1. Spirit Fanfics >
  2. The last letter - Jikook >
  3. Dark

História The last letter - Jikook - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Ola, como vcs estão? Eu tô bem hihihi.

Bom então, este capitulo ele é de boas!! Mas ainda vai ter mortes e enfim, então nn recomendo pra quem tem estômago fraco.

Então este é o primeiro capítulo ea fanfic e eu vou fazer mais fanfics SIM. E inclusive todas as minhas estão interligadas e faço o máximo pra colocar coisinhas uma na outra hehehe. Mas essa é a primeira então vcs não vão entender 🤷‍♀️

E a foto das trigêmeas Abramov é a da capa.

Tenham uma boa leitura anjinhos 🥀

Capítulo 2 - Dark


Fanfic / Fanfiction The last letter - Jikook - Capítulo 2 - Dark

"Busan, Coreia do Sul.

16/08/1980

Caro Park Jimin,

Sabe quando você sente que está prestes a morrer? Então é desta forma que me sinto. Sou ameaçado a meses, estas pessoas estão me deixando louco.

São psicopatas que gostam de ver as pessoas sendo torturadas e principalmente sem vida. Com o coração sem poder bater, com os olhos brancos sem cor alguma, e sem poder abrir a boca para protestar.

Jimin eu não aguento mais. Eu tô no auge disso. E essa carta é para pelo menos alguém ficar informado disso, e eu quero que este alguém seja você. Por favor Jimin, me encontre."

O que era desta carta? Está carta provavelmente foi antes do ocorrido acontecer. Será? Claro que sim. Não tem possibilidades.

Eu coloco novamente a carta dentro do livro, chamado de "the dark throne", e coloco de baixo de minha cama. Logo descendo para a sala.

Lá vejo o meu pai, já arrumado. Acredito que estava prestes a sair. Decido perguntar, mesmo já sabendo e imaginando a resposta.

Park Jimin - Appa, você já vai?

O mesmo olha para mim com o seu grande sorriso. Que é o mesmo que fez a minha mãe se apaixonar por ele. O mesmo que fez eu existir.

Park Chanyeol - Sim muito trabalho.

Park Jimin - Appa eu fiquei fora por 4 anos, o que posso fazer na cidade?

Ele parece pensar por alguns segundos, mas logo volta a falar comigo.

Park Chanyeol - Você poderia visitar os irmãos Williams, eles chegaram recentemente na cidade e você ainda não se apresentou a eles.

Eu sorrio para ele com a sua ideia. Eu realmente não conheci eles e era uma boa ideia, mas antes de eu perguntar o endereço vejo que Chanyeol já havia saído. O que me faz suspirar, meu pai está mais estranho, me lembro que a 4 anos atrás ele se despedia e conversava mais comigo, agora...bom. Todos estão estranhos, acho que até eu mesmo.

A cada segundo que se passava, eu escutava vozes em minha cabeça, o que faz a minha cabeça doer um pouco.

Seu melhor amigo não está com você.

Park Jimin - eu não preciso me lembrar.

Ele pode ter morrido.

Park Jimin - Mas ele não morreu.

Ele pode estar sofrendo.

Park Jimin - E-ele não está, tudo está bem.

Você não faz nada.

Park Jimin - O que eu posso fazer?

Você é imprestável.

Park Jimin - Não, eu não sou

Só vai parar de ser, quando ajudar.

Park Jimin - Para, por favor.

Park ChaeWon- Filho está tudo bem?

Minha mãe me tira do transe, abro meus olhos que nem havia percebido que estavam fechados. Minha cabeça para de doer, o que me faz perceber que eu estava deitado no chão. Provavelmente havia me jogado durante isto.

Park Jimin - A-ah está bem sim omma!!

Ela logo saí e eu solto o ar que eu nem havia percebido que estava prendido. O que aconteceu? Que vozes eram essas?

Park Jimin - Eu preciso esquecer, preciso sair de casa.

Falo em voz alta sem motivo algum. Eu caminho até a porta, logo destrancando a mesma e em seguida saindo, tranco a casa e ando pelo lado direito de minha rua. E apenas sigo em frente.

Enquanto andava, reparo em como vazia as ruas estavam. Sem nenhum carro ou pessoa, as portas estavam muito bem trancadas e janelas fechadas. Mas o que tinha muito são folhas falando sobre Jungkook estar desaparecido.

Minha mãe me falou que a senhora Jeon espalhou para todos o desaparecimento de seu filho então toda a cidade sabe. Só que invés de ajudarem apenas ficam em casa com medo.

