1. Spirit Fanfics >
  2. The Legendary Trainer >
  3. O caminho para Ceruleam!! Proefecia?

História The Legendary Trainer - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Após as confusões na Mt. Moon, Ember e Blu seguem viagem, para próximas aventuras, o que será que aguarda nos aventureiros que no momento paravam uma floresta perto de Ceruleam.

Capítulo 11 - O caminho para Ceruleam!! Proefecia?


Fanfic / Fanfiction The Legendary Trainer - Capítulo 11 - O caminho para Ceruleam!! Proefecia?

Havia se passado um dia desde que a dupla saíra da Mt. Moon, Blu quase sempre se pegava olhando para Ember, enquanto o mesmo treinava de forma descontraída com seus pokémons, ela não sabia mas ele tirava umas ideias muito diferentes para treinar durante as caminhadas, e os Pokémons adoravam.

Ele já havia feito Pidgeotto fazer zig zag, entre as arvores em um momento em que a floresta estava mais fechada, tendo as arvores mais próximas umas das outras, Pikachu aproveitou um amontoado de pedras e treinou sua agilidade em cima das pedras, o que lhe rendeu uns escorregões e muitas risadas de treinador e pokémon, aproveitando as pedras Ember também havia pegado pedaços de pedras e jogava para frente, onde Mankey tinha correr e acertar a pedra com o Focus Punch, já Lucario sempre estava com sua pedra em mãos, aonde não conseguia manter ela estática no ar acima de sua palma, mas estava já muito mais bem controlada, já seu Bone Rush já estava bem mais denso e poderoso.

Blu sorria a cada vez que Ember junto de seus Pokémons faziam alguma palhaçada ou de alguma forma se enrolavam, o que rendia risadas de treinador e Pokémon, ela claro tomava nota de tudo, sempre anotando em seu caderno, tudo sobre a relação de Ember com seus pokémons, até ela começou a treinar e anotar coisas sobre si mesmo e seus pokémons. Ela estava conhecendo muito já em tão pouco tempo, e estava adorando.

- Ei Blu, vamos parar por aqui hoje, quero treinar um pouco, agora mais focado no Pidgeotto e no Pikachu, amanhã devemos chegar em Ceruleam, então quero estar preparado. – falou Ember, Blu sorriu concordando.

- Claro, vai ser bom dar uma pausa mais cedo mesmo, aproveito para fazer mais pesquisa e estudo, me empresta seu Holo Caster? – pediu Blu.

- Claro é so pegar, não precisa nem pedir – falou Ember puxando um aparelho, parecido com um tablete da mochila e entregando para Blu.

- Obrigada – falou Blu recebendo aparelho, logo ela soltou as coisas e foi de atrás de ligar para seu pai.

 

- Olá papai – fala Blu ao ver seu pai atendendo o telefone, ela estranhou por que ele estava com um sorriso muito grande.

- Olá minha filha, gostando de viajar? – perguntou Gary.

- Muito, mês e você, está bem? Estou te achando diferente – falou Blu.

- Eu estou bem minha filha – falou Gary.

- Hum, ainda não estou convencida, mas vou deixar por hora – falou Blu sorrindo.

- É sério, estou bem Blu, mas e ai como anda a viagem – Pediu Gary.

- Sensacional, pai tenho dois novos pokémons – falou ela sorrindo.

- Sério e quais são? Você esqueceu de atualizar os dados da pokédex no centro pokémon então, eu não tenho esses dados ainda – falou Gary.

- A quanto a isso, eu não passei em um centro pokémon ainda, então deve ser por isso que não atualizei – fala Blu.

- Bom se é assim, então estou mais tranquilo, que minha filha não me esqueceu – brincou Gary, e uma risada alta se fez presente atrás de Gary, que Blu estranhou pois nunca tinha escutado antes.

- Quem está ai? – pergunta Blu.

- Um amigo, ele está indo participar do desafio das Ilhas laranjas, e passou aqui antes para conversar um pouco – fala Gary.

- Ata, enfim, papai, agora eu tenho um Jigglypuff e uma Clefable – fala Blu sorrindo, mostrando as duas pokébolas nas mãos, Gary sorriu, eram dois pokémons muitos bons para quem queria ser pesquisador ou criador pokémon.

- Legal, muito legal, são ótimos pokémons minha filha, e o Ember como ele está pediu Gary.

- Está bem, muito bem, ele é estranho papai, digo, não estranho, estranho, sabe, mas é que ele é tão inexperiente e ao mesmo tempo muito experiente, não consigo entender – falou Blu.

- Me fale mais – pediu Gary.

- Bom, ele como pessoa, tem muito o que aprender, serio ainda é um fracasso, mas está melhorando muito, e muito rápido, só que como treinador, é diferente, é como se ele já tivesse batalhado mais de mil vezes, mas Lucario e o seu primeiro pokémon e difícil acreditar que ele batalhe tão bem assim, em tão pouco tempo de treinamento e experiência – falou Blu.

