História The Legend Of The New Vampires - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Emily Rudd, Justin Bieber, Tom Hiddleston
Personagens Cara Delevingne, Cate Blanchett, Victória Justice
Tags Mistério, Romance, Vampiro, Vingança
Visualizações 7
Palavras 1.221
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi,tudo bom?

*U*

Capítulo 17 - I Can't Wait Anymore


Fanfic / Fanfiction The Legend Of The New Vampires - Capítulo 17 - I Can't Wait Anymore

Com a notícia de que Larry não era o verdadeiro pai de Zoe,me atrevi a ficar feliz mesmo sabendo que isso poderia estar doendo dentro dela. No fundo sempre sentira uma ponta de inveja por ela ter um pai tão legal como ele. Me ajeitei na cama,pois,eu já estava cansada de tanto ficar imóvel nessa cama sem ao menos poder me mexer. Eu precisava falar com o Dr. Sullivan para que ele considerasse o fato de eu poder levantar um pouco e dar uma simples caminhada pelo hospital ou ao menos pelo quarto,mas eu precisava levantar daqui de qualquer jeito. Meus devaneios foram interrompidos pela entrada da enfermeira dentro do meu quarto. Ela cuidara de mim desde do dia em que eu cheguei aqui e eu nem mesmo sabia seu nome. Mas enquanto ela fechava a janela e mexia no armário que continha tudo o que era preciso para limpar ferimentos,dar injeções e fazer bandagem, imaginei que eu seria “furada” de novo e por esse motivo,me pediriam para ficar na cama como sempre,me arrepiei só de pensar nessa possibilidade.

— Bom dia Khristen,como está se sentindo hoje? — ela me perguntou sorridente.

— Eu estou bem. — limpei a garganta.

— Quer alguma coisa?

— Eu realmente queria sair dessa cama por um instante,é possível?

— Bom,isso não é comigo,você teria que perguntar ao Dr. Sullivan.

— Pode chamá-lo,por favor?

— O expediente dele já acabou,ele só volta amanhã de manhã. Eu o avisarei que deseja se levantar um pouco. — ela ajustou meu travesseiro — Tente descansar um pouco!

— Obrigada!

— De nada! — ela pegou um frasco de álcool gel e um pacote de esparadrapo se direcionando a porta — Boa noite Khristen!

— Boa noite… — eu precisava saber de uma vez por todas — Qual é seu nome?

— Beatrice!

— Boa noite Beatrice! Bom trabalho!

— Durma bem! — ela sorriu,apagou a luz e fechou a porta

 

Despertei no dia seguinte sentindo muita dor nas costas,pois não havia mais posições para ficar nessa cama,meu corpo não aguentava mais,para tudo tem um limite. Uma outra enfermeira entrou no quarto,me perguntei onde estaria Beatrice?

— Bom dia! — ela disse enquanto mascava um chiclete.

— Bom dia. Sabe se o Dr. Sullivan já chegou?

— Chegou sim,está na sala dele,vendo uns relatórios.

— Precisava falar com ele,urgente.

— Tenho certeza que ele virá aqui mais tarde,pois ele que me pediu para vê como você estava. — ela abriu a janela — Quer tomar café agora?

— Sim por favor!

— Vou buscar,volto num instante.

— Eu aguardo!

 

P.O.V Justin

 

Fazia muito tempo que Khristen estava naquele hospital,mais eu não podia ir vê-la não enquanto a polícia estiver na cola dela. Não quero problemas para meu lado. Às vezes tinha que dar o meu melhor para não invadir aquele hospital e ao menos poder ver se ela realmente está tão mal como dizem pela escola inteira. Leroy me disse que eu deveria segurar a onda,pois não posso dar muita bandeira ou o nosso plano não dará certo e mesmo que ele seja um cavalheiro não quero desapontá-lo. Eu sempre ficava nos bancos do lado de fora da escola. Quem sabe ela não aparecesse com seus vestidos floridos ou suas roupas extremamente escuras...eu nunca descobri qual é o estilo dessa garota,é como se ela tivesse duas personalidades: uma corajosa e outra fraca. E eu precisava qual a dominava agora.

