garota perguntou a ele.

-Essa é a Arimin. - Jimin falou.

-Oi. - Cumprimentei. - É um pra...

-Vamos Jimin, quero ver o tio logo. - Ela me cortou e saiu andando.

Ela me cortou? Mas que garota nojenta. Olhei para Jimin e ele me encarou de volta.

-Tudo bem? - Ele perguntou colocando suas mãos nos bolsos do casaco.

-Uhum. - Respondi e voltei a me sentar no banco.

Eu não sei por que, mas eu já estava pressentindo que não gostaria dessa tal Lana, e da forma como acabara de me tratar só comprovou o que já sabia.

-Sua noiva está esperando. - Falei quando notei Lana em pé na porta da casa, estava com as suas mãos na cintura e nos encarava com certa raiva nos olhos.

Jimin olhou para a garota na porta.

-Ela sabe o caminho. - Ele falou.

Ele virou e caminhou em outra direção, isso me pegou de surpresa. Pensei que ele fosse acompanhar ela para dentro da casa. Olhei para Lana e ela virou irritada e desapareceu para dentro.

Suspirei e fiquei em pé. Eu não sei o que estava acontecendo entre nós, se isso era a ligação ou se algo a mais estava acontecendo. Eu preciso parar de pensar nisso logo, eles farão o ritual mais cedo ou mais tarde. Comecei a caminhar em direção a porta e logo senti alguém pegar em meu pulso. Virei assustada e fiquei surpresa quando vi Jimin ali.

-O que foi? - Perguntei.

Por que ele voltou? Ele não me respondeu nada, me puxou com ele e saiu andando. Eu podia parar aquilo, não ir com ele. Mas algo dentro de mim ansiava por qualquer coisa que ele fosse fazer.

-Jimin...

Ele me levou até o jardim do fundo, mas foi direto para a estufa. Passou longe das plantas que me aprisionaram da outra vez. Assim que entramos na estufa ele me encostou no vidro e se aproximou de mim. Automaticamente levei as mãos em seu peito.

-Por que saiu daquela forma da sala ontem? - Perguntou baixo.

Meu coração estava acelerado com aquela aproximação. Eu não tinha mais controle sobre mim, ele podia fazer o que quiser e eu não me importaria.

-Não era eu que iria decidir aquilo Jimin. - Falei. - Não tinha por que eu ficar lá.

-Arimin. - Ele falou se aproximando mais um pouco.

Fechei os olhos e senti ele colocar suas mãos em minha cintura. Levei as minhas em sua nuca e acariciei os fios em seu pescoço. Ele encostou seu corpo no meu e me pressionou contra o vidro gelado. Aquilo me deixou desnorteada, senti-lo dessa forma era a primeira vez. Ele afundou seu rosto em meu pescoço.

-Jimin, você tem uma noiva. - Falei baixo.

-Eu não me importo. - Ele falou e eu senti seus lábios em meu pescoço.

Fechei os olhos e abracei seu pescoço o apertando contra mim.

-Eu posso...

-Pode. - Falei baixo.

Senti seus dentes adentrarem em minha pele e aquilo me arrepiou e a sensação maravilhosa que ele me proporcionava quando me mordia dominou o meu corpo. Curvei meu corpo e com isso ele enlaçou a minha cintura e me puxou forte contra ele. Meus pés estavam quase saindo do chão.

Aquilo era incrível, Jimin poderia ficar ali o tempo que quisesse, mas parou antes mesmo de me sentir fraca. Ele se afastou minimamente do meu pescoço e me encarou. Um pouco do meu sangue manchava seus lábios.

-Quando farão o ritual? - Perguntei.

Ele se afastou de mim rapidamente e eu senti um vento entre nós, ele passou sua mão no cabelo.

-Eu vou ficar louco. - Falou.

-Por quê? - Perguntei me desencostando do vidro.

-Isso... - Ele apontou para mim e depois para ele. - Isso é viciante...

Apertei a barra do meu moletom, eu também sinto isso. É viciante a proximidade desse garoto.

-É por causa da ligação. - Falei e ele me encarou.

É não é? É a ligação que está fazendo isso com a gente e quando ele fizer o ritual com Lana tudo vai acabar.

-Eu espero que seja. - Ele falou ainda me encarando.

-Como assim você espera? - Perguntei dando um passo em sua direção.

-A ligação não desenvolve sentimentos. - Ele respondeu colocando sua mão no bolso do casaco.

Isso faz sentindo, se a ligação desenvolvesse sentimentos Yoongi e Haye se amariam e Hoseok disse que eles não se amam.

