História The last (Reylo) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Kylo está descobrindo um mundo novo ao lado da garota.

Capítulo 2 - O livro


Fanfic / Fanfiction The last (Reylo) - Capítulo 2 - O livro

Kylo colocou as mãos sobre as dela que pousavam em seu peito, os olhos se arregalaram com a declaração da “garota”. O toque dela o fez sentir a respiração pesar e ele começou a respirar mais fundo. Ren desviou os olhos e lembrou-se da caça que ela havia abandonado na floresta, ela comia carne. Uma garota come carne, ele concluiu. Assim como uma garota tem o corpo menor e diferente do dele. Levantou a outra mão coçando a cabeça, se o mesmo quisesse mantê-la por perto precisaria dar comida e cuidar dela. Kylo olhou para a janela vendo que já devia ser hora da segunda refeição. Antes mesmo de se apresentar a ela, o rapaz se afastou indo até a porta.

Você fica aqui eu vou pegar a sua comida. - Mal virou-se de costa e sentiu outro toque dela, só que em seu braço.

Ele virou e agora estava tão perto que sentiu os braços dela o envolverem. Kylo recuou assustado, lembrando-se do que ela fez ao porco. Mas depois de alguns segundos ela o soltou permitindo que ele partisse.

O local que era próximo a cachoeira estava vazio e a única coisa que ele viu no chão foi o sangue do animal que sumiu. Kylo voltou nervoso, se ele voltasse sem nada, talvez ele fosse o substituto do porco. Ela estava esperando ele enquanto comia uma maçã, o rapaz abriu a porta aliviando-se por ela comer outra coisa além de carne.

O porco sumiu. - Falou a ela que começou a franzir o cenho levantando indignada. - Calma, no quintal tem vegetais, eu posso fazer algo para você comer. Me siga.

Ainda indignada ela o seguiu observando um belo jardim e várias hortas. A garota abriu um sorriso ao ver flores e algumas rolinhas pousando para ciscar o chão. Kylo a olhou achando-a bonita quando ela ergueu uma das aves, ele sorriu timidamente de volta para ela e os dois olhos se encontraram. O sorriso dele morreu quando ela torceu o pescoço do animal, fazendo ele arregalar os olhos e ficar estranhamente preocupado. Ela abaixou o braço pegando o punhal da cintura e arranhou o peito até a extremidade, em seguida puxou a pele com facilidade livrando-se das penas. Curvou-se no chão pegando alguns galhos e começou a fazer fogo. Kylo ainda chocado recolheu gravetos do chão para ajudá-la. Ambos sentaram-se em um tronco esperando assar a vítima.

- Meu nome é Rey. - Ela falou enquanto girava a ave espetada por um galho.

- Meu nome é Kylo Ren. Meu pai disse que nós éramos os únicos que sobraram, eu acreditei nisso até hoje quando vi você.

Rey ergueu a ave o oferecendo um pedaço, ele recusou dizendo que não comia carne. Ela devorou esfomeada como se não comesse a dias enquanto o rapaz começou a comer uma de suas batatas cozidas. Quando finalmente terminaram eles adentraram a casa. O silêncio antes normal, agora tornou-se estranho pela presença dos dois, Kylo caminhou até o sofá improvisado com colchões e almofadas velhas e ela o acompanhou sentando-se perto dele. Novamente o silêncio pendurou fazendo-o movimentar os dedos nervosamente sobre a própria coxa, a olhou de canto sentindo o os olhos dela o queimarem, então soltou quase como um grito de alívio:

Você já ouviu música? - Ela negou com a cabeça. - Eu tenho um toca disco, eu achei depois que meu pai… se foi.

Ele se virou e colocou um disco para tocar. Foi quando ela pareceu se recordar de algo e se aproximou dele colocando as mãos nos ombros dele. Estavam bem próximos, Kylo podia sentir a respiração calma dela, mas a dele descompassou e ele se levantou a puxando junto sem querer. As mãos dela escorregaram para o pescoço dele, então ele inconscientemente depositou as mãos na cintura dela, aos poucos a garota caminhou lentamente o conduzindo a acompanhá-la, ele sentiu as bochechas esquentarem e as mãos formigarem. Logo ele entendeu que ela queria dançar com ele, então ele começou a conduzi-la. Rey fitava profundamente nos olhos de Kylo Ren.

- Como você conhece dança e não música? - Perguntou a Rey que tirou o olhar dele e procurou a mochila.

- Livros. - Apontou para a mochila entreaberta e pareciam haver dois. - Eu leio muitos livros, os meus favoritos são romances, e lendo eles eu descobri que existiam homens e mulheres, e homens convidam mulheres para dançar quando colocam músicas. Você é o primeiro homem que eu vejo que não é meu pai.

Nossa então ela realmente  falava.

- Então... existem outras garotas?

- Sim, eu vi uma. O nome dela é Rose Tico, ela também procurava uma pessoa e partiu.