- Hum entendo, filha, não esqueça em como ele cresceu, longe da maioria dos contatos humanos por causa de seu pai, por mais que ele estava sem esse tipo de contato, acredito que Ash e Serena tenham o criado muito bem, já em batalhas está no sangue dele, não esperava menos dele, sendo filho de quem é – falou Gary revirando os olhos.

- Pois é, mas então era isso, Ember está treinando, amanhã chegamos em Ceruleam, ele vai disputar contra Misty, pela segunda insígnia, e eu tenho pesquisa a fazer, amanhã assim que eu chegar no centro pokémon eu atualizo a pokédex pai – falou Blu.

- Está bem minha filha até amanhã – falou Gary, desligando logo em seguida.

- Dou um ano para esses dois estarem se pegando – falou uma voz desconhecida atrás de Gary, logo depois rindo.

- Se aquele projeto de gente encostar na minha filha, eu acabo com a raça dele – falou Gary.

- Eeee não sabe brinca não, mal humorado você em? – falou a voz.

- A cala a boca, já está me enchendo o saco – falo Gary de cara fechada.

- Bom, voltando ao assunto, entendeu o que eu quis dizer? – falou a voz.

- Sim, mas se isso for verdade, bom não sei nem por onde começar a pensar – falou Gary.

- Sabe sim, temos que auxiliar de longe, e sua filha vai ser de extrema importância, mesmo não sabendo – falou a voz.

- Você tem certeza disso? – perguntou Gary.

- Sim, bom pelo menos nesses últimos tempos, foi o que eu consegui entender – falou a voz.

- Então temos que deixar rolar para ver, eu só estou com medo – falou Gary.

- Não é só você meu amigo – falou a voz.

- Só me resta desejar boa sorte para eles, e que eles continuem treinando para quando chegar o dia – falou Gary.

- Sim, mas eu não posso ficar parado, preciso ajudar de alguma forma, então vou indo – falou a voz, já saindo da porta, Gary o acompanhava.

- Até mais, me mantenha infirmado... Ei Ash, e bom saber que você está realmente vivo – falou Gary, olhando agora para o homem, no qual era Ash.

- Hehe, você não vai se livrar de mim tão fácil, ainda mais agora que nossos filhos estão namorando – falou Ash.

- Cala a boca desgraça, não estão não – falou Gary.

- Ainda, ainda Gary – fala Ash rindo com vontade, e logo depois Gary também, então Ash pega uma pokébola, liberando seu Charizard, que aparentava estar muito mais forte que antes.

- Woww, faz tempo em Charizard – falo Gary acenando para o mesmo.

- Charr – falou o Pokémon, Ash já estava em suas costas, acenando, Charizard em um movimento de asas subiu para os céus, e logo depois disparou pelos ares.

- Cada vez mais forte Ash, até aonde você vai chegar – falou Gary.

- Professor, esse realmente era o Ash – perguntou sua assistente.

- Sim – respondeu o professor.

- Bom, eu sei que ele tem pokémons fortes, mas seus Pikachu, por que não estava com ele – perguntou a assistente.

- Pikachu dele ficou com Serena, não entendi bem o porquê, mas envolve algum Pokémon da Serena, e como seria uma visita rápida ele não veio junto – falou Gary.

- Entendi, mas falando nele ainda, esse Charizard, parecia ser muito forte – falou a assistente.

- Hahaha, parecia não, é extremamente forte, meu Blastoise uma vez já sofria contra ele, agora não deve durar mais de 3 ou 4 movimentos – falou Gary entrando.

Enquanto isso na clareira, Blu guardava o Holo Caster, e seguia para fazer a janta, não havia percebido quando, mas Ember já havia montado as barracas para dormirem mais tarde.

Blu se demorou mais um tempo fazendo o jantar para ela e Ember, juntamente da ração Pokémon que a mesma já havia posto nas vasilhas de cada Pokémon dela e de Ember. Não demorou muito para que todos aparecessem para comerem.

- E ai como a conversa com seu pai – pediu Ember no meio da janta.

 - Foi bem, ele vai me mandar alguns materiais para mim estudar e comparar com o que eu já presenciei na nossa viagem até aqui – falou Blu.

- Que bom Blu, tenho certeza que você vai ser uma grande pesquisadora – falou Ember.

- Obrigado – agradeceu Blu sorrindo para o garoto.

- pode deixar que eu cuido de arrumar aqui as coisas, pode ir dormir se quiser – falou Ember.

- Tem certeza? Tem bastante coisa – falou Blu.

- É o mínimo que eu posso fazer Blu, se não fosse você, eu ainda não teria chegado aqui, ou já teria morrido de fome – falou Ember sorrindo.