-Está sentindo alguma coisa por mim Jimin? - Perguntei.

-Estou tentando descobrir. - Respondeu.

Meu coração bateu acelerado demais. Fiquei encarando seus olhos e ele não os desviou dos meus.

-Jimin! - Lana apareceu na porta da estufa.

Virei um pouco para o lado e puxei meu cabelo para tampar a mordida, provavelmente já havia se curado, mas eu achei melhor não arriscar.

-Você me deixou entrar sozinha, que deselegância. - Ela falou se aproximando dele.

-Todos já te conhecem Lana, e você consegue andar por essa casa com os olhos fechados. - Ele falou e passou por ela.

Jimin saiu da estufa e apenas nós duas permanecemos ali. Lana jogou seus cabelos curtos para trás e me olhou.

-Quer dizer que você é o equilibro deles?- Perguntou.

-Acho que sim, por qual outra razão me trariam para cá? - Respondi.

Lana sorriu soprado e saiu pisando firme, seus saltos ecoaram no assoalho da estufa. Soltei o ar que segurava e levei minha mão até o peito. Essa ligação não desenvolve sentimentos? Então o que é isso? O que é isso que eu venho sentindo?

 

...

 

-Como foi à viagem até aqui Lana? - O tio perguntou.

Todos nós estávamos no grande salão para o almoço, Nabi contou que Hee lhe mostrou a casa toda e essa estava encantada até agora com o tamanho dela e seus moveis antigos.

-Foi tudo bem. - Lana respondeu sorrindo.

Jimin e Yoongi não estavam na mesa.

Os meninos não pareciam muitos próximos de Lana e até mesmo Hee e Haye não a cumprimentaram quando chegou. Ela era chata mesmo, pensei que somente eu não iria gostar dela. Quando terminamos, Nabi e eu fomos para o meu quarto.

-Essa Lana parece bem metida. - Nabi falou sentando na cama.

Sorri e me sentei ao lado dela, eu estava amando tê-la ali comigo.

-Ari... - Ela se arrastou na cama e pegou na minha mão. - Quero ligar para o Jin vir trazer as minhas roupas, será que eles vão se importar se ele vir novamente?

Se importar? Talvez Kook e Tae se importem, os outros não.

-Acho melhor nós mesmas ir buscar. - Falei. - Podemos pedir para algum deles nos acompanhar

-E é seguro? E se aquelas coisas aparecerem de novo?  - Ela perguntou.

Isso é verdade, mas se eles nos acompanhar acho que não teríamos problemas. Eu queria muito sair um pouco daqui. Esfriar a cabeça.

-Ou pedimos ao Jin se estiver com medo. - Falei.

Eu não posso arriscar a segurança dela por que eu quero sair um pouco.

-Não, tudo bem. - Falou sorrindo. - Vamos buscar nós mesma.

Ela com certeza percebeu a minha vontade de sair daqui um pouco. Nabi era incrível.

-Vamos procurar alguém... - Falei puxando ela comigo.

Saímos do quarto e seguimos direto para o salão, não havia ninguém ali. Caminhamos até a biblioteca e abri a porta devagar. Eu não gostava de atrapalha-los quando estavam lendo. Espiei pela porta e vi Hee sentado no sofá e a sua frente estava Lana.

-E demorou muito?- Lana perguntou a ela.

-Eu não sei Lana, não consegue esperar não? - Hee respondeu sem paciência.

Lana sorriu soprado como fez comigo na estufa e se aproximou dela.

-Eu só estou fazendo uma pergunta. - Falou firme.

-Uma pergunta? Essa é a décima pergunta. - Hee exclamou ficando em pé. - Vai perguntar ao tio deles, eu não sei.

O que elas estavam conversando?

-Eu posso marcar a data do meu ritual sozinha. - Lana falou.

Levei a mão no peito. Marcar a data do ritual? Aquilo me incomodou muito, pensei que já havia uma data para isso.

-Então não fique perguntando como foi que eu fiz. - Hee falou. - Eu e Kook decidimos juntos, então converse com o Jimin.

Senti alguém segurar o meu pulso. Olhei para trás e vi Nabi me olhando, eu tinha me esquecido de que ela estava ali. Agora mais do que nunca eu quero sair um pouco daqui.

-Não estão aqui, vamos para outro lugar. - Falei e sai andando em direção à saída.

Descemos os degraus e olhei em volta. O tempo estava se fechando novamente.

-Onde todos eles foram? - Ela perguntou se abraçando para se proteger do frio.