Kylo observou que Rey falava com tristeza e resolveu mudar de assunto.

- Onde você conseguiu livros? Eu só li alguns sobre vegetais e cultivo que meu pai me ensinou a ler. - Ele disse antes de tropeçar nos próprios pés quase a levando consigo ao chão. O rapaz sentiu a vergonha o fazer fechar os olhos.

- Eu deixei os livros para trás. - Ela falou enquanto tentava se recompor. - Antes de sair em busca de… de alguém.

- O seu pai?

- Eu esperei meus pais voltarem. Durante doze anos eu esperei por eles, mas agora com dezessete eu resolvi aceitar que eles jamais voltarão.

A música acabou e Kylo mostrou a ela o quarto que era de Han, onde ela ficou até anoitecer. Novamente ele ficou nervoso, não admitia ser medo, mas ele não tinha carne para ela comer e isso o preocupava. A preocupação passou dando espaço a um sono profundo, sonhava com a garota o observando e indo em sua direção, ambos sorrindo e ela estendendo a mão, ele tirou a luva de couro que usava para tocar a ponta dos dedos dela sentindo o calor que ela emanava. O sono foi interrompido quando ele sentiu algo pesar em seu peito e então abriu os olhos vendo Rey adormecida sobre si, era de fato muito bom sentir o calor dela, a respiração calma e o rosto iluminado pela penumbra. Ela era muito bonita, e dormia com os lábios entreabertos, ele levantou os dedos tocando no rosto da mesma. Kylo sentiu um medo, medo de perder a única garota que havia conhecido, então a abraçou contra si e fechou os olhos.

Quando amanheceu Kylo e Rey foram até até um lago para conseguir peixes. Rey havia dado um de seus livro para Kylo e enquanto ela jogava um lança improvisada com seu punhal na água ele começava a leitura. A história era sobre um casal que se encontravam às escondidas e a cada encontro progrediam na relação, ler o livro fez Kylo entender alguns dos novos sentimentos que a garota fazia ele sentir. Mas os capítulos ficavam cada vez mais ousados o que fez ele se perguntar se assim como a dança ele deveria fazer as outras coisas do livro, como um tal de beijo. Ele levantou os orbes na direção dela que já havia pego dois peixes, ela o encarou e encarou o lago, então começou a tirar a blusa e a calça, fazendo ele ficar paralisado, e entrou no rio.

- Você não vem? - Ele hesitou, mas logo tirou apenas a camisa indo na direção dela.

A água estava fria e ela ergueu o próprio corpo para boiar de olhos fechados. Kylo ergueu os braços a ajudando a boiar, o corpo dela molhado era lindo, ele sentiu o cheiro dela e a pele úmida o desejar encostar os lábios em cada parte dela. Ren abaixou a cabeça aproximando-se da pele acima dos seios e pousou os lábios, ela gemeu, o gemido fez ele sentir o membro entre as pernas endurecer. Ele levantou o olhar para o rosto dela, agora o encarava com o rosto vermelho e os lábios abertos, Rey dobrou o corpo indo em direção ao rosto encostando a testa na dele, ele a soltou permitindo que ficasse em pé e segurou as faces coradas fazendo carinho com o polegar sentindo a respiração dela ofegante, as mão dela subiram pelo peito forte dele até os cabelos negros, Kylo sentiu o coração acelerado bombear formigamentos por todo o corpo e encostou o corpo contra o dela sentindo os seios cobertos dela tocarem o peito dele, encarou os lábios dela e cerrou os lábios nos dela. Lentamente e desajeitados ambos se entregaram, e as línguas se encontraram soltando gemidos, a cada gemido abafado Kylo acelerava o beijo e passeava as mão apertando a cintura e a nuca de Rey, enquanto ela o apertava segurando-o pelo pescoço, pelas costas e abrindo as pernas para abraça-lo pela cintura. O rapaz começou a caminhar até a margem deitando-se sobre ela e indo para o pescoço onde mordiscava e lambia. Era tão bom, ter ela nos braços dele, era excitante e aqueles olhos esverdeados o enlouquecia.

P-por favor…- Rey sussurrou entre gemidos. - Não pare.

Mas ele parou, levantou-se assustado. Afinal o que diabos estava fazendo? Será que estava, como dizia o livro… apaixonado? A observou permanecer ofegante no chão com as pernas abertas, ela também estava? O céu que estava nublado começou a chover pequenas gotas.

- Rey, vamos voltar para casa. - Ele ergueu a mão e ela pegou levantando-se.

- Casa. - A garota disse sorrindo e vestindo as roupas para segui-lo.

O dia escurecia e Kylo deitava preparando-se para dormir, dessa vez esperava Rey aparecer para colocar a cabeça sobre o peito dele, não demorou para ela o fazer e adormecer sorrindo. Ele permaneceu acordado lendo o livro e descobrindo que o beijo não era a coisa mais ousada que ele poderia fazer com ela.


Notas Finais


Ele todo vegano, ela toda carnívora.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...