Dentro da sala de aula,as pessoas sempre me olhavam como se pudessem ler em meus olhos,qual o estado de saúde dela,sendo que nem eu que ela jurava ser o único amigo dela sei! Melissa entrou dentro da sala de aula sorrindo e exibindo sua nova aquisição uma bolsa de grife. Todos as sua volta a admiravam e queria ter um pouco de sua atenção. Eu por outro lado queria estraçalhar seu pescoço num golpe só,mais ia chamar muita atenção,ela não merecia o meu tempo. Cheguei em casa cansado e sem ânimo,Leroy logo venho ao meu encontro,com as mãos no paletó.

— A quanto tempo não se alimenta? — ele perguntou com sua elegância sem fim.

— Eu não faço ideia,estou cansado demais para isso.

— Você que isso é suicídio né?

— Isso coloca em risco tanto eu quanto você! E eu odeio correr riscos.

— Eu só não estou afim hoje,está bem?

— Ficar com fome,te fará ficar indefeso e com um instinto assassino desnecessário agora. — ele se aproximou um pouco — Quer que nos encontrem?

— Quem? A polícia?

Hahaha a polícia? Você acha que a polícia pode nos deter? Não filho,eu digo os Night Hunters! Caçadores de vampiros.

— Eles existem,eu pensei que fosse só lendas!

— Tem muita coisa que você não sabe e nem imagina,sobre nosso universo! — ele fitou o teto por alguns segundos — Por que acha que eu me escondi por anos?

— Faz sentido!

 

P.O.V Khristen

 

Depois de fazer uns exames de rotina em mim,o Dr. se sentou na poltrona ao meu lado,e me olhou com o olhar compreensivo!

— Queria falar comigo?

— Queria saber se eu poderia andar um pouco,não aguento mais ficar nessa cama.

— É compreensivo! — ele se levantou — Venha pegue minha mão,vamos ver como você se sai em seus primeiros passos.

Me sentei na cama,peguei sua mão,colocando um pé de cada vez no chão. Levantei tentando me concentrar para não cair. Ao me colocar de pé,minhas pernas bambearam e tremeram,ele então passou o braço em volta das minhas costas,me ajudando em cada passo.

— Como se sente?

— Esquisita,parece que minha cabeça vai explodir..

— É normal. Isso é devido a força que seu corpo está fazendo para executar esse movimento tão simples,porém dificultoso para você agora!

— Mas é uma sensação pode sair dali.

— imagino! Porém por hoje chega! — ele me guiou de volta a cama — Seu corpo precisa se acostumar,pouco a pouco!

Ele checou meus sinais vitais para ver se algo tinha alterado,era muito importante saber se meu corpo estava se recuperando da maneira certa.

— Tudo certo! Seu coração disparou um tanto mais nada que não seja previsto.

— Então estou me recuperando bem?

— Está,mas ainda é cedo para ter certeza,amanhã vou pedir uns exames. Checar como está seu coração,cérebro,pulmão,pressão e etc.

— Perfeito!

— Quando vou poder sair daqui?

— Se tudo estiver certo,daqui a uma semana. Mas peço que não abuse,por favor.

— Amanhã posso caminhar de novo?

— Sim pode,porém com duas condições:

— Quais?

— Que seja na companhia de alguém e que seja no máximo 5 minutos por dia.

— Para mim está perfeito!

Eu estava muito feliz,pois agora eu poderia gastar meu tempo me concentrando em conseguir voltar a andar e me preparando para voltar a vida lá fora,no mundo cão!

 

P.O.V Leroy

 

Justin estava irredutível em relação a Khristen. O pior era que ele estava extrapolando e perdendo o controle. Eu vou ter que ensiná-lo a abandonar de vez esses vestígios de humanidade. Já passou dos limites!

— Justin? Posso ter com você? — ele estava assistindo um programa de TV sem importância — o assunto é sério!

— Leroy com todo respeito eu não quero me alimentar agora,não se preocupe eu vou ficar bem.

— Não é sobre isso,é outro assunto de maior importância para todos nós.

— Os caçadores? — ele desliga a TV e se vira para me ouvir.

— Khristen!

— O que tem ela? — ele se levantou assustado.

— Você pode ir visitá-la!

— Sério?

— Sim,mas antes precisamos ir num lugar. Depois você pode ir correndo vê-la.

Ele usou sua rapidez de vampiro,para me acompanhar floresta adentro. Enquanto eu o levando para o destino eu o convenci a aproveitar o máximo da vida vampírica,afinal estamos mortos,nada pior pode acontecer!


Notas Finais


Espero que tenham, gostado!

Beijos S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...