Quando fui respondê-la um carro passou pelo portão que já estava aberto. Era um carro preto, Nibi e eu ficamos olhando o veículo estacionar ao lado.

-De quem é o carro? - Ela perguntou baixo.

Apenas balancei a cabeça. O da Hee era branco e o do Tae vermelho, o preto eu não havia visto ainda. Do passageiro quem desceu foi Yoongi, e do lado do motorista Jimin desceu e deu a volta no carro falando alguma coisa para ele.

-Será que eles nos levam? - Ela perguntou ainda baixo.

Eles começaram a andar em direção onde estávamos e ainda não haviam visto nós duas ali. Quando Jimin parou de falar e levantou a cabeça, ele nos viu e me encarou até se aproximar com Yoongi ao lado.

-Onde estão indo? - Ele perguntou.

-A... - Comecei.

-Não pode sair daqui Arimin. - Ele me cortou.

Eu sei disso, dá para me deixar explicar?

-Eu queria buscar as minhas coisas. - Nabi falou um pouco tímida ao meu lado.

Yoongi estava com as mãos no bolso e olhava para o lado o tempo todo. De todos eles, Yoongi era o que mais evitava Nabi e foi o que mais se assustou quando a viu pela primeira vez. Essa tal de Nancy deve ter sido alguém especial para ele eu acredito.

-Ela não pode ficar aqui sem as coisas dela. - Falei olhando para ele. - E eu queria sair um pouco também.

-É perigoso lá fora. - Ele falou firme. - Posso acompanhar ela, mas você fica aqui.

-Deixa ela vir com a gente. - Nabi falou. - Vocês dois estarão lá, podem desaparecer com ela rápido se algo acontecer.

-Dois? - Yoongi olhou para ela.

-Sim, você também vai. - Nabi sorriu para ele.

Jimin suspirou no lugar, eu queria muito ir com Nabi. Toda vez que me encontrava com Lana pela casa eu me encontrava em um ambiente totalmente desagradável e penso que se sair um pouco isso vai me aliviar de alguma forma.

-Vamos logo, temos que voltar antes do anoitecer. - Yoongi falou e saiu andando em direção ao carro.

Nabi sorriu e correu atrás dele, Jimin continuou ali me olhando.

-Vamos? - Sorri. - Não vai acontecer nada... - Me aproximei dele.

Ele virou e seguiu Yoongi e Nabi. Entraram no carro, suspirei e fui atrás deles. Sentei atrás junto com Nabi e logo Jimin saiu com o carro. Às vezes eu me perguntava, se eles têm a habilidade de desaparecerem, porque tinham carros também?

-Onde o Jin mora? - Jimin perguntou quando saímos na pista.

Nabi soltou seu cinto e se levantou do banco, curvou seu corpo no meio dos dois e alcançou o GPS do carro. Yoongi se afastou um pouco dela e olhou para o vidro.

-Prontinho. - Ela falou colocando o endereço do Jin ali.

Jimin encarou o aparelho e pisou firme no acelerador. Abri o vidro e deixei o ar frio entrar, respirei fundo. Será que um dia eu voltarei para a minha vida de antes? Olhei pelo o retrovisor e vi Jimin com os olhos vidrados na pista, se um dia eu voltar não nos veremos mais. Eu não sei por que, mas se isso acontecesse logo seria melhor, eu não acho que gostaria de ver Jimin realizar o ritual com aquela garota insuportável.

Vi quando seu olhar encontrou o meu pelo o retrovisor e eu o desviei rapidamente, demorou alguns minutos e logo estávamos em frente à casa do Jin.

-Acho melhor mantermos distância. - Yoongi falou para Jimin.

-Por quê? - Perguntei curiosa.

-Os caçadores Kim tem a habilidade de nos sentir. - Ele respondeu.

Enruguei minhas sobrancelhas, isso era novo para mim.

-Eu espero aqui com eles. - Olhei para Nabi.

Eu não queria que os pais do Jin me vissem, eles sabem que posso ser o equilíbrio de algum clã forte e talvez não me deixam sair da casa.

-Tudo bem, já venho. - Nabi falou e saiu correndo em direção a casa.

-Eu vou ficar de olho por ai. - Yoongi falou e desapareceu.

Jimin foi até o carro e encostou-se ao mesmo com os seus braços cruzados sobre o peito. Caminhei até ali e me encostei ao lado dele. Havia um clima estranho sobre nós depois que ele me mordeu na estufa, mas perguntar estava fora de questão.

-Está bravo? - Perguntei.

-Estou. - Respondeu.

-Não vai acontecer nada, está dia ainda. - Falei.

