História The last goodbye (2 temporada de Seu Olhar) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camren
Visualizações 557
Palavras 2.570
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus anjos!

Voltei bem rápido ehin.

Gente eu escrevi este capitulo ouvindo a musica que vou deixar no link nas notas finais, escutem ela é maravilhosa e vai dar o clima para esse capítulo.

Como sempre perdoem os erros.

Vejo vocês nas notas finais.

Capítulo 2 - Reencontro


Fanfic / Fanfiction The last goodbye (2 temporada de Seu Olhar) - Capítulo 2 - Reencontro

Seattle- Formatura de Sophia (Salão de Festas- Royal Premium)

POV- Lauren

Resolvi deixar meus pequenos com o meu pai, pois ele disse que ia assistir um jogo qualquer na TV e eu, minha mãe e Tay nos encaminhamos para o salão de festas onde ocorreria a formatura. Em menos de 30 minutos chegamos, aviso ao motorista que horas devia nos buscar e entro no salão acompanhada da minha família, assim que o fizemos avistamos, Sinu, Alejandro, Ally, Meredith, Dinah, Mani e Arin. Sinu faz sinal pra gente e vamos ao seu encontro.

Sinu: quem bom que vocês chegaram, a cerimonia já vai iniciar. Guardamos este lugar para vocês.

Eu: obrigada Sinu.

Aproveito que minha mãe entrou em um papo com dona Sinu e me sento ao lado de Mani.

Mani: oi minha branquela. Saudades desta sua bunda branca.

Eu: oi Manibear. Também estava com muitas saudades.

DJ: oi Laurenza. Como pode você ficar ainda mais linda, depois de ter o 2 bebê, ehin?

Eu: olha quem fala, você também está linda. E como estão os preparativos para a chegada do bebê de vocês?

DJ: que a minha baixinha não me escute, mas as oscilações de humores dela estão me deixando louca.

Não pode conter minha risada.

Ally: eu ouvi isso dona Dinah. Oi Laur.

Deu um beliscão na esposa e me deu um beijo no rosto. Paramos nossa conversa para prestar atenção na cerimônia que se iniciava. Depois de uma série de apresentações, es que Sofia surgiu lindamente no palco de beca e tudo mais para realizar a homenagens aos formandos. Começou o discurso e ia tudo bem, até que uma moça se chegou onde estávamos, cumprimentou Sinu e Alejandro e sentou ao lado de Mer. Bem que eu tinha notado dois lugares livres do lado dela, porém neste momento notei Sofia parar brevemente o seu discurso e abrir um lindo sorriso e focar no final do salão. E bastou isto para eu saber que era ela. E sem poder me conter eu olhei para trás e lá estava Camila, aquela que eu tanto amei e que tanto me magoou. Senti todo o meu corpo tremer. Camila estava deslumbrante em um vestido branco um tanto curto que destacava as suas pernas torneadas, e eu não pude deixar de notar o quanto os anos fizeram bem pra ela, que conseguia estar ainda mais linda do que a 10 anos atrás. E como eu já previa, vê-la reabria em mim uma série de memórias, muitas felizes e muitas tristes também.

Flashback On

Como uma espécie de milagre estamos somente Camila na minha casa. E enquanto eu falava sem parar ela permanecia quieta me olhando.

Eu: o que tanto você olha meu amor?

Camila: você! Sempre que eu olho pra você eu me pergunto o que eu fiz pra merecê-la. Você é como o último dos três dos desejos da lâmpada.

Eu: você sempre me surpreende e me deixa sem palavras.

Camila: você não precisa dizer nada, basta me amar. Enquanto você estiver comigo eu serei sempre feliz.

Eu: isso é fácil de fazer. Eu não vou a lugar nenhum sem você Camz. Eu não imagino a minha vida sem você.

Ela então não disse mais nada e somente me abraçou bem apertado. E naquele abraço eu me sentia a mulher mais feliz do mundo!

Flashback Off

E mal eu sabia que aquele seria o nosso adeus! O nosso último adeus.