- Isso é verdade – sorriu Blu.

- Não era para você concordar – fala Ember com cara de chorão.

- O que só disse a verdade – falou Blu, e Ember intensifica seu falso choro.

- Acho que vou dormir – ameaçou Ember.

- Tudo bem eu limpo aqui – falou Blu.

- Claro que não eu limpo aqui agora, pode ir – falou Ember.

- EU sei eu estava brincando – falou Blu sorrindo.

- Você não existe – fala Ember.

- Existo sim – falou Blu pegando inconscientemente na mão de Ember que a olha sem jeito, mas não soltando a mão da garota.

- Eu sei, eu estava brincando – falou Ember sorrindo, ainda sem soltar as mãos da garota.

- Eu vou me deitar então – falou Blu, fazendo menção de sair, mas Ember a puxou para um abraço, que logo foi correspondido pela garota.

- Obrigado Blu – falou Ember.

- Pelo oque – perguntou a garota.

- Por vir comigo, por cuidar de mim, por ser minha amiga – falou Ember.

- Vai com calma garotão, estou com você para conhecer seu pai lembra – fala ela rindo, e Ember soltou ela de forma rápida, baixando os olhos.

- Entendo – falou Ember se virando para sair, mas seu braço foi segurado por Blu.

- Você sabe que estou brincando não sabe – falou Blu.

- Toda brincadeira tem um fundo de verdade Blu – falou Ember saindo do acampamento, deixando Blu estática para traz.

“Droga, o que foi que eu fiz” Pensava Blu, sem pensar duas vezes, ela limpou todo o acampamento e foi se deitar.

Perto dali Ember e Lucario estava sentado na beira de um pequeno lago, enquanto Lucario treinava seu Force Palm estava quase controlando perfeitamente já a pedra no ar com seu ataque.

- Vem vamos fazer um treino diferente Lucario – falou Ember.

- Raaawr – responde o Pokémon se levantando e com um movimento atacando a pedra com o Force Palm para frente, a pedra atravessou uma pequena queda de água caindo em uma caverna que existia atrás, acordando um Pokémon que ali dormia tranquilamente.

Depois de explicar o treino Ember e Lucario estavam frente a frente se encarando, e em determinado momento começaram a batalhar entre si, os ataques não eram fortes, eram apenas ataques leves, mas eram rápidas, não tinham a intenção de machucar, os dois sorriam um para o outro.

O Pokémon que havia sido acordado por Lucario havia posto a cabeça para fora naquele momento e via os dois batalhando, seus olhos brilharam, pois sentia a aura do humano e do Pokémon intimamente ligados. Seus olhos brilharam.

- Vá, e o nosso destino – Falou uma voz na mente desse Pokémon.

O Pokémon então abriu as assas e vou pela queda de água, tão rápido que Ember e Lucario não perceberam. O Pokémon se endireitou no galho da arvore ao lado deles ainda se mantando um pouco escondido.

Quando ambos Pokémon e treinadores estavam exaustos eles decidiram parar, e se sentaram um de frente para o outro, Ember então começou a treinar sua aura, já estava na hora e ele sabia disso, vinha tentando não o fazer, mas sabia que era necessário e nos últimos dias, alguma coisa o dizia para o fazer, logo após modelar sua aura ele pode sentir um Pokémon o observando de cima de uma árvore, ele então abriu os olhos e olhou para o Pokémon que agora se fazia totalmente visível, deixando Ember chocado com o que via a sua frente.

- Articuno? – perguntou Ember.

- Aaar – respondeu o pássaro saltando da árvore e pousando na frente de Ember, logo o rapaz já puxava sua Pokédex.

Articuno: O Pokémon pássaro congelado. O bater de suas assas, leva uma brisa gélida por onde passa.

- Não esperava encontra-lo aqui – falou Ember olhando para o imponente pássaro a sua frente, Lucario observava.

- Mostre a profecia – Falou novamente uma voz na mente de Articuno, que piou se aproximou de Ember e ofereceu sua cabeça para ser tocada. Ember foi sugado para um espaço todo em branco onde palavras apareciam a sua frente e uma voz as ditava.

 

DO AMOR, QUE SOBREVIVEU DA

DESTRUIÇÃO,

UM FRUTO RENDERAS.

 

O MAL PELAS SOMBRAS AGIRA,

E O FRUTO,

EM SUAS MÃO A SALVAÇÃO TERÁ.

 

SEU CAMINHO SE INICIARA,

E SEU CORAÇÃO SE AQUECERA.

 

NA CONFIANÇA E NO PERIGO O FRUTO

DESABROCHARA,

PARA O MUNDO SALVAR.

 

SOZINHO INICIARA, MAS

SOZINHO,

NUNCA FICARAS.

 

DO GELO AO FOGO,

SEU CAMINHO TRAÇARA.