Covardes! É o que todos são. Egoístas! Não se importan com Jungkook, apenas não querem ser pegos.

Raiva é o que eu tenho dessa sociedade.

Ainda andando, percebo que havia chegado em um local com mais mato do que construções. Mas enfim nem me importo e continuo andando, pessoas que estivessem bem, psicologicamente, parariam. Mas bem é o que menos eu tô neste momento então nem me importo.

Enquanto eu andava, consigo escutar som de diversos insetos. Confesso que algumas vezes me assustei só que, na maioria das vezes nem me importei.

Observando mais o local reparo em uma casa totalmente preta. Na real ela estava mais para uma mansão, imensa e totalmente preta. Com uma cerca separando o quintal da rua. La dentro tem dois dobermann e você consegue reparar que está cheia de coisas de seguranças, aparelhos que ou você precisa colocar a impressão digital, a voz e uma senha. Acredito que os três. Provavelmente por causa de ser afastada colocam diversas seguranças, e ainda mas depois do ocorrido.

Bom continuo andando mas quando percebo, estava perdido. Totalmente sozinho em um grande pedaço de mato. Começo a correr sem saber a direção apenas para voltar em casa, com medo e sem pensar nas consequências.

Eu esbarro em alguém, o que me deixa com mais medo. Eu estava de olhos fechados então acabo não vendo quem é. Caio de joelhos no chão.

Park Jimin - Me desculpe e-eu estou perdido e...

??? - Quer que eu te leve de volta para a cidade?

Abro meus olhos e vendo que quem eu havia esbarrado era Hoseok, o irmão adotado de Jungkook, mas ele não carregava o sobrenome Jeon, e sim o sobrenome em que nasceu: Jung.

Park Jimin - Ah sim, por favor.

Jung Hoseok - Me siga.

E então ele começa a andar, percebo que estava diferente. Mais fechado e ele tentava evitar contato visual. Mas a 4 anos atrás onde ele estava, era como se fosse a alma do local. Sempre animado, tagarela e com diversos amigos. Já Jungkook era mais fechado, mas acho que era notado por sua beleza, onde ele pisava ele chamava atenção e pessoas suspiravam. Pegava diversos garotos mas ainda sim, era um ótimo amigo.

Com essas descrições parece que Jungkook é o popular das escolas, mimadinho e pegador, mas não! Já perdi a conta de quantas pessoas ele protegeu do bullying.

Nesses minutos em que Hoseok me levava para a cidade não trocamos nenhuma palavra. E o Hoseok que eu conhecia ficaria falando a caminhada toda. E em um piscar de olho já haviamos chegado. Sem ele provavelmente me perderia mais.

Park Jimin - Tchau!

Dou um tchau a ele, mas quando vi ele já tinha ido.

Estranho...

Muito estranho...

Começo a caminhar até a minha casa. E enquanto andava vejo Taehyung ajoelhado, de cabeça baixa, brincado com um gatinho.

Park Jimin - Kim Taehyung!!

Taehyung era um amigo meu. Ele era animado, brincalhão e extrovertido. Quando o chamo ele levanta a cabeça e eu corro até ele logo o dando um abraço.

Kim Taehyung- Park Jimin!!

Ele retribui o abraço e logo separamos. Kim Taehyung era mais próximo de mim do que de Jungkook. Mas ele, Jungkook e Yoongi sempre ficavam horas jogando video game e eu tinha um pouco de ciúmes, mas para compensar eu e Hoseok ficavamos praticando dança. Eu e ele eramos apaixonados por dança, e faziamos até um curso juntos, bom até eu parar com os Street Dance e apenas ficar com Ballet. Mas nós ainda praticavamos algumas danças juntos.

A mãe de Jungkook teve Jungkook com 14 anos. Ela foi abusada sexualmente, e nesse tempo apenas teve os pais a apoiando em tudo. Mas ela batalhou e hoje é riquíssima. A senhora Jeon adotou Hoseok quando ela tinha 18 anos, Jungkook 4 anos e Hoseok 7 anos.

Park Jimin - Quanto tempo!! Iae e as novidades.

Kim Taehyung - Bom só coisas tristes tão acontecendo ultimamente. Desdo sumiço de Jungkook eu e Yoongi paramos de jogar video game. E inclusive Yoongi tem saído com várias garotas, algumas que eu sequer conheço. E Hoseok desdo sumiço de Jungkook ou ele tá em casa, trancado no quarto, ou vai a lugares estranhos que ninguém sabe. Simplesmente o nosso grupo da amizade acabou, acredito que sou o mais motivado.