Saio do meu transe com Mani me chamando, pois, o evento já estava quase terminando e daqui a pouco iriamos para um outro salão onde aconteceria a festa. Me apego a está deixa e me levanto apressada e aproveito que Camila ainda não havia me notado e corro para o banheiro, porém ao passar pelo corredor eu me virei para olhá-la uma última vez e foi neste momento que nossos olhos se encontraram, e naquela fração de segundos o ar me faltou.

 

[...]

 

POV-Camila

Devido a correria da viagem de última hora, Ariana e eu nos arrumamos no banheiro do aeroporto e depois corremos para o local onde aconteceria a cerimonia. Assim que chegamos, minha amiga que é bem cara de pau, nem se importou se estava atrapalhando e foi correndo em direção onde minha família estava e se acomodou. Eu permaneci encostada na parede de frente pro palco ouvindo minha pequena discursar e por Deus como minha irmã estava linda. Eu não poderia estar mais orgulhosa. Assim que me viu ela parou o discurso e abriu um sorriso lindo ao me ver, eu por minha vez mandei um beijo pra ela e me sentei no fundo mesmo para dar total atenção a ela. Depois que ela ter concluído o seu discurso a cerimonia seguiu rapidamente, os diplomas foram entregues, e quando o reitor já estava nos direcionando para outro salão onde aconteceria a festa, eu tive aquela sensação de algo queimar a minha pele, e quando ergui minha cabeça, eu quase não podia acreditar que era ela, aquela que arrancou meu coração e o esmagou sem nem ao menos pensar, aquela que eu mais amei, aquela que era o ar que eu respirava, Lauren! Me senti sem chão para pisar e sentia que a qualquer momento ia sufocar tento aquele mar verde sob mim. Ela então correu em direção ao banheiro e eu corri para o lado de fora. Entrei dentro do meu carro e sem pensar duas vezes dirigi em direção ao único lugar que faria eu me acalmar. Parei em frente a balsa e entrei na primeira barca que estava ancorada e pelo horário aquela seria uma das últimas do dia. Paguei e fui em direção ao lado de fora da barca, o meu preferido e de que eu tantos senti falta, pois não existe o serviço de barca em Marselha. Encostei no parapeito e me deixei vagar em pensamentos em quanto eu voltava a respirar. Quando a barca finalmente se movimentou eu pude sentir um frio cortar minha espinha e eu nem precisava me virar para saber que ela estava ali, seu cheiro suave de morango me invadiu. Tomo coragem para me virar, pois era isto eu não poderia mais me esconder. Eu Karla Camila Cabello Estrebao, umas das melhores neurocirurgiãs do mundo, consigo encarar cirurgias de mais de 24 horas, conseguia entender coisas impossíveis, consegui fazer as contas mais complexas do mundo em segundos, mas quando se tratava de Lauren, eu não passava de uma menininha assustada. Podem se passar mil anos, ela sempre será a única que consegue tirar o melhor e o pior de mim. E mesmo 10 anos depois e sobre milhares de magoas, ela ainda é a única que eu amei, entre todas que já passaram pela minha cama, ela era a única que permanecia intocável em meu coração. Me viro de repente de olhos fechados e ao abri-los ela me encarava atentamente. Nos aproximamos uma da outra devagar e quando estávamos perto o suficiente ela se pronunciou.

Lauren: oi Camila.

Eu: oi Lauren.

Permanecemos em silêncio e depois de um tempo ela desabou a chorar, chorava tanto que eu tive que ampará-la. A abracei forte e ia falando em seu ouvido para que ela respirasse. Depois de uns minutos assim ela foi se acalmando e me soltou e bastou este momento para eu desejar nunca ter ido embora.

Eu: Lauren, por-qu-ê

E a sua resposta foi um belo tapa na minha cara.

Lauren: isso foi por você ter acabado com a fé que eu tinha no amor, foi por tudo que você me fez sofrer.

Eu: sofrer??? Você quer falar de sofrimento depois de ter me traído da maneira mais baixa possível? Você não faz ideia do inferno que eu vivi. Você sim me acabou com tudo que eu um dia senti aqui dentro (aponto pro meu coração).