 

ETAPAS DEVARAS CUMPRIR,

INIMIGOS DERROTAR.

 

MARCADO PELO TODO PODEROSO,

SEUS FILHOS AJUDARAS.

 

PARA O BEM OU PARA O MAL,

SE ERGUERA.

 

E COM O PODER DOS GRANDES

REINARÁ.

 

A VIDA OU A MORTE

EM SUAS MÃOS

ESTARÁ.

 

- Mas o que foi isso – perguntou Ember olhando para Articuno que o encarava.

A bela ave de rapina, de coloração azul claro, com uma longa calda piou novamente e começou a voar em volta de Ember.

- Você quer batalhar – pergunta Ember.

- Arti – responde o Pokémon pousando alguns metros à frente de Ember que sorriu com a oportunidade.

- Lucario, está pronto? – pergunta Ember.

- Raaw – Responde Lucario serio se colocando em postura de combate.

- Certo, Articuno, não vamos nos segurar – falou Ember e Articuno acenou com a cabeça.

- Close Combat Lucario/Raarw – Lucario avançou contra Articuno que se preparava para voar em evasiva, quando em sua volta surgem pequenas pedras de gelos que voam em direção de Lucario.

- Droga, Lucario, use o Bone Rush e defenda-se – falou Ember, e Lucario se pós a acertar, ou tentar, as pedras de gelo que voavam em sua direção, defenderam alguns, mas os que não tinha se defendido o tinha acertado levando um pequeno dano.

- Agillity para se aproximar, e use o Bone Rush para atacar – deu a ordem Ember, Lucario se aproxima rapidamente de Articuno e salta em sua direção preparando o ataque de seu Bone Rush que brilhava na cor vermelha.

Articuno novamente, utilizou sua evasiva para o lado e usou o Gust, que Ember reconheceu por seu Pidgeotto também o usar, Por Lucario estar no ar, ele foi acertado em cheio pelo ataque o enviando em direção de uma pedra perigosamente rápido.

- Use a pedra como impulso e volte usando o Force Palm com toda a sua força – falou Ember.

Lucario se solto e girou o corpo, amorteceu o impacto na pedra e usando toda a sua força deu impulso na direção de Articuno, já preparando seu ataque, mas sua na frente de sua mão começou a brilhar, e um novo ataque havia se formado.

- Isso é a Aura Sphere, ele dominou, ele conseguiu dominar – falou Ember Sorrindo.

Mas não demorou muito, pois Ember viu Articuno, lançar uma grande rajada de vento que aonde tocava congelava, inclusive o ataque de Lucario que caiu no chão congelado e sem condições de continuar batalhando.

- Isso foi um Blizzard? – Se perguntou Ember se aproximando de Lucario que já não estava mais preso pelo gelo, mas ainda estava atordoado.

- Não foi um Sheer Cold – Falou uma voz atrás de Ember que logo reconheceu como sendo de Blu.

- Oieee – falou Ember colocando Lucario dentro da Pokébola o agradecendo pela batalha, Articuno pousa ao lado de Ember como se fosse o defender a qualquer custo.

- Ember, ele é um Articuno? – perguntou Blu olhando para o Pokémon ao lado de Ember.

- Sim, eu estava treinando com Lucario, e do nada ele apareceu, se aproximou e quando o toquei para acariciar palavras estranhas surgiram na minha mente, e depois, antes mesmo que eu conseguisse uma explicação ele quis batalhar, e como você viu Lucario foi totalmente derrotado sem nem ao menos o tocar – falou Ember.

- Legal, mas acho que ele não gosta muito de mim – falou Blu o olhando com uma cara mais triste.

- Articuno, tudo bem, ela é uma boa pessoa – falou Ember, no que Articuno se acalma.

- Fico mais tranquila agora – falou Blu se aproximando dos dois, Articuno já não mais defendia Ember da aproximação da garota.

- Bom Articuno, o que aquelas palavras querem dizer – falou Ember para Articuno que o encarava.

- Arrw – responde Articuno.

- Você também não sabe direito? – pergunta Ember, no que Articuno acena com a cabeça em confirmação.

- Bom e o que essas palavras diziam – pediu Blu, então Ember a contou, ela o olhava pensativo, até puxar o Holo Caster de Ember novamente e ligar para o pai.

- Ola minha filha aconteceu algo? – perguntou o professor Gary.

- Na verdade pai, aconteceu, algo muito estranho – respondeu Blu mostrando Ember no lado de Articuno.

“Então ele estava certo, e já começou a acontecer” pensava Gary enquanto olhava para Ember e Articuno.


Notas Finais


Blu fala o que nao devia e fica se sentindo culpada, Ember para esfriar a cabeça vai treinar com Lucario e acaba tendo uma grande surpresa. Enfim a profecia e revelado ao nosso protagonista, o que será que os aguarda desse encontro?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...