Eu paro para pensar. Quando eu me perdi Hoseok me ajudou e até sabia o caminho. Ele realmente vai a lugares estranhos, mas o que ele encontraria lá?

Park Jimin - De manhã eu tava caminhando, e acabei chegando em um lugar que só havia mato. Quando reparei que estava perdido, encontrei Hoseok e ele me guiou até em casa, mas totalmente sem conversas.

Taehyung abaixa a cabeça e fica assim por algum segundos. Me lembro que Taehyung confessou para mim estar apaixonado por Yoongi e Hoseok, eu tinha desconfianças já por causa que Taehyung sempre ao ver esses dois dava o seu maior sorriso quadrado. Nesse dia acabei confessando amar Jungkook e nós nos prometemos nós apoiar. E agora? Tudo estava acabado. Nossa amizade esta desaparecida assim como Jungkook, e talvez eu nunca mais vou ver ele. Isto é triste apenas de pensar.

Kim Taehyung - S-será que ele vai para lá? Por que ele iria?

Taehyung parecia estar falando com sigo mesmo. Mas mesmo assim resolvo responder a ele.

Park Jimin - Ah eu não sei, talvez este...

Taehyung me interrompe gritando. Ele parecia triste e desepcionado. Também com medo, eu queria ajudar mas ele esteva chorando.

Kim Taehyung - Não tem sentido Jimin. NÃO TEM.

Park Jimin - Como assim não tem senti...

Ao tentar responde-lo novamente sou interrompido.

Kim Taehyung - SERÁ ELE JIMIN, se...

Park Jimin- CHEGA TAEHYUNG.

Grito com ele o interrompendo. Ele estava com um olhar triste mas era a única forma de o fazer prestar a atenção em mim.

Park Jimin - Nós não sabemos o que aconteceu. Talvez Hoseok esteja perturbado por causa do desaparecimento do irmão. E Jungkook falava sobre que estava pertubado em sua carta.

Kim Taehyung - Que carta Jimin?

Olho para ele desesperado. Logo vendo que eu falei de mais.

Park Jimin - A-Ah uma carta dele.

Kim Taehyung - Jimin, que carta?

Fecho os olhos com força. Taehyung não gostava de meia informação, e eu seria obrigado a falar.

Park Jimin - Em quanto eu estava ainda em Califórnia. Recebi uma carta suspeita de Jungkook. Nela falava o quanto ele estava sendo ameaçado a meses antes de sumir.

Kim Taehyung - E-Eu posso ver a carta?

Park Jimin - Ela está em casa, vamos combinar. Amanhã as 10:00 você passa em minha casa, conversamos e te mostro a carta que tal?

Kim Taehyung - Ok então.

Park Jimin - Eu tenho que ir, tchau amigo.

Falo com um biquinho no rosto.

Kim Taehyung - Tchau.

Nós abraçamos e logo eu começo a andar novamente. Até a minha casa. Com as mãos nos bolsos.

Andando pela a calçada. Desacelero meus paços. Me lembrava dos cursos de dança, eu sempre amei dança. Mas era indeciso, Hoseok sempre quis fazer Street Dance. Mas eu tinha dúvidas entre Street Dance ou Ballet, então eu fazia os dois curso. Mas após algum tempo percebi que Street Dance não era para mim e apenas permaneci no Ballet.

Enquanto eu caminhava, sinto uma mão sobre o meu ombro. Me assusto e quando viro para trás vejo as trigêmeas Abramov. Elas chegaram na cidade quando eu tinha 12 anos e elas 15, no início era estranho. Não me lembro de ter visto mais trigêmeas além delas, apenas gêmeas mesmo.

??? - Eae Jiminnie.

Impossível era identifica-las. Totalmente iguais, e além que eu fiquei 4 anos sem vê-las. Isto só dificultava.

Park Jimin - Oie trigêmeas, quem é quem?

Pergunto confuso. Elas riem da minha cara logo falando:

Carolaine Abramov - Eu sou a Carolaine.

Carolaine, foi a gêmea mais extrovertida e carinhosa. Sempre boa para dar conselhos, e amava fazer cosplays.

Caroline Abramov - Eu sou a Caroline.

Caroline, a gêmea mais popular e pegadora. Muito desejada e sexy, amava desenhar e pintar o cabelo.

Carolina Abramov - Preciso falar?

Carolina, essa gêmea para mim é a mais inteligente. Sempre lendo um livro, na escola era nota 10. E a mesma queria ser uma médica.

Eu rio baixinho, Carolina era um pouco ignorante. Mas eu ainda sim gostava dela.

Park Jimin - Mas me contem, o que aconteceu enquanto estive fora?