Lauren: se você ao menos tivesse me dado o benefício da dúvida? Se ao menos tivesse ficado e me confrontado, mas não, fugiu e se escondeu por anos como uma covarde.

Eu: o que tinha pra ser tido Lauren? O que? Além do que eu vi com meus próprios olhos!!! Ninguém me contou, eu vi.

 

Lauren: quer saber? Não vale apena, não mais! Eu nem sei o que eu vim fazer aqui. Você não merece nem sequer a minha consideração.

Disse isso e se virou para ir para entrar na direção da lanchonete, mas eu a segui. E a puxei pelo braço.

Eu: fala! O que você ia dizer?

Lauren: você perdeu o direito de saber! Perdeu este direito a 10 anos atrás.

Quando eu ia rebater o celular dela tocou.

Clara´s On

Lauren: oi mãe... pode falar claro... o quê? Como assim convulsionou??? Vocês já estão no hospital?? Sim, okay eu já estou indo para ai.

Eu: o que houve?

Lauren estava pálida.

Lauren: meu filho, meu filho teve uma convulsão e teve que ser levado de ambulância para o hospi-tal (disse chorando). Eu preciso sair daqui eu te-nho qu-e ir pr-a lá. Meu Deus Camila o meu bebê.

Ignorei o choque que senti ao ouvir que ela tinha filhos. Durante estes anos eu proibi, Mer e Ally de comentarem sobre Lauren, então, além dos livros que ela lançou eu nunca soube de nada. Deixo meus pensamentos de lado e vou até o piloto da barca sendo seguida por Lauren, para pedi-lo para ancorar o mais rápido possível, uma convulsão em uma criança nunca era bom sinal.

Eu: olá senhor, eu sei que ainda falta um pouco para ancorarmos, mas tivemos uma emergência familiar, será que o senhor pode acelerar e ancorar mais rápido.

Piloto: olha eu entendo, mas eu não posso ir mais rápido.

Lauren começou a se desesperar. Eu então direi uma nota de 100,00 dólares da carteira e entreguei pra ele. Ele então rapidamente deu meia volta, me fez um sinal e acelerou. 5 minutos depois a barca finalmente parou e saímos dela rapidamente. Abri a porta do meu carro para Lauren entrar. E segui correndo para o hospital e em menos de 20 minutos chegamos. Lauren ia entrando rapidamente eu ia a seguindo, depois que descobrimos onde Clara estava, nos encaminhamos para o 5º andar do hospital que era a atual ala pediátrica. Assim que as portas do elevador se abriram eu pude ver todos lá e quando digo todos, são todos mesmo. Clara deve ter recebido a informação enquanto estava na festa. Minha mama me encarava com os olhos estreitos, minhas amigas me encaravam com magoa, pois após ter saído de Seattle eu só mantive contato com Ally e Meredith. Lauren correu e abraçou a mãe. E eu me sentei um pouco distante, mas podia ouvir todos conversando.

Lauren: onde ele está mama? Com quem ficou o Ben? Os médicos já vieram informar o estado dele? Fala mãe!!!

Clara: calma minha filha, ele está bem, já está estabilizado e o dr. Baltiman está o examinando pessoalmente. Ele é nosso melhor pediatra. E o Ben ficou com a Tay e com o Zayn, agora senta e se acalma, okay. Não vai te fazer bem ficar assim. Lauren então se sentou do lado de Mike e em consequência do meu lado. Permanecia de cabeça baixa e tentava assimilar o que tinha acontecido comigo desde que eu sai de Marselha. Depois de 1 hora aproximadamente, eis que o dr. Baltiman apareceu e chamou dra. Jauregui de canto, mas Lauren o impediu de falar em privado com sua mãe.

Lauren: não, nada de segredos sobre a saúde do meu filho. Pode falar o que for na minha presença doutor.

Clara: Lauren!!