-Mas logo será noite, é perigoso demais. - Falou olhando para os lados.

Além de Yoongi estar andando para ficar de olho, Jimin também estava atento.

-Jimin... - Chamei e ele me encarou. - Seus olhos mudaram de cor aquela noite...

Eles ficaram roxos, eu estava curiosa para saber o que significava.

-O que é que tem? - Perguntou.

-Nada, eu só fiquei curiosa. Eu queria saber o que significava...

Ele se desencostou do carro e veio na minha frente, apoiou uma mão ao meu lado em cima do veículo.

-É mania sua querer saber de tudo? - Perguntou.

-Não, eu só...

-Você não precisa saber disso Ari. - Falou baixo.

Meu coração acelerou quando meu apelido foi pronunciado novamente por ele. Eu adorei ouvir dele, não sei se é porque ele quase nunca fala meu nome, mas eu gostei. Ele deu um passo em minha direção e se aproximou mais. Inconscientemente levei uma mão em seu rosto e ele se aproximou mais ainda. Fechei meus olhos e quando ele foi me beijar Nabi gritou.

-Voltei!

Ele se afastou rapidamente e colocou suas mãos no bolso. Suspirou e saiu andando. Eu continuava na mesma posição, meu coração batia loucamente. De novo, por pouco quase nos beijamos. O que mais me assustava foi a tranquilidade que iriamos fazer isso, como se já tivéssemos nos beijados várias vezes.

-Pe-pegou tudo? - Perguntei e tentei controlar o meu nervosismo.

-Uhum, podemos ir. - Ela respondeu e entrou no carro.

Yoongi voltou rapidamente e logo estávamos na pista. Minhas mãos estavam juntas em cima do colo, mas que loucura. Ele vai ter uma noiva bem em breve Arimin, precisa se afastar dele. Respirei fundo e Nabi me olhou preocupada, apenas sorri para ela e olhei para fora do carro. O tempo estava bem fechado e logo a chuva cairia.

Fomos o caminho todo em silêncio, Nabi apenas falou que Jin ainda não havia chegado da faculdade e depois disso fomos em silêncio. Minutos depois chegamos na casa e entramos, estava começando a chuviscar, Nabi correu para dentro e Yoongi foi para outro lado. Quando fui sair correndo Jimin me segurou pelo o pulso, olhei para ele assustada com o gesto.

-Vem aqui. - Ele falou.

Puxou-me, me encostou no carro e se aproximou. Arregalei os olhos quando senti seus lábios pressionarem os meus. Meu coração acelerou de uma maneira assustadora, suas mãos seguraram firmes em minha cintura. Apesar do frio que fazia, seus lábios estavam quentes. Fechei meus olhos e subi meus braços em volta do seu pescoço e o correspondi.

Uma mão dele foi de encontro com os meus cabelos e a outra me puxou firme pela cintura. Quando senti a sua língua se encontrar com a minha, uma eletricidade tomou o controle do meu corpo e nessa mesma hora um trovão ecoou pelo o céu.

Estávamos nos beijando.

Nossas respirações descompassadas eram as únicas coisas audíveis para mim, até mesmo a chuva que começara a cair eu não ouvia. Todo o lugar que Jimin tocava pegava fogo e eu queria fundi-lo a mim. Enterrei meus dedos em seus cabelos já úmidos e ele segurou meus lábios inferiores com os seus dentes para recuperarmos o folego. Ele abriu seus olhos e me encarou intensamente.

Levei minhas duas mãos em seu rosto e o puxei para outro beijo. Ele correspondeu rapidamente e me levantou um pouco do chão quando me puxou pela cintura. Precisávamos parar, qualquer um poderia aparecer ali, mas eu não queria. Nunca pensei que beijar Jimin poderia ser tão bom e se eu pudesse sentir para sempre o que estava sentindo naquele momento eu o beijaria para sempre.

Logo meus pés voltaram para o chão quando ele se afastou rapidamente de mim. Seus cabelos estavam grudados na testa e ele respirava com dificuldade.

-Jimin... - Falei seu nome.

-Entra. - Ele falou.

-Oi?

-Entra. - Repetiu. - Por favor.

Desencostei-me do carro e saí correndo em direção à porta da casa. Parei nos degraus da escada e olhei para trás. Ele encarava algum ponto aleatório no chão, parecia perdido. Entrei e fechei a porta.

Eu estava sentindo coisas e dessa vez tenho certeza que não tinha nada a ver com a ligação.


Notas Finais


É isso, espero que estejam gostando.
Comentem o que estão achando.

Beijos e até o próximo.
:*****


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...