Elas se olham pensando e logo vejo Carolina abrindo a boca para falar algo.

Carolina Abramov - Bom. Em nossa família apenas nossos pais voltaram a Rússia. Agora fora, bom apenas a família Williams que veio até a nossa cidade.

Realmente, todos falavam sobre está família Williams. Eu queria conhecê-los, na primeira oportunidade irei conhecê-los.

Ao ouvir que os pais delas voltaram a Rússia fiquei triste. Eu gostava deles, eram super gentis. Pelo menos elas ainda permaneciam aqui na cidade.

Park Jimin - Por que não foram juntas.

Não precisei esperar nem um segundo para ser respondido.

Carolaine Abramov - Pegamos intimade com aqui. Apenas Caroline queria mas ela preferiu permanecer aqui com a gente.

Park Jimin - Bom então tenho que ir.

As três se despedem e logo volto a andar.

Quando vejo, já estou de frente para a minha casa. Tiro as chaves de meu bolso e as balanço fazendo um som que ao meu ouvido era relaxante. Abro a porta, logo entrando e a trancando novamente.

Park Jimin - Omma?

Chamo por minha mãe mas nada, logo a procuro pelos cômodos e...nada novamente. Ela havia saído? Isto era o provável, mas minha omma não era de sair. Enfim eu não ligo muito e apenas vou ao meu quarto. Retiro de baixo de minha cama o meu livro, que estava com a carta dentro. Retiro a carta e coloco o livro em qualquer lugar do quarto.

Abro a mesma e me certifico de que está é a carta. Logo após isso deixo ela em cima da cômoda e pego um bloquinho de notas.

Park Jimin - Se eu quero encontrar Jungkook, tenho que anotar tudo.

Pego uma caneta azul escura, e logo começo a pensar em absulutamente tudo que aconteceu hoje.

E então lentamente, e com letras suaves começo a escrever:

"Dia em que Jungkook sumio: ...

Todos estão estranhos. Principalmente Hoseok.

Hoseok: Vai a lugares estranho ou fica trancado no quarto"

Park Jimin - Esse dia foi cansativo. Acho que vou tomar um banho.

Ando até o armário, e pego uma camiseta branca e uma calça de moletom. Logo retiro as roupas, pego a minha toalha branca e ando até o banheiro, logo entrando no mesmo.

Ligo a banheira logo vendo ela encher de agua. Já cheia, entro nela e relaxo.

Me lembro de eu e Jungkook já termos tomado banho juntos nessa banheira imensa. Jogávamos água um no outro e jurei que ele olhou para o meu traseiro e meu pênis. Mas provavelmente não foi nada, ele provavelmente sequer olhou. Assim como Yoongi dizia: "Sua imaginação vai além do que você vê" e pois é, isto confirma a fala dele.

Fecho o meus olhos e aproveito isto. A sensação era relaxante e eu queria sentir mais e mais disto. Parece a única coisa que me acalma nestes tempos.

Eu não suportava mais era muita pressão, começo a me lavar e em alguns minutos eu já havia saído da banheira, com meu corpo inteiramente encharcado. Eu me sentia mole mas não me importo.

Pego a toalha branca e me seco por inteiro, em seguida coloco a minha box e meias e em seguida minha calça moletom e camiseta branca. Logo saío do banheiro e desço até a sala.

Ao me sentar sofá se passa alguns minutos em que estava apenas olhando para o teto. O que me faz cair na realidade é batidas na porta. O que queriam comigo naquele momento?

Por que bateriam em minha porta, sendo que isso não acontece ultimamente. Nestes tempos.


Notas Finais


Ola!! Desculpa pelo capítulo ruim e curto ;-;

Tentei fazer uma linguagem mais formal, mas como pode ser visto não ficou muito assim não. Mas ignorem pfv :D

Esse capítulo é mais para, íniciar tudo então não aconteceu muitas coisas. Não quero falar que em todo capitulo algo tipo: "UAU" vai acontecer, mas esss foi muito simples.

Bom e eu quero fazer um aviso, as vezes eu colocarei uns capítulos "especiais" que terão menos letras e enfim. Mas estes serão capítulos que serão nas visões de outras pessoas, SÓ QUE não colocarei quem, é apenas para encher as suas lindas cabecinhas de dúvidas :D

Capítulo revisado ✔

Bom agoras as perguntas que podem ser estabelecidas neste capítulo:

- Por que Hoseok estava naquele lugar?

- O que Hoseok iria fazer lá?

- Quem mora naquela mansão?

- Onde Park ChaeWon foi?

Bom são estas duvidas então tenham um bom dia anjinhos 🥀


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...