Dr. Baltiman: tudo bem dra. Jauregui eu entendo. Na verdade, eu preciso da sua ajuda doutora, os exames já ficaram prontos, mas nós precisamos da consulta de um neurologista. Os dois que estão do plantão, estão em cirurgia, devido a um acidente que aconteceu na 3ª avenida. É urgente que está consulta seja feita agora.

Quando ele disse isso eu me senti numa espécie de pesadelo, de onde você quer acordar e não consegue. O caso dele não podia ser neurológico, por Deus não! Neste momento Clara pela primeira vez me olhou.

Clara: minha filha, será que você pode fazer está consulta?

Quando ela me perguntou isso, todos passaram a me olhar. Acho que todos estavam tão abismados com a surpresa que o destino nos reservava aquela noite. Lauren me encarava com olhos suplicantes, e claro que eu jamais negaria este pedido.

Me levantei e cumprimentei o dr. Baltiman, e ainda sobre olhar atento de todos peguei as radiografias de suas mãos e levei a luz a que mostrava todo o crânio. Passei a observa-la com atenção, e para minha surpresa constatei algo que não podia ser verdade.

Eu: doutor, por favor, peça para refazerem esta radiografia, só que desta vez dando ênfase na coloração internervosa e com ampliação de 200k, okay?

Dr. Baltimam: pode deixar doutora Cabello. E aproveito para dizer que eu sou um fã do seu trabalho, o seu estudo sobre degeneração cerebral é incrível. Parabéns.

Coço a nuca e agradeço, eu até hoje não sei reagir sob elogios.

Eu: e doutor por favor enviar este exame para este e-mail.

Tiro do bolso um cartão com meus dados e entrego a ele.

Eu: você tem como pedirem para encaminharem a mim o mais rápido possível? De preferência dentro de no máximo 1 hora, você acha que consegue?

Clara: nós estamos falando do neto da dona do hospital. Baltimam, agilize isto para menos de uma hora.

Ele assente e sai rapidamente.

Eu: pai, a sala de cinema da casa nova já está à disposição? Qual é a resolução da tela?

Antes de meu pai responder, minha mãe nos interrompe.

Sinu: isto é hora de querer saber da sala de cinema Karla?

Eu: mama, é importante okay? Se a sala de casa não tiver pronta, eu terei que alugar alguma sala de cinema para poder analisar o exame.

Clara: o que você tem em mente Camila? A radiografia apontou algo?

Lauren nos olhava atentamente. Então preferi não demonstrar preocupação até ter certeza do que tinha visto.

Eu: doutora eu não consegui fazer a leitura na radiografia, e você sabe que em casos assim é importante repetimos o exame.

Clara na hora entendeu a minha preocupação e para não alarmar todos presentes na sala de espera, assentiu e me abraçou e disse no meu ouvido:

Clara: eu senti saudades minha filha. E apesar de tudo eu quero que você saiba que eu tenho muito orgulho de você, muito. Você se foi além do que eu imaginei.

Eu então retribuo o abraço, e me senti aliviada, pois essa mulher sempre foi como uma segunda mãe para mim. Nos separamos e meu pai finalmente respondeu, minha pergunta.

Alejandro: filha a sala está pronta sim, a tela é imensa com resolução 500k.

Eu: perfeito. Mama me dá sua cópia eu vou pra casa esperar o exame.

Ela então me entrega. Eu me despeço e quando estava na porta do elevador Lauren me para.

Lauren: seja o que for, não minta pra mim e me diga imediatamente. Assim que eu conseguir ver meu filho eu vou pra sua casa saber o resultado deste exame, oaky? Promete pra mim que não vai tentar amenizar nada, eu quero saber a real situação dele. Jura pra mim Camz? Só que desta vez cumpra sua promessa, no passado você jurou que nunca me deixaria sozinha e nós sabemos o que aconteceu.

 

E com essas simples palavras ela me quebrou! 


Notas Finais


LINK: https://www.youtube.com/watch?v=igT1QKKm2GE (Escutem a música é linda)

E ai o que acharam? Tivemos bastante Camren neste capitulo.

Bjoss e vejo vocês em breve!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...